Quaestio - Revista de Estudos em Educação

Journal Information
ISSN / EISSN : 1518-2886 / 2177-5796
Total articles ≅ 170
Filter:

Latest articles in this journal

Bruna Moraes Battistelli,
Quaestio - Revista de Estudos em Educação, Volume 23, pp 153-173; https://doi.org/10.22483/2177-5796.2021v23n1p153-173

Abstract:
Como escreve Scholastique Mukasonga em seu livro “A mulher de pés descalços”, precisamos ensinar aos nossos dedos dos pés um caminhar que não os machuque pelo percurso. Inspiradas por essa proposição, esse trabalho busca tecer diálogos com os ensinamentos de intelectuais como bell hooks, Audre Lorde, Gloria Anzaldúa e Lélia Gonzalez para pensarmos uma sala de aula e uma docência pautadas em uma ética feminista e antirracista. Assim, situadas desde o continente amefricano, objetivamos, a partir de nossas experiências e de uma inspiração cartográfica, discutir as relações entre o ser professora-pesquisadora-feminista na aposta de uma universidade que acolha, cuide e nos possibilite contar mais histórias. Para isso, lançamos mão de nossas próprias histórias que narram sobre como construímos uma voz para nós mesmas, como experienciamos a universidade e por quais caminhos chegamos no exercício da docência e da pesquisa em uma perspectiva feminista e antirracista. Por fim, como possibilidade de intervenção para docência que se assente sobre uma política do cuidado, narramos uma experiência em sala de aula, que acontece há pelo menos um ano, onde as/os alunas/os são convidadas/os a escrever cartas em uma disciplina. Nossa aposta é para que possamos seguir construindo o espaço da sala de aula também como espaço de cura, onde nossos corpos estejam em prol de políticas para o encantamento da vida.
Quaestio - Revista de Estudos em Educação, Volume 23, pp 133-151; https://doi.org/10.22483/2177-5796.2021v23n1p133-151

Abstract:
Tomado da provocação nietzschiana para que se note a existência de mil saúdes, e em reflexão sobre os processos de ensinar e aprender neste contexto, este ensaio propõe, como objetivo, abordar o conceito de saúde a partir da noção derridiana de acontecimentos, como forma de contribuir para suscitar novas composições deste nas práticas docentes e profissionais. Para tanto, o estudo aborda quatro textos literários, tendo em vista observar o acontecimento da saúde a partir de elementos do vivido nos escritos. Observam-se, assim, dimensões tão íntimas quanto públicas do processo de saúde e doença. O encontro com os limites desses conceitos afirma a importância de abordá-los de forma mais ampla. O professor, ao abrir caminhos à arte na educação, especialmente pela leitura que provoca a escritura, cria possibilidades de dizer da saúde, na operação de sua impossibilidade, e convoca ao inusitado no pensamento sobre ela.
Quaestio - Revista de Estudos em Educação, Volume 23, pp 55-81; https://doi.org/10.22483/2177-5796.2021v23n1p55-81

Abstract:
Nesse ensaio trazemos três apontamentos sobre a filosofia deleuziana, que elaboram uma análise de conteúdo epistemológico com o objetivo de refletir os possíveis usos dessa teoria na fundamentação de pesquisas de pós-graduação desenvolvidas pelo Grupo Rizoma ligado ao Programa de Pós-Graduação em educação da Universidade Federal do Paraná. A proposta é desdobrar o rizoma, conceito criado por Gilles Deleuze e Félix Guattari, traçando a partir destes três pontos um modo de orientação nesta filosofia das multiplicidades. O primeiro apontamento trata da criação de conceitos e métodos que formam a filosofia de Deleuze; o segundo, analisa o texto Em que se pode entender como estruturalismo?; e o terceiro, os elementos e princípios do Rizoma, texto e conceito que foi escrito e criado junto a Félix Guattari. Entendemos que esses três momentos perfazem um percurso interessante e necessário para quem quer fazer uso das abordagens da filosofia da diferença em processos especulativos do campo da educação.
, Cristiano Bedin da Costa, Marcos Da Rocha Oliveira, Alexandre Sobral Loureiro Amorim, Eduardo Guedes Pacheco,
Quaestio - Revista de Estudos em Educação, Volume 23, pp 35-54; https://doi.org/10.22483/2177-5796.2021v23n1p35-54

Abstract:
Neste ensaio procuramos responder à pergunta “Por que uma Zona de Investigações Poéticas (ZIP)?”, situando-a no contexto político-educacional de nosso país. Trazemos a noção de Zona Autônoma Temporária anunciada por Hakim Bey, compreendendo a poética como um modo de fazer e a política uma forma de viver-junto. Apresentamos a figura da amizade pelo viés pré-individual, não limitando-a à relação entre sujeitos ou às imagens unitárias de Ego e Grupo. Com Agamben e Ortega pensamos a amizade enquanto experiência poética e política, em que os sujeitos são vaporizados de seus lugares de intimidade, forjados e forçados a outras configurações na relação com o mundo e sob circuitos de afetos diversos. Com Dardot e Laval trazemos a noção de cosmocapitalismo como força colonizadora do inconsciente acadêmico, através do que Bordieu chama de homo academicus. Para além de um Grupo de Pesquisa, a ZIP é defendida como território a ser cartografado e como fantasia de convivência.
Quaestio - Revista de Estudos em Educação, Volume 23, pp 231-246; https://doi.org/10.22483/2177-5796.2021v23n1p231-246

Abstract:
O artigo problematiza as ações de formação docente continuada de uma rede municipal de educação no cenário das reformas educacionais implementadas no Brasil a partir dos anos 1990 que acabaram por alterar profundamente a organização escolar. Com base em pesquisa que buscou compreender como são desenvolvidas as ações de formação continuada nas escolas municipais de ensino fundamental de um município do interior paulista, destaca-se que a organização escolar vem sendo modificada por meio de reformas pensadas de forma externa à escola e que modificam o currículo que se pratica em sala de aula, as metodologias, os processos de avaliação e que têm na formação docente um elemento estratégico para promover essas mudanças. Neste sentido, destaca-se na pesquisa a centralidade que a formação promovida pelo Programa Ler e Escrever assumiu no cotidiano das escolas da rede em questão, modificando toda a sua organização, constituindo-se como instrumento de padronização do trabalho docente.
Paula Rodrigues de Oliveira Santos, Antonio Fernando Gouvea da Silva
Quaestio - Revista de Estudos em Educação, Volume 23, pp 175-197; https://doi.org/10.22483/2177-5796.2021v23n1p175-197

Abstract:
A ciência configura uma atividade humana construída por interações sociais e contextos históricos, incorporando valores. Altera rumos sociais, culturais, tecnológicos e ambientais do contexto no qual se insere. Este trabalho busca contextualizar a ciência no sentido do desenvolvimento da criticidade no ensino da área. A metodologia utilizada foi a análise documental de materiais didáticos. Foram analisados textos que apresentavam conteúdos sobre nutrição, a partir de parâmetros da alfabetização científica crítica, fundamentada por Auler e Delizoicov, que priorizam a relação entre ciência, tecnologia e sociedade de maneira contextualizada a partir de abordagens temáticas. Os resultados apontam que o livro didático pode ser suficiente na apresentação de conceitos, porém a contextualização deixa a desejar tanto no que se refere à aplicação social quanto ao papel da ciência naquela situação.
Heloisa Andreia De Matos Lins, Gabriela Antunes Marques, Homero Dantas Ragnane
Quaestio - Revista de Estudos em Educação, Volume 23, pp 211-230; https://doi.org/10.22483/2177-5796.2021v23n1p211-230

Abstract:
O artigo discute uma proposta de formação de professores para a Educação Básica, centrada na chamada Pedagogia das Diferenças, e destaca os principais sentidos construídos e trazidos à tona nesse processo de ensino-aprendizagem, em tempos de militarização do ensino no Brasil. O trabalho caracteriza-se como um relato de experiência em que são retomadas as memórias e reflexões de estudantes de licenciatura sobre seus percursos em estágios supervisionados. Diante desse contexto, os principais resultados evidenciam que alguns movimentos de (re) invenção da escola e do currículo tornam-se possíveis pelo agenciamento de desejos dos que fazem a escola e dos que nela irão atuar profissionalmente, em direção à assunção das diferenças como modo de resistência às necropolíticas.
Quaestio - Revista de Estudos em Educação, Volume 23, pp 113-132; https://doi.org/10.22483/2177-5796.2021v23n1p113-132

Abstract:
Este artigo se responsabiliza em articular um caminho para compreender, narrar e praticar as Zonas de Emergências de Infâncias - ZEIs. Conceituação surgida nas situações de pesquisas entre crianças e adultos em circunstâncias de espaços oficiais de educação pública - escolas de Educação Básica e Ensino Superior de periferias urbanas na Baixada Fluminense - Rio de Janeiro. As ações são do Coletivo Infâncias (UERJ-FEBF e UFRRJ) núcleo de estudos e intervenções do grupo de pesquisa AFROSIN-UFRRJ. Defendemos as ZEIs como dimensão aberta das conexões, conversações e experimentações que dão margem ao desconhecido em vias de reconstrução somadas aos blocos de sensação, devires, atravessamentos estéticos e transindividualidades. As ZEIs oferecem consistência para uma zona (esfera de indeterminação) de emergências (surgir de forma autônoma e temporária) de infâncias (blocos de sensações e prazer estético que nos atravessam). Procuramos articular elementos pluriversais que produzam uma viagem possibilite a quem lê o contato com o movimento teórico-prático em constante recriação de nós mesmos.
Ivan Fortunato
Quaestio - Revista de Estudos em Educação, Volume 23, pp 199-209; https://doi.org/10.22483/2177-5796.2021v23n1p199-209

Abstract:
Este artigo é um ensaio que, a partir do filme Sociedade dos Poetas Mortos e dos livros Alunos Felizes e A Alegria de Ensinar, busca provocar a reflexão sobre a escola e suas prerrogativas de educar para o pleno desenvolvimento da pessoa, exercício da cidadania e a qualificação profissional. Ao cotejar o sentido de carpe diem – um dos principais mantras do fictício professor Keating – com pressupostos teóricos de Georges Snyders e Rubem Alves a respeito da felicidade e alegria na escola, espera-se revelar elementos para uma necessária axiologia da educação escolar, cada vez mais voltada apenas para aspectos cognitivos, pragmáticos e evidenciados por meio de testes de medidas padrão.
Quaestio - Revista de Estudos em Educação, Volume 23, pp 247-269; https://doi.org/10.22483/2177-5796.2021v23n1p247-269

Abstract:
Trata-se de um estudo histórico-descritivo, de teor hermenêutico, construído na base da literatura e escritos da época sobre a conceção social da criança e da sua infância, com recurso a designações, nomenclaturas ou adjetivações nos dicionários e discursos científicos (médico-higienistas, jurídico-legais, pedagógicos) e político-ideológicos, no período do séc. XIX até 1930. Em especial, abordaremos a ‘Outra’ infância, a qual a classificamos como infância diferenciada da dita normal por estar à margem da normalização e escolarização imposta pela sociedade. Norteamo-nos por uma tríade de objetivos, que correspondem aos pontos de abordagem: compreender a designação referencial etimológica dos termos criança-infância (dicionários) articulada com a linguagem discursiva científica da época; explicar as diversas conceções e termos afins que integra a ‘Outra Infância’ por nós utilizada; conhecer o significado das categorias de menor estabelecidas na Lei de Proteção à Infância, de 1911 em sintonia com as medidas tutelares de proteção.
Back to Top Top