Revista da Educação Física/UEM

Journal Information
ISSN / EISSN : 0103-3948 / 1983-3083
Published by: Universidade Estadual de Maringa (10.4025)
Total articles ≅ 519
Current Coverage
DOAJ
Archived in
EBSCO
SHERPA/ROMEO
Filter:

Latest articles in this journal

, , Caio Correa Cortela, Guy Ginciene, Carlos Adelar Abaide Balbinotti
Revista da Educação Física/UEM, Volume 30; https://doi.org/10.4025/jphyseduc.v30i13029

Abstract:
O objetivo deste estudo é comparar os níveis de frequência das diferentes iniciativas de jogadas no tênis e, com isso, identificar os níveis de treinamento presentes nas diferentes situações de jogo. Para tanto, foi aplicado o Inventário do Treino Técnico-Desportivo do Tenista – 121 para uma amostra de 37 tenistas do sexo masculino (categoria “até 14 anos”), participantes de um campeonato internacional de tênis. Utilizou-se ANOVA para medidas repetidas para a comparação entre as iniciativas de jogadas. Para a comparação entre os tipos de golpes utilizou-se o teste t pareado. Foram encontradas diferenças significativas (p < 0,05) entre as iniciativas de jogadas e entre os tipos de golpes investigados. Este resultado indica uma possível especialização precoce das ações técnico-esportivas quanto aos tenistas investigados.
Daniel Vicentini De Oliveira, Angélica Alves Matias Ferreira, Dayane Capra De Oliveira, Daniel Eduardo Da Cunha Leme, ,
Revista da Educação Física/UEM, Volume 30; https://doi.org/10.4025/jphyseduc.v30i13027

Abstract:
This study analyzed the association between physical activity, health status and life quality among women with fibromyalgia. Cross-sectional study based on the clinical information of 177 women (42.1 ± 8.6 years old) diagnosed with fibromyalgia and assisted in rheumatology clinics of the private sector of the Unified Health System (UHS) in the city of Maringá-PR, Brazil. The instruments were the International Physical Activity Questionnaire (IPAQ), the Fibromyalgia Impact Questionnaire (FIQ) and the WHOQOL-Bref. Data analysis was conducted through Mann-Whitney test, Spearman correlation and Structural Equation Analysis (p<0.05). Results showed positive correlations between physical activity and life quality domain. Health status showed negative correlation life quality domains. Structural Equation Analysis revealed days of walking per week showed positive association with life quality domains. Model 3 showed that the impact of fibromyalgia on the health status showed a moderate negative association with life quality domains. It was concluded that physical activity, specifically walking, represents a positive factor for the life quality of women with fibromyalgia, since the disease was negatively associated with life quality, while physical activities presented a positive relation with life quality.
Luciana Ferreira, Jose Luiz Lopes Vieira, Raquel Nichele De Chaves, Romulo Araújo Fernandez, Pamela Norraila Da Silva, Francielle Rocha, Francielle Cheuczuk, Priscila Caçola
Revista da Educação Física/UEM, Volume 30; https://doi.org/10.4025/jphyseduc.v30i1.3024

Abstract:
Purpose: Our goal was to investigate the association between sport participation (SP) and motor competence (MC), and to assess the mediation role of body mass index (BMI) on this association. Method: 707 children (332 boys, 375 girls) aged between 6- to 10 years participated in the study. MC was assessed using the BOT-2. Parents were asked about organized SP, and BMI was calculated based on the child’s height and weight. Results: Our findings showed that SP was associated with MC, and BMI was not an important factor in these relationships. However, a small mediation of BMI was found, but only for obese children. Conclusion: In summary, that sport participation plays a relevant role in the development of motor competence in school-age children, and that association is, in general, not mediated by weight status.
Mariana Paulino Oliveira, Hans-Joachim Karl Menzel, Leszek Antoni Szmuchrowski, Severino Leão De Albuquerque Neto, Tane Kanope, Reginaldo Gonçalves, Monica Vieira De Souza, Bruno Pena Couto
Revista da Educação Física/UEM, Volume 30; https://doi.org/10.4025/jphyseduc.v30i1.3022

Abstract:
O objetivo desse estudo foi verificar o efeito agudo da aplicação de vibração de corpo inteiro (VCI) sobre o impulso e sobre a força máxima de membros superiores. Vinte voluntários do sexo masculino, treinados, com idade: 23,8 ± 3,3 anos, foram submetidos a 3 sessões (uma sessão de familiarização e duas sessões de intervenção). Em cada uma das sessões de intervenção os voluntários realizaram uma contração voluntária máxima (CVM) de flexores do cotovelo sem aplicação de vibração e duas CVM com adição de vibração. Foram utilizadas 4 frequências de VCI (10, 20, 30 e 40Hz) distribuídas de maneira aleatória nas 4 CVM realizadas com vibração nas duas sessões de coleta. Os resultados encontrados mostraram que a força máxima e o impulso gerados na contração sem vibração foram significativamente maiores do que a força máxima e o impulso gerados durante a contração realizada com aplicação de VCI. Para o treinamento de força, a aplicação de VCI, nas frequências testadas na presente investigação, representou um menor estímulo de treinamento para os membros superiores, uma vez que gerou uma redução na força máxima e no impulso dos músculos flexores do cotovelo.
Dominika Batorova,
Revista da Educação Física/UEM, Volume 30; https://doi.org/10.4025/jphyseduc.v30i1.3013

Abstract:
A large number of school-based interventions promoting physical activity have been developed. Due to difficulties of obtaining observational data on the long-term effect and cost consequences, modelling techniques offer opportunities to consider the long-term health and economic consequences. The aim of this is to provide an overview of modelling approaches applied in economic evaluations of school-based physical activity programmes. It identifies key methodological choices, challenges and areas with a lack of evidence.A literature search was conducted to identify all relevant studies published within the last 10 years. The included studies were described with focus on main methodological aspects, including the costs, effects and modelling techniques. Results shows eight model-based economic analyses of school-based physical activity programmes were identified. The majority of these studies concluded that the interventions had a high probability of being cost-effective or even cost saving based on the national-specific thresholds. Although most studies did provide a description of the models, details on the methodological choices were not always transparent. Moreover, evidence on the effectiveness and inclusion of all relevant cost categories were found to be challenging. In concluion different modelling methodologies have been used to assess the cost-effectiveness of school-based physical activity programmes. Only few studies have evaluated the long-term cost-effectiveness and they have challenging methodological issues.
Saulo Fernandes Melo De Oliveira, , Manoel Costa
Revista da Educação Física/UEM, Volume 30; https://doi.org/10.4025/jphyeduc.v30i1.3001

Abstract:
Nosso objetivo foi verificar as possíveis associações entre o desempenho de velocidade e a resistência ao rolamento (RROL) em atletas de rúgbi em cadeiras de rodas. Dessa forma, 16 jogadores foram avaliados nos próprios locais de treinamento das equipes. Foram coletados o peso dos sujeitos e das cadeiras de rodas, a RROL por um procedimento de campo e a velocidade pelo protocolo de sprint de 20 metros. Os dados foram analisados por meio de procedimentos de correlação de Pearson, correlação parcial e regressão linear simples. Os resultados demonstraram que há uma correlação negativa e significativa entre RROL, o desempenho no teste de velocidade de 20 metros (r= -0,825, p
Daniel Vicentini De Oliveira, Paolo Marcello Da Cunha, Renan Dos Santos Campos, Matheus Amarante Nascimento, , José Roberto Andrade Do Nascimento Júnior, Jerry Lawrence Mayhew,
Revista da Educação Física/UEM, Volume 30; https://doi.org/10.4025/jphyseduc.v30i13053

Cleyton Batista, Diego Luz Moura
Revista da Educação Física/UEM, Volume 30; https://doi.org/10.4025/jphyseduc.v30i1.3041

Abstract:
O debate sobre métodos de ensino no campo da Educação Física escolar ainda é escasso na literatura brasileira. Aliado a isso, as poucas produções existentes estão diluídas em diferentes matrizes teóricas, dificultando as discussões sobre o tema. Por consequência, a falta de consenso é uma das principais problemáticas envolvendo o ensino. Assim, o presente artigo teve por objetivo analisar as contribuições da produção acadêmica sobre métodos de ensino em Educação Física escolar. Realizamos uma Revisão de Literatura nos 7 principais periódicos nacionais sobre o tema, entre os anos de 2004 e 2014. Foram selecionados artigos originais, de revisão e ensaio que abordavam a temática ensino da Educação Física na escola, totalizando 79 artigos. A análise das produções buscou levantar as propostas sobre métodos de ensino, independente do referêncial teórico utilizado como base pelos autores. Como resultados, categorizamos os apontamos da área em 11 Princípios Metodológicos sobre ensino: Interação; Contextualização; Dimensões dos conteúdos; Valorização das Experiências dos alunos; Diversidade de vivências; Problematização; Autonomia e Criatividade; Ludicidade; Compreensão e Transferência de Habilidades; Modificação estrutural do conteúdo; Utilização de recursos tecnológicos. A construção de tais Princípios é fundamental para o início de um consenso sobre como ensinar nas aulas de Educação Física escolar.
Witalo Kassiano, Karla Jesus, Cláudio Assumpção, Carminda Lamboglia, Alisson Mendes, Ralciney Barbosa, Wilson Sabóia, Mário Simim, Alexandre Igor Araripe Medeiros
Revista da Educação Física/UEM, Volume 30; https://doi.org/10.4025/jphyseduc.v30i13061

Abstract:
O presente estudo testou se existem diferenças, nas respostas fisiológicas e neuromusculares em atletas de futsal durante um jogo amistoso. A amostra foi composta por seis atletas de futsal do sexo feminino (21,8 ± 3,9 anos; 57,4 ± 4,1 kg; 159,0 ± 2,7 cm de altura; 19,0 ± 3,3% gordura corporal e 7,8 ± 1,8 anos de tempo de prática). A frequência cardíaca (FC) foi monitorada durante toda a partida. O salto com contramovimento, resistência de força explosiva de membros inferiores e lactato sanguíneo foram avaliados antes, após o final do primeiro e segundo tempo de jogo. Para comparação das variáveis neuromusculares e fisiológicas entre os diferentes momentos, nós utilizamos as diferenças de médias estandardizadas (DME), intervalo de confiança (IC = 90%) e probabilidades de haver diferenças com relevância clínica. A FC máxima (FCmáx) foi de 186,6 ± 10,6 e 185,8 ± 8,3, primeiro e segundo tempo, respectivamente. Houve um aumento substancial do lactato do momento que antecedeu o início da partida para o final do primeiro (2,1 ± 0,3 para 6,3 ± 2,3 mmol/L-1, DME = 5,25 (3,28: 7,21), 100/0/0; most likely) e segundo tempo (2,1 ± 0,3 para 5,4 ± 1,3 mmol/L-1, DME = 4,62 (3,19: 6,04), 100/0/0; most likely) de partida. A performance de atletas femininas de futsal não foi suprimida após uma partida amistosa, sugerindo que, em dias de jogos consecutivos, o desempenho para o sistema neuromuscular possa ser restaurado logo após o término do jogo.
Susana Otília Vilas Bôas Favaro, Jerusa Petróvna Resende Lara, Ana Carolina De Oliveira, Joice Katiane Mendes Beck,
Revista da Educação Física/UEM, Volume 30; https://doi.org/10.4025/jphyseduc.v30i1.3043

Abstract:
O objetivo deste estudo foi avaliar as forças de reação do solo (FRS) em individuos jovens e idosos sob a influência do sobrepeso simulado em diferentes velocidades de marcha. Método: 30 participantes, 15 jovens jovens (JOV; 22,0±3,7 anos) e 15 idosos (IDS; 69,8±6,4 anos) caminharam em uma passarela com e sem carga adicional. A simulação do sobrepeso se deu através da adição de carga em um colete de cargas variáveis até alcançar o índice de massa corporal (IMC) de sobrepeso (JOV 25kg/m²; IDS 27kg/m). Os dados foram coletados através de uma plataforma de força (AMTI, OR6-7-2000). Resultados: A média de carga adicionada foi de 13,2±4,0 kg para JOV e 11,7±3,4 para IDS; O nível de significância foi de p≥0,05. Ao normalizar os dados pelo peso, IDS obtiveram menores picos de FRS em relação aos JOV em ambas as velocidades. Porém, o IDS foi maior que o JOV apenas no segundo pico da força vertical (Fz2) em velocidade rápida. Conclusões: O sobrepeso simulado de forma direta pode não ser capaz de promover mudanças significativas nas quantidades de descarga do peso corporal que pudesse influenciar nas FRS. Os resultados encontrados apontam para uma relação positiva das alteralções na FRS e o envelhecimento.
Back to Top Top