Refine Search

New Search

Results in Journal O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira: 642

(searched for: journal_id:(808203))
Page of 13
Articles per Page
by
Show export options
  Select all
Fabricio Fernandes, Wellington Vinicius Ferreira de Souza
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 30, pp 148-169; doi:10.17851/2358-9787.30.1.148-169

Abstract:
Resumo: O presente trabalho estuda o heterodiscurso no romance Memórias de Lázaro, do escritor baiano Adonias Filho. Como instrumento de análise, utilizou-se a noção bakhtiniana de heterodiscurso no exame da relação entre o protagonista-narrador Alexandre e a personagem Jerônimo; o estudo indicou a influência dessa personagem como determinante para a estética da narração da obra. A transmissão de discursos mostrou-se fundamental nessa relação sob a forma de um heterodiscurso sobre o mal que não só solidifica o vínculo familiar entre Alexandre e Jerônimo, mas também estabelece o fundamento das condições de legalidade do mal na diegese. Além disso, a construção discursiva de Jerônimo apresentou-se como um heterodiscurso social sobre a zona baiana do cacau de meados do século XX que contrasta com o de outras obras da literatura brasileira ambientadas nesse contexto.Palavras-chave: Adonias Filho; heterodiscurso; Memórias de Lázaro. This paper studies the heterodiscourse in the novel Memórias de Lázaro, by the Bahian writer Adonias Filho. The Bakhtinian notion of heterodiscourse was used as an analytical tool to examine the relationship between the protagonist-narrator Alexandre and the character Jerônimo; the study indicated the influence of this character as determinant for the narrative aesthetics of the novel. The discourse transmission proved to be fundamental in the relationship between Alexandre and Jerônimo functioning under the form of a heterodiscourse about the evil that not only solidifies the family bond between them, but also establishes the foundations of the conditions of evil in the diegesis. In addition, Jerônimo’s discursive construction presented itself as a social heterodiscourse about the mid-20th century Bahian Cocoa Zone that contrasts with that of other works of Brazilian literature set in this context.Keywords: Adonias Filho; heterodiscourse; Memórias de Lázaro.
Simone Rossinetti Rufinoni
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 30, pp 58-82; doi:10.17851/2358-9787.30.1.58-82

Abstract:
Resumo: Para além do maniqueísmo de caráter restritamente religioso, comum à obra de Lúcio Cardoso, o romance Crônica da casa assassinada reorienta a dicotomia bem/mal, desdobrando a antítese primeira em outras significações, que conduzem à oposição, de cunho imanente, entre a província e a cidade, a família e o sujeito, a casa e a rua. A protagonista Nina, emissária da ordem da cidade, sucumbe ao desencadear a destruição do mundo patriarcal; nesse sentido, encarna o demonismo do sujeito moderno adaptado às singularidades do contexto local.Palavras-chave: Lúcio Cardoso, casa, cidade, demonismo, mal. Beyond manichaeism of a strictly religious character, common to the Lúcio Cardoso’s work, the novel Crônica da casa assassinada reorients the dichotomy of good/evil, unfolding the first antithesis in other meanings, leading to the immanent opposition between province and the city, the family and the subject, the house and the street. The protagonist Nina, emissary of the city’s order, succumbs to unleash the destruction of the patriarchal world; in this sense, incarnates the modern subject’s demonism adapted to the singularities of the local context.Keywords: Lúcio Cardoso, house, city, demonism, evil.
Alex Keine De Almeida Sebastião
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 30, pp 189-205; doi:10.17851/2358-9787.30.1.189-205

Abstract:
Resumo: Trata-se de abordar a questão da autoria, tópico já clássico em teoria da literatura, recorrendo-se, inicialmente, a algumas formulações de Roland Barthes, Michel Foucault e Maurice Blanchot. Todos eles contribuíram para desconstruir a noção de autor como aquele que detinha autoridade sobre a obra. Começando por perguntar “quem escreve?” e passando pela questão “que importa quem escreve?”, o artigo propõe o exame da afirmação “ninguém escreve”, considerando o ocaso do sujeito no processo da escrita. Neste percurso, aponta-se para a dupla valência do termo “ninguém”, em que as funções positiva e negativa podem se alternar, como ocorre, por exemplo, na Odisseia, de Homero. Ao final, recolhem-se algumas passagens da obra de Clarice Lispector que sugerem tratar-se ali de uma escrita de ninguém.Palavras-chave: autoria; escrita de ninguém; Clarice Lispector. This work approaches the issue of authorship, an already classic topic in literature theory, by using some elaborations by Roland Barthes, Michel Foucault and Maurice Blanchot. All of them contributed to deconstruct the notion of author as the one who had authority over the work. Starting by asking “who writes?” and going through the question “what does it matter who writes?”, the article proposes to examine the statement “nobody writes”, considering the subject’s decline in the writing process. Along this path, the double valence of the term “nobody”, in which the positive and negative functions can alternate, as occurs, for instance, in Homer’s Odyssey. In the end, some passages from Clarice Lispector’s work are collected to suggest the presence of a writing of nobody.Keywords: authorship; writing of nobody; Clarice Lispector.
Netanias Mateus De Souza Castro
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 30, pp 170-188; doi:10.17851/2358-9787.30.1.170-188

Abstract:
Resumo: A história do romance viu, diante de si, formas diversas de narrar, conforme aponta os escritos de Theodor W. Adorno, por exemplo. Desde narradores impessoais, mantendo a distância segura que lhe confere a narrativa em terceira pessoa até os casos em que o que se narra é algo diretamente relacionado ao próprio narrador. Esse parece ser o caso do romance de Marçal Aquino, Eu receberia as piores notícias de seus lindos lábios, que conta o envolvimento amoroso de Cauby e Lavínia a partir do olhar do próprio Cauby. Esse narra de um modo cuja relação de si mesmo com a narrativa fica explícita, tamanha é sua passionalidade em relação às suas vivências e ao ato de narrar. Isso se manifesta tanto na linguagem, em termos de escolhas narrativas, quanto nas ações do narrador-personagem-protagonista que narra e vive aquilo que narra. Suas características mais notáveis são a passionalidade, a capacidade de registrar fotograficamente detalhes da narrativa e o rompimento com técnicas narrativas tradicionais.Palavras-chave: narrador; primeira pessoa; romance brasileiro contemporâneo; Eu receberia as piores notícias de seus lindos lábios. The history of the novel saw, before it, different ways of narrating, as pointed out by the writings of Theodor W. Adorno, for example. From impersonal narrators, maintaining the safe distance that the third person narrative gives him until the cases in which what is narrated is something directly related to the narrator himself. This seems to be the case with Marçal Aquino’s novel I would receive the worst news from his beautiful lips, which tells of Cauby and Lavínia’s loving involvement from the point of view of Cauby himself. He narrates in a way whose relationship with himself and the narrative is explicit, such is his passion for his experiences and the act of narrating. This manifests itself both in language, in terms of narrative choices, and in the actions of the narrator-character-protagonist who narrates and experiences what he narrates. Its most notable characteristics are passionality, the ability to photographically record details of the narrative and break with traditional narrative techniques.Keywords: narrator; first person; contemporary Brazilian romance; Eu receberia as piores notícias de seus lindos lábios.
Henry Burnett
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 30, pp 6-30; doi:10.17851/2358-9787.30.1.6-30

Abstract:
Resumo: O artigo procura discutir as principais linhas de influência do pensamento de Nietzsche na formação intelectual de Monteiro Lobato. Para isso, utiliza a troca epistolar do autor com Godofredo Rangel, reunida em A barca de Gleyre. A intenção é demonstrar o lugar destacado que Nietzsche ocupa entre as referências do escritor. Em várias cartas, a interpretação de Monteiro Lobato é claramente equivocada, em outras, alinhada ao que havia de mais progressista. Ao cotejar depoimentos que cobrem quase 50 anos de atividade intelectual, a conclusão é que Monteiro Lobato considerava Nietzsche um modelo de liberdade e independência moral. Até o fim, Lobato permaneceu irmanado ao “seu filósofo”, como se referiu a Nietzsche mais de uma vez.Pavavras-chave: Monteiro Lobato; Nietzsche; filosofia; literatura; formação; influência. The article seeks to discuss the main lines of influence of Nietzsche’s thought in Monteiro Lobato’s intellectual formation. For this, he uses the author’s epistolary exchange with Godofredo Rangel, gathered in A barca de Gleyre. The intention is to demonstrate the prominent place that Nietzsche occupies among the references of the writer. In several letters, Monteiro Lobato’s interpretation is wrong, in others aligned with what was most progressive. When comparing testimonies that cover almost 50 years of intellectual activity, the conclusion is that Monteiro Lobato considered Nietzsche a model of freedom and moral independence. Until the end, Lobato remained brotherly to “his philosopher”, as Nietzsche referred to more than once.Keywords: Monteiro Lobato; Nietzsche; philosophy; literature; formation; influence.
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 30, pp 83-101; doi:10.17851/2358-9787.30.1.83-101

Abstract:
Resumo: Detendo-se na crítica da época, o artigo comenta os posicionamentos de escritores com os quais José Martiniano de Alencar (1829-1877) polemizou: Franklin de Távora (Cartas a Cincinato, 1872) e Joaquim Nabuco (A polêmica Nabuco-Alencar, 1978); discute as ideias do romancista acerca de sua própria obra, os caminhos pelos quais deveria ser interpretada (Como e porque sou romancista, 1990), bem como destaca sua defesa contra ataques de plágio e de inverossimilhança artística. Inevitavelmente, retoma o par nacionalismo-cosmopolitismo e o problema do plágio do conceito do bon sauvage rousseauniano, que Alencar, munido de um projeto estético próprio, incansavelmente refutou.Palavras-chave: José de Alencar; Joaquim Nabuco; crítica literária; nacionalismo; cosmopolitismo. Focusing on the criticism of that time, the article comments on the positions of writers with whom José Martiniano de Alencar (1829-1877) contested: Franklin de Távora (Letters to Cincinato, 1872) and Joaquim Nabuco (The Nabuco-Alencar controversy, 1978); it highlights the novelist’s ideas about his own work, the paths by which it should be interpreted (How and why I am a novelist, 1990), as well as his defense against attacks of plagiarism and artistic unlikelihood. Inevitably, it resumes the nationalism – cosmopolitanism pair and the problem of plagiarism of the Rousseauian bon sauvage concept that Alencar, armed with his own aesthetic project, tireless refuted.Keywords: José de Alencar; Joaquim Nabuco; literary criticism; nationalism; cosmopolitanism.
Gabriela Regina Soncini
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 30, pp 233-251; doi:10.17851/2358-9787.30.1.233-251

Abstract:
Resumo: Este artigo pretende fazer uma leitura da personagem “Nhinhinha”, do conto “A Menina de lá”, de Guimarães Rosa (1972), sob o viés da figura da personagem fada. Tal narrativa faz parte do livro Primeiras Estórias do escritor mineiro. Para complementar o estudo em relação à imagem da fada, este trabalho pretende analisar outra narrativa de Rosa (1970), o conto “A Caça à Lua”, que faz parte do livro Ave, Palavra e que apresenta também, como personagem, uma menina que remete tanto à própria “Nhinhinha”, como à figura da fada, criatura maravilhosa do imaginário popular, presente em várias narrativas tradicionais. Esta leitura recorrerá a escritos teóricos de J.R.R.Tolkien (2015), Italo Calvino (2010), Kátia Canton (1994), além de trazer postulações teóricas de Maurice Blanchot (2011) acerca do espaço literário de magia, do imaginário e do lugar da infância. Pontuações de Giorgio Agamben (2007) também serão evocadas para analisar afigura da fada como uma ajudante, ou seja, uma personagem de auxílio,que proporciona outra visão em relação ao olhar cotidiano. Outras postulações teóricas serão levantadas em relação à personagem fada,oriundas da mitologia célticae dos contos de fadas tradicionais, para entender a forma fluida entre vida, morte, magia, encanto e estranhamento, que as personagens dessas meninas apresentam nas narrativas de Rosa.Palavras-chave: Guimarães Rosa; fada; fantasia; contos de fadas; personagem. This article intends to read the character “Nhinhinha” from the tale “The Girl There” by Guimarães Rosa (1972), under the image of the fairy character figure. Such narrative is part of the book First Stories by the writer from Minas Gerais, Brazil. To complement the study regarding the image of the fairy, this work intends to analyze another narrative by Rosa (1970), the short story “The hunting to the moon”, which is part of the book Bird, Word, and who also presents as a character a girl who refers so much to her own “Nhinhinha”, to the fairy figure, this wonderful creature from the popular imagination present in traditional narratives. This reading will use theoretical writings by J.R.R.Tolkien (2015), Italo Calvino (2010), Kátia Canton (1994), in addition to bringing theoretical postulations by Maurice Blanchot (2011) about the literary space of magic, the imaginary and the place of childhood. Scores by Giorgio Agamben (2007) will also be brought with regard to the fairy figure as a helper, that is, an aid character, that provides another view in relation to what has already been seen daily. Other theoretical postulations will be raised in relation to the fairy character brought from Celtic mythology, and traditional fairy tales, to understand the fluid form between life, death, magic, charm and strangeness, that the characters of these girls present in Rosa’s narratives.Keywords: Guimarães Rosa; fairy; fantasy; fairy tales; character.
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 30, pp 102-122; doi:10.17851/2358-9787.30.1.102-122

Abstract:
Resumo: O artigo se propõe a analisar as facetas da arte epistolar em três obras de Jorge Amado: Cacau (1933), Suor (1934) e Jubiabá (1935), que compõe o ciclo de “Os romances da Bahia”. Empreendido por Jorge Amado nos anos 1930, quando debutava na vida literária e tinha 20 anos, o projeto ficou conhecido pela crítica como “romance proletário”. Nele, o escritor se volta para as questões do povo e inaugura um período de forte militância política e de acentuada voltagem social. Amado confere grande relevância às cartas nas obras em tela, reconhecendo sua popularidade e vislumbrando sua importância para captar/retratar a vida daqueles em situação de vulnerabilidade. O artigo estuda procedimentos e mecanismos colocados em cena pelo jovem escritor e propõe novos conceitos no âmbito das correspondências, dentre os quais: a carta democrática, a epistolografia e a ascensão social, a redenção epistolar, a renúncia epistolar, o silêncio epistolar, a carta coletiva, o binômio carta e verdade e o dispositivo da carta-documento.Palavras-chave: Jorge Amado; Romances da Bahia; carta; epistolar; correspondência. The article proposes to analyze the facets of epistolary writing in three books by Jorge Amado: Cacau (1933), Sweat (1934) and Jubiabá (1935), which composes the cycle of “The novels of Bahia”. Undertaken by Jorge Amado in the 1930s, when he debuted in literary life and was 20 years old, the project became known to critics as “proletarian romance”. In it, the writer turns to the issues of the people and inaugurates a period of strong political militancy and marked social tension. Amado confers great relevance to the letters in the works on canvas, recognizing its popularity and envisioning its importance to capture /portray the lives of the humblest. The article studies procedures and mechanisms put on stage by the young writer and proposes new concepts in the context of correspondence, among which: the democratic letter, epistolography and social ascension, epistolary redemption, epistolary renunciation, epistolary silence, collective letter, binomial letter and truth and the device of the letter-document.Keywords: Jorge Amado; Novels of Bahia; letter; epistolary; correspondence.
Bruno Henrique Alvarenga Souza
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 30, pp 206-232; doi:10.17851/2358-9787.30.1.206-232

Abstract:
Resumo: O objetivo deste artigo é realizar uma leitura do poema de João Cabral de Melo Neto, “O cão sem plumas”, utilizando-se de ferramentas teóricas provenientes da filosofia de Gilles Deleuze e Félix Guattari. O operador central da análise é o conceito de agenciamento e seus desdobramentos (desterritorialização, ritornelo etc.), ligado à noção de poema como máquina, postulada tanto pelo próprio Cabral quanto por alguns de seus principais comentadores. A consequência é a compreensão da poesia de Cabral como uma grande experimentação, que foge a qualquer tentativa de redução interpretativa, e o entendimento de que a linguagem poética pode exercer-se como pura literalidade, aproximando-se de um pensamento imanente irredutível a qualquer forma de transcendência.Palavras-chave: poesia; literalidade; agenciamento. The purpose of this paper is to read the poem by João Cabral de Melo Neto, “O cão sem plumas”, using theoretical tools from the philosophy of Gilles Deleuze and Félix Guattari. The central operator of the analysis is the concept of assemblage and its consequences (deterritorialization, ritornelo, etc.), linked to the notion of poem as a machine, postulated both by Cabral himself and by some of his main commentators. The consequence is the understanding of Cabral’s poetry as a great experimentation, which avoids any attempt at interpretative reduction, and the understanding that poetic language can be exercised as pure literality, approaching an immanent thought irreducible in any way of transcendence.Keywords: poetry; literality; assemblage.
Natália Gonçalves De Souza Santos
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 30, pp 123-147; doi:10.17851/2358-9787.30.1.123-147

Abstract:
Resumo: Este artigo discute os ensaios literários de Álvares de Azevedo à luz do periodismo cultural oitocentista. Num primeiro momento, pretende-se evidenciar o quanto esses textos são tributários do que se publicava na imprensa, que pode ter sugerido ao autor obras e temáticas a serem debatidas. Num segundo momento, investiga-se o diálogo teórico que o ensaísta travou com os estudos de literaturas estrangeiras, ancestrais da literatura comparada. Argumenta-se que o contato com esse saber pode ter corroborado ou impulsionado a visada cosmopolita defendida por Azevedo, fazendo com que ele se afastasse do veio central da crítica literária brasileira do período.Palavras-chave: romantismo brasileiro; crítica literária; literatura comparada. This article discusses Álvares de Azevedo’s literary essays under the perspective of the 19th century cultural journalism. Firstly, it is aimed at evincing how much his essays are related to what was published in the press, which might have suggested to the author the works and themes to be debated. Secondly, it investigated the theoretical dialogue that the essayist had with the foreign literature studies, ancestral to comparative literature. It argues that the contact with that knowledge may have corroborated or prompted the cosmopolitan view defended by Azevedo, making him to step further from the central stream of the Brazilian literary criticism.Keywords: Brazilian romanticism; literary criticism; comparative literature.
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 30, pp 253-259; doi:10.17851/2358-9787.30.1.253-259

Abstract:
O texto apresenta a obra de estréia do jovem escritor brasileiro Davi Koteck, a partir da conceção de "obra aberta", de Umberto Eco (1997).
, Dankar Bertinato
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 30, pp 31-57; doi:10.17851/2358-9787.30.1.31-57

Abstract:
Resumo: O artigo compara Asfalto selvagem ao romance brasileiro anterior e contemporâneo à sua publicação, para compreender a pouca atenção da crítica literária à produção romanesca de Nelson Rodrigues. Especificamente, compara-se a construção da moralidade naquela obra com o que predominava no “romance de 30”, aqui analisado em duas obras representativas: a “Tragédia burguesa”, de Octávio de Faria, e Capitães da areia, de Jorge Amado. Enquanto lá despontava uma moralidade normativa e dualista, encenando duas visões em conflito para estabelecer a visão “correta” a servir de orientação moral para o leitor, em Rodrigues não se identifica tal moralização ostensiva, e sim a disposição de elementos textuais que deixam as inferências morais a encargo do leitor. Mediante o conceito de affordances éticas de Webb Keane, analisa-se como as racionalizações e justificações das personagens configuram uma representação aporética da moralidade e um padrão “neurótico” de comportamento, novamente em contraste com o romance brasileiro entre as décadas de 1930 e 1970. Ao final, propõe-se que quatro características do romance de Rodrigues explicam sua pequena fortuna crítica: o humor na encenação do “pecado”; a recusa do ativismo moral e político; a ausência da temática nacional (i.e. da interpretação do Brasil como sociedade, história e cultura); a crítica moral aporética, que não reconhecia a religião, a família, o Estado, a ideologia política ou a ética do trabalho como fontes de autoridade.Palavras-chave: Nelson Rodrigues; moralidade; “romance de 30”; teoria das affordances; história do romance brasileiro. We compare Asfalto selvagem to the contemporary and the immediately preceding novelistic production in Brazil, in an attempt to understand why Nelson Rodrigues’s novels have received little attention from our literary critique. More specifically, we compare his approach to morality with what prevailed in the “1930s novel”, here analyzed in two representative works: Octávio de Faria’s “Bourgeois tragedy” and Jorge Amado’s Captains of the sand. While in the 1930s a normative and dualistic morality prevailed, with the staging of conflicts between two visions as a means to establish the “right views” as moral guides to the readers, in Rodrigues there is no such ostensive moralization, but the display of textual elements that suggest moral inferences to be made by the reader himself. Through Webb Keane’s concept of “ethical affordances” we analyze how the characters’ rationalizations and justifications also build a paradoxical representation of morality and a “neurotic” pattern of behavior, again in contrast with preceding and contemporary novels in Brazil. In the end, we suggest that four characteristics of Rodrigues’s novels might explain their small academic repercussion: the use of humor in the dramatization of “sin”; the refusal of moral and political activism; the absence of Brazil (as society, history and culture) as a dominant theme; a paradoxical moral perspective that did not recognize religion, family, the State, political ideologies or any work ethic as sources of authority.Keywords: Nelson Rodrigues; morality; “1930s novel” in Brazil; theory of affordances; history of Brazilian novel.
Adilson Dos Santos, Rita das Graças Felix Fortes
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 29, pp 188-213; doi:10.17851/2358-9787.29.4.188-213

Abstract:
Resumo: Publicado em 2011, pela Editora Nova Fronteira, o volume de contos Antes das primeiras estórias reúne quatro contos da juventude de João Guimarães Rosa (1908-1967) publicados na revista O Cruzeiro e no diário O Jornal. Apesar de ainda não terem conquistado a devida atenção por parte da crítica especializada, os contos dessa coletânea flertam com as vertentes do insólito ficcional e evidenciam uma faceta de sua obra que será posteriormente aprimorada nas narrativas de matriz regionalista. O objetivo do presente estudo é apresentar uma leitura do conto “Chronos kai Anagke” pelo viés de uma dessas vertentes. Com base no arcabouço teórico de Tzvetan Todorov e Filipe Furtado, pretende-se demonstrar que a narrativa rosiana se enquadra no que Todorov denomina “fantástico puro”.Palavras-chave: João Guimarães Rosa; conto; insólito; fantástico. Published in 2011, by Nova Fronteira, the volume of short stories Antes das primeiras estórias brings together four short stories from the youth of João Guimarães Rosa (1908-1967) published in the magazine O Cruzeiro and in the daily O Jornal. Although they have not yet received due attention by the specialized critics, the short stories of this collection flirt with the strands of the literature of the unusual and show a facet of his work that will be further refined in the narratives of regionalist matrix. The aim of this study is to present an analysis of the short story “Chronos kai Anagke” through the perspective of one of these strands. Based on the theoretical framework of Tzvetan Todorov and Filipe Furtado, we will demonstrate that this short story fits into what Todorov calls “pure fantastic”.Keywords: João Guimarães Rosa; short story; unusual; fantastic.
Alessandra Da Silva Carneiro
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 29, pp 229-248; doi:10.17851/2358-9787.29.4.229-248

Abstract:
Resumo: Este artigo discute os poemas Novo Éden: Poemeto da adolescência (1888-1889), Harpa de Ouro (1888-1889) e O Guesa, O Zac (1902) com destaque ao teor político republicano que os constitui. Nessa tríade, Sousândrade constrói uma narrativa legitimadora da República brasileira apresentando-nos ao panorama da luta pela emancipação da nação livre e democrática como resultado dos esforços de dois heróis nacionais: Tiradentes e, surpreendentemente, a princesa Isabel, ambos representados como mártires cristãos defensores de um novo éden político. Vale ressaltar que esses poemas se inscrevem no momento de transição do Brasil monárquico para o republicano, marcado por disputas ideológicas de grupos políticos que tencionavam ser protagonistas da modernização da nação rumo ao século XX.Palavras-chave: literatura brasileira; século XIX; poesia; república; Sousândrade. This article discusses the poems Novo Éden: Poemeto da adolescência (1888-1889), Harpa de Ouro (1888-1889) and O Guesa, O Zac (1902) with emphasis on the republican political content that constitutes them. In this triad, Sousândrade builds a legitimizing narrative of the Brazilian Republic by presenting us with the panorama of the struggle for the emancipation of the free and democratic nation as a result of the efforts of two national heroes: Tiradentes and, surprisingly, Princess Isabel, both represented as Christian martyrs defenders of a new political Eden. It is worth mentioning that these poems are inscribed in the moment of transition from a monarchic to a republican Brazil, marked by ideological disputes by political groups that intended to be protagonists of the nation’s modernization towards the 20th century.Keywords: Brazilian literature; 19th century; poetry; republic; Sousândrade.
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 29, pp 151-169; doi:10.17851/2358-9787.29.4.151-169

Abstract:
Resumo: Partindo da tradução de Teoria da não conceitualidade, de Hans Blumenberg, Luiz Costa Lima dedica seu livro Os eixos da linguagem a uma análise do pensamento do filósofo alemão, destacando seu papel como fundador da chamada “metaforologia”. Opondo a metáfora ao conceito, Blumenberg não apenas estabelece uma distinção fundamental entre esses “dois eixos”, mas oferece a Costa Lima elementos fundamentais para a sua distinção entre a mimesis da representação e a mimesis da produção.Palavras-chave: Hans Blumenberg; Luiz Costa Lima; metáfora. Starting from Hans Blumenberg’s translation of Theory of Non-conceptuality, Luiz Costa Lima dedicates his book Os eixos da linguagem [The Axes of Language] to an analysis of the german philosopher’s thought, highlighting his role as the founder of the so-called “metaphorology”. Opposing the metaphor to the concept, Blumenberg not only establishes a fundamental distinction between these “two axes”, but offers to Costa Lima fundamental elements for his distinction between the mimesis of representation and the mimesis of production.Keywords: Hans Blumenberg; Luiz Costa Lima; metaphor.
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 29, pp 171-187; doi:10.17851/2358-9787.29.4.171-187

Abstract:
Resumo: Autor de uma gama de obras, sobretudo romances e demais narrativas, Erico Verissimo não se abstém da criatividade na hora da escrita. O que também pode surpreender alguns de seus leitores é o hábito que possuía de fazer registros não verbais, tais como caricaturas de suas personagens e demais representações imagéticas relacionadas às suas obras. A edição de Fantoches (1972), que comemora o quadragésimo aniversário da publicação de estreia desse livro, o primeiro do autor, é um propício exemplo disso. Sendo assim, esta obra, formada por uma série de pequenas narrativas, muitas delas peças teatrais, fornece o corpus para os estudos aqui propostos, já que se pretende analisar os registros manuscritos, tanto verbais quanto não verbais, feitos pelo próprio autor e que confirmam a crítica dele mesmo com relação às suas próprias produções. Para tanto, as análises fundamentam-se nos estudos de crítica literária de Bordini (1995), bem como sobre teorias a respeito dos recursos verbais e não verbais, de Ackerman (2014) e Aurouet (2014), utilizando-se também o primeiro volume de Solo de Clarineta: Memórias (2005), também de Verissimo. Autocrítico como é, Erico Verissimo permite fazer inferências sobre o fato de que uma obra publicada não significa que não existe a possibilidade de acrescências posteriores, o que na edição analisada de Fantoches permite muitas percepções a respeito das diferentes vozes encontradas também nas marginálias do livro, acrescidas pelo autor por meio de desenhos e observações verbais.Palavras-chave: fantoches; marginálias; vozes; Erico Verissimo. Author of a range of works, especially novels and other narratives, Erico Verissimo does not abstain from creativity at the time of writing. What may also surprise some of his readers is his habit of making non-verbal records, such as caricatures of his characters and other imagistic representations related to his works. The edition of Fantoches (1972), which commemorates the 40th anniversary of the publication of this book, which was his first, is a fitting example of this. Thus, this work, formed by a series of small narratives, many of them plays, provides the corpus for the studies proposed here, since it is intended to analyze the verbal and non-verbal manuscript records made by the author himself and confirm his own criticism of his own productions. To that end, the analyses are based on Bordini’s (1995) studies of literary criticism, as well as on verbal and nonverbal theories by Ackerman (2014) and Aurouet (2014), and the first volume of the book Solo de Clarineta: Memórias (2005), also by Verissimo. Self-critical as he is, Erico Verissimo allows us to make inferences about the fact that the publication of a work does not mean that there is no possibility of later additions, which in the analyzed edition of Fantoches (1972) leaves room for many perceptions regarding the different voices also found in the marginalia of the book, added by the author through drawings and verbal observations.Keywords: Fantoches; marginalias; voices; Erico Verissimo.
Aline Magalhães Pinto
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 29, pp 33-51; doi:10.17851/2358-9787.29.4.33-51

Abstract:
Resumo: Esse texto busca expor e analisar o papel que a articulação teórica entre a disposição antropológica constitutiva a que tentamos alcançar com as denominações de carência, lacuna, fragilidade, vulnerabilidade – e a mímesis como decisivo para a compreensão da teorização recente de Luiz Costa Lima e do caminho que ela oferece para os Estudos Literários. Como é usual na obra do autor, o exercício de teorização aparece como uma interlocução. Nesse caso, os autores convocados são A. Gehlen e H. Blumenberg. Palavras-chave: Luiz Costa Lima; mímesis; vulnerabilidade; antropologia filosófica; teoria da literatura. This text seeks to expose and analyze the role that the theoretical articulation between the constitutive anthropological disposition called of vulnerability and Mimesis as decisive for understanding the recent theorization of Luiz Costa Lima and the way that it provides for Literary Studies. As is usual in the author’s work, the theorizing exercise appears as an interlocution. In this case, the authors summoned are A. Gehlen and H. Blumenberg.Keywords: Luiz Costa Lima; mímesis; vulnerability; philosophical anthropology; theory of literature.
Marcus Vinicius Freitas
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 29, pp 52-64; doi:10.17851/2358-9787.29.4.52-64

Abstract:
Resumo: Este artigo analisa as condições históricas da construção da teoria da mimesis, de Luiz Costa Lima, em face do clima intelectual brasileiro nos anos 1970/1980. Estabelecendo uma distância tanto em relação ao desconstrucionismo quanto ao sociologismo, a teoria da mimesis se afirma como produção de diferença. A argumentação do artigo se desenvolve através de uma comparação do percurso teórico sobre a mimesis empreendido por Luiz Costa Lima com o de José Guilherme Merquior sobre o mesmo tema.Palavras-chave: Luiz Costa Lima; José Guilherme Merquior; mimesis; sistema intelectual. This article aims at analysing the historical conditions in which Luiz Costa Lima built his theory of Mimesis troughout the decades of 1970s and 1980s, taking into account the “Brazilian intellectual system”, as the author himself use to call it. Keeping equal distance from the trends of Desconstructionism as well as from the Sociology of Literature, Costa Lima stresses the concept of mimesis as “production of difference”. The argument evolves by a comparison among Costa Limas’s theory and that of José Guilherme Merquior on the same subject of mimesis.Keywords: Luiz Costa Lima; José Guilherme Merquior; mimesis; intellectual system.
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 29, pp 65-97; doi:10.17851/2358-9787.29.4.65-97

Abstract:
Resumo: Neste artigo, analisamos criticamente o tratamento reservado à teoria do romance na obra do maior nome da teoria da literatura no Brasil, Luiz Costa Lima, mais especificamente a relação por ele estabelecida entre a “afirmação do romance” e o “controle do imaginário”, um tópico central de sua obra desde a década de 1980. Questionando a própria noção de “controle” aí em jogo, desembocamos num retorno à Poética como teoria dos gêneros do discurso, aqui estimulado pelo diálogo possível entre Mikhail Bakhtin e Hans Blumenberg, que Luiz Costa Lima encoraja em sua abordagem da teoria do romance.Palavras-chave: Luiz Costa Lima; teoria do romance; gêneros do discurso; poética. In this article, we critically analyse the treatment to the theory of the novel in the work of the greatest name of literary theory in Brazil, Luiz Costa Lima, more specifically the relation between the “affirmation of the novel” and the “control of the imaginary”, a central topic of his work since the 1980s. Questioning this notion of “control” itself, we reach to a return to Poetics as a theory of genres of discourse, here stimulated by the possible dialogue between Mikhail Bakhtin e Hans Blumenberg, which is encouraged by Luiz Costa Lima in his approach to the theory of the novel.Keywords: Luiz Costa Lima; theory of the novel; genres of discourse; poetics.
Roberto Alexandre Do Carmo Said
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 29, pp 118-141; doi:10.17851/2358-9787.29.4.118-141

Abstract:
Resumo: Este artigo visa estudar as linhas de força do projeto intelectual de Luiz Costa Lima, a fim de analisar como sua teoria sobre a mímesis se insere no questionamento epistemológico acerca de uma filosofia da literatura, com contribuição decisiva para se examinar os modos e as condições com as quais o discurso literário pode ser pensado na modernidade. Tomo como ponto de partida o diálogo travado pelo crítico brasileiro com o pensamento pós-estruturalista, mais especificamente, os dois ensaios por ele elaborados acerca da filosofia antirrepresentacional de Gilles Deleuze. Parto da hipótese de que, tomada sob a lógica da reivindicação da diferença, entendida seja em um prisma político-cultural, seja em um prisma ontológico, independentes, mas complementares, a antropologia literária de Costa Lima não se revela um projeto isolado no cenário de pesquisas contemporâneo acerca da literatura.Palavras-chave: mímesis; representação; diferença; ficção. This article aims to study the strengths of Luiz Costa Lima’s theoretical project, in order to analyze how the debate on mimesis, created by him, participates in contemporary epistemological questioning, with a decisive contribution to thinking about the modes and conditions with which literary discourse can be enunciated in modernity. The starting point is the dialogue carried out by the Brazilian critic with post-structuralist thinking, more specifically, the two essays he elaborated regarding Gilles Deleuze’s anti-representational philosophy. The hypothesis is that, considered under the logic of claiming difference, understood either in a political-cultural prism or in an ontological prism, independent but complementary, Costa Lima’s literary anthropology does not reveal itself as an isolated project in the contemporary research scene that has literature as its central object.Keywords: mimesis; representation; difference; fiction.
Reinaldo Marques
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 29, pp 8-10; doi:10.17851/2358-9787.29.4.8-10

Victor André Pinheiro Cantuário
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 29, pp 214-228; doi:10.17851/2358-9787.29.4.214-228

Abstract:
Resumo: O objetivo deste artigo é demonstrar a presença de elementos filosóficos nos poemas de Hilda Hilst, principalmente naqueles publicados nos livros da década de 1950. Nos poemas contidos nessas obras, a escritora paulista tratou de questões estritamente filosóficas e que identificariam sua produção literária, como o amor, o sagrado, a busca pelo princípio gerador dos primeiros filósofos gregos, o ideal platônico, a morte, o drama da existência, os limites e usos da linguagem, entre outros. Como representativo do que se pretende comprovar, selecionou-se o poema XVI de Balada de Alzira (1951) para análise e discussão, de modo a se tornar evidente a relação entre ambos os campos, literário e filosófico, e se comprovar que nas obras de juventude, Hilda Hilst, caminhando para a maturidade de sua escrita e estilo poéticos, propôs exercícios de pensamento e reflexões profundamente filosóficos.Palavras-chave: Hilda Hilst; Balada de Alzira; Poesia brasileira contemporânea; Filosofia ocidental. The objective of this paper is to show the presence of philosophical issues in Hilda Hilst’s poems, mainly in those published in the books of the 1950s. In those poems, the Paulista writer discussed strictly philosophical questions that would identify her literary production as love, the sacred, the searching for the first principle of the Ancient Greek philosophers, the platonic ideal, death and the drama of existence, the limits and uses of language, and so on. As representative of what has been intended to do, it was selected the poem XVI, from Balada de Alzira (1951) to analyze and comment, to be evident the relation between both the fields of literature and philosophy, and to demonstrate that in those early works, Hilda Hilst, wanting to achieve the maturity of her writing and poetical styles, has written poems in which are evident exercises of thinking and deeply philosophical reflections.Keywords: Hilda Hilst; Balada de Alzira; Contemporary Brazilian Poetry; Western Philosophy.
Myriam Correa de Araújo Ávila
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 29, pp 142-150; doi:10.17851/2358-9787.29.4.142-150

Abstract:
Resumo: Em O insistente inacabado (2019), Luiz Costa Lima recorrentemente explora as relações entre a biografia e a teoria, ao tratar do estabelecimento de uma Ciência da História, a partir do fim do século XVIII. No capítulo dedicado à autobiografia, não é apenas a escrita da vida que se aborda, mas também as contingências biográficas que interferem em e informam esse gênero e suas estratégias de construção. Propõe-se, portanto, neste artigo, distinguir dois elementos de sustentação das escritas do biógrafo e do autobiógrafo, ambas atravessadas pela res fictae e pela res factae: a “bio”, correspondendo ao vivido, e a “vida”, correspondente ao vivível.Palavras-chave: Luiz Costa Lima; biografia; autobiografia; História. In his book O insistente inacabado (2019), Luiz Costa Lima recurrently elaborates on the relations between biography and theory when dealing with the establishment of a Science of History in the 18th and 19th centuries. In this book’s chapter on autobiography, besides the writing of a life, Costa Lima approaches the biographical contingencies that interfere and give contour to that genre and its construction strategies. This article intends to distinguisch two sustaining elements in the writings of the biographer and of the autobiographer, both pervade by res fictae and by res factae: “bio”, corresponding to what has been lived, and “life”, corresponding to what can be experienced.Keywords: Luiz Costa Lima; biography; autobiography; History.
Rangel Gomes Andrade, Adalberto Luis Vicente
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 29, pp 249-267; doi:10.17851/2358-9787.29.4.249-267

Abstract:
Resumo: Antonio Candido é um dos mais importantes ensaístas brasileiros. Ao lançar mão da forma ensaística, Candido se integra a uma importante tradição que marcou o pensamento nacional. Entretanto, o crítico dá um passo adiante em relação a tal tradição ao agregar o sólido conhecimento teórico advindo da formação universitária, promovendo um nível de especialização que carecia aos seus precursores. Com base em teóricos do ensaio, em intérpretes da obra candidiana e tomando a figura do crítico Sérgio Milliet como ponto de transição entre a geração precedente e a de Candido, almejamos promover uma reflexão sobre o ensaísmo candidiano com base em um movimento que busca situá-lo no limiar entre tradição e ruptura.Palavras-chave: Antonio Candido; ensaio; crítica literária. Antonio Candido is one of the most important Brazilian essayists. While exploiting the essayistic form, Candido joins an important tradition, which has marked national thinking. However, the critic gives a step forward in terms of tradition as he combines it with a solid theoretical knowledge from his academic education, promoting a level of specialization his predecessors had lacked. Basing on essay theorists, interpreters of Candido’s work, and having the critic Sérgio Milliet as the transition point between Candido’s previous and current generation, we intend to promote reflection on Candido’s essayistic style departing from a movement that aims to situate him on the limits of tradition and rupture.Keywords: Antonio Candido; essay; literary criticism.
Emílio Carlos Roscoe Maciel
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 29, pp 12-32; doi:10.17851/2358-9787.29.4.12-32

Abstract:
Resumo: Leitura de “Para mascar com chiclets”, de João Cabral de Melo Neto (1998), este ensaio explora as complexidades sintáticas e figurativas do poema, tomando como ponto de partida as tensões entre a aposta anti-ilusionista da poesia moderna e as intimações antropomórficas e alucinatórias da tradição lírica ocidental. Ato contínuo, ao destacar a sutil trama de interrupções que atravessa os versos, tenta-se mostrar como, neste poema, o senso de uma clivagem insuperável separando homem e tempo se dá ver menos como enunciado explícito do que como uma estranha solução de compromisso entre resistência e abstração, prosaico e sublime, na qual o mergulho obsessivo e mecânico na pura repetição torna-se o atalho inesperado para um bizarro ritual autodestitutivo.Palavras-chave: João Cabral de Melo Neto; lírica; antropomorfismo; tropo. A reading of João Cabral de Melo Neto’s (1998) “Para mascar com chiclets”, this essay explores the syntactic and figurative complexities of the poem, taking as a point of departure the tensions between the anti-illusionistic commitment of modern poetry and the anthropomorphic and hallucinatory intimations of western lyric tradition. Furthermore, by enhancing the subtle net of disruptions which pervades the verses, one tries to show how, in this poem, the sense of an unsurpassable cleavage separating Man and Time is enacted less as an explicit statement than as frail compromise solution between resistance and abstraction, prosaic and sublime, in which a mechanical and obsessive plunge into pure repetition becomes an unexpected gateway to a weird ritual of self-destitution.Keywords: João Cabral de Melo Neto; lyric; antropomorphism; trope.
Roniere Silva Menezes
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 29, pp 98-117; doi:10.17851/2358-9787.29.4.98-117

Abstract:
Resumo: Este trabalho visa refletir sobre ensaios críticos de Luiz Costa Lima em que o autor analisa o estranho lugar do intelectual brasileiro e latino-americano. Exercendo suas atividades em território pouco afeito ao cuidado detido com a escrita, com o esforço analítico e muito influenciado por expressões ligadas à oralidade e ao exagero retórico, o intelectual e o escritor que habitam os trópicos, muito comumente, situam-se como estrangeiros diante de seu objeto de trabalho e de seu próprio país. Muitas vezes assumem uma escrita relacionada à fala cotidiana visando à comunicação mais direta com o público. Iremos estabelecer análises relativas ao posicionamento de Costa Lima frente a essa questão, enfatizando os conceitos – tratados pelo autor – de improviso e auditividade. Trataremos dos livros Dispersa demanda: ensaios sobre literatura e teoria (1981), Pensando nos trópicos (1991) e Frestas: a teorização em país periférico (2013). Ao final, demonstraremos como as ideias de Costa Lima transitam entre textos sobre o pensamento brasileiro e críticas literárias. Tomaremos como exemplo análises do autor relativas à obra do poeta João Cabral de Melo Neto presentes nos ensaios “A traição consequente ou a poesia de Cabral”, do livro Lira e antilira: Mário, Drummond e Cabral (1968) e Dispersa demanda: ensaios sobre literatura e teoria (1981). Buscaremos mostrar que os estudos sobre improviso e auditividade configuram-se como importantes modelos analíticos. Os textos apresentam ricas ferramentas que nos ajudam a entender melhor a cultura e a produção literária do país.Palavras-chave: Luiz Costa Lima; crítica; oralidade; João Cabral. This paper aims to reflect upon the critical essays by Luiz Costa Lima in which the author analyzes the strange place of a Brazilian or Latin-American intellectual. Working from a place that is not auspicious to the demands of writing or to the analytical efforts and being highly influenced by spoken language and overstated rhetorics, the intellectual or writer from the tropics usually feel as foreigners facing their work in their own land. They often choose to write similarly to spoken language in order to establish a more effective communication with their audience. We are going to analyze Costa Lima’s positioning towards this topic, emphasizing the author’s concepts of improvisation and auditivity. We are going to work with the books Dispersa demanda: ensaios sobre literatura e teoria (1981), Pensando nos trópicos (1991) and Frestas: a teorização em país periférico (2013). As a conclusion, we are going to demonstrate how Costa Lima’s ideas shift from the texts when considering the Brazilian thinking and literary criticism. We are going to take as an example his analyses of poems by João Cabral de Melo Neto presented in the essay “A traição consequente ou a poesia de Cabral”, from the book Lira e antilira: Mário, Drummond e Cabral (1968) and Dispersa Demanda: ensaios sobre literatuar e teoria (1981). We aim to show that studies on improvisation and auditivity are important analytical models. The texts present useful tools that help us better understand the culture and the literary production of the country.Keywords: Luís Costa Lima; criticism; spoken language; João Cabral.
Pedro Henrique Alves De Medeiros,
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 29, pp 227-243; doi:10.17851/2358-9787.29.3.227-243

Abstract:
Resumo: A partir da fronteira-sul, biolócus geoistórico e sobretudo epistemológico, a qual pensamos e erigimos nossas reflexões crivadas e atravessadas pelos nossos corpos fronteiriços e pelas nossas sensibilidades biográficas/locais de pesquisadores situados em um lócus periférico, buscaremos, assentados em uma teorização de caráter crítico-biográfico fronteiriço (NOLASCO, 2015), e em uma metodologia eminentemente bibliográfica, (des)arquivar o projeto da exterioridade homo-bio-ficcional do intelectual mineiro Silviano Santiago, essencialmente no que convém ao seu romance escrevivente Mil rosas roubadas (2014). Dessa forma, optamos por trabalhar com a impressão do arquivo do mal/da exterioridade (NOLASCO, 2018a) de Silviano na tentativa de abri-lo, (des)arquivá-lo. Ao fazê-lo, (des)arquivamos as nossas próprias histórias e sensibilidades. Subsidiados pelo discurso ensaístico crítico-biográfico fronteiriço, ao escrevermos e teorizarmos acerca desse projeto homo-bio-ficcional (des)arquivando-o, expomo-nos, sofremos de um mal. Nesse prisma, o espaço biográfico o qual nossas reflexões se aquilatam é da ordem dos afetos, das sensibilidades, da sobrevida, contudo, sempre respaldado pela distância, lugar reservado à crítica e à amizade política (NOLASCO, 2010).Palavras-chave: crítica biográfica fronteiriça; arquivo; Silviano Santiago. Our research is based on the South-frontier, biolócus geoistórico and mainly epistemological, where we think and erect our thinking trespassed through our frontier bodies and our biographic/local sensibilities as researches located in a subaltern locus. Our research is based on a biographical-critical theorization (NOLASCO, 2015), and in a bibliographical methodology. As from that, we will (un)archive the homo-bio-ficcional exteriority project of Silviano Santiago, a Brazilian intellectual from Minas Gerais, especially with which is related to his escrevivente novel Mil rosas roubadas (2014). In this way, we willwork with the archive of the evil/of Silviano’s exteriority impression (NOLASCO, 2018a), trying to open it, to (un)archive it. When we do it, our own histories and sensitivities are (un)archived. Based on the essayistic biographical-critical frontier speech while writing and theorizing about this homo-bio-fictional project, (un)archiving it, we expose ourselves, we suffer from the evilness. Therefore, the biographical space in which our reflections are based is of the affection order, of the sensitivities and of the sobrevida, but it is also back up for the distance, place reserved to the critics and the politicized friendship (NOLASCO 2010).Keywords: frontier biographical criticism; archive; Silviano Santiago.
Mario Luis Grangeia, Daniel Moutinho Souza
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 29, pp 188-206; doi:10.17851/2358-9787.29.3.188-206

Abstract:
Resumo: This article presents a comparative analysis of the novels O cortiço (1890), by the Brazilian writer Aluísio Azevedo, and Emigrantes (1928), by the Portuguese author Ferreira de Castro. The goal is to identify how Portuguese people who emigrated to Brazil were represented in characters of these works. It was found that, in O cortiço, migration appears as degeneration caused by the hostile social and natural environment of Brazil, according to the premises of the naturalist aesthetics. Under the influence of the sun, poverty and the Brazilian human landscape, the Portuguese people either get rich by stealing and exploiting labor, including slavery, or undergo a life of addiction. On the other hand, in Emigrantes, this migratory flow appears as a mirage, because the possibility of enrichment in America fades away in the confrontation with the concrete experience of the characters. In the study, contributions from critics Antonio Cândido, Eduardo Lourenço and Miguel Torga are mobilized, as well as statistics that contextualize Portuguese immigration in Brazil.Palavras-chave: migração portuguesa no Brasil; Aluísio Azevedo; romance naturalista; Ferreira de Castro; Realismo; literatura comparada. This article presents a comparative analysis of the novels O cortiço (1890), by the Brazilian writer Aluísio Azevedo, and Emigrantes (1928), by the Portuguese author Ferreira de Castro. The goal is to identify how Portuguese people who emigrated to Brazil were represented in characters of these works. It was found that, in O cortiço, migration appears as degeneration caused by the hostile social and natural environment of Brazil, according to the premises of the naturalist aesthetics. Under the influence of the sun, poverty and the Brazilian human landscape, the Portuguese people either get rich by stealing and exploiting labor, including slavery, or undergo a life of addiction. On the other hand, in Emigrantes, this migratory flow appears as a mirage, because the possibility of enrichment in America fades away in the confrontation with the concrete experience of the characters. In the study, contributions from critics Antonio Cândido, Eduardo Lourenço and Miguel Torga are mobilized, as well as statistics that contextualize Portuguese immigration in Brazil.Keywords: Portuguese migration in Brazil; Aluísio Azevedo; naturalistic novel; Ferreira de Castro; Realism; comparative literature.
Lilian Maria Barbosa Ferrari, Joelma Santana Siqueira
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 29, pp 164-187; doi:10.17851/2358-9787.29.3.164-187

Abstract:
Resumo: O artigo tem por objetivo discutir trabalhos de Adolfo Casais Monteiro e Arnaldo Saraiva realizados em prol da literatura brasileira e da manutenção das relações culturais entre Brasil e Portugal. Considerou-se a biografia de ambos tendo em conta suas inserções em contextos sociais e históricos específicos. Buscou-se demonstrar a intervenção desses intelectuais em favor da literatura e cultura brasileiras. Realizou-se também um breve levantamento de textos importantes que trataram da contribuição desses intelectuais portugueses para a cultura local. Adolfo Casais Monteiro foi pioneiro no trabalho comparativo entre o Modernismo Brasileiro e o Modernismo Português, o qual, posteriormente, foi desenvolvido por Arnaldo Saraiva, cujo objetivo era o de demonstrar o diálogo mantido entre os autores modernistas brasileiros e portugueses. Destaca-se, por fim, o empenho desses estudiosos, os quais contribuíram para a história da cultura mesmo em momentos difíceis de autoritarismo e de crise das humanidades.Palavras-chave: literatura brasileira em Portugal; relação Brasil-Portugal; Adolfo Casais Monteiro; Arnaldo Saraiva. The goal of this paper is to discuss the works of Adolfo Casais Monteiro and Arnaldo Saraiva, dealing especially with those done in support of Brazilian literature and of maintenance of cultural relationship between Brazil and Portugal. Their biographies have been taken into account, regarding their specific social and historical contexts, with the objective of demonstrating these intellectuals’ intervention on behalf of Brazilian literature and culture. A brief survey of relevant texts regarding these Portuguese intellectuals’ contribution to the local culture was also conducted. Adolfo Casais Monteiro paved the way for the comparative work concerning Brazilian Modernism and Portuguese Modernism, which was further explored by Arnaldo Saraiva, with the objective of highlighting the dialogue between Brazilian and Portuguese modernist authors. Lastly, we emphasize the effort of these scholars, who have much contributed to the culture’s history, even amidst difficult moments such as authoritarianism and crisis in the humanities’ field.Keywords: Brazilian literature in Portugal; Brazil/Portugal relationship; Adolfo Casais Monteiro; Arnaldo Saraiva.
Karla Renata Mendes
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 29, pp 138-163; doi:10.17851/2358-9787.29.3.138-163

Abstract:
Resumo: Considerada como um dos principais nomes da poesia brasileira, Cecília Meireles também se manteve presente e atuante no meio literário português, encontrando, em solo lusitano, uma boa receptividade e meios favoráveis à difusão de sua obra. Veículos importantes na promoção de seus textos, foram justamente as revistas literárias – publicações variadas que deram visibilidade à autora entre 1930 e 1960. Um desses periódicos é justamente a Atlântico – Revista Luso-Brasileira, editada entre os anos 1940 e 1950. Surgida em meio ao Estado Novo e tendo como pano de fundo um discurso nacionalista e de estímulo à aproximação entre “nações irmãs”, a revista contou com a participação ativa de escritores dos dois países e instituiu-se como um relevante meio de intercâmbio cultural luso-brasileiro. Prova disso é a presença de Cecília Meireles ao longo de números da publicação que retratam sua obra ou a mencionam em recensões críticas e textos literários. Dessa forma, pode-se dizer que a relação estabelecida entre a autora e a revista Atlântico exemplifica aspectos dessa busca de diálogo entre Brasil e Portugal que, em seu caso, acabou sobrepujando fins ideológicos e políticos ganhando, em última instância, contornos subjetivos e pessoais.Palavras-chave: Cecília Meireles; revista Atlântico; poesia; Brasil; Portugal. Regarded as one of the major names in Brazilian poetry, Cecília Meireles also kept herself present and active in the Portuguese literary environment, where she was well received and had propitious means of disseminating her work. The literary magazines, varied publications that helped her gain notoriety between 1930 and 1960, were important vehicles for the promotion of her texts. One of these magazines is precisely the Atlântico – Revista Luso-Brasileira (Atlantic – Luso-Brazilian Magazine), edited in the 1940s and the 1950s. The magazine, which was created during the Estado Novo (New State) period and had as background a nationalist discourse and an incentive for the approximation of the “sister nations”, received active participation of writers from both countries and came to be a relevant vehicle for Luso-Brazilian cultural exchange. One evidence of this is Meireles’ presence over editions of the magazine that depict her work or mention her in critical reviews or literary texts. Thus, one can say that the relationship established by the author and the Atlântico magazine exemplifies aspects of this pursuit for dialogue between Brazil and Portugal that, concerning her, overcame ideological and political purposes and reached, at last, subjective and personal traits.Keywords: Cecília Meireles; Atlântico magazine; poetry; Brazil; Portugal.
Karine Mathias Döll
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 29, pp 208-226; doi:10.17851/2358-9787.29.3.208-226

Abstract:
Resumo: O presente artigo tem como objetivo propor uma leitura do romance Desesterro (2015), escrito pela autora paulista Sheyla Smanioto, a partir de textos teóricos sobre literatura marginal, identidades marginais e subalternidade. Esta leitura parte da compreensão de que o texto de Smanioto incorpora processos de subjetivação das personagens que não são comumente tratados em textos literários e que vão além da questão da fome, da violência e da miséria em contextos de vulnerabilidade e exclusão social, ainda que passem também por tais questões. Desse modo, a fim de melhor refletir sobre a problemática apresentada, serão mobilizados os trabalhos de Spivak (2010), Dalcastagnè (2012) e Nascimento (2009) para pensar as implicações da subalternidade e identidades marginais, bem como as discussões de bell hooks (2015) e Michel Foucault (2004, 2008) sobre a produção de identidades e os processos de subjetivação e objetificação.Palavras-chave: literatura marginal; modos de subjetivação; literatura brasileira; Sheyla Smanioto. This article aims to propose a reading of the novel Desesterro (2015), written by Sheyla Smanioto, born in São Paulo. Supported by theoretical texts about marginal literature, marginal identities and subalternity, the reading starts from the understanding that Smanioto’s text incorporates subjectivation processes. Those processes deal with characters differently from most literary texts, since they go beyond the issue of hunger, violence and misery in contexts of social exclusion, even if such issues are also discussed. Thus, to better reflect on the problem presented, the works of Spivak (2010), Dalcastagnè (2012) and Nascimento (2009) are mobilized to think about the implications of subalternity and marginal identities, as well as the discussions of Michel Foucault (2004, 2008) and bell hooks (2015) about the production of identities and the processes of subjectivation and objectification.Keywords: marginal literature; modes of subjectivation; Brazilian literature; Sheyla Smanioto.
Anco Márcio Tenório Vieira
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 29, pp 36-55; doi:10.17851/2358-9787.29.3.36-55

Abstract:
Resumo: Este trabalho aborda o modo como Gilberto Freyre, a partir do seu olhar expressionista, emulou Luís de Camões. Rompendo as fronteiras entre o homem Luís de Camões e a sua obra, Freyre diluiu os limites que separam o autor do narrador, rompendo também as fronteiras entre o sujeito e o seu objeto de estudo. Desse modo, Freyre inscreve Camões e a sua obra em sua gramática sociológica e antropológica e, principalmente, o eleva ao panteão de um dos percussores do Lusotropicalismo.Palavras-chave: Gilberto Freyre; Luís de Camões; Lusotropicalismo; emulação. This work discusses the way Gilberto Freyre, from his expressionist gaze, emulated Luís de Camões. Breaking the boundaries between Luís de Camões as a man and his work, Freyre diluted the boundaries that separate the narrator from the author, also breaking the boundaries between the subject and his object of study. Thereby, Freyre inscribes Camões and his work in his sociological and anthropological grammar and, mainly, elevates him to the pantheon of one of the Lusotropicalism pioneers.Keywords: Gilberto Freyre; Luís de Camões; Lusotropicalism; emulation.
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 29, pp 56-74; doi:10.17851/2358-9787.29.3.56-74

Abstract:
Resumo: O objetivo desta reflexão é comparar as práticas de escrita de duas poetas, a saber, Sophia de Mello Breyner Andresen e Cecília Meireles, com as traduções que fizeram, respectivamente, de Hamlet, Shakespeare, em 1987, e Orlando, Virgínia Woolf, em 1948. A partir da análise dessas traduções, comparadas a alguns poemas de ambas as poetas, pretende-se desenvolver a afirmação de Giorgio Agamben (2007) de que o poeta moderno elabora sua subjetividade sem deixar que esta fique marcada por um “lugar” ao qual ela devesse “retornar” em nome de uma originalidade primordial de sua palavra lírica. O sujeito decorrente desse processo está livre para viver esse momento presente no qual ele se encontra com sua incompletude e compreende que é feito de uma angústia analisável. Contemplar a linguagem é o modo de produzir subjetividades não essenciais. A tradução é um dos modos mais eficientes de se pensar a palavra. Sendo operada por deslocamentos incessantes, a prática da tradução é um interrogar-se sem cessar – e angustiadamente – pelo sentido da materialidade mesma da estrutura da palavra sem alcançar o sentido pleno do que é traduzido. A tradução faz surgir de um ato objetivo uma potência subjetiva, pois de seu vazio de conteúdo pode ser dito algo de novo.Palavras-chave: Sophia de Mello Breyner Andresen; Cecília Meireles; poesia brasileira; poesia portuguesa; tradução. The purpose of this reflection is to compare the writing practices of the two poets, Sophia de Mello Breyner Andresen and Cecília Meireles, with the translations they made of Hamlet, Shakespeare, Breyner in 1987, and Orlando, Virginia Woolf, by Meireles in 1948. From the analysis of these translations, compared to some poems of both poets, it is intended to develop Giorgio Agamben’s (2007) claim that the modern poets elaborate their subjectivity without allowing it to be marked by a “place” to which they owe “return” in the name of a primordial originality of their lyrical word. The subject resulting from this process is free to live in this present moment in which they find themselves with their incompleteness and understand that they are made of an analyzable anguish. Contemplating language is the way to produce non-essential subjectivities. Translation is one of the most efficient ways of thinking about the word. Being operated by incessant displacements, translating is to constantly interrogate and distress oneself for the meaning of the very materiality of the word structure without reaching the full meaning of what is translated. Translation gives rise to subjective power from an objective act, because something new can be said of its content void.Keywords: Sophia de Mello Breyner Andresen; Cecília Meireles; Brazilian poetry; Portuguese poetry; translation.
Leidiana Da Silva Lima Freitas, Maria Suely De Oliveira Lopes
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 29, pp 244-259; doi:10.17851/2358-9787.29.3.244-259

Abstract:
Resumo: A presença do negro no cenário literário brasileiro vem se tornando mais visível nas últimas décadas. Embora no passado esse protagonismo tenha sido mais tímido, principalmente quando se trata da mulher negra, essa presença hoje é bastante expressiva. Carolina Maria de Jesus, apesar do preconceito e da discriminação, é uma das muitas escritoras afrodescendentes que conseguiu destaque no meio literário. Através de sua escrita, mostrou a situação de pobreza, de miséria e de exclusão que sofreu durante sua vida. Dessa forma, o presente artigo objetiva analisar a obra Diário de Bitita (1986), enfocando aspectos como a negritude e o pertencimento. De forma específica, buscou-se entender como a questão racial e a ideia de pertencimento são abordadas na referida obra, além de discutir como Carolina de Jesus lidava com essas questões na sua infância e adolescência. Para tanto, buscou-se como auxílio os aportes teóricos de Cixous (2017), Fanon (2008), Hall (2005), entre outros. Observou-se, através desta análise, que a escrita de Carolina Maria de Jesus é um instrumento utilizado pela escritora para denunciar a situação dos pobres e, principalmente dos negros, diante de uma sociedade dominada por uma concepção eurocêntrica que privilegia os brancos em detrimento dos negros. Diante do preconceito, da discriminação e da exclusão vivenciados por Bitita, muitas vezes ela desejava ter a pele branca para assim poder usufruir dos mesmos direitos de que dispunham os brancos.Palavras-chave: escrita; negritude; pertencimento; Diário de Bitita. The presence of blacks in the Brazilian literary scene has become more visible in recent decades. Although in the past this main role was more timid, especially when it comes to black women, this presence today is quite expressive. Carolina Maria de Jesus, despite of prejudice and discrimination, is one of the many Afro-descendant writers who had achieved prominence in the literary medium. Through her writing, she showed the situation of poverty, misery and exclusion she suffered during her life. Thus, this article aims to analyze the work Diário de Bitita (Bitita’s Diary, 1986), focusing on aspects such as blackness and belonging. More specifically, we sought to understand how the racial issue and the idea of belonging are addressed in the referred work, in addition to discussing how the author dealt with these issues in her childhood and adolescence. Therefore, support was sought in the theoretical contributions of Cixous (2017), Fanon (2008), Hall (2005), among others. It was observed that Carolina Maria de Jesus uses her writing as an instrument to denounce the situation of poor and, especially of black people, in the face of a society dominated by an Eurocentric conception that privileges whites over blacks. Facing the prejudice, discrimination and exclusion experienced by Bitita, she often wished to have white skin to enjoy the same rights as white people.Keywords: writing; blackness; belonging; Diário de Bitita.
Rodrigo Alexandre De Carvalho Xavier
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 29, pp 75-110; doi:10.17851/2358-9787.29.3.75-110

Abstract:
Resumo: A recepção de Fernando Pessoa nos jornais brasileiros se deu majoritariamente após a morte do poeta, em 1935. Essa recepção, em especial, raramente apresenta ao público os textos do poeta, caracterizando-se, especialmente, por ensaios críticos que supõem o conhecimento dos leitores sobre a obra do escritor português. Durante sua vida (1888-1935), a ocorrência de publicações de textos de Pessoa em jornais brasileiros é ainda mais escassa, e ainda demanda um esforço concentrado dos investigadores dada a dificuldade de localização dos acervos que não estão disponíveis em meio digital. Apresentamos aqui a redescoberta de três textos do poeta, publicados ainda durante sua vida, nos jornais cariocas: Leitura para todos (1926), O Tico-tico: Jornal das crianças (1931) e Diário de Notícias (1935). Apresenta-se também o “flerte” do crítico e escritor modernista brasileiro, Teixeira Soares, com a obra de Fernando Pessoa.Palavras-chave: Fernando Pessoa; recepção, publicações periódicas brasileiras; “Mar Portuguez”; “O avô e o neto”; “Linda florinha”; “D. Diniz”; “Terceiro”; Teixeira Soares. Fernando Pessoa’s journalistic reception in Brazil took place mostly after the poet’s death in 1935. This reception rarely presents the poet’s texts to the public and is characterized especially by critical essays that assume the Brazilian readers’ knowledge on the work of the Portuguese writer. During his lifetime (1888-1935), publications of Pessoa’s texts in Brazilian newspapers are even scarcer and still demand a concentrated effort from researchers given the difficulty of locating archives not available in digital media. Here we present the rediscovery of three texts by the poet, published during his lifetime, in the Carioca newspapers: Leitura para todos (1926), O Tico-tico: Jornal das crianças (1931), and Diário de Notícias (1935). The “flirting” of the Brazilian modernist critic and writer Teixeira Soares with the work of Fernando Pessoa is briefly presented.Keywords: Fernando Pessoa; reception; Brazilian periodic publications; “Portuguese Sea”; “Grandfather and grandson”; “Pretty flower”; “King Diniz”; “Third one”; Teixeira Soares.
Arnaldo Saraiva
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 29, pp 9-18; doi:10.17851/2358-9787.29.3.9-18

Abstract:
Resumo: Reflexões sobre a receção da poesia e sobre as relações pessoais e literárias de João Cabral de Melo Neto com Portugal.Palavras-chave: João Cabral; poesia; Portugal. Reflections on the reception of poetry and on João Cabral de Melo Neto’s personal and literary relations with Portugal.Keywords: João Cabral; poetry; Portugal..
Robson Batista Dos Santos Hasmann
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 29; doi:10.17851/2358-9787.29.3.261-267

O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 29, pp 19-35; doi:10.17851/2358-9787.29.3.19-35

Abstract:
Resumo: Cláudio Grugel do Amaral (Rio de Janeiro, c. 1681-Lisboa, 1752) é um poeta luso-brasileiro cuja obra, reunida num volume manuscrito, ficou inédita. De conteúdo globalmente satírico, a sua poesia – cuja edição será apresentada no decurso de 2020 – constitui, pelo menos em parte, uma paródia de uma conhecida obra do quinhentismo português: Sílvia de Lizardo (1597), de Frei Bernardo de Brito (1569-1617). O artigo dá conta do diálogo entre o poeta brasileiro e o polígrafo português, tendo o cuidado de apresentar devidamente a desconhecida obra do primeiro.Palavras-chave: Cláudio Grugel do Amaral; Frei Bernardo de Brito; poesia barroca; paródia. Cláudio Grugel do Amaral (Rio de Janeiro, c. 1681-Lisbon, 1752) is a Luso-Brazilian poet whose work, assembled in a manuscript volume, remained unpublished. His poetry – whose edition will be presented in the course of 2020 – is globally satirical, and at least in part a parody of a well-known Portuguese 16th century book: Sílvia de Lizardo (1597), by Friar Bernardo de Brito (1569-1617). The article gives an account of the dialogue between the Brazilian poet and the Portuguese polygraph, making sure to properly present Cláudio’s unknown work.Keywords: Cláudio Grugel do Amaral; Friar Bernardo de Brito; Baroque poetry; parody.
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 29, pp 111-137; doi:10.17851/2358-9787.29.3.111-137

Abstract:
Resumo: Tomando como objeto os dois poemas publicados por Carlos Drummond de Andrade na revista luso-brasileira Atlântico (“O voo sobre as igrejas” e “Versos à boca da noite”), o presente artigo visa a apresentar estudo sobre os efeitos de sentido produzidos por tal colaboração, considerando a materialidade do veículo em questão e a ambiência discursiva por ele conferida aos textos. Nesse processo, de início, procura-se recuperar as correspondências inéditas enviadas ao poeta mineiro por José Osório de Oliveira, secretário da publicação e reconhecido homem de letras português dedicado à literatura brasileira. Em seguida, apresentam-se a estrutura, as particularidades e as diretrizes da política editorial do periódico, uma espécie de álbum luxuoso considerado o mais importante elo editorial do intercâmbio literário e intelectual pactuado pelas ditaduras de Salazar e Vargas a partir do Acordo Cultural de 1941. Por fim, examina-se o direcionamento interpretativo de ambos os poemas operado pelo suporte, quer no sentido de valorizar uma figura mítica da dita “civilização lusíada”, algo caro à proposta de recuperação interessada do passado efetuada pela revista, quer de circunscrever e atenuar o lirismo crítico do autor de Sentimento do mundo.Palavras-chave: Carlos Drummond de Andrade; José Osório de Oliveira; Atlântico: Revista Luso-Brasileira; Estado Novo brasileiro e português. Considering two poems published by Carlos Drummond de Andrade in the Portuguese-Brazilian magazine Atlântico (“O voo sobre as igrejas” e “Versos à boca da noite”), this article aims to present the results of an investigation into the effects of meaning produced by such collaboration, considering the materiality of the publication in question and the discursive ambience impacting on those texts. Firstly, we seek to recover the unpublished letters sent to Drummond by José Osório de Oliveira, secretary of the publication and recognized Portuguese intellectual devoted to the Brazilian literature. Then, the structure and guidelines of the journal’s editorial policy are presented. More specifically, Atlântico was a kind of luxurious album which was considered the most important editorial link in the literary and intellectual exchange agreed upon by the Salazar and Vargas dictatorships since the signing of the Cultural Agreement in 1941. Finally, we examine the interpretative framework of both poems operated by the support, which, in the first text, values a mythical figure of the so-called “Portuguese civilization”, something dear to the magazine’s interested proposal to recover the past, and in the second it intends to circumscribe and attenuate the critical lyricism of the author of Sentimento do mundo.Keywords: Carlos Drummond de Andrade; José Osório de Oliveira; Atlântico: Revista Luso-Brasileira; Brazilian and Portuguese Estado Novo.
Caio Gagliardi, Raquel Madanêlo, Silvana Pessôa
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 29, pp 6-8; doi:10.17851/2358-9787.29.3.6-8

Fábio Figueiredo Camargo
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 29, pp 235-251; doi:10.17851/2358-9787.29.2.235-251

Abstract:
Resumo: O presente artigo analisa o romance Mundos mortos, de Octávio de Faria, publicado em 1937, rotulado pela crítica como literatura intimista, abordando personagens adolescentes e seus dilemas sobre sexualidade em torno de um local de homossociabilidade, o colégio de padres católicos. O que chama atenção na produção desse autor, e está expresso nos textos ficcionais, nos dilemas de seus personagens, em seu diário e em suas correspondências, é o conflito constante entre o fato deste ser católico fervoroso e, ao mesmo tempo, haver a presença marcante de um homoerotismo, o qual está diretamente ligado à produção dos corpos dos personagens. Esses corpos dóceis, ou rebeldes, estranhos, diferentes colocam-se em posições negativas com relação ao padrão heteronormativo de seu tempo, deparando-se com os sentimentos de culpa e vergonha constantes, instituídos pelo catolicismo. Analisa-se de que modo o escritor representou o corpo diante dos dogmas católicos, a representação da homossexualidade e como isso transparece em seu romance, lançando mão de teóricos como Eve Kosofski Sedgwick, Michel Foucault e Judith Butler.Palavras-chave: literatura brasileira; Octávio de Faria; corpo; homoerotismo; catolicismo. This article analyzes Octávio de Faria’s novel Mundos mortos, published in 1937, critically labeled as intimate literature, about adolescent characters and their dilemmas around sexuality at a homosocial place, the college of Catholic priests. What draws attention in this author’s production, and is expressed in the fictional texts, the dilemmas of his characters, his diary and his correspondences, is the constant conflict between him being a fervent Catholic and, at the same time, having the presence striking feature of homoerotism, which is directly linked to the production of the bodies of the characters. These docile, or rebellious, strange, different bodies put themselves in negative positions with respect to the heteronormative pattern of their time, encountering the constant feelings of guilt and shame instituted by Catholicism. Analyzes how the writer represented the body in the face of Catholic dogma, the representation of homosexuality, and how this shows in his novel, using theorists such as Eve Kosofski Sedgwick, Michel Foucault and Judith Butler.Keywords: Brazilian literature; Octávio de Faria; body; homoeroticism; catholicism.
Cristiano De Sales, Jordana Silva Matos
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 29, pp 183-209; doi:10.17851/2358-9787.29.2.183-209

Abstract:
Resumo: O texto propõe uma leitura do poema “A máquina do mundo”, de Carlos Drummond de Andrade, que demonstra como o homem moderno só pode fazer diferença no mundo se assumir o devir (que entendemos a partir de Nietzsche) e ocupar os instantes de incertezas que o confrontam na estrada pedregosa que é, a rigor, a vida. E, como obra de arte que é, a experiência estética que o poema provoca conduz o leitor não apenas à compreensão do que seja um niilismo moderno, mas, antes, esgarça as hesitações e os limites da própria filosofia que se julga capaz de explicar as contradições do mundo.Palavras-chave: Carlos Drummond de Andrade; A máquina do mundo; incerteza; niilismo; moderno. This text proposes a close reading of the poem “A máquina do mundo”, by Carlos Drummond de Andrade, showing that the modern man can only makes a difference in the world, if he takes over the devir (according Nietzsche) and occupies the moments of uncertainties, which he face on the stony road that is, strictly speaking, life. And, as a work of art on its own, the aesthetic experience that the poem produces leads the reader to the comprehension of modern nihilism, as well as pulls on the hesitations and the limitations of philosophy itself, considering capability of explaining the contradiction of the world.Keywords: Carlos Drummond de Andrade; A máquina do mundo; uncertainties, nihilism; modern.
Ana Porrúa, Gusavo Silveira Ribeiro, Marcos Siscar
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 29, pp 6-7; doi:10.17851/2358-9787.29.2.6-7

O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 29, pp 116-138; doi:10.17851/2358-9787.29.2.116-138

Abstract:
Resumo: Em 1950, João Cabral de Melo Neto e o poeta português Alberto Serpa publicaram a revista de poesia O cavalo de todas as cores, que teve um único número. O interesse por essa revista parecia residir, sobretudo, em ter sido ela um empreendimento editorial envolvendo um dos maiores poetas brasileiros de todos os tempos. Entretanto, a correspondência trocada entre os dois editores, tratando centralmente da organização da revista, talvez redimensione a importância dessa publicação, sobretudo, no conjunto da obra de Cabral. Propõe-se acompanhar, a partir dessa correspondência, o processo de organização de O cavalo de todas as cores, contemplando as escolhas dos editores e o que elas revelam sobre o modo como cada um lidou com sua contemporaneidade política.Palavras-chave: João Cabral de Melo Neto; Alberto de Serpa; correspondência; revista O cavalo de todas as cores. In 1950, João Cabral de Melo Neto and the Portuguese poet Alberto Serpa, published the poetry magazine O cavalo de todas as cores, which had only a single edition. The interest in this magazine seemed to reside, above all, in being an editorial enterprise involving one of the greatest Brazilian poets of all time. However, the correspondence exchanged between the two editors, treating centrally of the organization of the magazine, can maybe re-dimension the importance of this publication, above all in Cabral’s body of work. We propose to follow, from that correspondence, the process of organization of O cavalo de todas as cores, contemplating the editors’ choices and what they reveal about the way each of them dealt with their political contemporaneity.Keywords: João Cabral de Melo Neto; Alberto de Serpa; correspondence; magazine O cavalo de todas as cores.
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 29, pp 210-234; doi:10.17851/2358-9787.29.2.210-234

Abstract:
Resumo: Tencionamos, neste artigo, demonstrar que o afeto nostálgico é basilar na composição da forma/conteúdo de Angústia (2011), de Graciliano Ramos. A fim de examinarmos a edificação de tal sentimento no romance em questão, investigamos como a forma/conteúdo de Angústia constrói tensões ontológicas provenientes dos afetos da profunda tristeza. Para isso, fazemos uso tanto de textos críticos sobre essa narrativa, como os de Luís Bueno (2015), Rui Mourão (1971), Lúcia Helena Carvalho (1983) etc, quanto de estudos que embasam historicamente a construção do afeto nostálgico, e suas relações com a melancolia, por meio, especialmente, d’A tinta da melancolia (2015), de Jean Starobinki, A política da nostalgia, de Marcos Piason Natali (2006) e “A potência estética da nostalgia”, de André Antônio Barbosa (2019). A nossa exegese mostrou que a figuração da inadaptabilidade de Luís da Silva, erigida, entre outros recursos, pelo incessante vai-e-vem temporal do discurso, não é fruto tão somente de conflitos históricos; ela deriva, também, da representação dos conflitos psicológicos, altamente subjetivos, alimentados pelo grave sentimento nostálgico, alicerçando o trágico mal-estar do protagonista.Palavras-chave: Angústia; Graciliano Ramos; narrativa; nostalgia; inadaptabilidade. We aim, in this article, to demonstrate that the nostalgic affect is fundamental on the form/content construction of Graciliano Ramos’ novel called Anguish. In order to examine the edification of this feeling on this book, we have investigated how the form/content of Anguish constructs ontological tensions originated from the affects of deep sadness. In order to achieve this objective, we have used critical essays about this narrative, such as the ones written by Luís Bueno (2015), Rui Mourão (1971), Lúcia Helena Carvalho (1983) etc, and studies that lay the historical foundation on the nostalgic affect, and its relations with the melancholy, via, especially, A tinta da melancholia (2015), by Jean Starobinski, A política da nostalgia, by Marcos Piason Natali (2006) and “A potência estética da nostalgia”, by André Antônio Barbosa (2019). Our exegesis has showed that the figuration Luís da Silva’s sense of unbelonging, constructed through an incessant temporal movement of the speech, is not only the outcome of historical conflicts; it also derives from the representation of psychological conflicts, highly subjectives, powered by a major nostalgic feeling, building the tragical malaise of the protagonist.Keywords: Anguish; Graciliano Ramos; narrative; nostalgia; unbelonging.
José Roberto Araujo De Godoy
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 29, pp 59-77; doi:10.17851/2358-9787.29.2.59-77

Abstract:
Resumo: O presente artigo pretende investigar a influência do poeta e engenheiro calculista Joaquim Cardozo na obra de João Cabral de Melo Neto, reconstituindo o percurso dessa relação iniciada no Recife, no final dos anos 1930, e seus desdobramentos ao longo de mais de quatro décadas na produção cabralina. Espelhamentos e antagonismos serão ainda cotejados a partir da análise de poemas de ambos os poetas, em especial o modo como Cabral passa a articular elementos memorialísticos, representações do Recife e referências a Joaquim Cardozo em sua poética a partir de O engenheiro (1945).Palavras-chave: João Cabral de Melo Neto; Joaquim Cardozo; Recife; Poesia Brasileira. This article searches to investigate the influence of the poet and engineer Joaquim Cardozo on João Cabral de Melo Neto’s work, rebuilding the course of this relationship that had begun in Recife, in the late 1930s, outspread along more than four decades in Cabral’s career. Correspondences and differences will be present in the analysis of poems of both writers, especially in the way that Cabral articulates memories, representations of Recife and references to Joaquim Cardozo in his poetics since O engenheiro (1945).Keywords: João Cabral de Melo Neto; Joaquim Cardozo; Recife; Brazilian poetry.
Maurício Ayer,
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 29, pp 94-115; doi:10.17851/2358-9787.29.2.94-115

Abstract:
Resumo: A cachaça está presente ao longo de toda a obra poética de João Cabral de Melo Neto, desde O engenheiro até Sevilha andando. Embora não chegue a constituir uma tópica, ao dirigir nossa atenção para o motivo da cachaça é possível descobrir elementos reveladores de uma clivagem específica na poesia cabralina, proporcionando novas leituras de obras importantes, em particular, Morte e Vida Severina. A presença da cachaça, pelo campo conotativo que mobiliza a cada momento, traz ênfase para um viés da personalidade poética de João Cabral que está a contrapelo de sua marca dominante, como poeta racionalista, antilírico, impessoal. Ao contrário disso, a cachaça parece estar geralmente associada a um relaxamento do controle intelectual do fazer poético e uma maior permissividade para que os elementos biográficos e afetivos se introduzam em seus versos. Neste contexto, haverá interesse em revisitar o ensaio de Benedito Nunes (1974), onde o elemento da destilação ganha destaque. Finalmente, veremos que a afetividade dá relevo a uma amizade de especial importância para João Cabral.Palavras-chave: cachaça na literatura brasileira; afetividade; cultura em Pernambuco; João Cabral de Melo Neto. Cachaça (a Brazilian sugarcane brandy) is present throughout João Cabral de Melo Neto’s poetic work, from one of his first books, O Engenheiro, to one of the last ones, Sevilha Andando. The motif of the cachaça enables us to highlight elements that reveal a specific cleavage in João Cabral’s poetry, providing new readings of important works, particularly the drama Morte e Vida Severina. In João Cabral’s work, cachaça mobilizes a specific connotative field, which emphasizes a bias of his poetic personality that is opposed to his dominant mark, as a rationalist, non-lyric, impersonal poet. On the contrary, cachaça seems to be generally associated with a relaxation of the intellectual control of the poetic writing and a greater permissiveness for the biographical and affective elements to be introduced into the verses. In this context, it is interesting to revisit Benedito Nunes’ essay on João Cabral’s work (1974), in which the distillation element plays an important role. Finally, we will see that the presence of affection is related to a friend of a great importance in João Cabral’s trajectory.Keywords: cachaça in Brazilian literature; affectivity; culture in Pernambuco; João Cabral de Melo Neto.
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 29, pp 37-58; doi:10.17851/2358-9787.29.2.37-58

Abstract:
Resumo: João Cabral de Melo Neto tematizou a morte em muitos de seus poemas, além do conhecido Morte e vida severina. É notória a presença de poemas sobre a morte individual de artistas e toureiros; a morte coletiva fortemente ligada à exploração do indivíduo na sociedade latifundiária do nordeste brasileiro; a morte conceitual, de veio metapoético, encontrada na seção “A indesejada das gentes”, da obra Agrestes. No âmbito dos muitos poemas que tematizam a morte, encontram-se aqueles que apresentam a imagem do cemitério como espaço significativo para a compreensão dos discursos sobre a recorrente indigência nordestina. Este trabalho pretende compreender o modo de problematização da imagem cemiterial do nordeste do Brasil e as estratégias poéticas empregadas para dar a ver os cemitérios e seus alicerces sustentados em fortes desigualdades sociais. Para isso, propõe-se o estudo de um mecanismo de composição poética baseado na “discussão de imagens”, conforme o próprio Cabral o nomeou, e entendido por Benedito Nunes (1971, p. 109) como “textura prismática da composição”. De acordo com este procedimento, o ato compositivo de João Cabral envolveria seleção e desdobramento de uma imagem em várias outras formas e imagens, objetivando acréscimo de perspectivas, maior clareza, concreção e profundidade significativa da linguagem. Espera-se, após estudo da imagem dos cemitérios nordestinos, fundamentar a hipótese de que Cabral, na prática de retomadas de temas e imagens, apresenta um projeto poético de denúncia das formas de fortalecimento da indústria da seca no nordeste do Brasil.Palavras-chave: poesia brasileira; João Cabral de Melo Neto; cemitérios; discussão de imagem. João Cabral de Melo Neto thematized death in many of his poems, besides the very well-known one Death and life of Severino. It is notorious the presence of poems about the individual death of artists and bullfighters; the collective death strongly connected to the individual’s exploitation on the landowning society on Brazilian northeast; the conceptual death, metapoetical based, is found on the “A indesejada das gentes” section, in the book Agrestes. Within the context of many poems that thematize death, it is found the ones that present the cemetery image as a significant space in order to comprehend the speeches concerning the recurrent northeastern neediness. This paper intends to understand the way in which the Brazilian northeast cemiterial image is problematized and the poetical strategies employed to exhibit the cemetery and its foundation sustained on an intense social inequality. For this purpose, it is proposed to study a poetical composition mechanism based on the “discussion of images”, as João Cabral named himself and Benedito Nunes understood as a “prismatic texture of composition”. According to this procedure, João Cabral’s compositive act would involve the selection and the unfolding of an image on several other forms and images, objecting an addition of perspectives, more clarity, significant concretion and depth of the language. It is hoped, after the study of the northeast cemeteries image, to base the hypothesis in which Cabral, retaking themes and images, presents a denunciative poetical project regarding the strengthening forms of the draught industry on the Brazilian northeast.Keywords: Brazilian poetry; João Cabral de Melo Neto; cemeteries; discussion of images.
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 29, pp 9-36; doi:10.17851/2358-9787.29.2.9-36

Abstract:
Resumo: Este artigo aborda a meditação sobre o tempo implicada no projeto poético de João Cabral de Melo Neto. Partindo de algumas considerações teóricas do próprio poeta, propõe-se uma análise de sua obra, enfatizando as mudanças na formulação do embate entre o anseio de permanência de sua poética mineral e os efeitos transformadores da passagem do tempo. Se é verdade que, em poemas como “Pequena ode mineral”, a racionalidade construtiva aspira a uma forma absolutamente estável que se daria “fora do tempo”, este artigo pretende demonstrar que, em outros momentos, a poesia de Cabral parece problematizar internamente essa estabilidade, colocando à prova seus próprios pressupostos estéticos.Palavras-chave: João Cabral de Melo Neto; poesia moderna; tempo. This article discusses the reflection on time involved in João Cabral de Melo Neto’s poetic project. Considering some of author’s theorical ideas, the article proposes an analysis of his work, emphasizing changes in the struggle between the mineral immobility of his poetics and the transformative effects of the passage of time. While it is true that constructive rationality aspires to an absolutely stable form in which would be fora do tempo [“out of time”] in poems as “Pequena ode mineral”, this article pretends prove that, in other instances, Cabral’s poetry seems enquire internally this stability, testing its own aesthetical postulates.Keywords: João Cabral de Melo Neto; modern poetry; time.
Page of 13
Articles per Page
by
Show export options
  Select all
Back to Top Top