PARADIGMA

Journal Information
ISSN / EISSN : 1011-2251 / 2665-0126
Total articles ≅ 122
Filter:

Latest articles in this journal

Victor Hugo Ricco Bone Antunes, Clodis Boscarioli, Tiago Emanuel Klüber
PARADIGMA pp 01-26; doi:10.37618/paradigma.1011-2251.0.p01-27.id789

Abstract:
Este artigo aponta as mudanças que ocorreram ao longo dos anos em pesquisas relacionadas ao uso pedagógico das tecnologias digitais publicadas no ENEM (Encontro Nacional de Educação Matemática) a partir de seus Anais. Foram analisados 421 artigos publicados nas 12 edições do evento que ocorreram entre os anos de 1987 e 2016, divididos em comunicações científicas, relatos de experiência e pôsteres. Após a leitura, realizou-se uma análise isolada, apresentando o foco das pesquisas publicadas em cada edição. Na sequência, foi possível comparar as edições, de modo a observar as mudanças mais acentuadas que ocorreram nas publicações ao longo da história do evento. A principal mudança observada se refere ao foco das pesquisas, que nas primeiras edições centrava-se em mostrar formas de utilizar, de forma pedagógica, as novas tecnologias, ou apresentar novos sistemas, e nas últimas edições, mais voltado a discutir como as tecnologias digitais estão sendo inseridas em sala de aula e como os professores estão sendo preparados para tal utilização, analisando desde a formação inicial à continuada.
Solange Wagner Locatelli
PARADIGMA pp 172-189; doi:10.37618/paradigma.1011-2251.0.p172-189.id863

Abstract:
Por meio de uma atividade investigativa metavisual, foi proposto a graduandos de uma universidade pública brasileira, que propusessem modelos explicativos acerca de uma reação química entre íons. Para isso foram utilizadas algumas ferramentas como o facebook, google forms, entre outros, para a realização da tarefa por meio remoto. O objetivo dessa pesquisa foi responder a duas questões, focalizando nas facilidades e dificuldades em se realizar a atividade à distância por meio das tecnologias digitais e em que medida, haveria indícios de reconstrução de conceitos de química. As conversas foram transcritas, os desenhos e autoavaliações analisados. Os resultados indicam a compreensão da química como uma categoria comum às facilidades e dificuldades. Por um lado, trabalhar em pares e com auxílio das tecnologias digitais ajudou a alcançar bons resultados, ao passo que o entendimento da química por vezes foi difícil, por falta de bagagem de conceitos químicos. Quanto à reconstrução desses conceitos, pode-se observar que ocorrem parcialmente, indicando boas possibilidades de aprendizado, embora muitas vezes os alunos focalizam nos aspectos mais superficiais das imagens e assim, uma mediação pelo professor se faz necessária.
Jaime I. García García, Nicolás A. Fernández Coronado, Isaac A. Imilpán Rivera
PARADIGMA pp 404-426; doi:10.37618/paradigma.1011-2251.0.p404-426.id917

Abstract:
Este estudio, enmarcado en la necesidad de una alfabetización probabilística en el ciudadano, explora el desarrollo del razonamiento probabilístico del profesor de matemáticas frente a tareas de cálculo de probabilidades en problemas binomiales mediante simulación computacional. Esta investigación corresponde a un estudio de caso, en la que se trabajó con siete profesores de matemáticas que estaban inscritos en un curso de Probabilidad y Estadística de una maestría en una universidad mexicana. Para analizar y evaluar el razonamiento probabilístico de los profesores en sus respuestas a dos tareas de cálculo de probabilidades de eventos, antes y después de realizar actividades de simulación computacional, se definen niveles jerárquicos considerando la taxonomía SOLO: preestructural, uniestructural, multiestructural y relacional. El estudio revela que cuatro profesores modificaron su razonamiento probabilístico, alcanzando el nivel relacional en la tarea de encontrar los valores teóricos de la distribución de probabilidad binomial; mientras que dos profesores lo alcanzaron en la tarea de encontrar la probabilidad de un evento compuesto. El trabajo con simulación computacional ha permitido a los profesores abordar el cálculo de probabilidades binomiales mediante un enfoque frecuencial e identificar, en algunos casos, los valores teóricos.
Monica Furkotter, Maria Raquel Miotto Morelatti, Eliel Constantino Da Silva
PARADIGMA pp 736-763; doi:10.37618/paradigma.1011-2251.0.p736-763.id914

Abstract:
Apoiados nas legislações sobre formação inicial de professores da Educação Básica e no Conhecimento Tecnológico e Pedagógico do Conteúdo (TPACK), que identifica os saberes docentes essenciais para a prática docente, apresentamos e analisamos como esses saberes são contruidos no processo de formação propiciado pelo curso de Licenciatura em Matemática da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Unesp, Câmpus de Presidente Prudente, Brasil, quanto ao uso das Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TDIC) para aprender de e sobre Matemática e quanto a utilizá-las para ensinar Matemática. Visando promover uma incorporação e reflexão crítica acerca das TDIC na formação do docente de Matemática, foram realizadas alterações curriculares na estrutura do curso, pautadas em pesquisas sobre o tema, para que o licenciando pudesse conhecer e se apropriar desses recursos. Tais modificações foram realizadas antes mesmo que diretrizes oficiais previstas em legislação específica sobre a formação inicial de professores começassem a exigi-las. Compreendendo que é a visão dos egressos sobre a formação que evidencia a contribuição do curso para a sua atuação profissional, apresentamos e analisamos suas opiniões acerca dessa formação, bem como relatos de experiências vivenciadas por eles, que revelam uma apropriação de uso das TDIC em sua atuação profissional.
Stephanie Díaz-Urdaneta, Luzia Regis Narok Pereira
PARADIGMA pp 383-403; doi:10.37618/paradigma.1011-2251.0.p383-403.id916

Abstract:
O uso das tecnologias digitais nos contextos educativos tem favorecido as possibilidades de visualização e experimentação na Educação Matemática, o que tem permitido uma reorganização do conhecimento matemático no desenvolvimento da atividade escolar realizada. Neste sentido, neste trabalho analisa-se uma experiência na qual a partir da visualização e experimentação mediadas pelas tecnologias digitais, um aluno da Educação Media da Venezuela reorganiza suas ideias sobre o que é um quadrado, na atividade de Elaboração de Simuladores com o GeoGebra (ESG). Para isso, iniciou-se contextualizando da pesquisa realizada, continuando com o que é a ESG e, posteriormente, como ela é entendida segundo as perspectiva do que é a reorganização mediada pelas tecnologias digitais e das ideias de Seres-humanos-com-mídias. A metodologia deste trabalho é qualitativa, de natureza descritivo-interpretativa, sendo apresentado o contexto, participantes, a fonte dos dados e a análise dos mesmos. Dentre os resultados, no discurso dos participantes, percebe-se a reorganização do que é um quadrado a partir da visualização e experimentação das características desta figura no GeoGebra. A partir do analisado, considera-se que os professores podem ter iniciativas para realizar atividades mediadas por tecnologias digitais que ajudem na reorganização dos conceitos geométricos.
Greiton Toledo De Azevedo, Marcus Vinicius Maltempi
PARADIGMA pp 81-101; doi:10.37618/paradigma.1011-2251.0.p81-101.id818

Abstract:
Nosso objetivo é compreender o processo criativo de aprendizagem matemática ao longo da produção do jogo Navegação, associado a dispositivo robótico, destinado ao tratamento de sintomas doença de Parkinson. Norteados pela pesquisa qualitativa, a produção de dados foi realizada com alunos do Ensino Médio do IF-XXX, XXXX. O cenário formativo de pesquisa foi criado como lugar para construir/propor soluções para problemas reais a partir da matemática e da robótica a favor da sociedade, de modo que as carreiras científicas e tecnológicas sejam um dos possíveis projetos de vida e transformação social, intelectual e científica dos alunos. Para isso, colocamos em pauta discussão-análises do desenvolvimento científico-tecnológico, colaborativo-argumentativo e inventivo-criativo de tecnologias, indo além dos muros da sala de aula de matemática. Suscitamos análise-reflexões sobre o processo de se tornar pensador criativo em matemática em detrimento da reprodução de conceitos e mecanismos pedagógicos que não se justificam. Para tanto, baseamos nossas ações na Teoria de Aprendizagem Criativa e na Insubordinação Criativa. Concluímos que o processo criativo de aprendizagem matemática se mostra dinâmico e fluído, constituído por passos não lineares, e se fortalece por elementos inerentes ao processo formativo, entre os quais se destacam: curiosidade, imaginação, argumentação e invenção.
Josiel De Oliveira Batista, Luciane Ferreira Mocrosky, Tania Teresinha Bruns Zimer
PARADIGMA pp 102-124; doi:10.37618/paradigma.1011-2251.0.p102-124.id848

Abstract:
A forma de conduzir o ensino na modalidade a distância exige dos professores uma nova forma de reflexão para com o ensino. Esse modo de caminhar atento em torno do tema pautou-se no diálogo com docentes de curso EAD orientado pela interrogação: “Como o formador de docentes que ensinam Matemática nos anos iniciais se compreende professor em cursos EAD?”. Buscou-se conhecer os modos como o docente formador de professores que ensinarão matemática na Educação Básica se compreende no movimento de ensinar matemática na modalidade a distância, e no ambiente tecnológico como viabilizador do ensino. Para conseguir respostas utilizou-se a pesquisa qualitativa com abordagem fenomenológica. Realizou-se cinco entrevistas que foram transcritas e analisadas em dois momentos: primeiro, denominado análise ideográfica e segundo, composto pela análise nomotética, momento em que se procurou aspectos significativos que convergiram para a categoria aberta: Formação no curso EAD. Os depoimentos revelaram docentes comprometidos com o ensino e que buscam no cuidado contínuo com seus alunos inovar nas metodologias, compreender as especificidades do público que atendem, planejar e avaliar de modo diferenciado, uma vez que compreendem que atendem a um público diferenciado e que não poderiam agir de modo distinto.
Ana Maria Mota Oliveira Scalabrin, Solange Mussato
PARADIGMA pp 427-447; doi:10.37618/paradigma.1011-2251.0.p427-447.id922

Abstract:
Ou este artigo descreve dois resultados de uma pesquisa, cujo objetivo foi investigar as contribuições do software GeoGebra 3D para os processos de ensino e de aprendizagem de conteúdos de geometria espacial que não o Ensino Médio, seguindo as pressões teóricas do Modelo Van Hiele. Para todos os procedimentos metodológicos, a pesquisa foi realizada sob a perspectiva da abordagem qualitativa, por meio da pesquisa, em uma segunda edição da série Ensino Médio de uma escola pública localizada em Boa Vista, Roraima, Brasil. Essa intervenção possibilitou a produção de dois dados registrados por meio de questionários, um relatório do observatório de pesquisa, registros fotográficos, arquivos digitais construídos com o softwareO GeoGebra e os registros escritos fornecem as atividades propostas. Os resultados apontam que o uso do software GeoGebra 3D contribuiu efetivamente para promover ou avançar o pensamento geométrico de dois pesquisadores, em relação aos conselhos de Poliedros, do nível 1 (visualização) ao nível 4 (dedução formal) do Modelo Van Hiele.
Sonia Maria Da Silva Junqueira, Leandro Blass, Lucas Capello
PARADIGMA pp 711-735; doi:10.37618/paradigma.1011-2251.0.p711-735.id908

Abstract:
Diante das dificuldades expostas por grande parte dos estudantes do Ensino Superior relacionadas à compreensão do conteúdo de Sólidos de Revolução da disciplina de Cálculo II, propõem-se neste trabalho mostrar resultados sobre atividades voltadas para esse estudo com o auxílio do softwareWinplot. Assim, este artigo tem como objetivo apresentar elementos da interação, observados em uma proposta de aprendizagem colaborativa, a partir da aplicação de uma oficina a estudantes dos cursos de graduação. Buscou responder como se mostra a interação entre os sujeitos e entre os sujeitos e o objeto a conhecer, considerando-se o apoio pedagógico do Winplot. A abordagem metodológica foi qualitativa, em uma pesquisa exploratória e análise argumentativa dos dados. Decorreu do estudo a constatação de interação colaborativa destacada em elementos de simetria de ação, de conhecimento e de status. Ainda, o Winplot ampliou o campo de representação e visualização para a realização de conjecturas e hipóteses, contribuindo para fomentar mecanismos de negociação necessários à aprendizagem colaborativa.
Luciane Mulazani Dos Santos, Katiane Cugik Couto
PARADIGMA pp 499-528; doi:10.37618/paradigma.1011-2251.0.p499-528.id905

Abstract:
Este artigo apresenta uma discussão sobre ações de desenvolvimento do pensamento computacional de estudantes dos primeiros anos do Ensino Fundamental que foram tomadas com parte de uma pesquisa de mestrado profissional do Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências, Matemática e Tecnologias da Universidade do Estado de Santa Catarina. O foco das citadas ações foi a realização de uma oficina de programação para estudantes do segundo ano do Ensino Fundamental. Essa oficina foi uma das etapas da criação do produto educacional exigido no curso de mestrado profissional. O resultado aqui apresentado é, portanto, um recorte da pesquisa. Ele evidencia que é possível a inserção de atividades de ensino de programação para desenvolvimento do pensamento computacional desde os primeiros anos da Educação Básica e que o trabalho com o pensamento computacional ajuda a aprendizagem por meio de resolução de problemas de tal forma que isso pode contribuir de forma positiva na aprendizagem de conteúdos de matemática. A pesquisa nos fez concordar com professores e pesquisadores que acreditam que as relações estabelecidas na escola se vêem modificadas na contemporaneidade em virtude dos recursos tecnológicos digitais aos quais temos acesso para uso em diferentes situações de nosso cotidiano.
Back to Top Top