Revista Água Viva

Journal Information
EISSN : 1678-7471
Published by: Universidade de Brasília (10.26512)
Total articles ≅ 187
Archived in
SHERPA/ROMEO
Filter:

Latest articles in this journal

Maurício Fontana Filho
Published: 29 December 2020
Revista Água Viva, Volume 5; https://doi.org/10.26512/aguaviva.v5i3.33023

Cacio José Ferreira, Norival Bottos Jr
Published: 29 December 2020
Revista Água Viva, Volume 5; https://doi.org/10.26512/aguaviva.v5i3.32156

Abstract:
Este artigo discute a temática da mulher indígena no estado do Amazonas a partir do arcabouço teórico advindo das relações de gênero, de feminicídio e diáspora no texto A Caligrafia de Deus (2007), de Márcio Souza. A narrativa expõe o modo como a mulher indígena é submetida a uma intricada rede de articulações de poder e de patriarcado. Dessa forma, são evidenciadas como as relações de gênero dão vazão à posse do corpo e da mente do “outro” e de como as relações de poder surgem a partir das questões de gênero, sobretudo, por meio da cultura, que se torna historicamente modificada na episteme contemporânea por novas articulações de controle e de exercício de dominação.
Lohanna Machado
Published: 29 December 2020
Revista Água Viva, Volume 5; https://doi.org/10.26512/aguaviva.v5i3.31338

Abstract:
Em A sonata a Kreutzer, de Tolstói, o esposo assassino revisa seu crime em fala compulsiva. Em Dom Casmurro, narrativa contemporânea à quela, Bento Santiago tenta “atar as duas pontas da vida” enquanto rememora o caminho que levou a um “assassinato” social da esposa desterrada. Neste artigo procurei me debruçar sobre a revisitação dessas experiências traumáticas por seus perpetuadores à luz, especialmente, de Shoshana Felman, que analisa julgamentos reais e literários de feminicídios íntimos afastados e recentes; do convite de Roberto Schwarz à desconfiança pelo leitor machadiano; e das teorizações de Sigmund Freud, Lacan e Ricoeur sobre trauma e memória. Tudo isso à sombra, é claro, do entendimento do contexto de uma incipiente emancipação feminina na sociedade burguesa do final do século XIX cujo julgamento favorável a O. J. Simpson prova uma insatisfatoriamente lenta evolução.
Gabriel Nogueira Linhares Marquim
Published: 29 December 2020
Revista Água Viva, Volume 5; https://doi.org/10.26512/aguaviva.v5i3.32608

Abstract:
Este trabalho analisa o discurso mobilizado pelo papa Francisco em diferentes momentos durante a pandemia da covid-19, que assolou todo o mundo. Através das abordagens teóricas e metodológicas da Análise do Discurso de linha francesa (AD), especialmente dos estudos de Pêcheux (1995, 1999) e comentadores, como Orlandi (2007), Mussalim e Bentes (2003) e Fernandes (2007), articulamos conceitos como ideologia, posição-sujeito, formações ideológicas e discursivas. Por fim, demonstramos como o pontífice articula suas formações discursivas, sendo elas “religiosa” e “política”, dentro de sua visão poliédrica da realidade e do catolicismo.
Isabela Vieira Barbosa, , Éderson Luís Silveira
Published: 29 December 2020
Revista Água Viva, Volume 5; https://doi.org/10.26512/aguaviva.v5i3.35812

Abstract:
Neste artigo serão apresentados dados referentes a algumas línguas de (descendentes de) imigrantes que hoje estão no Brasil. Discute-se, ainda, o quão importante foi a vinda dos imigrantes para o pluralismo sociocultural nacional. Conclui-se que as línguas de imigração e de herança são patrimônios socioculturais, pois marcaram e ainda marcam a história linguística e cultural do Brasil. Cabe salientar que, aqui, o termo língua de herança está sendo usado para denominar as línguas dos descendentes que já nasceram no Brasil enquanto que o termo língua de imigração estaria mais relacionado à língua da primeira geração, ou seja, a dos imigrantes de fato. Esta herança fixada ao longo dos anos trouxe à população uma ampliação no âmbito da diversidade linguística já existente, cujos efeitos perduram nos dias de hoje.
Cíntia Carla Moreira Schwantes, Graciane Cristina Mangueira Celestino, Júlio Edstrom Secundino Santos
Published: 29 December 2020
Revista Água Viva, Volume 5; https://doi.org/10.26512/aguaviva.v5i3.35810

Abstract:
Este artigo procura demonstrar a relevância do tema dos migrantes forçados e refugiados, que é considerada a maior crise humanitária da atualidade, já que há mais de 65 milhões de pessoas vivendo em condições de extremo desamparo no mundo, através do diálogo com a obra literária infanto-juvenil Imigrantes e mascates de Bernardo Kucinski. Para tanto foi utilizado o método hipotético dedutivo e análise discursiva para apontar a seriedade da necessidade de proteção e promoção dos refugiados que chegam ao Brasil, através da integração dos fenômenos literários e jurídicos que servem de base para reflexões da própria sociedade brasileira.
Jiliane Movio Santana, Marcelo Fernando de Lima
Published: 29 December 2020
Revista Água Viva, Volume 5; https://doi.org/10.26512/aguaviva.v5i3.31257

Abstract:
O objetivo deste trabalho é analisar três crônicas de Lima Barreto publicadas em 1907, compreendidas aqui como narrativas históricas que versam sobre os impactos das transformações urbanas no Rio de Janeiro da Belle Époque tropical, higienista e excludente. Assim como em boa parte de sua obra, o autor apresenta nestes três textos uma linguagem crítica com utilização da sátira e da ironia para denunciar as desigualdades sociais vividas no Brasil dos primeiros anos do regime republicano. Com esta análise, nosso objetivo é mostrar o descompasso de um ideal de modernidade importado da Europa e a modernidade excludente, de aparências mas real, presente nas ruas da Capital Federal, satirizada na escrita rápida de Lima Barreto.
, Juliana Müller
Published: 29 December 2020
Revista Água Viva, Volume 5; https://doi.org/10.26512/aguaviva.v5i2.28703

Abstract:
Este artigo pretende discutir duas formas de contato com as acontecimentos históricos presentes no conto Quando o Senhor Pirzada vinha jantar, escrito por Jhumpa Lahiri em 1999 e presente na coletânea Intérprete de Males. O conto, em questão, retrata as experiências de uma criança chamada Lilia, filha de pais indianos e que cresce nos Estados Unidos. O primeiro vetor de seu relacionamento com os acontecimentos históricos foca no contexto de origem da família de Lilia, enquanto o segundo está interessado em discutir sua socialização com a história americana, mediada por uma escola nos Estados Unidos. Nos dois contextos, Lilia dialoga com a história e se posiciona, ao identificar diferentes formas de pertencimento, inscritas em narrativas históricas. Para essa finalidade, são relevantes aqueles eventos históricos que fornecem sentido à narrativa de identidade da protagonista.
Amanda Maria Garcia Holgado De Oliveira
Published: 29 December 2020
Revista Água Viva, Volume 5; https://doi.org/10.26512/aguaviva.v5i3.25755

Abstract:
Pensar no corpo enquanto instância de enunciado e manifestação de privilégios, resistência, identificações e enfrentamento é o propósito deste artigo. O corpo é visto e confrontado por representar características aceitas ou negadas por um senso comum, o que gera estigmas e preconceitos. Este artigo traz compositoras e autoras da música e literatura brasileiras contemporâneas que apontam o confronto do corpo através das determinações sociais impostas a ele. Serão analisadas na obra musical de Karina Buhr, canções do álbum Selvática, de Karol Conka, canções do álbum Batuk Freak. Na literatura, o romance Coisas que os homens não entendem de Elvira Vigna e o conto “Isaltina Campo Belo” de Conceição Evaristo. Os discursos são analisados considerando um potencial afirmativo das obras sobre as práticas feministas enquanto descolonizadoras, dialogando com as teorias acerca do corpo de Judith Butler, Guacira Lopes Louro e Lélia Gonzales.
Back to Top Top