Biofix Scientific Journal

Journal Information
EISSN: 25259725
Total articles ≅ 184

Latest articles in this journal

Thiago Costa Ferreira, Aldrin Martin Perez-Marin
Published: 5 July 2022
Biofix Scientific Journal, Volume 7, pp 125-132; https://doi.org/10.5380/biofix.v7i2.84091

Abstract:
The Brazilian Dry Seasonal Forest (Caatinga Biome) is poorly studied about possible interactions between seeds, seedlings, and Trichoderma harzianum strains to promote vegetal vigor in seedlings. So, this research aims to study the T. harzianum strain promotion of vigor in different species from Caatinga Biome in nursery. For assays, we used: Aspidosperma pyrifolium, Cnidoscolus quercifolius, Handroanthus impetiginosus, Pseudobombax marginatum, and Tabebuia aurea species and the T. harzianum IBLF 006 based-product-inoculant. We tested these assays in nursery conditions. T. harzianum solution (0.5% v/V) was used in the nursery assay (applied over soil after the sowing). For this research, we evaluated variables of vigor and germination and there was a control treatment (non-inoculated). About nursery assay results, there was a positive interaction for all species between seeds and seedlings and T. harzianum, except for T. aurea and C. quercifolius. For all species tested in this research, we suggest that other seed or soil treatments can be tested in environmental Caatinga Biome conditions to expand this knowledge about the interaction between Trichoderma harzianum and seedlings and seeds from Caatinga biome.
Pablo Gomes Passaglia, Suani Teixeira Coelho, Mônica Joelma Do Nascimento Anater
Published: 5 July 2022
Biofix Scientific Journal, Volume 7, pp 160-166; https://doi.org/10.5380/biofix.v7i2.86113

Abstract:
Atualmente, 2,01 bilhões de toneladas de Resíduos Sólidos Urbanos (RSU) são geradas anualmente no mundo, e dentre eles estão os Resíduos de Poda Urbana (RPU), que possuem alto potencial de aproveitamento. A Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), determina que a destinação final ambientalmente adequada de resíduos inclui, dentre outros, o aproveitamento energético do material. Este trabalho tem por objetivo analisar alternativas para o aproveitamento energético dos resíduos de biomassa vegetal gerados no Campus Universitário da Universidade de Uberaba, Minas Gerais. Após o levantamento dos procedimentos de manejo, destinação atual e quantificação dos resíduos oriundos de podas, roçagem e limpeza das áreas vegetadas, foi avaliado, com o auxílio de material bibliográfico, o potencial energético passível de aproveitamento. Considerando os processos de densificação, biodigestão, gaseificação e pirólise, a economia avaliada com a energia elétrica gerada, por estas rotas de conversão, são avaliadas em no máximo 2,1%, 1,1%, 3,8% e 3,2% respectivamente. Conclui-se que apesar do volume significativo de resíduos gerados, o investimento necessário para implantação de sistemas de conversão da biomassa em energia elétrica, não se viabilizam. No entanto a conversão destes resíduos através da rota de densificação, em especial na forma de pellets demonstrou-se uma alternativa a ser considerada, sobretudo por ser uma forma sustentável de armazenamento de energia.
Carolline Lopes dos Santos, Clívia Suelem Feitosa de Araújo, Jainara Santos Jansen, Willian Santos Paiva, Thiago De Paula Protásio, Selma Lopes Goulart
Published: 5 July 2022
Biofix Scientific Journal, Volume 7, pp 143-149; https://doi.org/10.5380/biofix.v7i2.84430

Abstract:
Dentre as etapas envolvidas no processo de beneficiamento da madeira, a secagem pode ser destacada como de suma relevância. O objetivo deste trabalho foi avaliar a secagem ao ar livre de tábuas de castanheira (Bertholletia excelsa) e analisar os defeitos resultantes desse procedimento. Foram construídas duas pilhas de secagem; uma com tábuas de espessura de 25 mm (pilha 1) e outra com espessura de 30 mm (pilha 2). As peças de madeira foram avaliadas ao longo de 100 dias. As amostras controladoras de umidade foram pesadas diariamente. A perda de água constatada para a espécie em questão, foi lenta, com taxa de secagem concentrada em 0,01% por dia. Quanto aos defeitos, 97,22% das tábuas da pilha I apresentaram encurvamento, enquanto na pilha II, foram 91,11% delas. O percentual de encanoamento e arqueamento foram baixos na pilha I, mas se sobressaíram na pilha II, sendo de 22,22% e 15,56%, respectivamente. Mesmo com perdas de umidade significativas nos primeiros 35 dias, a secagem não foi completamente eficiente, possivelmente pela intensidade pluviométrica durante o estudo, a qual acarretou ganho de umidade pelas peças de madeira.
Thiago Costa Ferreira, Manoel Rivelino Gomes de Oliveira, Aldrin Martin Perez-Marin
Published: 5 July 2022
Biofix Scientific Journal, Volume 7, pp 116-124; https://doi.org/10.5380/biofix.v7i2.84057

Abstract:
The overcoming dormancy of Fabaceae seeds from the Brazilian Dry Seasonal Forest were realized with non-sustainable technologies (acid or physical treatments). Ultrasound waves can be a sustainable alternative and innovation to these technologies cited. Then, this research aims at the evaluation of ultrasound waves overcoming dormancy in seeds from Brazilian Dry Seasonal Forest. For this purpose, the following species were tested: Mimosa tenuiflora, Pityrocarpa moniliformis, Sesbania virgata, and Vachellia farnesiana. The seeds were previously immersed in distilled water for 24 hours before treatment, then divided into five treatments and submitted to 0, 90, 180, 270, or 360 seconds [25.0 ± 2.0ºC and 42 kHz frequency] and sown in the nursery. Variables of emergence and vigor in seeds and seedlings and descriptive statistics, ANOVA, and Pearson correlation were analyzed to analyze the data obtained. The use of ultrasound (frequency of 42 kHz) in different periods of exposition (0, 90, 180, 270, or 360 s) did not promote uniformity of emergence and vigor in seeds and seedlings of M. tenuiflora, P. moniliformis, S. virgata, and V. farnesiana. Other protocols based on this research can be carried out to improve the forest management of species.
Clívia Suelem Feitosa de Araújo, Gilliane Sara Da Silva Moraes, Juliana Ramos de Souza Diniz, Thiago De Paula Protásio, Selma Lopes Goulart
Published: 5 July 2022
Biofix Scientific Journal, Volume 7, pp 150-159; https://doi.org/10.5380/biofix.v7i2.85707

Abstract:
As espécies arbóreas da floresta tropical amazônica são ainda pouco conhecidas devido à ausência de estudos, o que dificulta a aplicação em determinadas condições de uso. Neste contexto, o presente trabalho teve como objetivo determinar as propriedades tecnológicas das madeiras de espécies florestais amazônicas. Foram analisadas 17 espécies, determinando as propriedades físicas e os parâmetros colorimétricos da madeira (L*, a*, b*, C* e h*). Os valores de densidade básica apresentaram variações significativas, variando de 0,29 g.cm-3 a 0,79 g.cm-3. Para o coeficiente anisotrópico, apenas 11,76% das espécies foram classificadas como excelentes. Foram observadas diferenças significativas para a maioria das espécies, indicando efeito de lenho para a contração tangencial total, contração radial total e contração tangencial parcial. Foi possível observar que não há efeito de interação do lenho para os valores de densidade e coeficiente anisotrópico. As análises estatísticas mostraram diferenças significativas para os parâmetros colorimétricas (L*, a*, b*, C* e h*) da madeira, evidenciando sua eficiência no agrupamento das 17 espécies florestais. A coordenada b* é a principal responsável pelas variações de cores entre as espécies. A distinção de cores entre espécies analisadas permitiu a organização em seis grupos de cores. As análises de correlação entre a cor, densidade aparente e densidade básica demonstraram que as madeiras mais densas são mais escuras e apresentam mais pigmento vermelho (a*). As análises estatísticas indicaram que as características avaliadas são eficientes para o agrupamento e identificação do potencial de uso das madeiras. A colorimetria pode ser uma importante análise para auxiliar no controle da qualidade da madeira.
Amanda Pereira Santos, Henrique Soares Koehler, Carlos Roberto Sanquetta, Sylvio Péllico Netto, Abel Soares Siqueira, Alexandre Behling
Published: 5 July 2022
Biofix Scientific Journal, Volume 7, pp 104-115; https://doi.org/10.5380/biofix.v7i2.83574

Abstract:
Os dados obtidos com a cubagem de diversas árvores é o método mais utilizado para estimar o volume em novos povoamentos usando-se da regressão dos mínimos quadrados (método tradicional). A cubagem é uma prática onerosa, portanto, faz-se necessária a utilização de técnicas alternativas com o intuito de obter estimativas comparáveis com aquelas que utilizam diversas árvores para a estimativa de volume (método tradicional), para reduzir a amostragem de árvores. A calibração da equação mista se destaca entre as alternativas. O objetivo da pesquisa foi ajustar o modelo de volume de Schumacher-Hall em dois níveis (povoamento e parcela) e calibrar esta equação utilizando a modelagem mista, comparando-a com as equações obtidas por meio do método tradicional. Os dados são provenientes de plantios de Acacia mearnsii De Wild. nos municípios de Cristal, Encruzilhada do Sul e Piratini, no estado do Rio Grande do Sul, Brasil. A calibração foi avaliada utilizando nove métodos diferentes. A base de dados é composta por 670 árvores com idades variando de 1 a 10,75 anos. As variáveis mensuradas foram diâmetro à altura do peito, altura total e volume do fuste. As estatísticas utilizadas para a avaliação foram o coeficiente de determinação, erro padrão da estimativa, análise de resíduos e análise gráfica da relação entre o volume observado e estimado. A calibração das equações mistas com apenas três árvores, possibilitou a obtenção de estimativas próximas as do método tradicional, entretanto, com uma redução considerável do número de árvores amostradas para a efetuação da cubagem. A inclusão do nível parcela na modelagem mista, não revelou ganhos consideráveis na acurácia, apenas o nível povoamento apresentou resultados satisfatórios para o presente estudo.
Alice Nayara Caldeira Corrêa, Filipe Campos de Freitas
Published: 5 July 2022
Biofix Scientific Journal, Volume 7, pp 133-142; https://doi.org/10.5380/biofix.v7i2.84243

Abstract:
Para impulsionar a produção madeireira no interior do Amazonas por pequenos produtores são indispensáveis os diagnósticos quali-quantitativos das formações vegetacionais, do conhecimento da composição florística e do potencial das espécies de interesse comercial, que são objeto dos Planos de Manejo Florestal Sustentável em Pequena Escala (PMFSPE). O estudo realizou a caracterização fitossociológica, análise da diversidade e similaridade de espécies comerciais em PMFSPE das Reservas de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Rio Negro e do Rio Amapá. Foram estimados os descritores da estrutura horizontal (densidade, frequência e dominância e valor de importância), a diversidade da vegetação foi avaliada pelo índice de Shannon-Weaver, a uniformidade pelo índice de Pielou e a similaridade entre as espécies pelo índice de Jaccard. Foram amostrados ao todo 1.907 indivíduos, de 96 espécies comerciais amazônicas, distribuídas em 25 famílias botânicas, sendo as principais: Fabaceae (22,86%), Lauraceae (11,54%), Bombacaceae (10,54%), Moraceae (9,44%) e Lecythidaceae (7,81%). As espécies de maior valor de importância foram Polygonanthus amazonicus na RDS Rio Negro e Eperua oleifera na RDS Rio Amapá. Os valores para o índice de Shannon indicam diversidade alta para as reservas do estudo, porém não diferem significativamente entre as áreas. A equabilidade de Pielou indica boa uniformidade de distribuição dos indivíduos por espécie nas RDS analisadas. Há baixa similaridade entre as espécies que ocorrem entre as duas RDS e entre as comunidades.
Carlos Roberto Sanquetta, Celine Mildemberg, Leticia Maria Sella Marques Dias
Published: 3 January 2022
Biofix Scientific Journal, Volume 7, pp 1-8; https://doi.org/10.5380/biofix.v7i1.81042

Abstract:
A certificação florestal é um importante instrumento de gestão e garantia da sustentabilidade no setor florestal. Para avaliar o estado atual da certificação é necessário se ter números atualizados e detalhados. Este estudo visou analisar os números atuais da certificação florestal no Brasil. Para a análise, foram utilizados dados disponibilizados nas plataformas da internet dos sistemas FSC® (Forest Stewardship Council) e Cerflor/PEFC® (Sistema Brasileiro de Certificação Florestal/Plan for the Endorsement of Forest Certification Schemes), considerando os sistemas e as certificadoras, os tipos de certificação, a localização e os produtos certificados. A maior área florestal certificada no Brasil atualmente é pelo sistema FSC. Há mais florestas plantadas certificadas do que nativas. Minas Gerais é o Estado com a maior área de manejo certificada, tanto pelo FSC quanto pelo Cerflor/PEFC. Imaflora e SCS são as certificadoras com mais certificados e áreas certificadas de manejo florestal. O produto predominante declarado pelas unidades de manejo florestal certificadas é a madeira em toras. Há um número muito superior de certificações CoC (cadeia de custódia) pelo FSC do que pelo CERFLOR. A maioria das certificações CoC refere-se a indústrias de produtos madeireiros, notadamente materiais de papel e de madeira serrada. As certificadoras mais atuantes em CoC são Imaflora, SCS e Control Union. Os números da certificação florestal em manejo florestal no Brasil ainda são modestos, considerando a dimensão de sua cobertura florestal. O mesmo pode ser dito em relação ao número de indústrias certificadas em cadeia de custódia. Por isso há um amplo espaço para crescimento.
Published: 3 January 2022
Biofix Scientific Journal, Volume 7, pp 74-79; https://doi.org/10.5380/biofix.v7i1.82329

Abstract:
O objetivo foi avaliar a qualidade estrutural do solo após corte florestal com harvester de pneus e escavadeira hidráulica adaptada em LATOSSOLO VERMELHO distrófico típico. O experimento foi delineado de forma inteiramente casualizada com instalação de quatro unidades amostrais com três pontos de repetição. Além disso, foram coletadas amostras de solo na trilha de tráfego dos rodados da máquina nas camadas de 0 a 0,10; 0,11 a 0,20; 0,21 a 0,30; e 0,31 a 0,40 m de profundidade para determinação dos parâmetros de densidade e porosidade total e, também, foi mensurada a resistência do solo à penetração na trilha dos rodados e entre rodados. Dessa forma, foi possível determinar que a densidade e a porosidade total média antes do tráfego das máquinas foram de 1,10 g cm-3 e 53,85%, respectivamente, ocorrendo efeitos significativos nessas variáveis após o tráfego do harvester de pneus em todas as camadas avaliadas. Quanto a resistência do solo à penetração, verificou-se que houve aumento significativo na trilha dos rodados do harvester, tanto de pneus como de escavadeira, contudo, havendo incremento de cerca de 77% na camada de 0,10 m após tráfego do harvester de pneus.
Rodrigo Otávio Schneider Souza, Laura Hoffmann de Oliveira, Luciane Gorski, Guilherme Valcorte, Roberta Rodrigues Roubuste, Clóvis Roberto Haselein
Published: 3 January 2022
Biofix Scientific Journal, Volume 7, pp 61-65; https://doi.org/10.5380/biofix.v7i1.82112

Abstract:
O uso da madeira de espécies nativas pode ser visto como alternativa de renda para produtores rurais, no entanto ainda existe uma grande lacuna a ser preenchida pelas instituições de pesquisa a respeito das características dessa a fim de embasar sua utilização. Neste sentido, o presente estudo objetivou caracterizar as propriedades físico-mecânicas da madeira de Dodonaea viscosa Jacq. Para tanto, foram utilizadas neste estudo exemplares da espécie Dodanaea viscosa, conhecida popularmente como faxina vermelha ou vassoura-vermelha, com aproximadamente quinze anos de idade. Os corpos de prova foram confeccionados seguindo as dimensões descritas nas respectivas normas de cada ensaio. Após a confecção, os mesmos foram acondicionados em câmara climatizada a uma temperatura de 20°C e 65% de umidade relativa, onde permaneceram até atingirem umidade de equilíbrio de 12%. Posteriormente, foram avaliados: massa específica aparente, flexão estática, flexão dinâmica e dureza Janka. A partir dos resultados obtidos neste estudo, pode-se perceber que a madeira de Dodonaea viscosa pode ser classificada como de alta densidade, possui bom desempenho nas propriedades mecânicas, como módulo de ruptura, módulo de elasticidade, dureza Janka e resistência ao impacto. Além disso, apresenta alto valor de cota dinâmica, caracterizando-a como uma madeira resiliente.
Back to Top Top