Revista Científica ANAP Brasil

Journal Information
EISSN : 1984-3240
Total articles ≅ 311
Filter:

Latest articles in this journal

Carolina Carrijo Costa, Fernando Garrefa
Revista Científica ANAP Brasil, Volume 15; https://doi.org/10.17271/19843240153620222778

Abstract:
Energia elétrica se tornou um recurso essencial para a manutenção das dinâmicas econômicas e sociais. A ampliação e difusão do uso de equipamentos e processos mecanizados, bem como a adesão a modos de vida mais dependentes dessas comodidades têm contribuído para a ampliação sucessiva dos gastos energéticos. Por outro lado, a geração de energia elétrica, a partir de finais do século XX passou a vivenciar entraves, principalmente a partir das preocupações ambientais. No Brasil, as grandes plantas energéticas envolvem importantes impactos ambientais, como desmatamento, deslocamento de comunidades tradicionais, desequilíbrio das relações ecológicas, efluentes que alteram a qualidade da água, ar e solo e causam danos à saúde humana. A partir dessas premissas, o trabalho analisa relatórios nacionais e os coteja com revisão bibliográfica para explorar a possibilidade de uma expansão energética alternativa baseada em microgeração distribuída (GD) através da implantação de painéis solares em residências, industriais e estabelecimentos de comércio e serviço. A GD se torna interessante ao evitar não só as gerações em grande escala, mas também a onerosa distribuição de energia por grandes linhas de transmissão. Além disso, o sistema se mostrou altamente aplicável no país devido ao grande potencial fotovoltaico, à facilidade de instalação, aos baixos impactos ambientais e ao payback a partir de 5 anos. Por fim, considera-se que a GD é uma boa estratégia de transição, que permite a inserção gradual de energias mais limpas no sistema e pode ser implantada com certa facilidade desde que apoiada pelo poder público, privado e das concessionárias.
Larisse Sá Cruz, Écio Rodrigues, Jairo Pinheiro, Luíz Azevedo
Revista Científica ANAP Brasil, Volume 15; https://doi.org/10.17271/19843240153620222801

Abstract:
Investigar os impactos da Política Estadual de Florestas sobre o desenvolvimento da economia no Acre, com ênfase na produção de origem extrativista de açaí (Euterpe precatória) a partir do banco de dados, mantido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), sobre o Valor Bruto da Produção, VBP, do açaí comercializado no Acre em uma série histórica de 30 anos, foi possível detalhar a importância da PEF, considerando, em termos metodológicos, dois períodos: pré-política, que antecedeu os anos 2000, e pós-política, que vai de 2001 até 2018. Complementa a análise a avaliação sobre a produção de açaí em quatro municípios selecionados por serem considerados de maior relevância. Ao final também se discute a relação entre o comportamento da taxa anual de desmatamento e a produção florestal.  Palavras-Chave: Amazônia, Política Florestal, Açaí.
Stéphanie Fonseca, Maiza Karine Barcia, Tatiane Bonametti Veiga
Revista Científica ANAP Brasil, Volume 14; https://doi.org/10.17271/19843240143520212929

Abstract:
A destinação inadequada dos resíduos sólidos urbanos no Brasil ainda é uma atividade habitual, uma vez que, na maioria dos municípios, cerca de metade dos resíduos coletados é composto de matéria orgânica, sendo que a maior parte desses resíduos são destinados para aterros e “lixões”, sem tratamento prévio. O presente estudo propôs a avaliação da compostabilidade de embalagens oxibiodegradáveis com restos de alimentos e podas de árvore. Para o desenvolvimento da pesquisa foram montadas duas composteiras domésticas, com as seguintes proporções: 70% de materiais secos, 25% de orgânicos e 5% de embalagens oxibiodegradáveis. O monitoramento foi realizado por um período de 100 dias, segundo os parâmetros: temperatura, pH, umidade e matéria orgânica. Durante a compostagem e a vermicompostagem, as composteiras não alcançaram a fase termofílica, o pH, em ambas, foi neutralizado, a umidade, ao final do processo, permaneceu próximo de 55% nas duas composteiras, conforme é recomendado na literatura e a eficiência de remoção de matéria orgânica no final do experimento foi, aproximadamente, 50% e 52% para compostagem e vermicompostagem, respectivamente. As embalagens não apresentaram boa descaracterização, portanto tem-se a necessidade de maiores estudos relacionados à decomposição de embalagens oxibiodegradáveis por meio da compostagem e da vermicompostagem.
Talita Bozon Penteado, Bruna Angela Branchi
Revista Científica ANAP Brasil, Volume 14; https://doi.org/10.17271/19843240143520212918

Abstract:
A discussão sobre a provisão dos serviços de água e saneamento é de suma importância para entender o caráter multidimensional das desigualdades brasileiras. Estes serviços possuem uma ligação direta com a qualidade de vida e bem-estar da população. Ao serem reconhecidos como direito humano há uma mais clara intersecção com as esferas sociais. Neste artigo, por intermédio de uma pesquisa descritiva e exploratória, e da análise qualitativa dos dados disponíveis de água e saneamento, buscou-se entender a evolução e as precariedades persistentes no país, além de agregar um paralelo com o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). Nas últimas duas décadas houve um aumento da proporção de domicílios brasileiros com os serviços de água e esgotamento sanitário, mesmo que este último continue apresentando o maior déficit, mas continuam presentes relevantes diferenças regionais. Emblemático é o caso das regiões Norte e Nordeste que embora tenham registrado progressos não foram suficientes para alcançar os níveis de regiões mais desenvolvidas, como o Sudeste. Cruzando as informações sobre o IDH e os indicadores de acesso a estes serviços foi possível melhorar a descrição das desigualdades na qualidade de vida e identificar quais estados brasileiros necessitam melhorar os indicadores de abastecimento de água e esgoto, visando aprimorar o bem-estar da população.
Thaís Dos Santos Costa, Samantha Monteiro Silva, Jorge Nassar Fleury da Fonseca
Revista Científica ANAP Brasil, Volume 14; https://doi.org/10.17271/19843240143520212926

Abstract:
O inchaço populacional das regiões centrais das grandes cidades e a expansão para as áreas periféricas adjacentes, configurando aquilo que se entende por expansão urbana, apontam para a necessidade de um planejamento que equacione o aumento dos serviços e das infraestruturas urbanas e garantia de um ambiente urbano de qualidade para a população. Tornar as cidades e os assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis é um desafio para os gestores públicos e planejadores urbanos. Entendendo a importância da arborização urbana para a melhoria da qualidade de vida dos habitantes das cidades, e para a construção de cidades habitáveis e resilientes, o presente trabalho aborda a arborização em uma área de expansão na Bacia do Rio Roncador, no município de Duque de Caxias, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro. A partir de dados climáticos e de estudos de tendências de expansão urbana sobre as áreas de cobertura vegetal existentes no município, foi desenvolvido um diagnóstico quantitativo de arborização (levantamento in loco e imagens do satélite Landsat 8). O mapeamento da arborização foi associado aos dados de climatologia desenvolvidos pelos laboratórios DCLURME (UFRRJ) e LASA (UFRJ) e analisados segundo o índice ideal de arborização. Os mapas foram elaborados com o software QGIS. Os resultados apontam para condições de arborização muito aquém
Isabela Macário Custódio, Priscilla Lacerda Duarte David, Tomas Queiroz Ferreira Barata
Revista Científica ANAP Brasil, Volume 14; https://doi.org/10.17271/19843240143520212922

Abstract:
A indústria da construção civil é responsável por grande parcela do consumo de matéria-prima e de geração de resíduos. Soma-se a isso, a intensa produção formal de habitações de interesse social dos últimos anos no Brasil, possibilitadas pelo Programa Minha Casa Minha Vida, o que levanta o questionamento sobre a qualidade do que está sendo produzido e qual o impacto ambiental causado durante todo o ciclo de vida dessas construções. Nesse contexto, esse trabalho investiga como a questão da sustentabilidade vem sendo tratada no setor da construção civil no Brasil, com foco em empreendimentos de caráter social, a partir de uma abordagem qualitativa por meio de revisão bibliográfica e estudos de caso. O estudo aprofundou-se nas certificações ambientais, que atuam como forma de incentivo à adoção de estratégias de menor impacto ambiental, em prol de ambientes mais saudáveis e a fim de equiparar as avaliações nos edifícios verdes. Observou-se particularmente o Selo Casa Azul da Caixa, que apesar de possuir falhas, apresenta grande potencial de aplicabilidade em projetos de habitações sociais, como ferramenta no caminho para cidades menos impactantes ao meio.
Ketryan B. Martins, Luzenira Alves Brasileiro
Revista Científica ANAP Brasil, Volume 14; https://doi.org/10.17271/19843240143520212920

Abstract:
O objetivo do trabalho é analisar a influência da pandemia na mobilidade da cidade das pessoas entrevistadas e nos impactos referentes a sustentabilidade dessas cidades no período pandêmico. Ele foi desenvolvido com base em uma coleta de dados por entrevista a usuários dos sistemas de transportes de diferentes cidades do Brasil, a qual foi realizada de forma remota utilizando formulário aplicado pela plataforma Google Forms, sendo que, após a tabulação dos dados, foi analisada a quantidade de pessoas que utilizavam o transporte público e que passaram a utilizar outros modos de locomoção, além do tempo de viagem para cada passageiro; e com isso, foi feito o estudo do caso. Por meio dos resultados obtidos na pesquisa, encontrou-se que o uso do modo automóvel, a pé e motocicleta aumentaram, obtendo o valor a mais de 9%, 5% e 2%, respectivamente; porém o uso da bicicleta permaneceu sendo de 5% dentre as pessoas que responderam o formulário. Além disso, foi possível obter que 41% das pessoas que se transportavam por menos de 30 minutos de automóvel seriam possivelmente pessoas que poderiam aderir o uso da bicicleta, caso existissem incentivos governamentais, o que deixaria a cidade mais sustentável. Os resultados mostram que a convergência dos dados das diferentes cidades indica um consenso da população brasileira de que há a necessidade de se manter a segurança nos sistemas de mobilidade urbana, pois é um serviço básico necessário à toda a população.
Marcus Vinícius Chiulle Pinheiro, Marcos Ricardo Rosa Georges, Orandi Mina Falsarella
Revista Científica ANAP Brasil, Volume 14; https://doi.org/10.17271/19843240143520212923

Abstract:
A sustentabilidade é um tema que possui grande relevância e apresenta como base três principais dimensões: a social, a ambiental e a econômica. Sabe-se que um dos elementos mais importantes e finitos no planeta é a água. No contexto da sustentabilidade a água é um recurso responsável por ser o sustento de pessoas que sobrevivem de atividades primárias, secundárias e terciárias, como agricultura, pecuária e necessidades básicas humanas. Percebe-se também a existência de muitos dados e informações relacionados a água, como, retenção, armazenamento, captação, tratamento, distribuição, consumo e devolução. Após abordar a importância desse elemento ou após exemplificar a importância desse elemento é gerada uma discussão sobre a gestão sustentável dos recursos hídricos em bacias hidrográficas e o auxílio que as Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) podem contribuir para o processo de tomada de decisão de da gestão de recursos hídricos. Assim, tendo em vista os atores (pessoas que sobrevivem de atividades primárias, secundárias e terciárias) e dados sendo produzidos em origens distintas e de alta complexidade envolvida, é interessante um estudo que tenha como base entender como as TIC modernas estão auxiliando o processo de tomada de decisão na gestão de recursos hídricos na esfera pública, especialmente, em relação a gestão das bacias hidrográficas. Portanto, define-se como objetivo deste trabalho pesquisar como a aplicação das TIC têm sido utilizadas na gestão dos recursos hídricos. Para atingir este objetivo, este trabalho realizará um estudo bibliométrico. Esse estudo bibliométrico será feito utilizando-se as seguintes palavras chaves combinadas entre si: Gestão de Recursos Hídricos, Sistema de Apoio à Decisão, Tecnologias da Informação e Comunicação, Big Data. À vista disso, a base de dados escolhida para a pesquisa é o Scielo. Os resultados iniciais obtidos serão filtrados para excluir trabalhos não pertinentes e resultados repetidos. Após avaliação de pertinência dos resultados iniciais, os artigos selecionados serão estudados e classificados à luz de diversos critérios, como: qual tecnologia citada; qual o aspecto da gestão hídrica em que foi utilizada, em qual bacia hidrográfica foi aplicada, além de ano de publicação, periódico, autores, instituição, métodos de pesquisa utilizado e área de estudo. Através do auxílio de uma planilha eletrônica, os dados serão tabulados, os gráficos e as estatísticas descritivas serão gerados. A partir desses resultados serão feitas análises de como a produção científica em relação à utilização das TIC na gestão dos recursos hídricos nas bacias hidrográficas que têm sido utilizadas.
Back to Top Top