Refine Search

New Search

Results: 300

(searched for: doi:(10.21450/*))
Save to Scifeed
Page of 6
Articles per Page
by
Show export options
  Select all
Gabriel Nery-Da-Silva, Laiane Aparecida Soares Sena Nery
RAHIS- Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, Volume 17, pp 100-119; doi:10.21450/rahis.v17i4.6394

The publisher has not yet granted permission to display this abstract.
Julio Cesar Matias Do Nascimento
RAHIS- Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, Volume 17, pp 1-10; doi:10.21450/rahis.v17i4.6347

The publisher has not yet granted permission to display this abstract.
RAHIS- Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, Volume 17, pp 64-82; doi:10.21450/rahis.v17i4.6471

The publisher has not yet granted permission to display this abstract.
Josiano Sousa
RAHIS- Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, Volume 17, pp 116-133; doi:10.21450/rahis.v17i3.6495

The publisher has not yet granted permission to display this abstract.
Natallya Levino, Bruna Luana Brito
RAHIS- Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, Volume 17, pp 97-115; doi:10.21450/rahis.v17i3.6285

The publisher has not yet granted permission to display this abstract.
Míria Alves Lima, Sinédia Rocha Rodrigues, Roberta Seron Sanches, Andressa Rodrigues De Souza
RAHIS- Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, Volume 17, pp 82-96; doi:10.21450/rahis.v17i3.6260

The publisher has not yet granted permission to display this abstract.
Cid Goncalves Filho , Stanley Araújo Pena, Gustavo Quiroga Souki, José Ricardo Cezar A. Mello
RAHIS- Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, Volume 17, pp 19-44; doi:10.21450/rahis.v17i3.6539

The publisher has not yet granted permission to display this abstract.
Claudia Lopes De Souza, Marcelo Gerardin Poirot Land
RAHIS- Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, Volume 17, pp 64-81; doi:10.21450/rahis.v17i3.6505

The publisher has not yet granted permission to display this abstract.
Bruno Peserico Martini, Débora Gomes De Gomes, Gabrielito Rauter Menezes
RAHIS- Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, Volume 17, pp 1-18; doi:10.21450/rahis.v17i3.6280

The publisher has not yet granted permission to display this abstract.
Beatriz Marcondes De Azevedo, Fred Leite Siqueira Campos, Emiliana Margotti, Angélica Pott De Medeiros
RAHIS- Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, Volume 17, pp 45-63; doi:10.21450/rahis.v17i3.6529

The publisher has not yet granted permission to display this abstract.
Caissa Veloso E Sousa, Igor Leon Francelino De Oliveira, Jefferson Rodrigues Pereira
RAHIS- Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, Volume 14; doi:10.21450/rahis.v14i2.3889

The publisher has not yet granted permission to display this abstract.
Flávio Diniz Capanema, Ane Graziela Ferreira Andrade, Bruna Jacomini Martins, Paola Souza Dos Santos
RAHIS- Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, Volume 14; doi:10.21450/rahis.v14i2.4421

The publisher has not yet granted permission to display this abstract.
Priscila Lima Silva, Selma Rodrigues De Castilho, Carla Valéria Vieira Guilarducci Ferraz
RAHIS- Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, Volume 14; doi:10.21450/rahis.v14i2.4088

The publisher has not yet granted permission to display this abstract.
Júlia Alcântara Rocha, Juliana Carvalho Sousa, Carlos Dias Chaym
RAHIS- Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, Volume 14; doi:10.21450/rahis.v14i2.4248

The publisher has not yet granted permission to display this abstract.
Alexandre Morais Nunes
RAHIS- Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, Volume 14; doi:10.21450/rahis.v14i2.4154

The publisher has not yet granted permission to display this abstract.
Leila Ribeiro De Oliveira, Ronaldo Darwich Camilo, Jersone Tasso Moreira Silva, Plinio Rafael Reis Monteiro
RAHIS- Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, Volume 14; doi:10.21450/rahis.v14i2.4207

The publisher has not yet granted permission to display this abstract.
Claudia Conceição Pinto, Emilaura Alves Alves
RAHIS- Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, Volume 14; doi:10.21450/rahis.v14i2.3844

The publisher has not yet granted permission to display this abstract.
Luiz Claudio Louzada, Flávio Boldrini Mulinari, Paulo Victor Gomes Novaes
RAHIS- Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, Volume 14; doi:10.21450/rahis.v14i2.4677

The publisher has not yet granted permission to display this abstract.
Ian Éckeli, Danilo Hisano Barbosa, Juliana Sayuri Kurumoto Barbosa
RAHIS- Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, Volume 17, pp 58-84; doi:10.21450/rahis.v17i2.6096

The publisher has not yet granted permission to display this abstract.
Djalma Guimaraes, Lívia Maria Miranda Gonçalves, Maria Cristina Sette De Lima
RAHIS- Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, Volume 17, pp 85-94; doi:10.21450/rahis.v17i2.6169

The publisher has not yet granted permission to display this abstract.
Tiago Aroeira, Bruno Vilela, Rui Fernando Ferreira
RAHIS- Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, Volume 17, pp 95-114; doi:10.21450/rahis.v17i2.6427

The publisher has not yet granted permission to display this abstract.
Dartagnan Ferreira De Macêdo
RAHIS- Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, Volume 17, pp 13-21; doi:10.21450/rahis.v17i2.6202

The publisher has not yet granted permission to display this abstract.
Januário José Monteiro, Michele Colle Rosso Mariot, Cleyton De Oliveira Ritta
RAHIS- Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, Volume 17, pp 22-37; doi:10.21450/rahis.v17i2.6108

The publisher has not yet granted permission to display this abstract.
RAHIS- Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, Volume 17, pp 115-124; doi:10.21450/rahis.v17i2.6216

The publisher has not yet granted permission to display this abstract.
Sandro Luis Freire De Castro Silva, Rodrigo Pereira Dos Santos, Marcelo Fornazin, Antônio Augusto Gonçalves
RAHIS- Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, Volume 17, pp 1-12; doi:10.21450/rahis.v17i2.6241

The publisher has not yet granted permission to display this abstract.
Edmar Oliveira Guedes Júnior, Francisco Alberto De Oliveira Júnior, Érico Veras Marques, Jocildo Figueiredo Correia Neto
RAHIS- Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, Volume 17, pp 38-57; doi:10.21450/rahis.v17i2.6266

The publisher has not yet granted permission to display this abstract.
Jose Edson De Lara , Bruno Pelizzaro Dias Afonso , Paulo Emílio Silva Vaz, Tarcísio Afonso
RAHIS- Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, Volume 17, pp 21-33; doi:10.21450/rahis.v17i1.6180

Abstract:
Rationale: The theme of health today has been the most worrying in the world and in Brazil. Its context and management have generated academic, political and administrative discussions around the world. The main problem about health services offered in small towns is related to a deficient view and poor management conditions of public administrators about the agents that could contribute to community health care. Objective: This study was aimed at contributing to analyze the deficiencies and propose solutions for health services in the municipality, applying the theoretical model of the Supply Chain. Method: In this study, a new model for supply chain management was developed and proposed, based on contributions from the literature, seeking to offer improvements for the management of the municipality's health system. Result: This health supply chain model is much more complex, involves many community organizations, but is also better able to provide effective health services at low cost. Contributions: presentation of a new model capable of generating insights for new research and for executive applications.
RAHIS- Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, Volume 17, pp 52-65; doi:10.21450/rahis.v17i1.6132

Abstract:
Objetivo: Este estudo tem como objetivo comparar os custos do setor de nutrição e dietética de um hospital público e de um privado e analisar a viabilidade de oferecer ou terceirizar o serviço. Método: Para o cálculo do custo das refeições (café da manhã, almoço, café da tarde e jantar) foi utilizado o método do custeio por absorção, que considera os custos diretos (mão de obra das cozinheiras, auxiliares de cozinha e copeiras); e os custos indiretos de produção (serviços de manutenção, água, energia elétrica, telefone, depreciação dos equipamentos, e gás). Fundamentação teórica: Foi abordada a gestão de custos em hospitais, ressaltando a importância da apuração e o controle de custos para tomada de decisão, bem como a terceirização de custos em hospitais. Resultados: Os resultados evidenciam que o valor obtido para café da manhã e da tarde, tanto para o hospital público quanto para o privado, respectivamente, foram de R$2,99 e R$15,59. Para almoço e jantar, com carne bovina, foram de R$15,69 e R$21,72; com carne de frango R$13,89 e R$21,32; e dieta leve R$10,45 e R$19,55. Conclusões/contribuições: Desse modo, observa-se que o hospital privado tem maior custo em relação ao público, devido, principalmente, à diferença dos itens dos cardápios. Foram comparados os valores encontrados com o de empresas terceirizadas constatando-se a inviabilidade tanto para o hospital público quanto para o privado terceirizar o serviço.
Leonardo Maso Nassar , Raulo Allano Krubniki Ferraz, Geciane Silveira Porto
RAHIS- Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, Volume 17, pp 111-121; doi:10.21450/rahis.v17i1.6047

Abstract:
Objetivo: descrever o processo de obtenção de investimento anjo por uma startup do segmento da saúde por meio de um relato de experiência, de forma a discutir os avanços e retrocessos ao longo de todo o processo. Metodologia: foi realizado de relato de experiência da vivência dos autores como diretores de uma startup durante o período de obtenção de investimentos anjo. Fundamentação teórica: investidores anjo são indivíduos de alto patrimônio líquido que investem seu próprio dinheiro, tempo e experiência diretamente em empreendimentos jovens, na esperança de obter ganhos financeiros. Após a família e os amigos, o investimento de anjo é a maior fonte de financiamento de capital externo na fase de inicialização e crescimento inicial das startups. Conclusão: a organização estudada buscou escolher perfis de investidores que fossem compatíveis com as necessidades momentâneas da organização. Em todos os investimentos, o fundador buscou obter capital inteligente para o negócio e aumentar a credibilidade da empresa para financiamentos futuros.
Marcio Pedroso Juliani, Priscila Sardi Cerutti , Cintia Sonale Rebonatto, José Carlos Zanelli
RAHIS- Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, Volume 17, pp 1-20; doi:10.21450/rahis.v17i1.6198

The publisher has not yet granted permission to display this abstract.
RAHIS- Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, Volume 17, pp 81-96; doi:10.21450/rahis.v17i1.6214

Abstract:
A atenção básica de saúde e a estratégia de saúde da família ganharam força a partir da criação do Sistema Único de Saúde – SUS e foram ampliadas paulatinamente através da adesão dos municípios. São políticas que se propõem a garantir uma maior proximidade com as populações envolvidas, acolhendo suas necessidades e definindo estratégias com bases epidemiológicas. O presente artigo busca analisar a correlação existente entre cobertura da atenção básica e taxa de imunização no âmbito das capitais dos Estados da região nordeste do Brasil. Para isso, foi realizado um estudo descritivo, exploratório e documental, através da utilização de dados disponíveis nos sistemas de informação do ministério da saúde, DATASUS e o e-Gestor AB dos quais foram coletados as variáveis relativa à cobertura da tenção básica, a cobertura da estratégia da saúde da família, a taxa de imunização e de abandono vacinal do período de 2016 a 2019. Com isso, verificou-se que nas cidades avaliadas existe uma baixa correlação entre a cobertura da atenção básica e a taxa de imunização. No entanto, nos munícios onde a atenção básica esteve mais presente a taxa de abandono do programa vacinal foi menor. Isso mostra uma correlação negativa entre as duas variáveis e vem reforçar a importância da busca pelos municípios por uma cobertura total do programa aos usuários, facilitando o acesso aos serviços e, principalmente com equipes de estratégia de saúde da família, por buscar ativamente as pessoas que iniciaram a programação vacinal com vistas a cumprir o protocolo de imunização.
Solange Riveli De Oliveira, Alcielis Neto, Carlos Alberto Gonçalves
RAHIS- Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, Volume 17, pp 66-80; doi:10.21450/rahis.v16i2.5805

Abstract:
A presente pesquisa foi desenvolvida com 47 consumidores de farmácia e 5 gerentes de estabelecimentos farmacêuticos. O objetivo foi evidenciar os fatores influenciadores do comportamento do consumidor de produtos farmacêuticos. As entrevistas foram realizadas com consumidores e gerentes de farmácias. Todo o conteúdo foi transcrito e analisado por meio da análise de conteúdo. optou-se pela categorização e chegou-se a 8 categorias de análise (atendimento ao cliente, ausência de atenção farmacêutica, desconhecimento de produtos manipulados, preço e condição de pagamento, indicação médica, ponto de venda, conforto, variedade de produtos). Os resultados evidenciam que preço e atendimento funcionam como atrativo e diferenciação, e que o preço exerce maior influencia na decisão do consumidor. Outros fatores como indicação médica, ponto de venda, variedade de produtos também exercem forte influência no momento da decisão de compra. Por fim, chegou-se a duas categorias finais que são os dois fatores que influenciam a decisão de compra do consumidor: Fatores de Relacionamento com o Cliente e fatores tangíveis.
Rafaela Torres Dantas Da Silva, Fernanda Julyanna Silva Dos Santos, Manacés Santos Bezerril , Pétala Tuani Cândido De Oliveira Salvador
RAHIS- Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, Volume 17, pp 97-110; doi:10.21450/rahis.v17i1.6165

The publisher has not yet granted permission to display this abstract.
Allan Márcio Oliveira Diniz, Janaína Maria Bueno
RAHIS- Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, Volume 17, pp 34-51; doi:10.21450/rahis.v16i4.5949

Abstract:
O objetivo desta pesquisa foi avaliar os diferentes modelos de contratação do serviço de lavanderia hospitalar do HC da Universidade Federal de Uberlândia quanto ao controle dos custos e melhoria no atendimento dos pacientes e profissionais do hospital e à disponibilidade de enxoval hospitalar em condições adequadas de uso. Com abordagem qualitativa e uso de estudo de caso único, a coleta de dados foi feita por meio de pesquisa documental em contratos, memorandos, ofícios e termos de referência. No período de 2010 a 2018, houve três diferentes modalidades de contrato do serviço de processamento de roupas com melhorias e ajustes, em um processo constante de aprendizagem de seus gestores. Como contribuição, foi sugerido um novo modelo como forma de superar os entraves e problemas dos três contratos anteriores e melhoria da prestação do serviço, com possibilidade de redução de custos, facilidade de gestão e adequação da forma de terceirização.
João Batista Auad, Rafael Oliveira De Ávila
RAHIS- Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, Volume 16, pp 1-20; doi:10.21450/rahis.v17i1.6147

The publisher has not yet granted permission to display this abstract.
RAHIS- Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, Volume 16, pp 81-97; doi:10.21450/rahis.v16i4.6070

Abstract:
Os hospitais são grandes organizações de serviços responsáveis pelo bem estar da população e também por boa parte dos recursos financeiros destinados a saúde, de forma a desempenhar um importante papel na sociedade. Diante deste cenário, os hospitais tem demandado um aumento no uso de ferramentas de gestão e melhoria de seus processos de negócio, tendo como principal direcionador o Lean Healthcare. Desse modo, como forma de contribuir no aprimoramento das aplicações do Lean Healthcare em hospitais, apresenta-se o objetivo deste trabalho que constituiu na introdução de um modelo conceitual, o qual apresenta um novo conceito concernente ao processo de padronização do trabalho, denominado de Padronização Discricionária do Trabalho. Esse modelo consiste em inovar a forma como a padronização do trabalho tem sido aplicada em ambientes hospitalares. O modelo foi desenvolvido por meio de uma pesquisa teórica-conceitual, o que permitiu estabelecer e descrever três níveis de análise, as quais devem direcionar o processo de padronização e os diferentes níveis de customização o qual o processo está suscetível. As diferentes visões sobre a utilização da padronização do trabalho na manufatura e nos hospitais foram tratadas dando origem a 10 enfoques a serem observados. Desse modo, a contribuição da padronização discricionária do trabalho em processos hospitalares proposta neste estudo tem por missão dar destaque na padronização dos processos de trabalho existentes nos hospitais, afastando-se de uma visão restrita em determinar qual deve ser o trabalho prescrito, uma vez que este último deve estar sob a competência do corpo clínico. Um modelo conceitual foi desenvolvido, o qual permite identificar as particularidades de cada setor do hospital e adequar à padronização de acordo com seu respectivo setor ou departamento.
César Neves, Valéria Sousa, Lílian Nascimento
RAHIS- Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, Volume 16, pp 46-62; doi:10.21450/rahis.v16i4.6028

The publisher has not yet granted permission to display this abstract.
RAHIS- Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, Volume 16, pp 33-45; doi:10.21450/rahis.v16i4.6111

Abstract:
The study aims to verify the relationship between financial performance and the attributes of the superintendents of teaching hospitals linked to EBSERH. The research sample involved 48 superintendents who worked in one of the 26 teaching hospitals whose data were available for the period from 2017 to 2019. Through panel data analysis, medium complexity contracting performance (desempenho de contratualização de média complexidade, in brazilian portuguese) was considered as a dependent variable and the independent variables are gender, level of formal education and professional experience (both tenure and in the sector). The control variables are the budget, number of employees and number of beds available in the hospital. The results pointed out that the male gender and the level of formal education are related to improved financial performance. The tenure is negatively related. It therefore concludes that these attributes are related significantly to the results of the financial performance of hospitals, pointing out that the ideal superintendent would be a man, PhD and with a shorter tenure, which would imply a manager prone to take more risks and test new strategies, with greater technical knowledge about the area and with an urge to show competence and impose changes. Keywords: Financial Performance. Attributes. Superintendents.
RAHIS- Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, Volume 16, pp 98-109; doi:10.21450/rahis.v16i4.6074

Abstract:
Este estudo teve como objetivo apresentar o panorama da inovação nas indústrias do setor farmacêutico. Esta pesquisa descritiva utilizou as edições de 2000, 2003, 2005, 2008, 2011 e 2014 da Pesquisa de Inovação (PINTEC). Foram investigados, do setor de Indústria de Transformação e do setor Farmacêutico, os seguintes itens: Média Receita Líquida de Vendas, Média dos Gastos em atividades inovativas e de seus 8 tipos de Gastos, e o grau de importância (alto e médio) captados pelas 13 variáveis de impacto nas atividades inovativas. Os principais resultados apontam a evolução da inovação nas indústrias do setor farmacêutico no decorrer dos anos a partir dos crescentes investimentos destinados a várias áreas, como a aquisição de outros conhecimentos externos; aquisição de máquinas e equipamentos; introdução das inovações tecnológicas no mercado e projeto industrial e outras preparações técnicas. E ainda, os resultados apresentaram o aumento da média da Receita Liquida de Vendas no setor em estudo e a diferença dessa média em relação à média da Receita Liquida de Vendas das indústrias de transformação, a qual se mostrou em todo tempo superior.
RAHIS- Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, Volume 16, pp 63-80; doi:10.21450/rahis.v16i4.5917

Abstract:
O estudo tem o objetivo de analisar o efeito da responsabilidade social corporativa e da governança corporativa no desempenho empresarial no setor de saúde. Para tanto, por meio de regressão quantílica com dados em painel, são analisadas 453 empresas de capital aberto (1.825 observações) do setor de saúde, de 31 países, que possuem dados nas bases Thomson Reuters Eikon e World Bank, referentes ao período 2010-2018. Os resultados demonstram que a responsabilidade social corporativa e a governança corporativa são positivamente correlacionadas, e que essa relação afeta positivamente o desempenho empresarial de mercado, mensurado pelo Q de Tobin, e negativamente o desempenho empresarial operacional, medido pelo Return On Assets. Desse modo, verifica-se que as práticas ambientais, sociais e de governança corporativa são relevantes para a legitimação das empresas do setor de saúde apenas na perspectiva da criação de valor. Portanto, considerando-se a alta relevância social e econômica do segmento, tem-se que, para se perpetuar no mercado, a empresa do setor de saúde deve buscar melhorias ou implementar práticas de responsabilidade social corporativa e de governança corporativa.
Anna Sophia Candiotto Pereira, Antônio Luiz Marques
RAHIS- Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, Volume 16, pp 110-130; doi:10.21450/rahis.v16i4.5921

Abstract:
O objetivo deste estudo é analisar as contribuições do processo de recrutamento e seleção para a retenção de profissionais de saúde que ingressaram no Programa de Residência Multiprofissional (PRM) de um hospital-escola da cidade de Belo Horizonte/MG. Metodologicamente, trata-se de uma pesquisa descritiva de abordagem qualitativa. Os dados foram coletados por meio da realização de entrevistas semiestruturadas e analisadas por meio da Análise de Conteúdo Temática. Dentre os principais resultados observa-se que a Instituição Hospitalar objeto deste estudo optou por adotar apenas a prova objetiva e a de títulos, isso porque a prática é onerosa e a psicológica é deveras subjetiva, podendo ser questionada pelos candidatos por meio de recursos, podendo inclusive suspender ou atrasar o processo de seleção. Nesse sentido merece especial atenção o fato de que os principais motivadores do turnover observado estão relacionados à ausência de avaliação prévia do candidato não o preparando para o ambiente que enfrentará ao longo de sua prática laboral, sendo os motivos apresentados para a evasão mensurada se devem ao fato desses residentes não se adaptarem ao ambiente de sofrimento hospitalar.
RAHIS- Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, Volume 16, pp 21-32; doi:10.21450/rahis.v16i4.6089

Abstract:
O presente estudo objetivou analisar o endividamento dos hospitais que prestam serviços de saúde de alta complexidade ao Sistema Único de Saúde (SUS), com destaque para a natureza dessas organizações: públicos, universitários e filantrópicos. Baseado em Avelar et al. (2015) e La Forgia e Couttolenc (2009), formularam-se seis modelos econométricos, tendo como variável dependente o endividamento hospitalar e como variáveis independentes indicadores financeiros e operacionais e variáveis categóricas. Os dados secundários coletados referem-se aos anos de 2015, 2016 e 2017 para amostras de 45, 54 e 49 hospitais, por ano, prestadores de serviços ao SUS. Com base nos determinantes identificados nesse estudo, o endividamento dos hospitais públicos pode estar relacionado aos maiores índices de horas trabalhadas por leito (FTELO), em média, e a maiores taxas de ocupação (TO), em média. Já os universitários tiveram menores níveis de endividamento, uma vez que apresentaram, em média, maior risco (R) e rentabilidade (ROA).
RAHIS- Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, Volume 16, pp 15-27; doi:10.21450/rahis.v16i3.5993

Abstract:
Este estudo versa sobre a segurança do paciente e os riscos da sobrecarga de trabalho associados à assistência em saúde com o objetivo de identificar os riscos que a sobrecarga de trabalho na enfermagem pode gerar para a segurança do paciente na visão dos enfermeiros. A pesquisa desenvolveu-se por meio de abordagem qualitativa, etapa de revisão integrativa da literatura e pesquisa de campo com a aplicação de questionário. Os resultados demonstraram que a maioria dos problemas ocasionados pela sobrecarga de trabalho são os erros de medicação e a queda dos pacientes e que nesses casos é fundamental que existam notificações e que para resolver os problemas de sobrecarga deveria haver adequação do quadro de funcionários, reconhecimento profissional e valorização econômica na profissão.
RAHIS- Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, Volume 16, pp 1-14; doi:10.21450/rahis.v16i3.6026

Abstract:
O estudo tem por objetivo descrever e avaliar o aprimoramento de metodologia de gestão por resultados no Hospital das Clínicas (HC) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) apresentando os primeiros resultados, análises e o monitoramento de indicadores como medida de qualidade e de melhoria. Trata-se de relato de experiência com descrição e avaliação dos dados referentes aos indicadores monitorados durante os anos de 2016 e 2017 com base na metodologia de Gestão por Resultados adotada no hospital em 2013. Para tal, foi realizada consultas em documentos do sistema interno da instituição, intranet, sites e Geplanes, além do acompanhamento nas etapas do monitoramento de indicadores junto às unidades do hospital. Como resultado, o hospital obteve uma melhoria nos índices de desempenho de indicadores de 59,04 em 2016 para 75,05 em 2017. O estudo identificou que, a prática de monitoramento promove a consolidação e maturidade da gestão por resultados.
RAHIS- Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, Volume 16, pp 67-84; doi:10.21450/rahis.v16i3.6212

Abstract:
Fundamento do estudo: O tema da preferência de compras tem demonstrado grande importância, tanto na literatura acadêmica, quanto na executiva. Objetivo: Analisar os atributos para a preferência de compras em drogarias, na perspectiva de clientes e profissionais da área. Metodologia: Realizou-se pesquisa descritiva na Região Metropolitana de Belo Horizonte, em 2019. Na qualitativa foram entrevistadas 16 profissionais e na quantitativa fez-se um levantamento com 468 compradores. Resultados: Os resultados identificaram a hierarquia de importância dos atributos, sendo o principal, o Preço. Mostraram ainda como as variáveis: gênero, idade, renda, ocupação e residência em zona urbana ou rural influenciam os clientes. As mulheres relevaram o Atendimento, Televendas e Entrega domiciliar, Variedade de Produtos de higiene e beleza e Proximidade de casa. Os participantes de baixa renda avaliaram quase todos os atributos como abaixo da média, inclusive Preço e Atendimento. Consideraram importantes os atributos Formas de pagamento, Televendas e Entrega em domicílio. Os respondentes com alta renda valorizam mais os atributos de conveniência. Contribuições teóricas/metodológicas: O artigo revisita e contrasta teorias clássicas de atitude e preferências dos consumidores no varejo farmacêutico. Contribuições organizacionais: Conteúdos relevantes para a tomada de decisões.
RAHIS- Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, Volume 16, pp 85-98; doi:10.21450/rahis.v16i3.5819

The publisher has not yet granted permission to display this abstract.
RAHIS- Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, Volume 16, pp 47-66; doi:10.21450/rahis.v16i3.5847

Abstract:
Este artigo apresenta o desenvolvimento e validação de escala e modelo explicativo, por meio de modelagem em equações estruturais, para avaliar o ATENDIMENTO a pacientes de um plano de saúde em suas próprias instalações. Foi um estudo de caso único e holístico, quantitativo, com dados obtidos junto aos pacientes atendidos em um período de 90 dias nas clínicas médicas, hospital, maternidade, pronto-socorro ou laboratório de exames clínicos. Ocorreu de modo transversal, sendo os dados coletados uma vez ao ano entre 2015 e 2018. Os levantamentos foram por meio de survey, com rigorosos critérios para qualificação dos dados, escala e índices de mensuração e ajuste do modelo. A amostra foi dividida em duas subamostras, sendo uma para a fase exploratória e a outra para a etapa confirmatória. O modelo estrutural, resultante destes dois procedimentos, culminou com três construtos, que pela natureza de seus componentes foram nomeados como CHEGADA, ACOLHIDA e ATENDIMENTO. Os índices, apurados por meio de modelagem em equações estruturais, mostraram bom ajuste e forte correlação entre os construtos. O GFI no modelo estrutural foi 0,946 e outros testes, como o AIC, indicaram melhores índices no modelo estrutural do que no de mensuração. As conclusões permitiram vislumbrar, de modo prático, que quanto mais favorável for a impressão do paciente em sua CHEGADA, mais propenso ele estará para bem avaliar o ACOLHIMENTO. Confirmando-se a boa avaliação do acolhimento, aumentam as possibilidades de o ATENDIMENTO vir a ser bem avaliado.
RAHIS- Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, Volume 16, pp 28-46; doi:10.21450/rahis.v16i3.5860

Abstract:
O objetivo da pesquisa foi investigar em que medida a implantação de processos de acreditação é capaz de promover a melhoria do desempenho em organizações hospitalares. Para tanto, foi realizado um estudo de caso em um hospital de grande porte sediado no Brasil, o qual iniciou o processo de certificação em 2015. Como resultado foi observado a melhoria nos indicadores financeiros, das perspectivas aprendizado, de crescimento e de clientes. Contudo, na perspectiva de processos internos, não se conseguiu observar êxito em todos os indicadores após a acreditação. Ainda assim, considera-se que a implementação da acreditação resultou em melhorias no desempenho, pois, impactou positivamente cinco de sete indicadores avaliados, demonstrando, a importância da acreditação hospitalar no desempenho das organizações.
Bruna Boroni De Paiva, Isabella Virgínia Freire Biondini
RAHIS- Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, Volume 16, pp 111-128; doi:10.21450/rahis.v16i4.6053

The publisher has not yet granted permission to display this abstract.
Vânia Montibeler Krause , Luciano Castro De Carvalho, Jarbas Galvao
RAHIS- Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, Volume 16, pp 99-110; doi:10.21450/rahis.v16i4.5915

Abstract:
Este artigo tem por objetivo verificar quais os determinantes do uso da inovação tecnológica em ambientes hospitalares. Para isto, foi realizada uma pesquisa descritiva com método quantitativo. O instrumento de coleta de dados consiste de 43 questões agrupadas nos seguintes fatores: compatibilidade, demonstração de resultado, experimentação, facilidade de uso, imagem, vantagem relativa, visibilidade, uso voluntário e resultado de uso, com afirmativas com opção de resposta do tipo Likert de 5 pontos. Os dados foram coletados com profissionais da saúde usuários de prontuário eletrônico. Foram obtidos 132 questionários válidos. Para análise utilizou-se a técnica estatística de regressão linear múltipla. Os principais resultados apontam que a compatibilidade da tecnologia com conhecimentos prévios do usuário, a possibilidade de experimentar a tecnologia antes do uso efetivo e a visibilidade são determinantes ou motivadores de uso do prontuário eletrônico. Os resultados sugerem uma reflexão sobre investimentos em formação e capacitação de usuários como forma de minimizar as resistências geradas a partir da introdução de novas tecnologias.
Page of 6
Articles per Page
by
Show export options
  Select all
Back to Top Top