ACTA Apicola Brasilica

Journal Information
EISSN : 2358-2375
Published by: Grupo Verde de Agroecologia e Abelhas (10.18378)
Total articles ≅ 40
Current Coverage
DOAJ
Archived in
SHERPA/ROMEO
Filter:

Latest articles in this journal

Orlaneide da Silva Brito, Juliana Do Nascimento Bendini, Maria Carolina Abreu
ACTA Apicola Brasilica, Volume 9; https://doi.org/10.18378/aab.v9i0.8077

Abstract:
Objetivou-se por meio do estudo avaliar o comportamento de coleta de abelhas africanizadas em flores de árvores de Nim no município de Picos, Piauí, Brasil. Para tanto, no período de fevereiro a dezembro de 2016, durante três dias consecutivos de cada mês, foi realizada uma avaliação da atividade de coleta das abelhas em 10 árvores de Nim em florescimento. Essa avaliação foi realizada anotando-se das 7 às 13h, a cada 2 horas, durante 5 minutos, em cada árvore: i. o número de abelhas africanizadas visitantes, ii. o (os) recurso(s) coletado(s), iii. a presença de outros visitantes e iv. os aspectos da biologia floral (antese, receptividade do estigma e odor). Como resultados, constatou-se que as árvores de Nim, nas condições climáticas do município de Picos, florescem e frutificam o ano todo. Essa árvore apresenta artifícios para atrair seus visitantes florais, como a liberação de odor intenso e a disponibilidade de pólen abundante durante o período de observação. Durante o período chuvoso na região, o número de abelhas visitantes (36) foi muito inferior ao período seco (282). Esses insetos permaneceram visitando as flores de Nim durante o período avaliado, com pico de visitação logo no primeiro horário de observação (7 às 8h), sendo o pólen o principal recurso coletado. Concluiu-se que as abelhas africanizadas visitam as flores de Nim para a coleta de recursos florais (pólen), que podem compor a dieta das colônias principalmente durante o período de escassez de flores no campo.
Géssica Andrade Paim, Yan Souza Lima, Rebert Coelho Correia, Eva Monica Sarmento da Silva
ACTA Apicola Brasilica, Volume 9; https://doi.org/10.18378/aab.v9i0.7996

Abstract:
O presente estudo teve o objetivo de descrever o perfil socioeconômico, produtivo e aspectos de mercado dos apicultores de Remanso (Bahia, Brasil), assim como analisar a influência da assistência técnica extensionista sobre a produtividade apícola na região. A pesquisa foi realizada no município de Remanso, devido sua localização na região onde a atividade apícola está difundida entre os pequenos produtores familiares. As entrevistas foram realizadas com quatorze apicultores, a partir de questionários semiestruturados. Foi observado que a maioria dos apicultores pertencem ao sexo masculino e são experientes na atividade apícola. A apicultura na região ainda é realizada de forma secundária, simultaneamente com outras atividades agrícolas e pecuárias. A maioria dos apicultores estão inseridos em cooperativas e associações, de forma que há melhor facilitação no beneficiamento e venda do mel produzido. Os apicultores vêm recebendo capacitações a partir de atividades extensionistas, contribuindo para ampliação e crescimento na produtividade de mel por colmeia. No mais, a flora apícola da região favorece a atividade no município, assim como o incremento na renda dos apicultores, além dos benefícios ecológicos, devido a polinização da flora local realizada pelas abelhas africanizadas.
Ana Paula Silva Viana, , João Ricardo Vasconcellos Gama, Adcléia Pereira Pires, Hierro Hassler Freitas, Aline Pacheco
ACTA Apicola Brasilica, Volume 9; https://doi.org/10.18378/aab.v9i0.7913

Abstract:
O objetivo do estudo foi caracterizar a produção meliponícola em sistemas agroflorestais e realizar um levantamento de espécies vegetais indicadas pela visitação por abelhas sem ferrão no município de Belterra, Pará. A pesquisa foi realizada a partir de um questionário aplicado a meliponicultores com questões que abordaram aspectos socioeconômicos e da produção de abelhas sem ferrão. Em relação ao pasto meliponícola foram investigadas as espécies vegetais apontadas como visitadas pelas abelhas. Destaca-se que 15% dos criadores tem como principal atividade econômica a meliponicultura e 54% vivem com 1 ou 2 salários mínimos. O tempo na atividade de meliponicultura apresenta amplitude de 2 a mais de 40 anos. Os entrevistados afirmaram se dedicarem à meliponicultura pela afinidade com a atividade e pela consciência na importância das abelhas para o meio ambiente. Os meliponicultores apontaram que os maiores entraves enfrentados estão relacionados ao desmatamento e ao uso de agrotóxicos o que, segundo os mesmos, implica na redução na produção do mel, principal produto comercializado. Observou-se que os sistemas agroflorestais (SAFs) onde estão inseridos os meliponários apresentam, segundo os entrevistados, 38 espécies florestais distribuídas em 21 famílias botânicas. Predominaram as espécies frutíferas, características de floresta primária e secundária, o que poderá indicar potencial para introdução em quintais agroflorestais ou outros sistemas consorciados minimizando os custos de implantação e manutenção de meliponários.
Mateus Gonçalves Silva, Andressa Gonçalves De Santana, Patrícia Raquel Matos Da Silva, , ,
ACTA Apicola Brasilica, Volume 8; https://doi.org/10.18378/aab.v8i0.7777

Abstract:
O mel é um produto alimentício de origem animal que, como qualquer outro, está suscetível a adulterações e inconformidades. Portanto, para evitar inconsistências no mercado brasileiro, deve-se seguir os padrões estabelecidos pela legislação vigente, a qual dispõe de dispositivos para regulamentar as embalagens/rótulos de produtos, a fim de estabelecer informações sobre a sua originalidade, qualidade e certificação, firmando vínculo comunicativo com o consumidor. Neste sentido, objetivou-se analisar a rotulagem de marcas de méis de abelhas Apis mellifera adquiridas em cidades do Alto Sertão Paraibano, verificando a conformidade com a legislação. Os resultados reportam que as embalagens mais utilizadas são de plástico e que apenas 37% contém no rótulo o selo de inspeção. Dentre as marcas verificadas, todas apresentaram rotulagens com inconformidades diante da legislação vigente. Foi identificada a necessidade de disposição de informações pertinentes como: identificação do produtor, origem, lote, modo de conservação, medida caseira, florada predominante, ausência de glúten, termo de restrição a crianças com menos de 1 ano de idade e informações nutricionais.
Mayara Santana Dos Santos,
ACTA Apicola Brasilica, Volume 8; https://doi.org/10.18378/aab.v8i0.7805

Abstract:
A própolis é um material resinoso de composição peculiar que estimula variados questionamentos desde as civilizações antigas. Essas indagações estão relacionadas às diferentes propriedades associadas à própolis, como as atividades antioxidantes, antimicrobianas, antivirais, antimutagênicas, anti-inflamatórias, cicatrizantes, dentre outras. Desta forma, essas propriedades presentes na própolis estão sendo empregadas em produtos bionanotecnológicos por conta, por exemplo, do seu alto teor de flavonoides e substâncias fenólicas que atuam em sinergia com as propriedades encontradas nas nanopartículas de prata. Neste artigo, diferentes fatores físico-químicos que podem influenciar a estabilidade das nanopartículas de prata dispersas na própolis serão discutidos. As caracterizações por espectrofotometria no ultravioleta e visível definem a estabilidade do nanossistema coloidal.
Lucas Almeida Da Silva, Maurício Duarte Anastácio, Tuan Henrique Smielevski De Souza, Diou Roger Ramos Spido, Diogo Policarpo Semprebon,
ACTA Apicola Brasilica, Volume 8; https://doi.org/10.18378/aab.v8i0.7989

Abstract:
Objetivou-se avaliar o peso das abelhas operárias e a capacidade da vesícula melífera de Apis mellifera L. africanizadas na região Sul de Santa Catarina. As abelhas foram acondicionadas em potes para a mensuração de seus pesos e, posteriormente, fornecido mel até apresentarem saciedade e pesadas para a quantificação da capacidade da vesícula melífera. O peso médio das abelhas africanizadas vazias foi de 76,20±10,33 mg. A capacidade média da vesícula melífera foi de 24,50±12,69 mg. O baixo coeficiente de determinação da equação de regressão (r2 = 0,03998) demonstra a variabilidade existente entre o peso e a vesícula melífera das abelhas africanizadas. O peso e a capacidade da vesícula melífera das abelhas na região sul de Santa Catarina verificados foram de 76,20 mg e 24,50mg, respectivamente.
Fernando Arthur Fernandes Batista, Julia Beatriz Da Silva Oliveira Oliveira, Leonardo Emmanuel Fernandes De Carvalho, Luciene Xavier Mesquita-Carvalho
ACTA Apicola Brasilica, Volume 8; https://doi.org/10.18378/aab.v8i0.8073

Abstract:
O mel é um produto alimentício produzido pelas abelhas Apis mellifera. Assim como a geleia real, o mel é composto por nutrientes que possuem seu valor substancial, e são capazes de propiciar inúmeros benefícios aos usuários que o consomem. A combinação desses dois produtos desenvolveu um ótimo complemento alimentar. Dessa forma, o objetivo do presente trabalho foi verificar a aceitação do mel enriquecido com geleia real, a partir de análises físico-químicas, sensoriais e índices de aceitabilidade. Para isso, foram realizadas diferentes formulações (A com 500 ml de mel e 2,5 g de geleia, e B com 500 ml de mel e 5 g de geleia real), submetidas à análise sensorial (cor, acidez, doçura, impressão e intenção de compra) e físico-química (pH, acidez total, umidade e hidroximetilfurfural), para contribuir no conhecimento das características desse produto. Verificou-se que as amostras de méis enriquecidos com geleia real avaliados sensorialmente A e B apresentam-se estatisticamente similares para os atributos de acidez, doçura, impressão global e intenção de compra. As formulações obtiveram os seguintes índices de aceitabilidade: a amostra A obteve 87, 99 % e a amostra B 88,05 %. Referente aos parâmetros físico químicos avaliados, as amostras encontram-se todas dentro da legislação de qualidade de mel no Brasil, dessa forma, estando aptas para o consumo.
Márcio Luciano Pereira Batista, Paulo Roberto Ramalho Silva, , ,
ACTA Apicola Brasilica, Volume 8; https://doi.org/10.18378/aab.v8i0.7671

Abstract:
A acuidade de se obter o conhecimento da diversidade de abelhas nativas de um determinado local e suas inter-relações com o ecossistema são inúmeras, afinal, além de serem os maiores polinizadores e responsáveis pelo desenvolvimento das plantas existentes do meio ambiente, também se destacam pelo seu valor econômico e sociocultural. Objetivou-se registrar o etnoconhecimento sobre abelhas sem ferrão pelos moradores da comunidade José Gomes, município de Cabeceiras do Piauí, Piauí. Os dados foram levantados por meio de entrevistas semiestruturadas aplicadas a 43 atores locais, sendo 39 homens e quatro mulheres. Os meliponíneos foram capturados por meio de rede entomológica e vasilhames, e encaminhados para identificação. Foram coletados 124 espécimes, distribuídos em seis gêneros e 13 espécies de abelhas sem ferrão. Das espécies amostradas, as mais abundantes foram Scaptotrigona sp. (n=25), Trigona sp. (n=17), Tetragona sp. (n=14), Trigona spinipes (n=13) e Partamona ailyae (n=10). O índice de Shannon-Wiener (H’) foi utilizado para estimar a diversidade de abelhas sem ferrão, que foi de H’=1,02. Constatou-se que os moradores percebem e reconhecem a diversidade de meliponíneos existentes na área estudada, não obstante é necessário que se estabeleça maior divulgação sobre a importância do papel desses insetos para a conservação do ecossistema, aprimorado por meio de uma intensificada educação ambiental, principalmente no que concerne a conservação das abelhas sem ferrão e das plantas melitófilas.
, Talita Soares De Araújo, , Micaela Silva Coelho, Gilmara Lima Gonçalves De Oliveira
ACTA Apicola Brasilica, Volume 7; https://doi.org/10.18378/aab.v7i0.7545

Abstract:
A apicultura é uma atividade que depende de diversos fatores dentre eles o ambiental. Em épocas onde o alimento para as abelhas é escasso faz-se necessário optar pela alimentação artificial, tornando-se necessário conhecer os alimentos que serão oferecidos as abelhas. Objetivou-se com essa pesquisa avaliar a influência de combinações de fontes de alimentações energéticas e proteicas sobre a longevidade das abelhas operárias (Apis mellifera L.) in vitro. As fontes avaliadas foram a mistura de pólen (10%) e açúcar de confeiteiro (90%), apenas o açúcar de confeiteiro (100%), uma mistura de pólen (10%) e mel (90%) e açúcar de confeiteiro (90%) e mel (10%). Foram coletadas abelhas recém-emergidas de favos de crias e colocadas em grupos de 20 abelhas em gaiolas de madeiras, com ambiente controlado, onde foram servidas as devidas alimentações e registrado o levantamento da quantidade de abelhas mortas diariamente. O trabalho foi conduzido em delineamento experimental inteiramente casualizado, com quatro tratamentos e seis repetições. Na análise de sobrevivência das abelhas notou-se que a alimentação da mistura de pólen (10%) e açúcar (90%) foi a que proporcionou os melhores resultados em relação a longevidade das abelhas, ao contrário da alimentação de apenas o açúcar que apresentou menor longevidade.
Mateus Gonçalves Silva, Maria Cândida De Almeida Mariz Dantas, Joserlan Nonato Moreira, Weliton Carlos de Andrade, Mayslane De Sousa Gomes
ACTA Apicola Brasilica, Volume 6, pp 01-05; https://doi.org/10.18378/aab.v6i1.5664

Abstract:
A criação de abelhas é uma atividade de grande importância cultural, social e econômica, e vem sendo amplamente desenvolvida por pequenos agricultores do Nordeste. Dessa forma, objetivou-se caracterizar os apicultores do município de Aparecida na Paraíba, conforme seus aspectos sociais, econômicos, de produção e de venda. O período de realização da pesquisa ocorreu entre agosto e setembro de 2017, com entrevistas e aplicação de questionário direto aos produtores, observando os seguintes parâmetros: sexo, distribuição etária, grau de escolaridade, acesso a crédito, associativismo, tempo de atividade, colmeias em produção, formas de vendas dos produtos da colmeia e qual a representação da apicultura na renda familiar. Pode observar que os apicultores aparecidenses, possuem bastante experiência na área, estão organizados em cooperativas, mas ainda necessitam de recursos e instrumentos que contribuam no aumento na produção e desenvolvimento da apicultura no município, possibilitando melhores condições de vida para as famílias camponesas que vivem da agropecuária.
Back to Top Top