O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira

Journal Information
ISSN / EISSN : 0102-4809 / 2358-9787
Current Publisher: Faculdade de Letras da UFMG (10.17851)
Total articles ≅ 639
Current Coverage
ESCI
DOAJ
Archived in
SHERPA/ROMEO
Filter:

Latest articles in this journal

Fabricio Fernandes, Wellington Vinicius Ferreira de Souza
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 30, pp 148-169; doi:10.17851/2358-9787.30.1.148-169

Abstract:
Resumo: O presente trabalho estuda o heterodiscurso no romance Memórias de Lázaro, do escritor baiano Adonias Filho. Como instrumento de análise, utilizou-se a noção bakhtiniana de heterodiscurso no exame da relação entre o protagonista-narrador Alexandre e a personagem Jerônimo; o estudo indicou a influência dessa personagem como determinante para a estética da narração da obra. A transmissão de discursos mostrou-se fundamental nessa relação sob a forma de um heterodiscurso sobre o mal que não só solidifica o vínculo familiar entre Alexandre e Jerônimo, mas também estabelece o fundamento das condições de legalidade do mal na diegese. Além disso, a construção discursiva de Jerônimo apresentou-se como um heterodiscurso social sobre a zona baiana do cacau de meados do século XX que contrasta com o de outras obras da literatura brasileira ambientadas nesse contexto.Palavras-chave: Adonias Filho; heterodiscurso; Memórias de Lázaro. This paper studies the heterodiscourse in the novel Memórias de Lázaro, by the Bahian writer Adonias Filho. The Bakhtinian notion of heterodiscourse was used as an analytical tool to examine the relationship between the protagonist-narrator Alexandre and the character Jerônimo; the study indicated the influence of this character as determinant for the narrative aesthetics of the novel. The discourse transmission proved to be fundamental in the relationship between Alexandre and Jerônimo functioning under the form of a heterodiscourse about the evil that not only solidifies the family bond between them, but also establishes the foundations of the conditions of evil in the diegesis. In addition, Jerônimo’s discursive construction presented itself as a social heterodiscourse about the mid-20th century Bahian Cocoa Zone that contrasts with that of other works of Brazilian literature set in this context.Keywords: Adonias Filho; heterodiscourse; Memórias de Lázaro.
Simone Rossinetti Rufinoni
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 30, pp 58-82; doi:10.17851/2358-9787.30.1.58-82

Abstract:
Resumo: Para além do maniqueísmo de caráter restritamente religioso, comum à obra de Lúcio Cardoso, o romance Crônica da casa assassinada reorienta a dicotomia bem/mal, desdobrando a antítese primeira em outras significações, que conduzem à oposição, de cunho imanente, entre a província e a cidade, a família e o sujeito, a casa e a rua. A protagonista Nina, emissária da ordem da cidade, sucumbe ao desencadear a destruição do mundo patriarcal; nesse sentido, encarna o demonismo do sujeito moderno adaptado às singularidades do contexto local.Palavras-chave: Lúcio Cardoso, casa, cidade, demonismo, mal. Beyond manichaeism of a strictly religious character, common to the Lúcio Cardoso’s work, the novel Crônica da casa assassinada reorients the dichotomy of good/evil, unfolding the first antithesis in other meanings, leading to the immanent opposition between province and the city, the family and the subject, the house and the street. The protagonist Nina, emissary of the city’s order, succumbs to unleash the destruction of the patriarchal world; in this sense, incarnates the modern subject’s demonism adapted to the singularities of the local context.Keywords: Lúcio Cardoso, house, city, demonism, evil.
Alex Keine De Almeida Sebastião
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 30, pp 189-205; doi:10.17851/2358-9787.30.1.189-205

Abstract:
Resumo: Trata-se de abordar a questão da autoria, tópico já clássico em teoria da literatura, recorrendo-se, inicialmente, a algumas formulações de Roland Barthes, Michel Foucault e Maurice Blanchot. Todos eles contribuíram para desconstruir a noção de autor como aquele que detinha autoridade sobre a obra. Começando por perguntar “quem escreve?” e passando pela questão “que importa quem escreve?”, o artigo propõe o exame da afirmação “ninguém escreve”, considerando o ocaso do sujeito no processo da escrita. Neste percurso, aponta-se para a dupla valência do termo “ninguém”, em que as funções positiva e negativa podem se alternar, como ocorre, por exemplo, na Odisseia, de Homero. Ao final, recolhem-se algumas passagens da obra de Clarice Lispector que sugerem tratar-se ali de uma escrita de ninguém.Palavras-chave: autoria; escrita de ninguém; Clarice Lispector. This work approaches the issue of authorship, an already classic topic in literature theory, by using some elaborations by Roland Barthes, Michel Foucault and Maurice Blanchot. All of them contributed to deconstruct the notion of author as the one who had authority over the work. Starting by asking “who writes?” and going through the question “what does it matter who writes?”, the article proposes to examine the statement “nobody writes”, considering the subject’s decline in the writing process. Along this path, the double valence of the term “nobody”, in which the positive and negative functions can alternate, as occurs, for instance, in Homer’s Odyssey. In the end, some passages from Clarice Lispector’s work are collected to suggest the presence of a writing of nobody.Keywords: authorship; writing of nobody; Clarice Lispector.
Natália Gonçalves De Souza Santos
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 30, pp 123-147; doi:10.17851/2358-9787.30.1.123-147

Abstract:
Resumo: Este artigo discute os ensaios literários de Álvares de Azevedo à luz do periodismo cultural oitocentista. Num primeiro momento, pretende-se evidenciar o quanto esses textos são tributários do que se publicava na imprensa, que pode ter sugerido ao autor obras e temáticas a serem debatidas. Num segundo momento, investiga-se o diálogo teórico que o ensaísta travou com os estudos de literaturas estrangeiras, ancestrais da literatura comparada. Argumenta-se que o contato com esse saber pode ter corroborado ou impulsionado a visada cosmopolita defendida por Azevedo, fazendo com que ele se afastasse do veio central da crítica literária brasileira do período.Palavras-chave: romantismo brasileiro; crítica literária; literatura comparada. This article discusses Álvares de Azevedo’s literary essays under the perspective of the 19th century cultural journalism. Firstly, it is aimed at evincing how much his essays are related to what was published in the press, which might have suggested to the author the works and themes to be debated. Secondly, it investigated the theoretical dialogue that the essayist had with the foreign literature studies, ancestral to comparative literature. It argues that the contact with that knowledge may have corroborated or prompted the cosmopolitan view defended by Azevedo, making him to step further from the central stream of the Brazilian literary criticism.Keywords: Brazilian romanticism; literary criticism; comparative literature.
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 30, pp 253-259; doi:10.17851/2358-9787.30.1.253-259

Abstract:
O texto apresenta a obra de estréia do jovem escritor brasileiro Davi Koteck, a partir da conceção de "obra aberta", de Umberto Eco (1997).
, Dankar Bertinato
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 30, pp 31-57; doi:10.17851/2358-9787.30.1.31-57

Abstract:
Resumo: O artigo compara Asfalto selvagem ao romance brasileiro anterior e contemporâneo à sua publicação, para compreender a pouca atenção da crítica literária à produção romanesca de Nelson Rodrigues. Especificamente, compara-se a construção da moralidade naquela obra com o que predominava no “romance de 30”, aqui analisado em duas obras representativas: a “Tragédia burguesa”, de Octávio de Faria, e Capitães da areia, de Jorge Amado. Enquanto lá despontava uma moralidade normativa e dualista, encenando duas visões em conflito para estabelecer a visão “correta” a servir de orientação moral para o leitor, em Rodrigues não se identifica tal moralização ostensiva, e sim a disposição de elementos textuais que deixam as inferências morais a encargo do leitor. Mediante o conceito de affordances éticas de Webb Keane, analisa-se como as racionalizações e justificações das personagens configuram uma representação aporética da moralidade e um padrão “neurótico” de comportamento, novamente em contraste com o romance brasileiro entre as décadas de 1930 e 1970. Ao final, propõe-se que quatro características do romance de Rodrigues explicam sua pequena fortuna crítica: o humor na encenação do “pecado”; a recusa do ativismo moral e político; a ausência da temática nacional (i.e. da interpretação do Brasil como sociedade, história e cultura); a crítica moral aporética, que não reconhecia a religião, a família, o Estado, a ideologia política ou a ética do trabalho como fontes de autoridade.Palavras-chave: Nelson Rodrigues; moralidade; “romance de 30”; teoria das affordances; história do romance brasileiro. We compare Asfalto selvagem to the contemporary and the immediately preceding novelistic production in Brazil, in an attempt to understand why Nelson Rodrigues’s novels have received little attention from our literary critique. More specifically, we compare his approach to morality with what prevailed in the “1930s novel”, here analyzed in two representative works: Octávio de Faria’s “Bourgeois tragedy” and Jorge Amado’s Captains of the sand. While in the 1930s a normative and dualistic morality prevailed, with the staging of conflicts between two visions as a means to establish the “right views” as moral guides to the readers, in Rodrigues there is no such ostensive moralization, but the display of textual elements that suggest moral inferences to be made by the reader himself. Through Webb Keane’s concept of “ethical affordances” we analyze how the characters’ rationalizations and justifications also build a paradoxical representation of morality and a “neurotic” pattern of behavior, again in contrast with preceding and contemporary novels in Brazil. In the end, we suggest that four characteristics of Rodrigues’s novels might explain their small academic repercussion: the use of humor in the dramatization of “sin”; the refusal of moral and political activism; the absence of Brazil (as society, history and culture) as a dominant theme; a paradoxical moral perspective that did not recognize religion, family, the State, political ideologies or any work ethic as sources of authority.Keywords: Nelson Rodrigues; morality; “1930s novel” in Brazil; theory of affordances; history of Brazilian novel.
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 30, pp 83-101; doi:10.17851/2358-9787.30.1.83-101

Abstract:
Resumo: Detendo-se na crítica da época, o artigo comenta os posicionamentos de escritores com os quais José Martiniano de Alencar (1829-1877) polemizou: Franklin de Távora (Cartas a Cincinato, 1872) e Joaquim Nabuco (A polêmica Nabuco-Alencar, 1978); discute as ideias do romancista acerca de sua própria obra, os caminhos pelos quais deveria ser interpretada (Como e porque sou romancista, 1990), bem como destaca sua defesa contra ataques de plágio e de inverossimilhança artística. Inevitavelmente, retoma o par nacionalismo-cosmopolitismo e o problema do plágio do conceito do bon sauvage rousseauniano, que Alencar, munido de um projeto estético próprio, incansavelmente refutou.Palavras-chave: José de Alencar; Joaquim Nabuco; crítica literária; nacionalismo; cosmopolitismo. Focusing on the criticism of that time, the article comments on the positions of writers with whom José Martiniano de Alencar (1829-1877) contested: Franklin de Távora (Letters to Cincinato, 1872) and Joaquim Nabuco (The Nabuco-Alencar controversy, 1978); it highlights the novelist’s ideas about his own work, the paths by which it should be interpreted (How and why I am a novelist, 1990), as well as his defense against attacks of plagiarism and artistic unlikelihood. Inevitably, it resumes the nationalism – cosmopolitanism pair and the problem of plagiarism of the Rousseauian bon sauvage concept that Alencar, armed with his own aesthetic project, tireless refuted.Keywords: José de Alencar; Joaquim Nabuco; literary criticism; nationalism; cosmopolitanism.
Gabriela Regina Soncini
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 30, pp 233-251; doi:10.17851/2358-9787.30.1.233-251

Abstract:
Resumo: Este artigo pretende fazer uma leitura da personagem “Nhinhinha”, do conto “A Menina de lá”, de Guimarães Rosa (1972), sob o viés da figura da personagem fada. Tal narrativa faz parte do livro Primeiras Estórias do escritor mineiro. Para complementar o estudo em relação à imagem da fada, este trabalho pretende analisar outra narrativa de Rosa (1970), o conto “A Caça à Lua”, que faz parte do livro Ave, Palavra e que apresenta também, como personagem, uma menina que remete tanto à própria “Nhinhinha”, como à figura da fada, criatura maravilhosa do imaginário popular, presente em várias narrativas tradicionais. Esta leitura recorrerá a escritos teóricos de J.R.R.Tolkien (2015), Italo Calvino (2010), Kátia Canton (1994), além de trazer postulações teóricas de Maurice Blanchot (2011) acerca do espaço literário de magia, do imaginário e do lugar da infância. Pontuações de Giorgio Agamben (2007) também serão evocadas para analisar afigura da fada como uma ajudante, ou seja, uma personagem de auxílio,que proporciona outra visão em relação ao olhar cotidiano. Outras postulações teóricas serão levantadas em relação à personagem fada,oriundas da mitologia célticae dos contos de fadas tradicionais, para entender a forma fluida entre vida, morte, magia, encanto e estranhamento, que as personagens dessas meninas apresentam nas narrativas de Rosa.Palavras-chave: Guimarães Rosa; fada; fantasia; contos de fadas; personagem. This article intends to read the character “Nhinhinha” from the tale “The Girl There” by Guimarães Rosa (1972), under the image of the fairy character figure. Such narrative is part of the book First Stories by the writer from Minas Gerais, Brazil. To complement the study regarding the image of the fairy, this work intends to analyze another narrative by Rosa (1970), the short story “The hunting to the moon”, which is part of the book Bird, Word, and who also presents as a character a girl who refers so much to her own “Nhinhinha”, to the fairy figure, this wonderful creature from the popular imagination present in traditional narratives. This reading will use theoretical writings by J.R.R.Tolkien (2015), Italo Calvino (2010), Kátia Canton (1994), in addition to bringing theoretical postulations by Maurice Blanchot (2011) about the literary space of magic, the imaginary and the place of childhood. Scores by Giorgio Agamben (2007) will also be brought with regard to the fairy figure as a helper, that is, an aid character, that provides another view in relation to what has already been seen daily. Other theoretical postulations will be raised in relation to the fairy character brought from Celtic mythology, and traditional fairy tales, to understand the fluid form between life, death, magic, charm and strangeness, that the characters of these girls present in Rosa’s narratives.Keywords: Guimarães Rosa; fairy; fantasy; fairy tales; character.
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 30, pp 102-122; doi:10.17851/2358-9787.30.1.102-122

Abstract:
Resumo: O artigo se propõe a analisar as facetas da arte epistolar em três obras de Jorge Amado: Cacau (1933), Suor (1934) e Jubiabá (1935), que compõe o ciclo de “Os romances da Bahia”. Empreendido por Jorge Amado nos anos 1930, quando debutava na vida literária e tinha 20 anos, o projeto ficou conhecido pela crítica como “romance proletário”. Nele, o escritor se volta para as questões do povo e inaugura um período de forte militância política e de acentuada voltagem social. Amado confere grande relevância às cartas nas obras em tela, reconhecendo sua popularidade e vislumbrando sua importância para captar/retratar a vida daqueles em situação de vulnerabilidade. O artigo estuda procedimentos e mecanismos colocados em cena pelo jovem escritor e propõe novos conceitos no âmbito das correspondências, dentre os quais: a carta democrática, a epistolografia e a ascensão social, a redenção epistolar, a renúncia epistolar, o silêncio epistolar, a carta coletiva, o binômio carta e verdade e o dispositivo da carta-documento.Palavras-chave: Jorge Amado; Romances da Bahia; carta; epistolar; correspondência. The article proposes to analyze the facets of epistolary writing in three books by Jorge Amado: Cacau (1933), Sweat (1934) and Jubiabá (1935), which composes the cycle of “The novels of Bahia”. Undertaken by Jorge Amado in the 1930s, when he debuted in literary life and was 20 years old, the project became known to critics as “proletarian romance”. In it, the writer turns to the issues of the people and inaugurates a period of strong political militancy and marked social tension. Amado confers great relevance to the letters in the works on canvas, recognizing its popularity and envisioning its importance to capture /portray the lives of the humblest. The article studies procedures and mechanisms put on stage by the young writer and proposes new concepts in the context of correspondence, among which: the democratic letter, epistolography and social ascension, epistolary redemption, epistolary renunciation, epistolary silence, collective letter, binomial letter and truth and the device of the letter-document.Keywords: Jorge Amado; Novels of Bahia; letter; epistolary; correspondence.
Bruno Henrique Alvarenga Souza
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 30, pp 206-232; doi:10.17851/2358-9787.30.1.206-232

Abstract:
Resumo: O objetivo deste artigo é realizar uma leitura do poema de João Cabral de Melo Neto, “O cão sem plumas”, utilizando-se de ferramentas teóricas provenientes da filosofia de Gilles Deleuze e Félix Guattari. O operador central da análise é o conceito de agenciamento e seus desdobramentos (desterritorialização, ritornelo etc.), ligado à noção de poema como máquina, postulada tanto pelo próprio Cabral quanto por alguns de seus principais comentadores. A consequência é a compreensão da poesia de Cabral como uma grande experimentação, que foge a qualquer tentativa de redução interpretativa, e o entendimento de que a linguagem poética pode exercer-se como pura literalidade, aproximando-se de um pensamento imanente irredutível a qualquer forma de transcendência.Palavras-chave: poesia; literalidade; agenciamento. The purpose of this paper is to read the poem by João Cabral de Melo Neto, “O cão sem plumas”, using theoretical tools from the philosophy of Gilles Deleuze and Félix Guattari. The central operator of the analysis is the concept of assemblage and its consequences (deterritorialization, ritornelo, etc.), linked to the notion of poem as a machine, postulated both by Cabral himself and by some of his main commentators. The consequence is the understanding of Cabral’s poetry as a great experimentation, which avoids any attempt at interpretative reduction, and the understanding that poetic language can be exercised as pure literality, approaching an immanent thought irreducible in any way of transcendence.Keywords: poetry; literality; assemblage.
Back to Top Top