Refine Search

New Search

Results in Journal HU Revista: 231

(searched for: journal_id:(4269311))
Page of 5
Articles per Page
by
Show export options
  Select all
Alana Santos Ribeiro da Silva, Suiane Costa Ferreira
HU Revista, Volume 47, pp 1-8; doi:10.34019/1982-8047.2021.v47.32594

Abstract:
Introdução: A educação em saúde se apresenta como estratégia eficaz para enfrentamento do déficit de conhecimento da população sobre os primeiros socorros, destacando a importância do desenvolvimento de tecnologias educacionais que garantam uma correta compreensão das informações.Objetivo: Descrever a construção e validação de uma tecnologia em saúde no formato de história em quadrinhos online voltada para o ensino de primeiros socorros de pais/responsáveis por crianças e adolescentes. Material e Métodos: Trata-se de um estudo metodológico, com posterior validação da tecnologia por juízes especialistas. Os itens avaliativos consistiam em: objetivos, conteúdo, linguagem, ilustrações, layout e motivação. A análise da validação foi realizada por meio da utilização do Índice de Validade de Conteúdo (IVC).Resultados: Paraconstrução da tecnologia foi utilizado o software Pixton abordando as temáticas do Suporte Básico de Vida, Prevenção ao Afogamento e Obstrução de Vias Aéreas por Corpo Estranho. A validação da tecnologia evidenciou uma elevada concordância entre os juízes (IVC global de 0,97). Apenas dois itens apresentaram valores de IVC abaixo do limite adotado.Conclusão:A história em quadrinhos para o ensino de primeiros socorros com pais e responsáveis por crianças e adolescentes foi construída e validada em termos de aparência e conteúdo por juízes especialistas, sendo considerada relevante e adequada para promover o processo educativo.
Ana Luísa Silva Albertoni, Luis Gustavo Silva Albertoni,
Published: 18 February 2021
HU Revista, Volume 46, pp 1-16; doi:10.34019/1982-8047.2020.v46.32241

Abstract:
Introdução: O SARS-CoV-2, agente patológico da COVID-19, tem sido descrito como um vírus altamente infeccioso, transmitido de humano para humano com taxas de infecção alarmantes em todo o mundo. O elevado número de mortes devido à COVID-19 está em sua maioria associado à idade avançada ou à comorbidades. Dentre elas, citamos obesidade, diabetes mellitus, doenças cardiovasculares, doenças respiratórias crônicas, hipertensão arterial, coagulopatias e câncer. Objetivo: Esta revisão visa contribuir com uma atualização concisa e desenvolvimento do conhecimento científico além de trazer discussão sobre pontos ainda não muito bem compreendidos do impacto das alterações metabólicas e da ativação do sistema imunológico no desenvolvimento da COVID-19. Material e Métodos: Revisão de literatura de artigos científicos publicados entre 2002 e 2020, indexados nas bases de dados PubMed (National Library of Medicine and The National Institute of Health), Scielo (Scientific Eletronic Library Online), NCBI (National Center for Biotechnology Information) e Periódicos CAPES. Resultados e Discussão: A obesidade é caracterizada por um estado inflamatório de baixo grau, conhecido como inflamação metabólica ou metainflamação. Alterações decorrentes da inflamação metabólica, tornam o hospedeiro mais propenso a infecções e o sistema imunológico menos responsivo a vacinas, antivirais e antimicrobianos. Além disso, a obesidade e o SARS-CoV-2 compartilham elementos comuns da resposta imune e do processo inflamatório, como citocinas, quimiocinas e adipocinas secretados na metainflamação. Em adição, é possível que o vírus e a obesidade interajam em vias de sinalização comuns que amplificam distúrbios metabólicos, o que leva a exacerbação da infecção pelo SARS-CoV-2 em obesos. Conclusão: A resposta imunológica deficiente e comorbidades são importantes determinantes da gravidade da infecção viral por SARS-Cov-2 em pacientes obesos. Assim, sugere-se que a obesidade não apenas aumenta o risco de complicações da COVID-19 como também amplifica distúrbios imunometabólicos, o que pode levar à exacerbação da infecção pelo SARS-CoV-2 em indivíduos obesos.
Bárbara Rodrigues Carvalho, Ana Flávia Santos Queiroz, Érika Ferreira Martins, Maria Clara da Paz Dias, Marco Tullio Brazão Silva
Published: 3 February 2021
HU Revista, Volume 46, pp 1-8; doi:10.34019/1982-8047.2020.v46.31513

Abstract:
Introdução: O pênfigo vulgar (PV) é uma doença autoimune caracterizada pela formação de bolhas em mucosas e/ou pele que estouram facilmente, gerando lesões irregulares. O prognóstico depende de um tratamento precoce, reduzindo riscos de infecção secundária e/ou agravamento da doença que pode levar ao óbito. Objetivo: Relatar um caso clínico e sua condução com discussão pautada nos aspectos atuais da literatura sobre a doença com relação à abordagem odontológica. Relato de Caso: Paciente do sexo feminino, 24 anos, leucoderma, com queixa de dor e descamação gengival que não regrediu após 1 ano de terapias focadas em controle de biofilme e hábitos de higiene bucal. Ao exame extrabucal não foram observadas lesões. Ao exame intrabucal observou-se a ocorrência de eritema em gengiva marginal e papilar por vestibular com pequenos pontos de ulceração rasa e dolorosa. O teste de Nikolsky realizado com o auxílio de uma seringa resultou em positivo. Realizou-se na sequência uma biópsia incisional na região próxima a este local. A histopatologia mostrou lesão de mucosa por acantólise, com formação de fenda intraepitelial e células de Tzank, culminando no diagnóstico de PV. O tratamento consistiu em corticosteroides tópicos, principalmente às custas de Clobetasol em terapia oclusiva, mostrando adequado controle de úlceras e dor. Conclusão: Quadros de gengivite não associadas ao biofilme representam desafio na rotina do cirurgião-dentista, e o PV deve ser parte do rol de hipóteses para o desenvolvimento de uma propedêutica adequada, proporcionando qualidade de vida e diagnóstico precoce.
Keila Pereira da Silva, Marcio Martins da Costa, Ana Paula Munhen de Pontes
Published: 3 February 2021
HU Revista, Volume 46, pp 1-8; doi:10.34019/1982-8047.2020.v46.31947

Abstract:
Introdução: O Sistema Único de Saúde (SUS) caracteriza-se como uma política social pública e um direito adquirido pela população brasileira. Objetivo: Analisar a percepção dos usuários do SUS sobre o direito à saúde. Materiais e Método: Estudo qualitativo, desenvolvido no estado do Rio de Janeiro, com 30 usuários do SUS. Os dados foram coletados por meio de entrevista, no período de junho a julho de 2018, e analisados a partir da técnica de análise de conteúdo. Resultados: Os usuários reconhecem o acesso aos serviços de saúde como um direito, apresentam pontos de satisfação com o sistema, porém referem ter dificuldades para a concretização dos direitos identificados. Observa-se ainda um (des)conhecimento dos usuários do SUS sobre o direito à participação nos espaços colegiados de tomadas de decisões em saúde. Conclusão: Apesar das dificuldades vivenciadas pelos usuários, eles reconhecem a importância do sistema de saúde e referem o desejo de aprofundar o conhecimento sobre os seus direitos para que possam exigi-los e para que este seja mais efetivo.
Anna Carolina Bovarêto Silveira, Maria Eduarda Dias Maia, Vitor Fernandes Alvim, Letícia De Oliveira Zambeli, André Luiz Dornelas Marques Júnior, Rosângela Maria De Castro Cunha, Vinícius Parma Ruela
Published: 29 December 2020
HU Revista, Volume 46, pp 1-9; doi:10.34019/1982-8047.2020.v46.32317

Abstract:
Introdução: Em crianças e adolescentes foi caracterizada a SíndromeInflamatória Multissistêmica Pediátrica (SIM-P) associada à COVID-19. Tal condição resulta em vasculite de médios e pequenos vasos eapresentações clínicas similares ao que ocorre na doença deKawasaki (DK) classicamente descrita. Objetivo: caracterizar ecomparar as manifestações da SIM-P relacionadas à clássica DK,buscando compreender se são entidades distintas ou se são partes deum mesmo espectro. Material e métodos: Foi realizada uma busca nabase de dados PubMed de estudos em humanos, publicados no anode 2020, utilizando-se as palavras chave “COVID-19”, “doença peloCoronavírus 19”, “infecção pelo SARS-CoV-2”, “Síndrome deKawasaki” e “Doença de Kawasaki”, sendo suas respectivas variáveisconsultadas no Medical Subject Heading (MeSH). Foram encontrados144 artigos e após a aplicação dos critérios de elegibilidade, cincoestudos observacionais foram selecionados para a síntese da revisão.Resultados: Dentre os estudos selecionados com base nos critérios deinclusão, 239 pacientes pediátricos foram avaliados. Constatou-seuma faixa etária mais avançada acometida pela SIM-P quandocomparada à apresentação clássica da DK. O envolvimentogastrointestinal e a evolução mais grave no que diz respeito aachados ecocardiográficos, além da necessidade de uma segundalinha terapêutica foram marcantes. Por fim, observou-se, a nívellaboratorial, uma exuberância de alterações inflamatórias nos pacientes acometidos pela SIM-P em relação aos avaliados com DKfora da conjuntura da epidemia da COVID-19. Conclusão: Sugere-seque uma doença inflamatória multissistêmica semelhante à DK estejaassociada à infecção por SARS-CoV-2. Ainda não se conhece asconsequências da SIM-P a longo prazo, sendo necessária a realizaçãode estudos que elucidem aspectos diagnósticos, prognósticos eterapêuticos.
Helena Fonseca Raposo
Published: 29 December 2020
HU Revista, Volume 46, pp 1-12; doi:10.34019/1982-8047.2020.v46.31268

Abstract:
Introdução: O tecido adiposo e suas células tem sido amplamente estudados devido à sua relação íntima com a obesidade. Objetivo: Identificar aspectos históricos e relevantes sobre o avanço na compreensão da função metabólica do tecido adiposo, sobretudo quanto ao seu potencial como alvo terapêutico no controle de doenças metabólicas. Materiais e Métodos: Foi feita uma revisão narrativa da literatura, sem restrição de data, priorizando fontes primárias indexadas pela base de dados PubMed. Resultados: As evidências da existência de tecido adiposo com propriedades termogênicas demonstrada em humanos adultos promoveram grande interesse no estudo do tecido adiposo, em razão de seu potencial terapêutico no controle da obesidade. A plasticidade e versatilidade do tecido adiposo são evidenciadas pelos diversos tipos de adipócitos hoje estudados. Os classicamente conhecidos: branco (WAT) e marrom (BAT), e o mais recentemente descoberto: bege (beige/brite), também conhecido como tecido adiposo marrom induzível; além dos adipócitos rosa e os de medula óssea. Enquanto o WAT é responsável por estocar o excesso de energia na forma de lipídeos, estando diretamente relacionado à obesidade, o BAT, por apresentar alta capacidade oxidativa, pode influenciar no aumento da taxa metabólica corporal, reduzindo a obesidade. Nesse contexto, o tecido adiposo bege apresenta dupla função: Comporta-se como o branco, armazenando o excesso de energia ou, quando estimulado (exposição ao frio, estimulação simpática), tem seu programa termogênico ativado, elevando a expressão de UCP1 (Uncoupling Protein-1) a níveis semelhantes aos do tecido adiposo marrom e promovendo maior dissipação de energia. O tecido adiposo se apresenta versátil por se adaptar à diferentes condições metabólicas, em contextos específicos como na lactação, na hematopoiese, por sua atuação como órgão endócrino ou na modulação do metabolismo energético. Conclusão: Assim, a compreensão de aspectos funcionais e moleculares dos adipócitos, nos possibilita identificar novas formas de tratamento para distúrbios metabólicos.
Thalita Teixeira Maia Passos, Hugo Rodrigues Golçanves, Rodrigo Melo Peixoto, Fernanda Ribeiro Porto, Tiago Heleno Pereira, Antônio Márcio Lima Ferraz Junior
Published: 30 November 2020
HU Revista, Volume 46, pp 1-8; doi:10.34019/1982-8047.2020.v46.30778

Abstract:
Introdução: Há um reconhecimento crescente de que a saúde bucal tem um impacto significativo não apenas físico, mas também social e psicológico. A disfunção temporomandibular (DTM) pode originar morbidades relevantes, resultando em consequências que afetam a qualidade de vida. Objetivo: Avaliar a qualidade de vida em pacientes portadores de DTM.Material e Métodos: Foi realizado um estudo observacional e transversal, no qual foram avaliados 34 pacientes, sem distinção de gênero, maiores de 18 anos, atendidos na disciplina de DTM do curso de Odontologia da Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde de Juiz de Fora (SUPREMA). Através da aplicação do eixo I do RDC/TMD, os indivíduos foram classificados de acordo com o diagnóstico de DTM. Os participantes selecionados responderam o questionário OHIP-14, que permitiu avaliar o impacto da saúde oral na qualidade de vida dos pacientes.Resultados: Em relação ao RDC/TMD, 38,24% dos pacientes foram diagnosticados com dor miofascial no Grupo I, 62% dos pacientes apresentaram diagnóstico unilateral no Grupo II e 47% dos pacientes apresentaram diagnóstico bilateral no Grupo III. A pontuação média do OHIP-14 foi de 18,65 (desvio padrão = 10,77), variando entre 0 e 52 pontos. A pontuação média dos indivíduos que apresentaram dor miofascial com limitação de abertura foi estatisticamente superior à pontuação dos indivíduos com dor miofascial. A correlação entre a idade dos participantes e suas respectivas pontuações no OHIP-14 foi significante estatisticamente. Conclusão: Maior associação entre os escores do OHIP-14 e as disfunções musculares, sendo possível sugerir que uma disfunção muscular associada com limitação de abertura bucal gerou maior impacto na qualidade de vida dos pacientes. Pacientes idosos com DTM apresentam um maior impacto na sua qualidade de vida relacionada com a saúde oral.
Rebeca Galhardo Tiburcio, Daniel Inácio Peixoto Domingues De Azevedo, Bruna Laiza Silva Marinho, Mirella Lima Binoti
Published: 17 November 2020
HU Revista, Volume 46, pp 1-8; doi:10.34019/1982-8047.2020.v46.30175

Abstract:
Introdução: Com o objetivo de garantir a segurança e a saúde do trabalhador, a legislação trabalhista brasileira prevê a obrigatoriedade do uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs). Objetivo: Esse trabalho objetivou analisar as razões de não adesão aos EPIs e avaliar o nível de conhecimento sobre a importância do seu uso por manipuladores de alimentos de uma Unidade de Alimentação e Nutrição. Material e Métodos: Estudo transversal realizado na matriz de uma Unidade de Alimentação e Nutrição (UAN), na cidade de Juiz de Fora, Brasil. Utilizou-se um questionário auto administrado contendo perguntas sobre a frequência de utilização e motivos para não utilização de EPIs, e avaliação do conhecimento sobre sua importância. Os dados foram descritos por meio da distribuição de frequências absolutas e relativas. Resultados: Participaram da pesquisa 93 manipuladores - líderes de setores e nutricionistas, cozinheiros, auxiliares de expedição, auxiliares de câmara fria, estoquistas, auxiliares de pré-preparo, açougueiros e auxiliares de cozinha. Os equipamentos mais utilizados foram bota de PVC, sapato de segurança, touca descartável e avental de napa. Para o uso de luva descartável, 100% dos auxiliares de expedição dizem não utilizá-la. Sobre a luva de malha de aço, 50% dos açougueiros utilizar às vezes. Apenas cozinheiros dizem utilizar óculos de proteção, 83,33% dizem sempre utilizar e 16,67% dizem utilizar às vezes. Sobre a importância de utilização de EPIs, todos reconhecem a necessidade de utilização. Conclusão: Os manipuladores de alimentos da unidade são conscientes sobre a importância da utilização dos equipamentos. Entretanto, há defasagem em relação a sua utilização, diagnosticando-se a necessidade de capacitação sobre a finalidade de cada EPI e a forma correta de utilização, para garantir a qualidade no ambiente de trabalho e a segurança dos manipuladores, minimizando o risco de ocorrência dos perigos e preservando a integridade física dos mesmos.
Débora Wagner, Clorisana Abreu Rameh, Gleici De Lima Fonseca, Mariana Magalhães Ribeiro, Maria Priscila Wermelinger Ávila
Published: 17 November 2020
HU Revista, Volume 46, pp 1-6; doi:10.34019/1982-8047.2020.v46.30630

Abstract:
Introdução: O Projeto Terapêutico Singular é um conjunto de propostas de condutas terapêuticas articuladas, resultado da discussão coletiva de uma equipe interdisciplinar, com apoio matricial. Um hospital universitário da rede Ebserh iniciou a implementação do Projeto Terapêutico Singular como forma de cumprir a recomendação da Diretriz de Humanização e oferecer uma atenção integral. Objetivos: Descrever o processo de implementação do Projeto Terapêutico Singular em um hospital universitário. Relato de Experiência: O grupo responsável pela implementação do Projeto Terapêutico Singular na referida instituição foi constituído em fevereiro de 2018, formado por profissionais da medicina, psicologia, enfermagem, serviço social, fisioterapia, fonoaudiologia, nutrição e do Núcleo Interno de Regulação. Até março de 2020, foram avaliados 110 pacientes da clínica médica, clínica cirúrgica e pediatria. Com a utilização da ferramenta do Projeto Terapêutico Singular, ocorreu o fortalecimento do trabalho em equipe multiprofissional; maior conhecimento e articulação com a Rede de Atenção à Saúde; otimização do tempo de internação; realização de altas compartilhadas; maior participação do usuário e de sua família no processo de saúde-doença-cuidado e a ampliação para outros setores do hospital. Como entraves para inserção do Projeto Terapêutico Singular no hospital supracitado foram observados: alta demanda dos serviços; questões relacionadas aos profissionais, como quantidade insuficiente, rotatividade, formação deficitária; dificuldade para o trabalho em equipe; internações prolongadas devido ao descumprimento dos fluxos por alguns profissionais e a fragilidade da rede no que se refere à oferta de alguns serviços específicos. Conclusão: A implementação do Projeto Terapêutico Singular auxilia o presente nosocômio a difundir o entendimento de que o olhar ampliado sobre uma determinada condição de saúde e o trabalho em equipe transformam a assistência e asseguram resultados mais efetivos e duradouros.
Amanda Madeira Zancanelli, Amanda Tubinamba Da Fonseca, Liora Gonik, , Jaqueline Da Silva Fronio
Published: 24 September 2020
HU Revista, Volume 46, pp 1-8; doi:10.34019/1982-8047.2020.v46.29664

Abstract:
Introdução: No início de 2015 foram detectadas as primeiras infecções do vírus Zika no Nordeste do Brasil e no final do mesmo ano constatou-se a sua propagação para pelo menos quatorze estados brasileiros, incluindo Minas Gerais. Objetivo: Descrever o perfil epidemiológico dos casos de infecção por vírus Zika em Juiz de Fora, com foco especial nas gestantes infectadas. Materiais e Métodos: Dados referem-se ao período de janeiro de 2016 a junho de 2019, da cidade de Juiz de Fora obtidos através do Departamento de Vigilância Epidemiológica e Ambiental, do Sistema de Informação de Agravos de Notificação e do Registro de Eventos em Saúde Pública (RESP). Foram extraídos: data das notificações, idade, sexo, período de gravidez, raça, nível de escolaridade, se a infecção foi autóctone, bairro de residência e critério utilizado para confirmação da infecção. Resultados: 288 casos tiveram a confirmação através de exames laboratoriais (RT-PCR), sendo 19 gestantes. Não houve registro de óbitos ou abortos pela infecção. Em 13 dos 19 casos em gestantes, o RESP não foi completamente preenchido. A média de idade foi 36,69 ±17,81 anos, 68,05% do sexo feminino, e o nível de escolaridade predominante foi fundamental incompleto e médio completo. Conclusão: Apesar dos dados incompletos nos sistemas de notificações, foi identificada maior taxa de infeção no sexo feminino, na faixa etária de 20 a 49 anos.
, Yuri De Lima Medeiros, Danielle Fernandes Lopes, Braz Campos Durso
Published: 24 September 2020
HU Revista, Volume 46, pp 1-7; doi:10.34019/1982-8047.2020.v46.30348

Abstract:
Introdução: A dor orofacial (DO) e as disfunções temporomandibulares (DTM) apresentam alta prevalência na população, sendo causa de grande sofrimento para os pacientes. Para formar clínicos gerais aptos em reconhecerem e tratarem tais distúrbios é necessário que as Instituições de Ensino Superior (IES) ofertem este conteúdo de forma satisfatória durante a graduação. Objetivo: Identificar e quantificar a presença da disciplina de DTM e DO nas grades curriculares dos cursos de graduação em Odontologia, bem como características curriculares da disciplina quando presente. Material e Métodos: A amostra da pesquisa constitui-se de todas as faculdades de Odontologia do Sudeste brasileiro em funcionamento no mês de março de 2019, que estavam com cursos ativos e credenciados no portal e-MEC do Ministério da Educação do Brasil, e que disponibilizaram acesso a matriz curricular por meio de ferramentas online (website oficial ou e-mail). Os dados foram analisados no programa GraphPad Prism 5.0. Resultados: Das 176 IES da região Sudeste, 144 (81,8%) foram incluídas no estudo por preencherem os critérios de inclusão. Destas, apenas 36% apresentam disciplinas relacionadas à DTM e DO em suas matrizes curriculares, sendo mais ofertada em IES públicas (52,6%) do que privadas (33,6%), para p=0,1275. A respeito da natureza da disciplina, é predominantemente obrigatória nas IES privadas, e não obrigatória nas IES públicas (p=0,0073). Como aspecto positivo, foi observado que em relação ao tipo de conteúdo abordado, disciplinas teórico-práticas são abordadas na maioria das instituições (59,37%). A carga horária (CH) média da disciplina é de 58,98h (DP=20,37), sendo maior nas IES públicas. Conclusão: Nossos resultados demostram que a maioria dos cursos de Odontologia do Sudeste brasileiro (63,8%) não oferecem disciplinas de DTM e DO, especialmente IES privadas.
Larissa Bissoli Lago, Maria Beatriz Freitas D’Arce, Maurício Malheiros Badaró, Ana Paula Varela Brown Martins
Published: 24 September 2020
HU Revista, Volume 46, pp 1-9; doi:10.34019/1982-8047.2020.v46.29767

Abstract:
Introdução: As desordens temporomandibulares (DTM’s) são um conjunto de condições que afetam as articulações temporomandibulares (ATM’s), os músculos da mastigação e estruturas associadas. Existem várias subclassificações das DTM’s que podem ocorrer de forma isolada ou combinadas. A osteoartrite é definida como uma condição inflamatória que resulta na erosão da cartilagem articular e degeneração do osso subcondral adjacente. Os sinais e sintomas clínicos incluem a crepitação, limitação dos movimentos mandibulares e dor articular intermitente. Objetivo: O objetivo deste trabalho foi relatar um caso clínico sobre osteoartrite na ATM e avaliar a eficácia do plano de tratamento indicado para o caso. Relato de Caso: Paciente do sexo feminino, 19 anos, compareceu à clínica Odontológica da Universidade Federal de Juiz de Fora – Campus Governador Valadares, com a seguinte queixa: “dores na região de cabeça, pescoço e ombros, sensação de cansaço e sensibilidade a luz”, que se iniciaram há cinco anos. A avaliação da paciente consistiu na anamnese, aplicação de questionários: questionário baseado na Academia Americana de Dor Orofacial, hipervigilância, catastrofização e qualidade do sono, e exame físico. A partir dos dados obtidos, foi realizado o diagnóstico de osteoartrite e mialgia centralmente mediada. Diante do quadro, foi escolhido um tratamento conservador com a utilização de medicamentos, exercícios de alongamento muscular, termoterapia e higiene do sono e em especial para a osteoartrite a redução de carga por meio de orientação da paciente e uso, durante o sono, de dispositivo interoclusal. Conclusão: A paciente apresentou melhora significativa em relação a sintomatologia dolorosa e amplitude de movimento.
Matheus Sampaio De Oliveira, Pâmela Gomes Silva, Yuri De Lima Medeiros, Lauane Alves Rocha, Eduardo Machado Vilela
Published: 24 September 2020
HU Revista, Volume 46, pp 1-6; doi:10.34019/1982-8047.2020.v46.30292

Abstract:
Introdução: Hepatite C (HCV) é um problema de saúde pública de sintomatologia silenciosa. Sua infecção pode cursar com manifestações extra-hepáticas de caráter autoimune, devido a formação de imunocomplexos. Uma dessas manifestações é o líquen plano oral (LPO). Objetivo: Relatar um caso de concomitância entre o LPO e o HCV, demonstrando a importância do cirurgião-dentista na detecção de doenças sistêmicas por meio de repercussões bucais. Relato de Caso: Paciente do sexo feminino, 65 anos, procurou tratamento odontológico com queixa principal de dor em mucosa jugal com evolução de 3 meses. Ao exame extraoral, foi constatada icterícia nos olhos, enquanto no exame intraoral, foram detectadas lesões brancas de aspecto reticulado e estriado em mucosa jugal, bilateralmente de tamanho total aproximado em 1 cm de cada lado, diagnosticado como LPO. Através de exames laboratoriais de sangue, foram diagnosticados os quadros de anemia e de HCV. Para tratamento das lesões orais foi prescrito propionato de Clobetasol 0,05% para bochecho três vezes ao dia durante 15 dias, com remissão total das lesões. A paciente foi encaminhada para tratamento concomitante com médico hepatologista. Conclusão: É importante que, durante a consulta, o cirurgião-dentista solicite exames complementares, como o exame anti-HCV, e investigue fatores de risco e sinais sugestivos de hepatopatias crônicas, especialmente em pacientes portadores de LPO.
Eduardo Stehling Urbano, Rodrigo César Santiago, Ana Júlia De Paula Candeia, Laís Ferrante De Faria, João Gualberto De Cerqueira Luz
Published: 24 September 2020
HU Revista, Volume 46, pp 1-8; doi:10.34019/1982-8047.2020.v46.30538

Abstract:
Introdução: A artrocentese é uma técnica minimamente invasiva utilizada para o tratamento de desordens temporomandibulares (DTM). Consiste na lavagem do espaço articular superior, aumentando a mobilidade articular e reduzindo a dor. Esta técnica pode ser associada à viscossuplementação, que consiste na injeção intra-articular de ácido hialurônico, diminuindo o desgaste da superfície articular. Objetivo: Analisar a eficácia da artrocentese associada à viscossuplementação, ressaltando os seus benefícios, através de um relato de caso. Relato de Caso: Paciente, E.O.M. gênero feminino, 30 anos, reportou-se à Santa Casa de Misericórdia de Juiz de Fora, com queixa de dor. Foi aplicado a metodologia DC/TMD (Diagnostic Criteria for Temporomandibular Disorders) Eixo I, sendo constatada hipomobilidade articular, com abertura bucal máxima de 25 mm, estalidos, crepitação e dor na região pré-auricular. A hipótese diagnóstica de deslocamento de disco com redução através de exame de Ressonância Magnética (RM). Iniciou-se o tratamento com placa neuromiorrelaxante em conjunto com a terapia farmacológica. O quadro sintomatológico da paciente não apresentou melhora, sendo indicada a artrocentese associada à viscossuplementação com hialuronato de sódio em ambas articulações. Resultados: Foi observada melhora do quadro sintomatológico da paciente. A abertura bucal evoluiu de 25mm para 36mm, após 30 dias do procedimento. Foi realizada a proservação por dois anos, não havendo sinais de recidiva. Conclusão: Pode-se concluir que a artrocentese associada à viscossuplementação é um método eficaz para o tratamento de desordens temporomandibulares, principalmente em pacientes refratários ao tratamento conservador, sendo considerada uma técnica segura.
Alana Barroso Generoso, Antônio José Araújo Pereira Júnior, Carolina Gontijo Quadros Ferreira, Isabela Bauti Pinto, Marcos Paulo Viana Milagres
Published: 31 August 2020
HU Revista, Volume 46, pp 1-6; doi:10.34019/1982-8047.2020.v46.30171

Abstract:
Introdução: A granulomatose com poliangiite (GPA) é descrita como uma tríade de lesões, constituídas por granuloma necrosante do trato respiratório, vasculite disseminada de pequeno e médio calibre e glomerulonefrite. Representa a mais frequente das vasculites sistêmicas. Objetivo: Atualmente há uma escassez de dados relacionados ao perfil destes pacientes no país, com suas manifestações clínicas e epidemiológicas. Dessa forma, o caso apresentado visa contribuir com possíveis outros pacientes que se encontram na mesma situação por meio do conhecimento desta manifestação clínica e tentativa de abordagem terapêutica de complicações associadas à doença descrita. Relato de caso: O presente relato descreve o acometimento oral com formação de uma ulceração profunda, levando à comunicação entre a cavidade oral e a nasal. Conclusão: Diante do exposto, reforçamos a importância de um diagnóstico precoce, feito por uma equipe interdisciplinar, a fim de instituir a terapêutica adequada e proporcionar ao paciente uma maior sobrevida.
Taianne Silva Dos Santos, Mariane Rocha Cordeiro, Leandro Neves Fonseca, Urias Pardócimo Vaz, Fernanda Maria Pinto Vilela,
Published: 25 August 2020
HU Revista, Volume 46, pp 1-7; doi:10.34019/1982-8047.2020.v46.28850

Abstract:
Introdução: Devido às características do organismo humano durante a infância, os medicamentos utilizados por esse público necessitam ser adequados quanto à dosagem e forma farmacêutica, garantindo tratamento correto e adesão do paciente. No entanto, a escassez comercial de alguns medicamentos leva ao uso off-label de formulações destinados ao tratamento de indivíduos adultos, o que pode ser inadequado à terapia pediátrica. Nesse sentido, a furosemida é um diurético de alça utilizado off-label em crianças e não é comercialmente disponível no Brasil sob a forma líquida, a qual é mais adequada ao público pediátrico. Objetivo: Desenvolver e avaliar a qualidade de uma preparação oral líquida off-label de uso pediátrico contendo furosemida na concentração de 10 mg/mL. Material e Métodos: Uma suspensão do ativo foi preparada e o controle de qualidade físico-quimico e microbiológico da formulação foi realizado. Do ponto de vista físico-químico, foram avaliados os parâmetros: aspecto, pH, viscosidade e teor do fármaco. Em relação às análises microbiológicas, avaliou-se o crescimento visível de microrganismos mesófilos totais (fungos e bactérias) após incubação do produto em meio de cultura específico para esses microrganismos. Resultados: Obteve-se formulação com aspecto esbranquiçado e inodora, com formação de sedimento após repouso, o qual se ressuspendia facilmente após agitação. O medicamento apresentou pH médio igual a 7,16 ± 0,138, viscosidade média de 40,79 cP ± 0,100 e teor médio de ativo igual a 108,7% ± 0,075. Além disso, não houve crescimento visível de microrganismos mesófilos no produto desenvolvido. Conclusão: A suspensão apresentou resultados satisfatórios em relação aos parâmetros avaliados, com características semelhantes às encontradas na literatura para outras suspensões de furosemida. Dessa forma, é uma opção de formulação que pode ser manipulada, sob a forma extemporânea, e administrada em pacientes pediátricos.
William Lucas Ferreira Da Silva, Graziela Lonardoni De Paula, Aluísio José Santiago, Tamara Rafino De Castro,
Published: 25 August 2020
HU Revista, Volume 46, pp 1-6; doi:10.34019/1982-8047.2020.v46.30472

Abstract:
Introdução: A atenção primária à saúde exerce uma reconhecida e importante função, devido ao seu protagonismo de acolhimento e execução de ações de saúde em nível individual e coletivo. Dentre seus eixos de atuação, estão a proteção e promoção da saúde, e prevenção de doenças e agravos. Contudo, muitos são os desafios para que sua efetividade seja alcançada, principalmente no que diz respeito à promoção da saúde. A saúde é resultado da produção social e sua compreensão não pode ser restrita ao setor saúde. A atuação pautada no conceito ampliado de saúde requer um trabalho multiprofissional e interdisciplinar que deve ser estimulado desde a formação profissional.Objetivo: Apresentar a vivência acadêmica no desenvolvimento de ações de promoção à saúde em um projeto de extensão, direcionado a uma comunidade de um município mineiro.Relato de Experiência: Trata-se de um estudo descritivo, resultado da vivência de graduandos em Educação Física, Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Medicina, Nutrição, Odontologia, Psicologia e Serviço Social, participantes do projeto de extensão "Integração: saber e fazer a promoção da saúde", da Universidade Federal de Juiz de Fora em 2019, direcionada aos moradores do Jardim Caiçaras. Discussão: As atividades deste projeto oportunizaram aproximação dos acadêmicos com a realidade do cenário em questão, por meio de visitas domiciliares que, além de viabilizarem o diagnóstico situacional e das condições de vida e saúde de seus moradores, promoveram a criação de espaços profícuos para o processo de educação em saúde, com clara contribuição para a promoção da saúde e aprimoramento das relações entre usuários e o sistema local de saúde.Conclusão: Ainda são poucas as oportunidades nos primeiros períodos da graduação para construção do trabalho interdisciplinar a partir de uma vivência prática. Acredita-se ser, esta, uma possibilidade de transformação do processo ensino-aprendizagem e, sobremaneira, de produção social da saúde e autonomia comunitária.
Ana Luíza Guedes Pires, , Lucas Alves De Almeida, , Emílio Augusto Campos Pereira De Assis
Published: 21 August 2020
HU Revista, Volume 46, pp 1-5; doi:10.34019/1982-8047.2020.v46.29673

Abstract:
Introdução: A doença de Rosai-Dorfman (DRD) é um distúrbio histiocítico proliferativo benigno raro, que normalmente se apresenta com linfadenopatia massiva, indolor, bilateral, principalmente na região cervical e submandibular, podendo vir acompanhado de febre, perda de peso, sudorese noturna, leucocitose e aumento da velocidade de hemossedimentação. A prevalência da doença é maior em homens de até 20 anos. Não há consenso quanto à etiologia da doença, apesar de acreditarem existir algumas correlações com herpes vírus humano tipo 6 (HHV6), vírus Epstein-Barr (EBV) ou citomegalovírus. Objetivo: Demonstrar entidade rara em uma apresentação atípica e verificar as condutas tomadas. Relato de Caso: MASC, feminino, 55 anos, queixava-se de massa cervical à direita com compressão há cinco meses. Ainda sem diagnóstico, foi realizada operação para retirada de provável linfonodo cervical. A peça cirúrgica foi enviada para exame anatomopatológico e imunohistoquímico, sendo diagnosticada doença de Rosai-Dorfman. Após um ano e cinco meses de pós-operatório, notou-se recidiva do caso. Resultados: Trata-se de uma paciente de 55 anos, cuja entidade torna-se ainda mais rara pelo sexo e idade acometidos, além de apresentação unilateral. Diagnóstico prévio ao ato operatório não foi possível, sendo confirmado pelas análise anatomopatológica e imunohistoquímica. Paciente apresentou recidiva, tratada com corticoterapia pela equipe clínica. Conclusão: Para minimizar situações de erro ou atraso de diagnóstico, torna-se importante o conhecimento dos principais sintomas apresentados pelos pacientes e suas possíveis variações, colocando-a sempre como diagnóstico diferencial de adenomegaliais cervicais.
Andrêze Cristine Do Nascimento Silva, Esther Marques De Sales, Amanda Freire Dutra, Laura Dos Reis Carnot, Altemir José Gonçalves Barbosa
Published: 21 August 2020
HU Revista, Volume 46, pp 1-7; doi:10.34019/1982-8047.2020.v46.31143

Abstract:
Introdução: Em tempos de pandemia de COVID-19, a telepsicologia é uma opção apropriada que permite manter e expandir a oferta de serviços psicológicos. Telepsicologia é o uso de tecnologias de informação e comunicação (videochamada, e-mail etc.) para prover serviços psicológicos (telepsicoterapia, teleaconselhamento etc.) e se tornou fundamental devido ao aumento e/ou agravamento dos problemas de saúde mental durante a pandemia. Objetivo: Relatar uma experiência em andamento de telepsicologia para famílias que envolve o uso de telepsicoterapia e telepsicoeducação. Relato de Experiência: O relato foi organizado com base em 10 diretrizes desenvolvidas a partir de princípios norteadores propostos por instituições de referência nacionais e internacionais. Dois tipos de atividades são oferecidos: telepsicoeducação preventiva e telepsicoterapia familiar. A telepsicoterapia está sendo disponibilizada em formato breve e as famílias atendidas são principalmente da cidade da instituição responsável pelo projeto. A telepsicoeducação tem sido feita principalmente por cartilhas e podcasts com temas relacionados ao foco do projeto (família) e aspectos que contribuem para um coping funcional com as consequências da pandemia de COVID-19. Resultados: Embora não se trate de um ensaio clínico randomizado e ainda tenham sido atendidas poucas famílias, parece que o processo telepsicoterapêutico tem sido eficaz. Os atendidos têm participado ativamente, o vínculo tem se estabelecido e relações de ajuda estão sendo construídas. Feedbacks positivos por parte dos atendidos já foram obtidos no que se refere ao alcance das metas terapêuticas definidas. Conclusão: A telepsicologia é especialmente relevante neste momento histórico em que o distanciamento social é imprescindível para mitigar a pandemia e continuará a ser vantajosa após esta crise de saúde por ser particularmente útil, por exemplo, para pessoas residentes em áreas remotas ou com dificuldades de locomoção. Ademais, é provável que a humanidade enfrentará outras pandemias e uma crise climática que, novamente, exigirão distanciamento social e/ou impossibilitarão deslocamentos usuais.
Published: 21 August 2020
HU Revista, Volume 46, pp 1-7; doi:10.34019/1982-8047.2020.v46.30138

Abstract:
Introdução: Na prática e pesquisa é cada vez mais presente o uso de tecnologias que auxiliam o trabalho dos profissionais, como o geoprocessamento, útil para investigar variáveis espaciais de determinado fenômeno, quando se busca averiguar dados, a partir de ferramentas geoestatísticas. Objetivo: Analisar a distribuição espacial de pacientes atendidos no setor emergência de hospital terciário. Material e Métodos: Estudo transversal, realizado de julho a setembro de 2017, na emergência de hospital terciário, com 783 fichas de atendimento/prontuários. A análise espacial foi realizada com o software Quantum GIS 2.18.10. Resultados: A maioria dos atendimentos foi do sexo masculino (63,9%), com idade média de 52 anos. Os procedentes das cidades circunvizinhas (75,6%) possuíram classificação de risco, predominantemente, nas cores amarela e vermelha, enquanto a classificação nas cores verde e amarela prevaleceu dentre os pacientes do mesmo município de localização do hospital. Os atendimentos ocorreram a pacientes oriundos da região norte do estado do Ceará, com maior densidade nos municípios da macrorregião de Sobral, entretanto, houve atendimentos a pacientes de Fortaleza e sertão do estado. Conclusão: A distribuição espacial aponta que os atendimentos do setor de emergência contemplaram pacientes do norte do estado do Ceará, sertão e região metropolitana da capital do estado. A densidade de atendimentos e classificação de risco nas cores azul e verde foi diretamente proporcional à proximidade geográfica com o hospital, enquanto as cores amarela e vermelha possuíram relação inversamente proporcional com tal distância.
Éwerton Machado Veloso, Edmara Lúcia Pereira Do Nascimento, Michelle Cristina Sales Almeida Barbosa, Rodrigo Furtado De Carvalho
Published: 17 August 2020
HU Revista, Volume 46, pp 1-7; doi:10.34019/1982-8047.2020.v46.30307

Abstract:
Introdução: A disfunção temporomandibular muscular requer uma abordagem multiprofissional para a consolidação de um tratamento integral. Objetivo: Relatar um caso onde se avaliou os efeitos de um protocolo de 8 semanas de exercícios de resistência muscular à fadiga controlado por biofeedback associado ao uso de dispositivo interoclusal no tratamento da disfunção temporomandibular muscular. Relato de Caso: Utilizou-se os critérios de diagnóstico para pesquisa em disfunção temporomandibular (RDC/TMD), escala visual analógica (EVA) e a avaliação eletromiográfica (EMG) para triagem e diagnóstico. Paciente do sexo feminino, 25 anos de idade, leucoderma, compareceu à clínica de prótese dentária queixando-se de dores na mandíbula ao acordar. Relatou o hábito noturno de ranger os dentes e sintomas como barulhos esporádicos no ouvido e dor na região cervical. Após diagnóstico de disfunção temporomandibular muscular, pelo RDC/TMD, empregou-se um tratamento fisioterapêutico baseado em exercícios de progressão semanal realizados duas vezes por semana, totalizando 16 sessões, incluindo as avaliações do tempo de fadiga e da dor percebida nas primeiras 24 horas e após 4 e 8 semanas decorridas do início do protocolo. Associadamente fez-se o uso noturno de um dispositivo interoclusal com intervalos de 7, 15, 30, 60 e 90 dias nas consultas de acompanhamento odontológico para reexame e ajustes oclusais do dispositivo. Ao final da terapêutica instituída, a paciente foi novamente submetida ao RDC/TMD, EVA e EMG. Resultados: Constatou-se redução significativa dos sintomas dolorosos quando comparados os valores obtidos nas avaliações pré e pós-tratamento, correspondendo a uma taxa de aproximadamente 89%. Conclusão: A associação das terapias odontológicas e fisioterapêuticas demonstraram efetividade na diminuição sintomática da dor, promovendo conforto ao paciente e maior amplitude de movimento da articulação temporomandibular.
Aline Lisboa Vieira, , Manuela Lima Barros De Oliveira, Willy James Porto Nunes, Rafael Binato Junqueira, Maurício Augusto Aquino De Castro, Matheus Furtado De Carvalho, Francielle Silvestre Verner
Published: 17 August 2020
HU Revista, Volume 46, pp 1-8; doi:10.34019/1982-8047.2020.v46.29530

Abstract:
Introdução:A extração dos terceiros molares é a cirurgia oral mais realizada na Odontologia. Os exames mais comumente utilizados são a radiografia panorâmica (RP) e a tomografia computadorizada de feixe cônico (TCFC). Objetivo:Realizar uma revisão de literatura sobre os exames de imagem (RP e TCFC) e sua influência no planejamento cirúrgico de exodontia de terceiros molares inferiores. Material e Métodos: Foi realizada uma revisão atualizada da literatura, buscando-se artigos em periódicos indexados na base de dados PubMed, no período de 2009 a 2019.Resultados: A TCFC trata-se de um exame de imagem tridimensional, que possibilita avaliação das estruturas em todos os planos, e é utilizada como facilitador no planejamento cirúrgico de terceiros molares inferiores e como ferramenta auxiliar nos casos em que a RP não fornece uma maior precisão no diagnóstico, sem sobreposição das estruturas. Conclusão: Alguns artigos não mostraram diferenças significativas entre os planejamentos cirúrgicos em terceiros molares inferiores com os dois exames de imagem, mas há a concordância de que existem sinais radiográficos na RP que indicam possíveis complicações nesses dentes. Nesses casos, a TCFC pode ser solicitada como exame complementar.
Alyne Schreider, Filomena Maria Kirchmaier, Luciana Senra De Souza, Marcus Gomes Bastos, Natalia Maria Da Silva Fernandes
Published: 17 August 2020
HU Revista, Volume 46, pp 1-9; doi:10.34019/1982-8047.2020.v46.29383

Abstract:
Introdução: O letramento em saúde (LS) inadequado está associado a morbi-mortalidade em doença renal crônica (DRC). Objetivo: Avaliar o LS e conhecimento sobre terapia renal substitutiva (TRS) de pacientes de um ambulatório multiprofissional de DRC pré-dialítica. Material e Métodos: Estudo transversal no ambulatório HIPERDIA Minas de março a abril/2015. Avaliadas variáveis sóciodemográficas, LS através do SAHLPA 18 (Short Assessment of Health Literacy for Portuguese-Speaking Adults), e aplicado um questionário semiestruturado. As variáveis foram comparadas entre os pacientes que foram separados em dois grupos de acordo com o letramento e as variáveis foram comparadas. Além disto, foi realizada uma análise comparativa entre o estágio da DRC e as respostas ao questionário semiestruturado e o SAHLPA. Ao final, realizamos uma regressão logística, tendo como variável dependente “ter conhecimento sobre TRS”. Resultados: Foram abordados e avaliados 100 pacientes consecutivos, média de idade foi 68,2±10,7 anos. A maioria era homem, branco, apenas ensino fundamental. A categoria da DRC mais frequente foi 3b. 68% apresentaram letramento inadequado. Comparando os dados sócio demográficos e letramento, podemos observar que maior idade, menor escolaridade, menor renda familiar foram estatisticamente significativos para letramento inadequado. Quando perguntados sobre já ter sido informado sobre diálise; 37,7% no estágio 3b, 60,6% no 4 e 66,7% nos 5 disseram que sim; quanto às modalidades de TRS, 68,9% em estágio 3b, 60,6% no 4 e 16,7% no 5 responderam que não sabiam os tipos existentes. A variável relacionada a “ter conhecimento sobre TRS” em um modelo de regressão logística foi apenas idade. Conclusão: Houve um baixo percentual de LS adequado e de conhecimento sobre TRS. A modalidade mais referida foi hemodiálise. Nossos resultados sugerem que estratégias que melhorem o letramento em saúde e forneçam informações adequadas sobre TRS devem fazer parte do atendimento multiprofissional.
Rhaíssa Prado, Filipe Soares Bertges, Sônia Aparecida Figueiredo, Maria José Vieira Fonseca, , Fernanda Maria Vilela
Published: 17 August 2020
HU Revista, Volume 46, pp 1-9; doi:10.34019/1982-8047.2020.v46.28819

Abstract:
Introduction: The use of sunscreens is recommended to reduce skin damage and prevent skin cancer. However, evidence has shown that sunscreen can undergo degradation processes induced by ultraviolet (UV) radiation which can lead to reduction or loss of photoprotective capacity, generation of free radicals and toxic intermediates which react with skin structures generating biological damage. Objective: To evaluate the photostability of four sunscreen formulations with Sun Protection Factor (SPF) 30 added by different chemical and physical UV filters. Material and Methods: Each product was exposed to solar radiation from 10 a.m. to 15 p.m. (UV index: 6.0). The areas under the curves (AUC) of the absorbance spectrum of the formulations before and after radiation exposure were used to calculate the ratio between the AUC before and after the solar radiation (AUCI). Results: Only two formulations, which presented the AUCI higher than 0.8, were considered photostable. Despite having the same SPF 30, formulations showed different absorption spectrum in regions of UVA1, UVA2 and UVB and the photostability of the products tested varied considerably. Conclusion: The development of photostable formulations is critical because degradation products of UV filters can act as photo-oxidants. Furthermore, increased exposure to UV radiation due to the reduction of the photoprotective capacity of unstable products increases the risk of burns and skin cancer.
Ronaldo Afonso Torres, Marcus Gomes Bastos, , André Luiz Nogueira, Bruno Dos Santos Farnetano, Filipe Moreira De Andrade, , Lucas Vilas Boas Magalhâes
Published: 17 August 2020
HU Revista, Volume 46, pp 1-9; doi:10.34019/1982-8047.2020.v46.30170

Abstract:
Introdução: A ultrassonografia à beira do leito realizada por não especialista em imagem tem mostrado ser uma ferramenta útil na avaliação diagnóstica e realização de procedimentos invasivos. Diversas situações clínicas favorecem manifestações de instabilidade hemodinâmica, principalmente, nas unidades de terapia intensiva. Neste sentido, unidades pediátricas têm utilizado ecocardiografia funcional, muitas vezes, antes do exame realizado por um ecocardiografista. Objetivo: Avaliar a acurácia da ecocardiografia realizada por pediatra comparativamente à realizada por ecocardiografista em pacientes de uma unidade neonatal e pediátrica de tratamento intensivo. Material e Métodos: Análise retrospectiva dos prontuários de pacientes pediátricos de zero dia a 14 anos, internados na unidade de terapia intensiva, com indicação clínica para avaliação da existência de alterações anatômicas por ecocardiografia compreensiva e que também foram avaliados através da ecocardiografia funcional por pediatra. Resultados: Um total de 89 casos foram analisados com admissão variando de zero dia a 14 anos, sendo 55 do sexo masculino e 34 do sexo feminino. A sensibilidade e especificidade, respectivamente, da ecocardiografia funcional pelo pediatra comparado à ecocardiografia compreensiva feita pelo cardiologista relativamente às alterações encontradas foram: 80% e 96,2% para persistência do canal arterial; 88,4% e 98,4% para cardiopatia congênita acianótica; 77,7% e 98,7% para cardiopatia congênita cianótica e/ou críticas; 83,3% e 98,8% para miocardiopatia hipertrófica; 100% e 100% para derrame pericárdico; e 76,2% e 96,2% para hipertensão pulmonar persistente neonatal. Conclusões: Os resultados demonstram boa acurácia do pediatra realizando a ecocardiografia funcional quando comparado com exame realizado pelo cardiologista (ecocardiografia compreensiva), o que não reduz a importância e obrigatoriedade da análise do especialista. A incorporação da ecocardiografia funcional na avaliação rotineira pediátrica permite expandir e melhorar o exame físico pelo pediatra.
Lígia Cerceaux Linhares, Francisco Zacaron Werneck, Géssyca Tolomeu De Oliveira, Emerson Filipino Coelho, Renato Melo Ferreira
HU Revista, Volume 46, pp 1-6; doi:10.34019/1982-8047.2020.v46.29307

Abstract:
Introdução:A análise de estabilidade na natação pode ser conduzida em todos os momentos da carreira do atleta, possibilitando elucidar uma melhora contínua ou o momento que se atinge um platô nos resultados de uma prova. Objetivo: Analisar a estabilidade do desempenho de nadadores de nado livre durante 4 anos.Material e Métodos: Estudo de caráter quantitativo e levantamento histórico. Os dados foram obtidos das provas de 50m, 100m e 200m livre do site da Federação Aquática Mineira. Participaram da amostra 78 nadadores (50m = 52; 100m = 19; 200m = 7) ao longo dos anos de 2007 a 2010. Foram realizadas a análise por meio da estabilidade da média, coeficiente de correlação intraclasse (CCI), e estabilidade normativa, analisada pelo coeficiente de correlação de Pearson (r), além da análise da variação no desempenho, ANOVA de medidas repetidas e reportada a variação relativa no desempenho (∆%) entre as temporadas.Resultados:Apresentam uma melhora no desempenho dos nadadores ao longo do tempo (13,3% - 50m; 13,6% - 100m e 15,4% - 200m) e a estabilidade ao longo da temporada 2007-2010 expressa pelo CCI foi elevada: 0,90 (IC95%: 0,66 – 0,96) nos 50m; 0,81 (IC95%: 0,34 – 0,94) nos 100m; 0,83 (IC95%: 0,38 – 0,97) nos 200m. Conclusão:A maioria dos atletas mantiveram melhora nos resultados em todas as distâncias.
Paula Carolina De Souza Chandretti, Yuri De Lima Medeiros, Eduardo Machado Vilela, Gustavo Saggioro Oliveira, João Paulo Da Silva Sudré
HU Revista, Volume 46, pp 1-5; doi:10.34019/1982-8047.2020.v46.30044

Abstract:
Introdução: O carcinoma adenoide cístico (CAC) é um tumor raro e apresenta alto potencial de metástase. Em situações na qual o tumor possui localização crítica, como no caso do palato, a remoção cirúrgica pode ser extremamente invasiva e mutilante, gerando sequelas que resultam em prejuízos funcionais e estéticos ao paciente. Objetivo: Relatar o caso clínico de confecção de prótese obturadora de palato implantossuportada para o tratamento de um paciente com comunicação buco-nasal decorrente da cirurgia de remoção de CAC. Relato de Caso: Paciente de 33 anos, sexo feminino, procurou atendimento odontológico 6 meses após a remoção cirúrgica de um CAC em região nasopalatal, para reabilitação de comunicação buco-nasal. Para correção desta comunicação, foi realizada a confecção de uma prótese obturadora imediata, implantossuportada, com o sistema Barra-Clip. Para isso, houve a instalação de implantes osseointegrados, convencional e zigomático, além de confecção de uma barra de metal para fixação da prótese. Com a prótese palatina confeccionada, realizou-se a captura de dois Clips com resina acrílica autopolimerizável. Após a confecção e instalação da prótese, a paciente foi acompanhada mensalmente durante seis meses. Conclusão: As próteses bucomaxilofaciais são eficazes na reabilitação das sequelas advindas do tratamento cirúrgico em pacientes oncológicos. A utilização de implantes osseointegrados e sistema Barra-Clip se mostram como boas alternativas para a confecção de pilares de sustentação desses dispositivos, conferindo estabilidade e retenção.
Genielle Luiza Pereira, Manuela Lima Barros De Oliveira, Fernanda Mombrini Pigatti,
HU Revista, Volume 46, pp 1-8; doi:10.34019/1982-8047.2020.v46.29171

Abstract:
Introdução: A radioterapia é uma das modalidades de tratamento mais utilizada em pacientes com câncer de cabeça e pescoço, porém efeitos adversos são comuns na maioria dos pacientes. Objetivo: Realizar uma revisão atualizada da literatura científica para verificar o impacto da radioterapia nas glândulas salivares e papilas gustativas de pacientes em tratamento para neoplasias de cabeça e pescoço, e avaliar a eficácia do tratamento com laserterapia de baixa potência na tentativa de redução dos sinais e sintomas relacionados às alterações de tais estruturas. Materiais e Métodos: Tratou-se de uma pesquisa bibliográfica na base de dados PubMed. Foram selecionados artigos que tratavam de pacientes diagnosticados com câncer de cabeça e pescoço que estavam ou já teriam sido tratados com radioterapia, publicados entre os anos 2000 e 2019. Resultados: Observou-se um grande impacto na qualidade de vida de pacientes, já que a radioterapia gera danos as papilas gustativas e as glândulas salivares, podendo ser reversíveis ou não. O grau de comprometimento e o tempo que esses órgãos voltam a desenvolver suas funções de base não ficaram bem esclarecidas. Conclusão: O laser de baixa intensidade mostrou ser eficaz no controle da hipossalivação e da disgeusia na maioria dos estudos, porém são necessárias mais pesquisas que comprovem seus benefícios, a fim de que futuramente este possa ser um aliado na prevenção e controle das consequências advindas da radioterapia.
Ana Luiza De Oliveira Resende, João Carlos De Carvalho Paiva, Letícia Perígolo Jorge, Bruno Alvarenga Soares
HU Revista, Volume 46, pp 1-8; doi:10.34019/1982-8047.2020.v46.28646

Abstract:
Introdução: O diabetes gestacional é uma das comorbidades mais comuns encontradas durante a gravidez, estando associada a diversas complicações maternas e fetais. O prognóstico de cada caso depende, principalmente, do diagnóstico precoce da doença, do controle da glicemia materna e da propedêutica solicitada. Objetivos: Descrever os exames complementares realizados durante o pré-natal, que são relevantes para melhor prognóstico materno-fetal e propor uma comparação entre eles com o propósito de chegar a uma abordagem clínica ideal para grávidas portadoras de Diabetes. Materiais e Métodos: Revisão da literatura nas bases de dados LILACS, PUBMED, MEDLINE, SciELO e UPTODATE com artigos publicados entre os anos de 2000 e 2018 com os termos “diabetes”, “gestacional”, “feto”, “avaliação”, “propedêutica”, “protocolo”, “manejo” e suas correspondentes em inglês “diabetes”, “gestational”, “evaluation”, “fetus”, “propaedeutic”, “protocol”, “management”. Conclusão: Há carência de estudos com qualidade metodológica maior, porém há um padrão no uso dos exames de propedêutica fetal no diabetes e presença de outros fatores de risco para resultados adversos durante a gravidez. Ainda, os exames mais adotados na propedêutica fetal de gestantes com diabetes gestacional são: ultrassom; dopplervelocimetria; ecocardiograma; cardiotocografia e o perfil biofísico fetal.
Igor Guerra Cheloni, José Victor Soares Da Silva, Cristiane Chaves De Souza
HU Revista, Volume 46, pp 1-11; doi:10.34019/1982-8047.2020.v46.29242

Abstract:
Introdução: A enfermagem é uma ciência cujo cuidado tem como referencial metodológico o processo de enfermagem. Este é estruturado em cinco etapas, sendo a primeira delas a coleta de dados. Nesta etapa se identificam os problemas reais ou potenciais passíveis de intervenção do enfermeiro. Objetivo: Identificar as produções científicas existentes sobre os sinais e sintomas que indicam alterações nas necessidades humanas em pacientes oncológicos submetidos à quimioterapia ambulatorial. Material e Métodos: Estudos descritivos de revisão integrativa da literatura. Foram incluídos artigos publicados na literatura nacional e internacional cujo foco tenha sido o estudo da construção e validação de instrumentos de coleta de dados para enfermagem. Resultados: Fizeram parte da amostra final do estudo 21 publicações de um total de 3.039. Foram identificados 107 indicadores empíricos que representam os sinais e sintomas que indicam alterações nas necessidades humanas básicas em pacientes submetidos ao tratamento oncológico. Destes, 64 (59,81%) referiam-se a indicadores de avaliação das necessidades psicobiológicas, 40 (37,38%) a indicadores de avaliação das necessidades psicossociais, e 3 (2,81%) a indicadores de avaliação das necessidades psicoespirituais. Conclusão: A identificação destes indicadores servirá de arcabouço para a construção de um instrumento de coleta de dados de enfermagem. Espera-se que a utilização do instrumento permita ao enfermeiro avaliar as necessidades do paciente oncológico em terapia antineoplásica ambulatorial.
, Christiano Tadeu Sanches Mattos Kilesse, Priscilla Itatianny De Oliveira Silva
HU Revista, Volume 46, pp 1-2; doi:10.34019/1982-8047.2020.v46.28959

Lauren Bueno De Araujo, Ana Luiza De Freitas Andrade, Marilene Da Cruz Magalhães Buffon, Eduardo Pizzatto
HU Revista, Volume 46, pp 1-9; doi:10.34019/1982-8047.2020.v46.29253

Abstract:
Introdução: A anemia falciforme (AF) destaca-se como uma das doenças genéticas de maior importância epidemiológica no Brasil e no mundo. É uma doença crônica incurável, embora tratável. Geralmente provoca alto grau de sofrimento aos seus portadores, que merecem atenção especial do ponto de vista médico, odontológico, genético e psicossocial. Objetivo: Avaliar o conhecimento de acadêmicos de odontologia e cirurgiões-dentistas sobre a doença anemia falciforme. Material e Métodos: Pesquisa com abordagem quanti-qualitativo de caráter exploratório e descritivo. Os dados foram coletados por meio de um questionário autoaplicável e a amostra foi composta por 293 participantes, sendo 186 acadêmicos e 107 cirurgiões dentistas. Resultados: A presente pesquisa revelou que a maioria dos participantes consideram ter pouco conhecimento sobre AF, apesar de reconhecerem a importância do assunto. Além disso, mostraram não ter informação suficiente acerca das manifestações bucais que esses pacientes podem apresentar. Conclusão: Constatou-se após a análise dos dados que grandes partes dos participantes da pesquisa apresentam pouco conhecimento em relação a essa doença. E existe a necessidade de maior inserção desse assunto nos cursos de graduação de odontologia, além de mais pesquisas sobre o tema. Dessa forma é possível contribuir para a melhoria na qualidade de vida dos pacientes com anemia falciforme.
Monik Assis Espindula Mota, Jose Otávio Do Amaral Corrêa, Renato Erothildes Ferreira, Matheus Rodrigues Mendes Moraes, Bruno Parisi Marlière, Fernando Antonio Basile Colugnati
HU Revista, Volume 46, pp 1-9; doi:10.34019/1982-8047.2020.v46.28887

Abstract:
Introdução: A perda auditiva (PA) é uma condição cada vez mais observada na população. É encontrada com maior frequência em alguns grupos específicos como em idosos, portadores de hipertensão arterial sistêmica e diabetes mellitus. Evidências sugerem aumento da prevalência de PA em pacientes com doença renal crônica (DRC), entretanto estudos na população brasileira com DRC pré-dialítica são escassos. Objetivo: Avaliar a prevalência de perda auditiva em uma população de pacientes com doença renal crônica não dialítica e fatores associados. Material e métodos: Foi utilizada uma amostra por conveniência de pacientes com DRC não dialítica (n=159), com idade de 18 a 65 anos, em tratamento ambulatorial multidisciplinar. A acuidade auditiva foi avaliada pela audiometria tonal limiar e pelo questionário da WHO (Ear and Hearing Disorders Survey Protocol for a Population-Based Survey of Prevalence and Causes of Deafness and Hearing Impairment and other Ear Diseases) traduzido e validado para o português. Foram coletados dados sociodemográficos e clínicos, realizada ainda otoscopia, e dosagem de marcadores bioquímicos e citocinas inflamatórias TNF-α, IFN-γ, IL-1β, IL-6, IL-10, IL-17. Resultados: Nas análises, verificou-se a prevalência de 25,16% de perda auditiva neurossensorial entre os participantes. No estudo, não foi encontrada nenhuma associação entre a progressão dos estágios da DRC e o aumento de prevalência da PA, tampouco com a sua gravidade. Os marcadores sanguíneos avaliados, isoladamente ou associados à progressão do estágio da DRC, não se relacionaram à perda auditiva neurossensorial. Conclusões: Verifica-se que a prevalência de déficit auditivo na população estudada foi de 25,16%. Aconselha-se que estratégias sejam implementadas para prevenção e reversão dessa situação nesta população.
Arissa Felipe Borges, Vanessa Roriz Ferreira De Abreu
HU Revista, Volume 46, pp 1-7; doi:10.34019/1982-8047.2020.v46.28233

Abstract:
Introdução: O vírus da imunodeficiência humana (HIV) reduz progressivamente a eficácia do sistema imunológico e aumenta a suscetibilidade para infecções oportunistas. Além disso, aumenta a permeabilidade intestinal e translocação microbiana que contribuem para a ativação imune sistêmica, caracterizando a evolução para a síndrome da imunodeficiência adquirida (AIDS). A modulação imunológica da barreira gastrointestinal no HIV com o uso de probióticos apresenta efeitos benéficos no equilíbrio microbiano do hospedeiro. Objetivo: O presente estudo teve como objetivo levantar dados da literatura de estudos clínicos, referente ao uso de probióticos em pacientes infectados pelo HIV em uso ou não de terapia antirretroviral. Material e Métodos: Foi realizada revisão da literatura científica, por meio da PUBMED utilizando os seguintes descritores em Ciências da Saúde (DeCS), de forma isolada ou em combinação: “human immunodeficiency vírus”, “HIV”, “probiotics”. Foram selecionados estudos de ensaios clínicos randomizados controlados que envolveram a abordagem do uso de probióticos em pacientes infectados com HIV. Foram selecionados 11 artigos que apresentavam conteúdos que contribuíam para o cumprimento dos objetivos deste trabalho, no idioma inglês, publicados no período de 2014 a 2018. Resultados: Além das diversas características dos pacientes selecionados nos estudos, diferentes probióticos foram testados. As interações com os receptores imunes e com a microbiota intestinal ainda não foram totalmente definidos, podendo apresentar diferentes efeitos na regulação intestinal e imunidade sistêmica. Conclusões: Entender a interação entre o microbioma intestinal e seus produtos no ajuste da imunidade no indivíduo HIV+ permitirá definir novas intervenções que possam diminuir a inflamação e comorbidades associadas a doença.
Bianca De Moraes Coimbra, Cilmário Leite Da Silva Júnior, Vinícius Neves Marcos, Erick Sabbagh De Hollanda
HU Revista, Volume 46, pp 1-7; doi:10.34019/1982-8047.2020.v46.29025

Abstract:
Introdução: O tumor sólido pseudopapilar do pâncreas (tumor de Frantz) é uma neoplasia sólido-cística de células exócrinas que corresponde a cerca 0,2-2,7% de todos os tumores pancreáticos. Trata-se de doença rara, com baixo potencial de malignidade, que acomete preferencialmente em mulheres jovens, com média de idade de 25 anos. A ressecção cirúrgica completa da lesão é o tratamento de escolha, e o prognóstico é excelente. Objetivo: Relatar um caso desafiador de tumor de Frantz com apresentação clínico-radiológica atípica, em que os exames de imagem tiveram importância fundamental para elucidação diagnóstica e no manejo terapêutico. Relato de Caso: Paciente do gênero feminino, 31 anos, apresentando anemia crônica, hematêmese, melena e hematoquezia. A endoscopia digestiva alta evidenciou úlcera em atividade no bulbo duodenal. A tomografia revelou massa expansiva localizada entre a cabeça pancreática e o duodeno, com sinais de ulceração. As principais hipóteses diagnósticas eram tumor estromal gastrointestinal (GIST) ou tumor de Frantz. A ressonância magnética caracterizou íntima relação da lesão com o tecido pancreático, deixando o diagnóstico de tumor de Frantz como a hipótese mais provável. A paciente foi submetida a duodenopancreatectomia total para ressecção e tratamento definitivo da lesão. A imunohistoquímica revelou células com citoplasma eosinofílico indistinto e núcleos hipercromáticos, por vezes com arranjos pseudopapilíferos, bem como expressão para betacatenina em padrão nuclear e positividade para CD10 e CD99, confirmando se tratar de um tumor sólido pseudopapilar do pâncreas. Conclusão: Observa-se a importância dos exames de imagem para caracterização e diagnóstico assertivo desse tipo de tumor, possibilitando a ressecção completa da lesão e perspectiva de cura da doença.
Andreysa Keryane Silva Rodrigues, Lourival Batista De Oliveira Júnior, Bruno Barbosa Vieira, Camila Rocha Miranda
HU Revista, Volume 46, pp 1-2; doi:10.34019/1982-8047.2020.v46.30492

Vívian Gonçalves Carvalho Souza, Camila Moreira Lima, Nataska De Oliveira Souza, Jordana Dias Martins, Laércio Almeida De Melo, Fabíola Pessôa Pereira Leite
HU Revista, Volume 46, pp 1-7; doi:10.34019/1982-8047.2020.v46.28599

Abstract:
Introdução: A disfunção temporomandibular (DTM) representa uma das principais causas de dor na região orofacial. A dimensão vertical de oclusão (DVO) refere-se à posição vertical da mandíbula em relação à maxila e seu restabelecimento correto é essencial nas reabilitações protéticas, pois variações deste parâmetro podem influenciar negativamente os quadros de DTM. Objetivo: Avaliar a presença de disfunção temporomandibular em pacientes portadores de prótese total e sua possível associação com a redução de dimensão vertical de oclusão. Material e Métodos: A amostra foi composta de 31 pacientes voluntários, com idades entre 42 e 87 anos, de ambos os sexos, sendo portadores de prótese total, atendidos na Clínica de Prótese Total Removível da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Juiz de Fora. A análise da redução de DVO foi realizada através dos testes métrico, estético e fonético e o diagnóstico de DTM foi estabelecido a partir do Eixo I do RDC/TMD (Research Diagnostic Criteria for Temporomandibular Disorders). Os dados foram tabulados e submetidos à análise estatística descritiva no programa pelo SPSS (Statistical Package for the Social Science) versão 15.0 para Windows. Para comparação das variáveis categóricas entre os grupos de DTM ​ foi utilizado o teste Qui-quadrado com nível de significância admitido de 5% (p0,05).
Sabrina Alves Ramos, Jordana Da Fonseca Carvalho Lima, Ana Caroline Medeiros De Carvalho, Gabriela Cristina Soares, Joyce Andrade Batista
HU Revista, Volume 46, pp 1-8; doi:10.34019/1982-8047.2020.v46.28417

Abstract:
Introdução: O Programa Restaurante Popular tem como objetivo ofertar refeições saudáveis e a preços acessíveis, reduzindo assim, o número de pessoas em situação de insegurança alimentar. Objetivo: Verificar a qualidade nutricional, sensorial e o tipo de processamento dos alimentos utilizados no preparo das refeições de um restaurante popular do município de Belo Horizonte/MG. Materiais e Métodos: Estudo de caso descritivo e de caráter qualitativo. Foi avaliada a qualidade nutricional e sensorial das refeições servidas no período de fevereiro a maio de 2018 através do método Avaliação Qualitativa das Preparações do Cardápio. Os critérios avaliados foram frequência de folhosos, frutas, doces, cores iguais, alimentos ricos em enxofre, carne gordurosa, fritura e doce associado à fritura. Os cardápios foram então classificados em ótimo, bom, regular, ruim ou péssimo. O tipo de processamento dos alimentos utilizados no preparo das refeições foi avaliado de acordo com as recomendações do Guia Alimentar para a População Brasileira. Resultados: Os cardápios foram classificados como bom pela oferta de folhosos (89,3%), preparações com cores iguais (10,7%) e frituras (10,7%); regular para a presença de frutas (57,1%), doces (42,9%), preparações ricas em enxofre (27,4%) e carnes gordurosas (26,2%); e ótima pela oferta de doces associados a frituras (0%). A maioria dos ingredientes utilizados era in natura ou minimamente processados (75,6%), o per capita médio de óleo/gordura foi adequado (8,3 mL), mas o de sal foi elevado (7 gramas). Conclusão: O cardápio ofertado no restaurante popular apresentou boa qualidade sensorial e atendeu em parte às recomendações alimentares preconizadas pelo Guia Alimentar para a População Brasileira. Desta forma, é necessário a revisão de suas técnicas de preparo para reduzir a quantidade de sal e gorduras ultraprocessadas utilizadas para assim proporcionar a oferta de refeições nutricionalmente adequadas às pessoas socialmente vulneráveis ou que se alimentam fora de casa.
Ana Paula Regis Sena Gomes, Vanessa Costa Souza, Mariana De Oliveira Araujo
HU Revista, Volume 46, pp 1-7; doi:10.34019/1982-8047.2020.v46.28791

Abstract:
Introdução: A humanização é compreendida como o protagonismo e autonomia dos sujeitos envolvidos na produção de saúde – usuários, trabalhadores e gestores, com sua valorização e estabelecimento de vínculos solidários por meio de participação coletiva. Objetivo: O objetivo deste estudo foi caracterizar a atuação do enfermeiro na humanização em unidades de terapia intensiva e identificar os desafios e dificuldades encontradas para a sua implementação. Material e Métodos: Trata-se de uma revisão integrativa, com levantamento online ocorrido no mês de outubro de 2018 no portal da Biblioteca Virtual em Saúde, nas Bases de Dados Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde e Banco de Dados em Enfermagem, usando os descritores: Humanização AND Enfermagem AND Unidade de Terapia Intensiva. Foram selecionados 12 artigos, sendo realizada análise descritiva com criação das categorias: Atuação do enfermeiro na humanização em Unidades de Terapia Intensiva e Desafios e dificuldades encontrados por enfermeiros ao implementar a humanização em Unidades de Terapia Intensiva. Resultados: Os artigos analisados apontam que os enfermeiros exercem um papel primordial no cuidado humanizado, os quais devem assistir ao paciente de modo holístico, integral e com empatia, considerando seus familiares no processo de cuidar, tendo a comunicação como um dos instrumentos. Na vertente dos desafios e dificuldades cita-se a quantidade de aparato tecnológico, a despersonalização do enfermeiro, sua sobrecarga de trabalho, baixa remuneração e falta de autonomia. Conclusão: Diante disso, percebe-se que a utilização de estratégias por parte dos enfermeiros para efetivação da humanização, apesar de todos os entraves existentes, é fundamental para que o paciente tenha um cuidado integral, considerando inclusive o papel do familiar em seu processo de recuperação.
Luan Viana Faria, Mikaela Santos Mascarenhas, Davi Da Costa Laurindo, Lorena Pinholi De Morais, Mário Círio Nogueira
HU Revista, Volume 46, pp 1-8; doi:10.34019/1982-8047.2020.v46.29607

Abstract:
Introdução: No cuidado integral à mulher, desenvolvido na atenção primária à saúde, destaca-se a importância de ações relacionadas ao controle do câncer de mama, uma das principais causas de adoecimento e morte das mulheres. Em comparação com países desenvolvidos que possuem programas de detecção precoce bem estruturados, o Brasil ainda possui taxas de mortalidade elevados. Objetivos: Analisar a adequação dos conhecimentos e práticas das usuárias da atenção primária à saúde sobre o rastreamento do câncer de mama, tendo como referência as recomendações do Instituto Nacional do Câncer (INCA). Material e Métodos: Estudo transversal descritivo utilizando um questionário estruturado aplicado às usuárias de uma unidade básica de saúde com faixa etária de 25 a 69 anos. Foram estimadas prevalências de práticas adequadas e suas associações com fatores sociodemográficos. Resultados: Embora quase todas as mulheres já tenham ouvido falar da mamografia e a maioria sabia de sua finalidade, nenhuma apresentou conhecimento inteiramente adequado sobre o rastreamento do câncer de mama. A prevalência de prática adequada à sua faixa etária foi de 34,4% (IC95%: 28,0%-41,3%), com maior proporção para as usuárias mais jovens (84,1%; IC95%: 75,1-93,2%). Conclusão: O conhecimento das usuárias da atenção primária à saúde, sobre o rastreamento do câncer de mama, ainda é muito precário. Isto se reflete na inadequação das práticas em relação à mamografia. Ações de educação em saúde podem reverter esta situação e potencialmente levar a um impacto positivo na saúde da população feminina.
Filipe Henrique Barbosa Ribeiro, Belizane Das Graças Oliveira Maia, Francielle Silvestre Verner, Rafael Binato Junqueira
HU Revista, Volume 46, pp 1-7; doi:10.34019/1982-8047.2020.v46.29153

Abstract:
Introdução: A Endodontia é uma área constantemente contemplada com inovações tecnológicas e científicas que visam tornar o tratamento do canal radicular cada vez mais eficiente. No entanto, os procedimentos clínicos necessários para a resolução de casos complexos, tais como calcificações severas de canais e a remoção de pinos de fibra de vidro insatisfatórios podem comprometer a viabilidade do elemento dental. Neste contexto, surgiu a Endodontia guiada, ou endoguide, que associa tomografia computadorizada de feixe cônico (TCFC), escaneamento intraoral e impressão tridimensional (3D) ao tratamento endodôntico. Esta técnica permite que, por meio de guias acrílicos fixados em boca, uma broca de acesso cavitário seja guiada no interior do canal, impedindo eventuais desvios e remoção desnecessária de dentina, assegurando um acesso com excelência. Objetivo: Revisar a literatura atual sobre o uso do endoguide, destacando sua técnica de realização, indicações, limitações, vantagens e desvantagens. Materiais e Métodos: Foram analisados artigos científicos completos, em língua inglesa, obtidos na base de dados PubMed, publicados entre 2013 e 2020, utilizando-se as palavras-chave endoguide ou guided endodontics. Resultados: O endoguide se mostrou eficaz, independente do grau de habilidade e experiência do operador, permitindo o acesso a dentes com canais obliterados, com o mínimo de desgaste dentinário, evitando desvios e aumentando as chances de sucesso do tratamento endodôntico. As principais desvantagens são o alto custo e a dificuldade de instalação na região posterior da boca. Conclusão: O endoguide representou um grande avanço na Endodontia atual, oferecendo eficiência, preservação de estrutura dental e economia de tempo clínico na resolução de casos complexos.
José Antônio Chehuen Neto, Beatriz Stephan Farhat Jorge, Filipe Raimundi Sampaio De Oliveira, Lucas Alves De Almeida, Nathália Couri Vieira Marques, Renato Erothildes Ferreira, Sávio Dornelas Breder
HU Revista, Volume 46, pp 1-10; doi:10.34019/1982-8047.2020.v46.27398

Abstract:
Introdução: A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) é o órgão nacional responsável pela autorização e regulamentação de venda e uso de medicamentos e monitora seus efeitos terapêuticos e adversos. Em meio a esse cenário, encontram-se os pacientes sob tratamento oncológico, sujeitos ao uso de diversos fármacos tradicionais ou inovadores (frequentemente ainda não aprovados pela Agência), que são, por vezes, indicados para terapias ainda não regulamentadas. Objetivos: Avaliar o perfil de pacientes oncológicos que estão ou estiveram em quimioterapia e/ou radioterapia e/ou outras terapias, o conhecimento destes sobre a ANVISA e suas funções, além das possibilidades de uso de medicamentos não aprovados pelo órgão e, secundariamente, de participação em uma pesquisa experimental hipotética. Material e Métodos: Estudo transversal descritivo com variáveis quantitativas, ao se aplicar questionário estruturado em 400 pacientes em tratamento oncológico sob acompanhamento em instituições especializadas, com análise estatística de medidas de frequência, tendência e dispersão. Resultados: Foram entrevistados 166 homens e 244 mulheres, com idade média de 59 anos ± 13.5. Não usariam medicamentos não aprovados pela ANVISA 74.25% dos pacientes, enquanto 25.75% fariam uso. A renda média prevalente foi de um a três salários mínimos, com mais da metade dos entrevistados tendo estudado até o ensino fundamental. Dos participantes, 62% não sabem o que é a ANVISA e tampouco têm conhecimento sobre seu papel. Ainda, 92,3% dos pacientes entrevistados estão cientes dos riscos de se usar medicamentos não aprovados pela Agência, e 61% participariam de uma pesquisa hipotética para aprovar um novo medicamento. Conclusão: São fatores determinantes para o uso de medicamentos não aprovados pela ANVISA: ter até 59 anos, ausência de outras opções terapêuticas e os efeitos colaterais dos atuais fármacos. Além disso, a maioria dos entrevistados estaria disposta a participar de uma pesquisa experimental para aprovação de uma nova medicação.
Bárbara Gomes Gama, , Flávia Emília Cavalcante Valença Fernandes, Saulo Bezerra Xavier
HU Revista, Volume 46, pp 1-8; doi:10.34019/1982-8047.2020.v46.28248

Abstract:
Introdução: A Unidade de Terapia Intensiva é o ambiente mais susceptível ao desenvolvimento de lesão por pressão devido ao estado crítico dos pacientes, representando campo importante para compreensão dos fatores desencadeantes deste evento a fim de preveni-lo. Objetivo: Avaliar a prevalência e os fatores associados ao surgimento de lesão por pressão em pacientes internados em uma unidade de terapia intensiva. Material e métodos: Estudo quantitativo, analítico e documental. Para a análise dos dados foi realizada estatística descritiva e inferencial. Os fatores associados foram analisados por meio da regressão logística binária. Adotou-se significância de 5% e confiança de 95%. Resultados: A amostra totalizou 566 prontuários de pacientes, sendo prevalente o sexo masculino, entre 20 e 39 anos de idade. Foi prevalente a ausência de lesão por pressão na admissão, como também o não desenvolvimento durante o internamento, embora a maioria dos pacientes apresentasse risco moderado para o desenvolvimento de lesão por pressão pela escala de Braden. Houve prevalência de 22,3% no surgimento de lesão por pressão, mesmo na existência do protocolo preventivo no setor. Os fatores associados ao surgimento de lesão por pressão foram a urgência/sala vermelha como setor de procedência (p=0,032) e o tempo de internamento igual ou superior a dez dias (p=0,029). Conclusão: Os resultados deste estudo evidenciaram prevalência relevante visto que a ocorrência de lesões por pressão é considerada um evento adverso relacionado ao internamento e a assistência prestada ao paciente crítico.
Maraísa Aparecida Pinto Resende, Isabella De Almeida Francisquini, Neuza Maria Souza Picorelli Assis, Bruno Salles Sotto-Maior
HU Revista, Volume 46, pp 1-6; doi:10.34019/1982-8047.2020.v46.28918

Abstract:
Introdução: Os dentes supranumerários podem apresentar-se em todas as regiões da mandíbula ou maxila, mas existe uma predisposição para localizarem-se na região anterior da maxila. Objetivo: Relatar um caso de localização incomum de dente supranumerário fusionado na região posterior da maxila. Relato de Caso: A radiografia panorâmica sugeriu uma alteração da forma do terceiro molar superior, porém não foi possível obter o diagnóstico final. Assim, a tomografia computadorizada de feixe cônico foi utilizada para determinar o diagnóstico de fusão e também auxiliar no planejamento cirúrgico.Foi realizada uma intervenção cirúrgica com o objetivo de remover o terceiro molar fusionado ao supranumerário.Conclusão:Neste relato, observamos que a tomografia computadorizada de feixe cônico mostrou detalhes da ocorrência rara, permitiu o estabelecimento do diagnóstico e possibilitou a correta abordagem do caso, evitando intercorrências e complicações cirúrgicas.
Alice Dias Da Silva, Newton Matos Júnior, Dênis Derly Damasceno, Nathalia Sernizon Guimarães, Júnia Maria Geraldo Gomes
HU Revista, Volume 46, pp 1-9; doi:10.34019/1982-8047.2020.v46.28790

Abstract:
Introdução: A caracterização do perfil nutricional das pessoas com diabetes tipo 2 pode favorecer a adoção de medidas que reduzam as comorbidades e complicações da doença. Objetivo: Avaliar o estado nutricional, fatores de riscos e comorbidades em indivíduos adultos com diabetes tipo 2. Material e Métodos: Foi realizado um estudo transversal com 30 indivíduos com diabetes tipo 2 e idade entre 18 e 59 anos, no município de Barbacena – MG. Foram avaliadas variáveis socioeconômicas e de estilo de vida (fumo, atividade física, medicamentos, etilismo, dentre outras), do consumo alimentar (calorias totais, macronutrientes, uso de adoçantes, preparo das refeições, etc.), antropométricas e de composição corporal (perímetro da cintura, perímetro do braço, perímetro do quadril, perímetro da panturrilha, peso, altura e percentual de gordura). Resultados: A maioria da amostra foi constituída por mulheres (66,7%), as quais apresentaram maiores valores de índice de massa corporal, relação cintura-quadril, relação cintura-estatura e percentual de gordura corporal em relação aos homens. Observou-se elevada prevalência de sobrepeso e obesidade entre os participantes de ambos os sexos. Metade da amostra encontrava-se com glicemia de jejum 130 mg/dL. Conclusão: A obesidade foi uma comorbidade de elevada frequência na amostra avaliada, o que é preocupante devido à sua associação com descontrole glicêmico e risco de complicações. O consumo alimentar relacionou-se ao controle glicêmico e estado nutricional, demonstrando a necessidade de uma dieta equilibrada e diminuição gradual de peso para os indivíduos com diabetes, visando um melhor controle do diabetes e qualidade de vida.
Ingrid Thiago Gomes, Gabriella Gonçalves Lanna, Marcelo Tarcísio Martins, Jéssica Armond Magalhães, Priscila Faquini Macedo
HU Revista, Volume 46, pp 1-6; doi:10.34019/1982-8047.2020.v46.29031

Abstract:
Introdução: O forame mandibular (FM) é uma referência anatômica importante na realização de forma efetiva do bloqueio do nervo alveolar inferior (NAI). A falta de conhecimento da presença e das variações anatômicas deste forame, podem ter implicações desfavoráveis na técnica anestésica. Objetivos: Estabelecer uma média entre a distância da oclusal do segundo molar inferior ao FM, através da avaliação de radiografias panorâmicas (RP), com a finalidade de reduzir o insucesso na anestesia do NAI e a sintomatologia dolorosa em procedimentos odontológicos mandibulares. Material e Métodos: Neste estudo, foram analisadas 60 RP, de pacientes entre 16 e 40 anos, de ambos os sexos, com os segundos molares inferiores presentes. Foram mensuradas as distâncias entre esses dentes e os forames mandibulares dos lados esquerdo e direito, através do programa Foxit Reader. Resultado: As médias observadas foram de 11,2 mm à esquerda e 10,89 à direita, sendo esta diferença estatisticamente significativa ao nível de p
Mauro Toledo Sirimarco, Laura Melo Werneck De Toledo, Bernardo Salvador Côrtes
HU Revista, Volume 46, pp 1-7; doi:10.34019/1982-8047.2020.v46.28785

Abstract:
Introdução: Os profissionais da área de saúde estão submetidos a uma série de riscos ocupacionais em seu ambiente de trabalho, incluindo os acidentes com material biológico, os quais estão associados com a transmissão de diversas doenças infecciosas, como a hepatite B. O conhecimento sobre a importância da vacinação e a adoção de medidas universais de biossegurança são ferramentas fundamentais para a prevenção da doença. Objetivo: Identificar a situação vacinal contra hepatite B e a exposição a material potencialmente infectado em docentes da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Materiais e Métodos: Trata-se de um estudo transversal exploratório descritivo (n=132 docentes). Foram aplicados questionários padronizados, acompanhados do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido em duas vias. Resultados: Cento e vinte docentes (90,9%) receberam a vacinação contra hepatite B, dos quais sete (5,8%) tomaram apenas uma dose, dezenove (15,8%) tomaram duas doses e noventa e quatro (78,3%) receberam as três doses necessárias. Daqueles que tomaram as três doses, sessenta e três entrevistados (67%) realizaram o teste anti-HBs para se certificarem da resposta vacinal. Oitenta e nove (67,4%) declararam já terem sido expostos a material potencialmente infectado alguma vez na vida. Destes, setenta e quatro profissionais (83,1%) referiram terem tomado as devidas providências para evitar a infecção por possíveis patógenos. Setenta e dois (54,5%) afirmaram estarem expostos a material contaminado ou com risco de infecção pela hepatite B de maneira frequente, sendo vinte e um (29,2%) diariamente, trinta e cinco (48,6%) semanalmente e dezesseis (22,2%) alegaram ter contato com esse tipo de material mensalmente. Conclusão: Com o presente estudo, foi possível enfatizar a importância do conhecimento do risco de infecção no esclarecimento dos benefícios da vacinação contra hepatite B.
, Murilo Rocha Rodrigues, Caroline Cotes Marinho, Guilherme Siqueira Ferreira Anzaloni Saavedra, Tarcísio José De Arruda Paes Junior, Estevão Tomomitsu Kimpara
HU Revista, Volume 46; doi:10.34019/1982-8047.2020.v46.28976

Abstract:
Introdução: As cerâmicas odontológicas têm sido utilizadas como materiais restauradores desde 1770 por apresentarem propriedades estéticas semelhantes aos dentes naturais. A busca por procedimentos que visem aumentar a adesão entre zircônia, uma cerâmica policristalina, e agente cimentante, é um desafio e tem estimulado o desenvolvimento de diversos estudos. Objetivo: O objetivo deste estudo é discutir os diferentes tipos de tratamentos de superfície preconizados para zircônia estabilizada com ítria (Y-TZP), bem como as vantagens e desvantagens descritas na literatura. Materiais e métodos: O presente estudo trata-se de uma revisão de literatura realizada de artigos científicos publicados entre 2003 e 2019, indexados nas bases de dados MEDLINE, PubMed e Scielo. Foram utilizados os seguintes termos de pesquisa: “tratamento de superfície da zircônia”, “tratamento de superfície Y-TZP”, “agente cimentante para zircônia”, “agente cimentante para Y-TZP”, “adesão à zircônia” e “adesão à Y-TZP”. Resultados: Foram encontrados 413 artigos que contemplavam pelo menos um dos critérios de inclusão registrados. No entanto, foram utilizados os dados de um total de 69 artigos que contemplavam todos os critérios de inclusão. Conclusão: Os protocolos de tratamento de superfície relatados ainda apresentam limitações quanto ao comportamento de longo prazo da resistência de união. No entanto, quando as características do preparo não são favoráveis à retenção, o jateamento com partículas de Al2O3 revestidas com sílica (30μm) deve ser utilizado, sendo menos agressivo à cerâmica que outros protocolos de jateamento descritos. Quanto ao agente cimentante, recomenda-se sempre o uso de cimentos resinosos que apresentem MDP em sua composição, uma vez que proporcionam ligações químicas estáveis e comportamento adesivo duradouro.
Izabella Henrichs Ribeiro, Júlia Ferigatto, Dionéia Evangelista Cesar, Rodrigo Luiz Fabri,
HU Revista, Volume 46; doi:10.34019/1982-8047.2020.v46.28995

Abstract:
Introduction: Oral microbiota has been implicated on oral mucositis (OM) that occurs during cancer therapy, however without consensus. Objective: This study, aimed to establish, through a review, the association between oral microbiota and OM at head and neck cancer therapy (HNCT). Material and methods: The search of PubMed was performed considering 2008-2018 period, and the descriptors “oral mucositis” and “oral microbiota” in subheadings etiology and microbiology into the Medical Subject Heading (MeSH) “Head and Neck Neoplasms”. The conducting question was “Is there an oral dysbiosis during HNCT associated with OM?”. Results: 22 articles were selected under two steps of data extraction: articles that evaluated de oral microbiota during HNCT (n=13), and articles that also focused in OM (n=9). Conclusion: The evidence presented in the literature suggests associations of oral microbiota dysbiosis with the progression and worsening of radiation-induced OM. However, to define a microbial core for the disease, future standardized studies are required.
Page of 5
Articles per Page
by
Show export options
  Select all
Back to Top Top