Journal Pesquisa Florestal Brasileira

-
470 articles
Page of 48
Articles per Page
by
Jardel Boscardin, Ervandil Correa Costa, Eloi Paulus, Dayanna do Nascimento Machado, Leandra Pedron, Pedro Giovâni da Silva
Published: 29 December 2017
Pesquisa Florestal Brasileira, Volume 37, pp 583-592; doi:10.4336/2017.pfb.37.92.1496

Abstract:O trabalho objetivou avaliar os efeitos de diferentes. preparos do solo e coveamentos na implantação de um pomar de nogueira-pecã Carya illinoinensis (Wangenh.) K. Koch (Juglandaceae), através da fauna da Ordem Coleoptera. O pomar de nogueira-pecã foi implantado em fevereiro de 2012, em espaçamento de 7 m x 7 m, em Santa Maria, RS, em delineamento de blocos ao acaso, com cinco blocos e quatro tratamentos, compostos por plantio: em cova pequena de 20 cm x 60 cm (Cp); subsolador mais grade niveladora e cova pequena (Scp); enxada rotativa e cova pequena (Ecp); e em cova grande de 40 cm x 60 cm (Cg). De março de 2014 a novembro de 2015, foram realizadas oito coletas da fauna de Coleoptera, uma por estação do ano, com quatro armadilhas pitfall distribuídas em cada tratamento e cinco em cada área do entorno, totalizando 100 amostras por coleta. O tratamento Ecp apresentou os menores valores de diversidade, riqueza e equitabilidade para a coleopterofauna, enquanto que os tratamentos Cg e Cp apresentaram os maiores índices. A espécie Diloboderus abderus (Sturm) apresentou-se como muito frequente. Conclui-se que o tratamento Cg não interfere na diversidade de coleópteros e promove o maior crescimento em diâmetro de plantas de nogueira-pecã.
Flavia Gizele König Brun, Eleandro José Brun, Solon Jonas Longhi, Maurício Romero Gorenstein, Tamara Ribeiro Botelho Carvallho Maria, Géssica Mylena Santana Rêgo, Thatiana Tominaga Higa
Published: 29 December 2017
Pesquisa Florestal Brasileira, Volume 37, pp 501-510; doi:10.4336/2017.pfb.37.92.1405

Abstract:Esse estudo teve por objetivo analisar a florística, estrutura e diversidade da vegetação arbórea e da regeneração de um fragmento florestal situado na área urbana de Dois Vizinhos-Paraná, por meio do método de censo. Foram utilizados os descritores fitossociológicos tradicionais como parâmetros de análise, dando indicações sobre o valor ecológico do fragmento. Evidenciou-se a ocorrência de 231 indivíduos em 2.500 m2 de área, distribuídos em 35 espécies de 22 famílias botânicas. As famílias com maior número de espécies foram Lauraceae e Myrtaceae, com três espécies cada, seguida por Boraginaceae, Euphorbiaceae, Fabaceae, Meliaceae, Myrsinaceae, Rosaceae e Sapindaceae, com duas espécies cada, ficando as demais famílias com uma espécie cada. Entre as oito espécies exóticas, quatro são invasoras potenciais, tais como Ligustrum lucidum (34,04%) e Dyospyrus kaki (13,59%), destacarando-se pelo alto valor de cobertura (VC) e pela dominância, com mais de 50% dos indivíduos. A maioria das espécies encontradas pertence a estágios iniciais de sucessão. Na regeneração, foram encontradas 20 espécies, com apenas três exóticas e, dentre estas, uma invasora (L. lucidum). A ocorrência de espécies exóticas invasoras em fragmentos florestais urbanos demanda a atenção dos gestores públicos quanto à necessidade de intervenções silviculturais visando a recuperação da florística e estrutura original.
Yêda Maria Boaventura Corrêa Arruda, Isolde Dorothea Kossmann Ferraz, Angela Maria da Silva Mendes
Published: 29 December 2017
Pesquisa Florestal Brasileira, Volume 37, pp 523-530; doi:10.4336/2017.pfb.37.92.1439

Abstract:Os objetivos deste estudo foram analisar as características morfológicas complexas dos frutos e diásporos de inharé, e fornecer subsídios para o reconhecimento da planta na fase inicial do desenvolvimento. As infrutescências apresentam em média, 2,2 cm x 2,9 cm x 2,6 cm, com 4-10 frutos inseridos ao perianto carnoso. Os frutos, drupas monospérmicas, apresentam um pericarpo fino-gelatinoso, que contem um pirênio globoso, levemente achatado, marrom opaco e liso medindo 0,9 cm x 0,8 cm x 0,6 cm. A semente exalbuminosa possui tegumento membranoso; o embrião é axial total e as reservas encontram-se nos cotilédones crassos e isófilos. A germinação é tipo hipógea criptocotiledonar; com a retirada do endocarpo, a protrusão da raiz primária ocorre após 10 dias da semeadura e a plântula normal aos 30 dias está completamente formada. A plântula possui os primeiros eofilos com filotaxia alterno-espriralada, forma elíptica com base atenuada, ápice agudo a acuminado e margem denteada; o epicótilo é cilíndrico, com aproximadamente 1,0 cm de comprimento, e possui catafilos; o sistema radicular é bem desenvolvido, com muitas raízes secundárias. As plantas jovens, entre 50 cm a 115 cm de altura, apresentam similaridades morfológicas com o indivíduo adulto principalmente no tocante ao caule e às folhas.
Allyson Rocha Alves, Rinaldo Luiz Caraciolo Ferreira, JOSÉ ANTÔNIO ALEIXO DA SILVA, José Carlos Batista Dubeux Junior, Gabriela Salami
Published: 29 December 2017
Pesquisa Florestal Brasileira, Volume 37, pp 413-420; doi:10.4336/2017.pfb.37.92.1060

Abstract:Objetivou-se quantificar teores de nutrientes nos componentes da biomassa da parte aérea e na serapilheira em duas áreas de vegetação de caatinga com características ecológicas diferentes, uma em regeneração e outra preservada, no município de Floresta, PE. Foi realizado inventário inicial lançando-se 40 parcelas de 400 m2 em cada área, tendo como nível de inclusão de circunferência a 1.30 m do solo ≥ 6,0 cm. Para análise da biomassa foram utilizadas as cinco espécies de maior valor de importância de cada área. De cada um delas foram retiradas amostras de 100 g para realização das análises químicas de seus componentes. Paraa estimativa do estoque de serapilheira foram feitas coletas no período seco e chuvoso, utilizando-se um molde quadrado vazado de 0,5 m, lançado aleatoriamente nas parcelas. Observou-se que o teor de nutrientes encontrados na biomassa total nas duas áreas seguiu uma mesma sequência: N > Ca > K > Mg > P > SA área preservada apresentou maior acúmulo em todas frações no estoque de serrapilheira, mas apresentaram diferenças entre as estações. No período seco a sequência foi: N > Ca > S > K > Mg > P, e no chuvoso N > Ca > K > S > P > Mg em ambas as áreas. Quando os nutrientes estavam disponíveis, a serapilheira apresentou os maiores conteúdos de nutrientes, quando comparada com os estoques presentes na biomassa acima do solo.
Ecléia Alexandra Poltronieri Buda Salles, Giovana Bomfim Alcantara, Marguerite Germaine Ghislaine Quoirin, Antônio Natal Gonçalves, Antonio Rioyei Higa
Published: 29 December 2017
Pesquisa Florestal Brasileira, Volume 37, pp 483-489; doi:10.4336/2017.pfb.37.92.1392

Abstract:A dificuldade em produzir clones de Acacia mearnsii por estaquia, em função das baixas taxas de enraizamento, constitui um empecilho para o uso desta técnica. O objetivo deste estudo foi o desenvolvimento de um protocolo de desinfestação para introdução in vitrode segmentos nodais de clones selecionados de A. mearnsii, visando aprimorar o melhoramento genético da espécie para plantios florestais. A desinfestação de propágulos, provenientes de jardim clonal, foi realizada, combinando diferentes produtos e concentrações (álcool etílico 70%, hipoclorito de sódio, plant preservative mixture e cloreto de mercúrio), tempo de imersão e tamanho dos segmentos nodais (4 mm e 10 mm). Segmentos nodais de 10 mm responderam melhor ao tratamento de desinfestação, com 80% de sobrevivência, combinando álcool etílico 70%, cloreto de mercúrio a 0,4% e hipoclorito de sódio a 2%.
Ícaro Gonçalves Santos, Enderson Alves Nunes, Priscila Bezerra De Souza, Conceição Aparecida Previero
Published: 29 December 2017
Pesquisa Florestal Brasileira, Volume 37, pp 511-522; doi:10.4336/2017.pfb.37.92.1412

Abstract:Objetivou-se r analisar a florística, diversidade e equabilidade do estrato arbustivo-arbóreo de quatro quintais agroflorestais (QAs), no Reassentamento Mariana, localizado entre os municípios de Palmas e Porto Nacional no estado do Tocantins. Foram instaladas três parcelas de 20 x 30 m em cada QA, perfazendo um total de 0,72 ha de área amostral, sendo inventariados todos os indivíduos arbustivo-arbóreos com circunferência a 1,30 m do solo (CAP) ≥ 10 cm. Nos quatro QAs foram verificados 477 indivíduos e 81 espécies pertencentes a 34 famílias e 73 gêneros. O índice de diversidade de Shannon (H’) foi de 3,68 e 0,83 para o índice de equabilidade de Pielou (J’), valores esses encontrados na área total amostrada. Individualmente, os quintais agroflorestais apresentaram H’ = 2,52; 3,27; 2,66 e 2,94 para QA1, QA2, QA3 e QA4, respectivamente, e J’ = 0,78; 0,90; 0,77 e 0,85 para QA1, QA2, QA3 e QA4, respectivamente. Pode-se inferir que os quintais estudados apresentam alta riqueza e diversidade, evidenciando grande heterogeneidade ambiental e baixa dominância ecológica.
Caroline Weimann, Jorge Antonio De Farias, Gilmar Deponti
Published: 29 December 2017
Pesquisa Florestal Brasileira, Volume 37, pp 429-436; doi:10.4336/2017.pfb.37.92.1147

Abstract:O presente trabalho objetivou comparar a viabilidade econômica do componente florestal na pequena propriedade rural, como sistema agrossilvipastoril ou como plantio convencional, no Município de Esperança do Sul, RS. O sistema agrossilvipastoril foi implantado com eucalipto, e o plantio convencional com eucalipto e acácia-negra. Para a análise foram utilizados apenas os dados do componente florestal, sendo obtidos por inventário florestal. Os indicadores selecionados para a análise econômico-financeira foram: valor presente líquido (VPL), valor anual equivalente (VAE), taxa interna de retorno (TIR), razão benefício/custo (B/C) e custo médio de produção (CMPr). A taxa de desconto utilizada foi de 7,5% ano-1. Os dois sistemas de produção foram considerados economicamente viáveis para a rotação de 10 e 15 anos, sendo que a rotação mais longa apresentou maior retorno financeiro. O sistema agrossilvipastoril foi considerado viável, mantendo-se positivo mesmo com taxas de juros mais elevadas. Apesar de o plantio convencional apresentar maior retorno econômico, o sistema agrossilvipastoril apresentou mais vantagens ambientais.
Hélio Tonini
Published: 29 December 2017
Pesquisa Florestal Brasileira, Volume 37, pp 559-564; doi:10.4336/2017.pfb.37.92.1472

Abstract:O objetivo deste trabalho foi avaliar a variação anual da produção de frutos da andirobeira em floresta nativa e as suas implicações para o manejo florestal de uso múltiplo. Os dados foram coletados em floresta nativa, no sul do Estado de Roraima em parcela permanente de 9 ha (300 m x 300 m) onde a produção de sementes de 115 árvores foi monitorada durante quatro anos. Observou-se que a produção de sementes da população variou entre os anos de observação, sendo maio a julho o período de maior produção. Poucos indivíduos (22,6%) concentraram a maior parte da produção de sementes (80,7%) e as árvores mais produtivas apresentaram diâmetro a 1,30 m de altura do solo entre 40 a 70 cm. Recomendou-se a adoção de um diâmetro mínimo de corte de 70 cm em planos de manejo madeireiros na região em estudo. Para o controle na coleta das sementes recomendou-se restringir a coleta aos indivíduos mais produtivos somente no período de máxima frutificação.
Arlindo De Paula Machado Neto, ANTONIO CARLOS BATISTA, Ronaldo Viana Soares, Daniela Biondi, Riubi Lopes De Morais
Published: 29 December 2017
Pesquisa Florestal Brasileira, Volume 37, pp 531-539; doi:10.4336/2017.pfb.37.92.1440

Abstract:O presente estudo teve por objetivo analisar o comportamento da Fórmula de Monte Alegre e quantificar os focos de calor detectados por satélites de referência, comparando os mesmos com os incêndios ocorridos no Parque Nacional da Chapada dos Guimarães de 2007 a 2015. O monitoramento dos focos de calor foi realizado através de imagens dos satélites AQUA, TERRA e NOAA, cujos dados diários de focos detectados foram usados para compor a série temporal ao longo dos anos permitindo a análise de tendências dos números de focos para o parque. Os dados foram adquiridos na plataforma do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, na base de dados históricos do Instituto Nacional de Meteorologia e junto à gerência do parque. Na maioria dos anos houve uma superestimação do número de focos de calor em relação ao número de ocorrência dos incêndios. O satélite TERRA apresentou valores que mais se aproximaram do número de registros de fogo no parque. Observou-se que 87,69% dos incêndios foram validados em relação a FMA, onde 60% foram pertencentes a classe de perigo muito alto e 27,69% enquadraram-se na classe de perigo alto, demonstrando a efetividade da FMA em relação aos registros de incêndios ocorridos no parque.
Magnos Alan Vivian, Francides Gomes da Silva Júnior
Published: 29 December 2017
Pesquisa Florestal Brasileira, Volume 37, pp 457-464; doi:10.4336/2017.pfb.37.92.1267

Abstract:O presente estudo teve por objetivo avaliar os efeitos da adição da antraquinona em uma curva de cozimento, com diferentes cargas de reagentes, por meio do processo kraft de polpação, para a madeira de híbrido de Eucalyptus grandisx Eucalyptus urophylla, visando inferir sobre os parâmetros do processo. A madeira foi transformada em cavacos e classificada para condução das curvas de cozimento kraft. As cargas aplicadas foram de 10% a 24% de álcali ativo e 25% de sulfidez, com uma carga de antraquinona de 0,05% (sobre a massa seca de madeira). Avaliou-se o rendimento bruto e depurado, o teor de rejeitos, o número kappa (nível de deslignificação) e o álcali ativo residual. Observou-se que a adição da antraquinona não afetou o rendimento bruto do processo, porém aumentou o rendimento depurado através da redução do teor de rejeitos, em especial para as baixas cargas de álcali ativo (10% e 12%). Outro efeito observado foi a redução do número kappa com a adição da antraquinona, o que indica o aumento da taxa de deslignificação da madeira. Esse aumento é reforçado pelo menor álcali ativo residual, o que se subentende maior aproveitamento dos reagentes no processo.
Page of 48
Articles per Page
by

Refine Search

Authors

New Search

Advanced search