Ciência, Cuidado e Saúde

Journal Information
ISSN / EISSN : 1677-3861 / 1984-7513
Published by: Universidade Estadual de Maringa (10.4025)
Total articles ≅ 1,166
Archived in
SHERPA/ROMEO
Filter:

Latest articles in this journal

Daniela Gonçalves Gonçalves Barros, Kássylla Ferreira Dos Santos, Juliana De Oliveira Roque E Lima, Suelen Gomes Malaquias, , ,
Ciência, Cuidado e Saúde, Volume 20; https://doi.org/10.4025/cienccuidsaude.v20i0.50524

Abstract:
Objetivo: Descrever os cuidados com o uso de insulinas disponibilizadas pelo SUS e analisar os fatores associados aos cuidados inadequados. Método: Estudo transversal com 113 pessoas com Diabetes Mellitus de um ambulatório de Goiânia-GO. Foram coletados dados em prontuários sobre conservação, preparo e administração de insulina que foram classificados em adequados e inadequados. Resultados: Do total de participantes,58,4% eram mulheres e a média de idade foi 48 anos. Hipertensão arterial foi relatada por 70,8% e 89,0% apresentaram hemoglobina glicada ≥7%. A totalidade dos usuários de insulina realizavam pelo menos um tipo de cuidado inadequado e 62,8% realizavam quatro ou mais. Os mais frequentes foram:conservarem locais não recomendados (46,7%), não aplicar insulina 30 minutos antes da refeição (87,5%), não avaliar presença de grumos no frasco de insulina NPH (71,9%) e não retirar a insulina da geladeira entre 15 e 30 minutos antes da aplicação (88,7%). Não houve diferença estatisticamente significante com as variáveis de exposição analisadas, porém a maior proporção de quatro ou mais cuidados inadequados ocorreu nas mulheres, nos jovens, naqueles com 11 ou mais anos de estudo, tempo de doença superior a 10 anos e, entre os que aplicam insulina uma ou duas vezes ao dia. Conclusão: Houve alta prevalência de cuidados inadequados e grande variabilidade de práticas, reforçando a importância da implementação da linha de cuidados em Diabetes Mellitus em todos os níveis de atenção à saúde
Michele Cristiene Nachtigall Barboza, Rosani Manfrin Muniz, Raquel Cagliari, Aline Da Costa Viegas, Débora Eduarda Duarte Do Amaral, Daniela Habekost Cardoso
Ciência, Cuidado e Saúde, Volume 20; https://doi.org/10.4025/cienccuidsaude.v20i0.57576

Abstract:
Objetivo: compreender a repercussão do diagnóstico de câncer colorretal na experiência de adoecimento da pessoa e sua família. Método: pesquisa qualitativa desenvolvida de maio a julho de 2017, com pessoas com câncer colorretal e seus familiares, totalizando 23 participantes, mediante a entrevista em profundidade. Os dados foram organizados e codificados no software webQDA e realizado análise temática. Resultados: Organizou-se três temas: Câncer colorretal: repercussão do diagnóstico na perspectiva da pessoa e da família, na qual o familiar mais expressou sofrimento diante do diagnóstico; Experiência pregressa e conhecimento como forma de enfrentar a repercussão do diagnóstico de CCR, destacando a capacidade de resiliência colaborando no enfrentamento; O câncer colorretal marcado no corpo e na mente, o corpo marcado pela estomia e mente pelo medo da recidiva. Conclusão: foi possível compreender que o diagnóstico de câncer repercute é compartilhado entre os membros da família, caracterizando a experiência como um evento coletivo.
Laís Carolini Theis, Camila Michelle Westphal,
Ciência, Cuidado e Saúde, Volume 20; https://doi.org/10.4025/cienccuidsaude.v20i0.57570

Abstract:
Objetivo: descrever os enfrentamentos vivenciados pelos profissionais gestores no processo de implantação do Modelo de Atenção às Condições Crônicas no estado do Paraná/Brasil. Método: trata-se de um estudo descritivo com abordagem qualitativa. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas, com sete gestores de diferentes instituições públicas que participaram do processo de implantação do Modelo de Atenção às Condições Crônicas. As entrevistas foram realizadas no local de trabalho do entrevistado, gravadas, transcritas e validadas pelos participantes. A coleta de dados ocorreu em agosto de 2018. A análise de dados foi conduzida por meio de análise de conteúdo. Resultados: a análise evidenciou as seguintes categorias de análise: a relevância da capitania dos gestores municipais e estaduais no processo de implantação do modelo; educação permanente como estratégia para a implantação do Modelo de Atenção às Condições Crônicas; e a atenção hospitalar como limitação para as redes de atenção. Considerações finais: a implantação do Modelo de Atenção às Condições Crônicas demanda apoio financeiro e político dos gestores municipais e estaduais, e exige uma equipe multidisciplinar capacitada e motivada para envolver-se no processo de mudança. A região de saúde não conseguiu expandir o Modelo de Atenção às Condições Crônicas no âmbito hospitalar.
Ciência, Cuidado e Saúde, Volume 20; https://doi.org/10.4025/cienccuidsaude.v20i0.55208

Abstract:
Objetivo: analisar os fatores associados às internações hospitalares de longa permanência de pacientes atendidos pelo Sistema Único de Saúde em instituição de alta complexidade. Método: estudo transversal quantitativo a partir de dados secundários de internações hospitalares de 2013 a 2015. Calculou-se a razão de prevalência por Regressão de Poisson bruta e ajustada. Resultados: das 12.689 internações nos anos de estudo, 645 foram de longa permanência (>30 dias), com uma prevalência de 5,1%. Predominaram entre o sexo masculino (62%), > 60 anos de idade (52,6%). As causas mais frequentes da hospitalização foram doenças do aparelho circulatório (33,5%) e causas externas (22,3%). O óbito ocorreu para 45,6%. Na análise bivariada, estiveram estatisticamente associadas às internações de longa permanência as variáveis: sexo, idade (60 anos e mais) o baixo ou a não escolaridade dos indivíduos, ser da 17ª regional de saúde, ter sido internado na especialidade neurocirurgia e ter necessitado de internação em UTI. No entanto, permaneceram no modelo final sexo masculino, residir na regional de saúde do município em análise e ter necessitado de internação em Unidade de Terapia Intensiva. (p
, Amanda Stefani Torquato Da Silva, Jorge Elias de Freitas Ribeiro, Juliana Possa, Guilherme Liberati Silingovschi, Maria Ângela Zamora Arruda Gregolin, Raquel Mori Pires De Camargo
Ciência, Cuidado e Saúde, Volume 20; https://doi.org/10.4025/cienccuidsaude.v20i0.53197

Abstract:
Objetivo: identificar a percepção dos familiares sobre assistência e organização da unidade de internação psiquiátrica em um hospital geral. Método: Pesquisa descritiva exploratória, com abordagem qualitativa, realizada em um hospital geral no interior do Oeste Paulista, junto a 13 familiares de pessoas com transtorno mental. O instrumento de coleta de dados foi um roteiro de entrevista semiestruturado e a análise ocorreu mediante ao referencial metodológico da análise temática de conteúdo proposta por Bardin. Resultados: A partir da análise dos discursos, emergiram duas categorias: a) “Relevância da ambiência e equipe multidisciplinar no tratamento de pessoas com transtornos mentais”, destacando o ambiente físico, o tratamento ministrado pela equipe multidisciplinar e o contato e participação dos familiares durante a internação; e b) “Fragilidades da dinâmica assistencial como suporte nas relações interpessoais”, na qual foram evidenciados os aspectos apontados como ainda frágeis na assistência. Considerações Finais: A percepção familiar foi predominantemente positiva em relação ao serviço oferecido e, mesmo com as fragilidades apontadas, estes sentem-se satisfeitos com o ambiente hospitalar no que tange ao trabalho realizado pela equipe multidisciplinar e o cuidado inclusivo da família na terapêutica.
Ciência, Cuidado e Saúde, Volume 20; https://doi.org/10.4025/cienccuidsaude.v20i0.56403

Abstract:
Objetivo: analisar o desenvolvimento global de publicações científicas e construir tópicos abordados em pesquisas sobre o novo coronavírus/COVID-19. Métodos: estudo de revisão de resumos de publicações sobre o novo coronavírus/COVID-19, com busca nas bases de dados Embase e Web of Science, em 03 de novembro de 2020. A análise dos dados se deu pela modelagem dos tópicos de pesquisa pelo método Latent Dirichlet Allocation (LDA). Resultados: analisaram-se 31.769 publicações, com envolvimento de pesquisadores de 182 países. Os estudos foram publicados em 5.336 periódicos diferentes. A análise identificou 20 tópicos principais de pesquisa sobre o novo coronavírus/COVID-19, sendo que mais da metade (54,5%) das publicações foram contempladas nos temas de impactos e desafios decorrentes da pandemia (11,3%), resposta imunológica (9,6%), potenciais terapêuticas (9,0%), epidemiologia (7,8%), saúde mental (6,3%), recomendações para assistência a outras necessidades de saúde (5,3%) e complicações clínicas. O tema da telemedicina e telessaúde foi evidenciado em 4,2% das publicações. Conclusões: as publicações científicas estavam distribuídas dentre 20 principais temas, caracterizando sua importância e relevância no entendimento do agravo em questão para traçar estratégias de controle, prevenção, tratamento e atenção aos agravos/implicações decorrentes da pandemia. Identificaram-se como principal lacuna de conhecimento estudos sobre cuidados primários/atenção primária à saúde.
Angélica Da Mata Rossi, Silvia Paulino Ribeiro Albanese, Aparecida Tioko Kuriaki, , , , Elma Mathias Dessunti
Ciência, Cuidado e Saúde, Volume 19; https://doi.org/10.4025/cienccuidsaude.v19i0.50495

Abstract:
Objetivo: Analisar os fatores sociodemográficos e comportamentais associados à positividade ao Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV) em usuários de um Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA). Método: Estudo transversal com 5.229 usuários que realizaram o teste rápido para HIV, registrados no Sistema de Informação do CTA. As análises bivariadas e multivariadas foram realizadas utilizando-se a regressão logística binária, com apresentação do OddsRatio, intervalo de confiança de 95% e p-valor
Elienai de Farias Gama Siqueira Siqueira,
Ciência, Cuidado e Saúde, Volume 19; https://doi.org/10.4025/cienccuidsaude.v19i0.50408

Abstract:
Introdução: este trabalho buscou responder à seguinte pergunta de pesquisa: como cuidar da dependência, de drogas lícitas e ilícitas, de gestantes em contexto de serviço ambulatorial de saúde? Objetivo: identificar na literatura as estratégias interventivas de cuidados às gestantes afetadas pelo consumo de drogas lícitas e ilícitas. Metodologia: trata-se de um estudo de revisão do tipo Scoping Review de acordo com o Instituto Joanna Briggs. Bases de dados pesquisadas: LILACS, MedLine, BDENF, PubMed, Web of Science e CINHAL. Os principais descritores foram: gestantes, drogas ilícitas, padrão de cuidado e assistência ambulatorial. Resultados: foram identificados 939 artigos sendo selecionados nove estudos da base de dados PubMed, publicados nos Estados Unidos, com desenho do tipo ensaio clínico randomizado, no período de 2007- 2015. As gestantes apresentavam perfis de baixa renda e de vulnerabilidade social. As estratégias de intervenção de cuidados foram de entrevista motivacional aprimorada, intervenção breve e, especialmente, de um projeto de intervenção terapêutica pelo trabalho, cuja finalidade era o estímulo à abstinência associado ao apoio financeiro para melhora da qualidade de vida. Conclusão: a produção do cuidado às gestantes envolveu trabalho relacional como acolhimento, vínculo, escuta e sensibilidade para abordagem sócio-histórico-cultural, associados às especificidades de gênero e tempo.
Izamara Regina Guedes Da Silva, Cláudia Maria Duarte Dias, Tatiane Peniche Da Silva, Dayara De Nazaré Rosa De Carvalho, Viviane Ferraz Ferreira De Aguiar, Fernando Conceição De Lima
Ciência, Cuidado e Saúde, Volume 19; https://doi.org/10.4025/cienccuidsaude.v19i0.48469

Abstract:
Objetivo: Avaliar a mobilidade funcional, e os fatores de riscos que desencadeiam quedas em idosos atendidos em uma Unidade Básica de Saúde. Método: Estudo descritivo, estudo de campo com abordagem quantitativa, realizado em uma Unidade Básica de Saúde com uma amostra de 197 idosos. Foi utilizado um formulário sobre os aspectos sociais de saúde do idoso, fatores de risco intrínsecos, extrínsecos e comportamentais que desencadeiam as quedas e o teste de mobilidade funcional. Utilizaram-se métodos estatísticos descritivos e inferenciais como teste de D’Agostino-Pearson, Qui-Quadrado(10), teste t de Student e Análise de Variância (ANOVA). Resultados: A maioria dos idosos tinham escolaridade fundamental incompleto (65.5%), casados (45.7%), que residem com filho (54.8%), lazer e televisão (47.2%) e auto percepção da saúde regular (46.7%) e sexo feminino (70.1%). Entre os fatores relacionados a maior probabilidade de risco de queda estão: presença de fratura, luxação e dificuldade para andar, iluminação ruim na residência, utilização de 5 ou mais medicamentos. Conclusão: Percebe-se nos resultados que os idosos têm risco de queda, mas, ainda apresentam uma mobilidade funcional adequada nos idosos mais jovens.
Natalia Marciano De Araujo Ferreira, Rejane Kiyomi Furuya, Jessica Maia Storer, , , ,
Ciência, Cuidado e Saúde, Volume 19; https://doi.org/10.4025/cienccuidsaude.v19i0.53967

Abstract:
Objetivo: investigar os fatores associados ao tempo decorrido entre a identificação dos sinais e sintomas relacionados à hanseníase até o diagnóstico dos casos atendidos na atenção primária à saúde. Método:estudo transversal e analítico, realizado na atenção primária à saúde em um município de grande porte localizado no sul do Brasil, com amostra de 245 indivíduos. O período analisado foi de 2009 a 2016, por meio das fichas de notificação e consulta ao prontuário. Para análise do tempo para o diagnóstico de hanseníase (categorizado em 0 a 5 anos ou 6 anos ou mais), conduziram-se análises de frequência relativa simples, bivariada e regressão logística binária aferida pelo OddsRatio (OR) e intervalo de confiança de 95%. Nível de significância estatística estabelecido de 5% para todas as análises. Resultados: o tempo para o diagnóstico variou de 1 mês a 20 anos, sendo necessários, em média, 7,9 consultas e 4,6 anos para obtê-lo. Ter três ou mais hipóteses aumentou a chance de diagnóstico tardio, comparado ao oportuno (OR ajustado=4,82; IC95%: 2,13-10,89; P
Back to Top Top