O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira

Journal Information
ISSN / EISSN : 0102-4809 / 2358-9787
Current Publisher: Faculdade de Letras da UFMG (10.17851)
Total articles ≅ 613
Current Coverage
ESCI
DOAJ
Archived in
SHERPA/ROMEO
Filter:

Latest articles in this journal

Arnaldo Saraiva
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 29, pp 9-18; doi:10.17851/2358-9787.29.3.9-18

Abstract:
Resumo: Reflexões sobre a receção da poesia e sobre as relações pessoais e literárias de João Cabral de Melo Neto com Portugal.Palavras-chave: João Cabral; poesia; Portugal. Reflections on the reception of poetry and on João Cabral de Melo Neto’s personal and literary relations with Portugal.Keywords: João Cabral; poetry; Portugal..
Robson Batista Dos Santos Hasmann
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 29; doi:10.17851/2358-9787.29.3.261-267

O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 29, pp 19-35; doi:10.17851/2358-9787.29.3.19-35

Abstract:
Resumo: Cláudio Grugel do Amaral (Rio de Janeiro, c. 1681-Lisboa, 1752) é um poeta luso-brasileiro cuja obra, reunida num volume manuscrito, ficou inédita. De conteúdo globalmente satírico, a sua poesia – cuja edição será apresentada no decurso de 2020 – constitui, pelo menos em parte, uma paródia de uma conhecida obra do quinhentismo português: Sílvia de Lizardo (1597), de Frei Bernardo de Brito (1569-1617). O artigo dá conta do diálogo entre o poeta brasileiro e o polígrafo português, tendo o cuidado de apresentar devidamente a desconhecida obra do primeiro.Palavras-chave: Cláudio Grugel do Amaral; Frei Bernardo de Brito; poesia barroca; paródia. Cláudio Grugel do Amaral (Rio de Janeiro, c. 1681-Lisbon, 1752) is a Luso-Brazilian poet whose work, assembled in a manuscript volume, remained unpublished. His poetry – whose edition will be presented in the course of 2020 – is globally satirical, and at least in part a parody of a well-known Portuguese 16th century book: Sílvia de Lizardo (1597), by Friar Bernardo de Brito (1569-1617). The article gives an account of the dialogue between the Brazilian poet and the Portuguese polygraph, making sure to properly present Cláudio’s unknown work.Keywords: Cláudio Grugel do Amaral; Friar Bernardo de Brito; Baroque poetry; parody.
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 29, pp 111-137; doi:10.17851/2358-9787.29.3.111-137

Abstract:
Resumo: Tomando como objeto os dois poemas publicados por Carlos Drummond de Andrade na revista luso-brasileira Atlântico (“O voo sobre as igrejas” e “Versos à boca da noite”), o presente artigo visa a apresentar estudo sobre os efeitos de sentido produzidos por tal colaboração, considerando a materialidade do veículo em questão e a ambiência discursiva por ele conferida aos textos. Nesse processo, de início, procura-se recuperar as correspondências inéditas enviadas ao poeta mineiro por José Osório de Oliveira, secretário da publicação e reconhecido homem de letras português dedicado à literatura brasileira. Em seguida, apresentam-se a estrutura, as particularidades e as diretrizes da política editorial do periódico, uma espécie de álbum luxuoso considerado o mais importante elo editorial do intercâmbio literário e intelectual pactuado pelas ditaduras de Salazar e Vargas a partir do Acordo Cultural de 1941. Por fim, examina-se o direcionamento interpretativo de ambos os poemas operado pelo suporte, quer no sentido de valorizar uma figura mítica da dita “civilização lusíada”, algo caro à proposta de recuperação interessada do passado efetuada pela revista, quer de circunscrever e atenuar o lirismo crítico do autor de Sentimento do mundo.Palavras-chave: Carlos Drummond de Andrade; José Osório de Oliveira; Atlântico: Revista Luso-Brasileira; Estado Novo brasileiro e português. Considering two poems published by Carlos Drummond de Andrade in the Portuguese-Brazilian magazine Atlântico (“O voo sobre as igrejas” e “Versos à boca da noite”), this article aims to present the results of an investigation into the effects of meaning produced by such collaboration, considering the materiality of the publication in question and the discursive ambience impacting on those texts. Firstly, we seek to recover the unpublished letters sent to Drummond by José Osório de Oliveira, secretary of the publication and recognized Portuguese intellectual devoted to the Brazilian literature. Then, the structure and guidelines of the journal’s editorial policy are presented. More specifically, Atlântico was a kind of luxurious album which was considered the most important editorial link in the literary and intellectual exchange agreed upon by the Salazar and Vargas dictatorships since the signing of the Cultural Agreement in 1941. Finally, we examine the interpretative framework of both poems operated by the support, which, in the first text, values a mythical figure of the so-called “Portuguese civilization”, something dear to the magazine’s interested proposal to recover the past, and in the second it intends to circumscribe and attenuate the critical lyricism of the author of Sentimento do mundo.Keywords: Carlos Drummond de Andrade; José Osório de Oliveira; Atlântico: Revista Luso-Brasileira; Brazilian and Portuguese Estado Novo.
Caio Gagliardi, Raquel Madanêlo, Silvana Pessôa
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 29, pp 6-8; doi:10.17851/2358-9787.29.3.6-8

Rodrigo Alexandre De Carvalho Xavier
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 29, pp 75-110; doi:10.17851/2358-9787.29.3.75-110

Abstract:
Resumo: A recepção de Fernando Pessoa nos jornais brasileiros se deu majoritariamente após a morte do poeta, em 1935. Essa recepção, em especial, raramente apresenta ao público os textos do poeta, caracterizando-se, especialmente, por ensaios críticos que supõem o conhecimento dos leitores sobre a obra do escritor português. Durante sua vida (1888-1935), a ocorrência de publicações de textos de Pessoa em jornais brasileiros é ainda mais escassa, e ainda demanda um esforço concentrado dos investigadores dada a dificuldade de localização dos acervos que não estão disponíveis em meio digital. Apresentamos aqui a redescoberta de três textos do poeta, publicados ainda durante sua vida, nos jornais cariocas: Leitura para todos (1926), O Tico-tico: Jornal das crianças (1931) e Diário de Notícias (1935). Apresenta-se também o “flerte” do crítico e escritor modernista brasileiro, Teixeira Soares, com a obra de Fernando Pessoa.Palavras-chave: Fernando Pessoa; recepção, publicações periódicas brasileiras; “Mar Portuguez”; “O avô e o neto”; “Linda florinha”; “D. Diniz”; “Terceiro”; Teixeira Soares. Fernando Pessoa’s journalistic reception in Brazil took place mostly after the poet’s death in 1935. This reception rarely presents the poet’s texts to the public and is characterized especially by critical essays that assume the Brazilian readers’ knowledge on the work of the Portuguese writer. During his lifetime (1888-1935), publications of Pessoa’s texts in Brazilian newspapers are even scarcer and still demand a concentrated effort from researchers given the difficulty of locating archives not available in digital media. Here we present the rediscovery of three texts by the poet, published during his lifetime, in the Carioca newspapers: Leitura para todos (1926), O Tico-tico: Jornal das crianças (1931), and Diário de Notícias (1935). The “flirting” of the Brazilian modernist critic and writer Teixeira Soares with the work of Fernando Pessoa is briefly presented.Keywords: Fernando Pessoa; reception; Brazilian periodic publications; “Portuguese Sea”; “Grandfather and grandson”; “Pretty flower”; “King Diniz”; “Third one”; Teixeira Soares.
Karine Mathias Döll
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 29, pp 208-226; doi:10.17851/2358-9787.29.3.208-226

Abstract:
Resumo: O presente artigo tem como objetivo propor uma leitura do romance Desesterro (2015), escrito pela autora paulista Sheyla Smanioto, a partir de textos teóricos sobre literatura marginal, identidades marginais e subalternidade. Esta leitura parte da compreensão de que o texto de Smanioto incorpora processos de subjetivação das personagens que não são comumente tratados em textos literários e que vão além da questão da fome, da violência e da miséria em contextos de vulnerabilidade e exclusão social, ainda que passem também por tais questões. Desse modo, a fim de melhor refletir sobre a problemática apresentada, serão mobilizados os trabalhos de Spivak (2010), Dalcastagnè (2012) e Nascimento (2009) para pensar as implicações da subalternidade e identidades marginais, bem como as discussões de bell hooks (2015) e Michel Foucault (2004, 2008) sobre a produção de identidades e os processos de subjetivação e objetificação.Palavras-chave: literatura marginal; modos de subjetivação; literatura brasileira; Sheyla Smanioto. This article aims to propose a reading of the novel Desesterro (2015), written by Sheyla Smanioto, born in São Paulo. Supported by theoretical texts about marginal literature, marginal identities and subalternity, the reading starts from the understanding that Smanioto’s text incorporates subjectivation processes. Those processes deal with characters differently from most literary texts, since they go beyond the issue of hunger, violence and misery in contexts of social exclusion, even if such issues are also discussed. Thus, to better reflect on the problem presented, the works of Spivak (2010), Dalcastagnè (2012) and Nascimento (2009) are mobilized to think about the implications of subalternity and marginal identities, as well as the discussions of Michel Foucault (2004, 2008) and bell hooks (2015) about the production of identities and the processes of subjectivation and objectification.Keywords: marginal literature; modes of subjectivation; Brazilian literature; Sheyla Smanioto.
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 29, pp 56-74; doi:10.17851/2358-9787.29.3.56-74

Abstract:
Resumo: O objetivo desta reflexão é comparar as práticas de escrita de duas poetas, a saber, Sophia de Mello Breyner Andresen e Cecília Meireles, com as traduções que fizeram, respectivamente, de Hamlet, Shakespeare, em 1987, e Orlando, Virgínia Woolf, em 1948. A partir da análise dessas traduções, comparadas a alguns poemas de ambas as poetas, pretende-se desenvolver a afirmação de Giorgio Agamben (2007) de que o poeta moderno elabora sua subjetividade sem deixar que esta fique marcada por um “lugar” ao qual ela devesse “retornar” em nome de uma originalidade primordial de sua palavra lírica. O sujeito decorrente desse processo está livre para viver esse momento presente no qual ele se encontra com sua incompletude e compreende que é feito de uma angústia analisável. Contemplar a linguagem é o modo de produzir subjetividades não essenciais. A tradução é um dos modos mais eficientes de se pensar a palavra. Sendo operada por deslocamentos incessantes, a prática da tradução é um interrogar-se sem cessar – e angustiadamente – pelo sentido da materialidade mesma da estrutura da palavra sem alcançar o sentido pleno do que é traduzido. A tradução faz surgir de um ato objetivo uma potência subjetiva, pois de seu vazio de conteúdo pode ser dito algo de novo.Palavras-chave: Sophia de Mello Breyner Andresen; Cecília Meireles; poesia brasileira; poesia portuguesa; tradução. The purpose of this reflection is to compare the writing practices of the two poets, Sophia de Mello Breyner Andresen and Cecília Meireles, with the translations they made of Hamlet, Shakespeare, Breyner in 1987, and Orlando, Virginia Woolf, by Meireles in 1948. From the analysis of these translations, compared to some poems of both poets, it is intended to develop Giorgio Agamben’s (2007) claim that the modern poets elaborate their subjectivity without allowing it to be marked by a “place” to which they owe “return” in the name of a primordial originality of their lyrical word. The subject resulting from this process is free to live in this present moment in which they find themselves with their incompleteness and understand that they are made of an analyzable anguish. Contemplating language is the way to produce non-essential subjectivities. Translation is one of the most efficient ways of thinking about the word. Being operated by incessant displacements, translating is to constantly interrogate and distress oneself for the meaning of the very materiality of the word structure without reaching the full meaning of what is translated. Translation gives rise to subjective power from an objective act, because something new can be said of its content void.Keywords: Sophia de Mello Breyner Andresen; Cecília Meireles; Brazilian poetry; Portuguese poetry; translation.
Leidiana Da Silva Lima Freitas, Maria Suely De Oliveira Lopes
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 29, pp 244-259; doi:10.17851/2358-9787.29.3.244-259

Abstract:
Resumo: A presença do negro no cenário literário brasileiro vem se tornando mais visível nas últimas décadas. Embora no passado esse protagonismo tenha sido mais tímido, principalmente quando se trata da mulher negra, essa presença hoje é bastante expressiva. Carolina Maria de Jesus, apesar do preconceito e da discriminação, é uma das muitas escritoras afrodescendentes que conseguiu destaque no meio literário. Através de sua escrita, mostrou a situação de pobreza, de miséria e de exclusão que sofreu durante sua vida. Dessa forma, o presente artigo objetiva analisar a obra Diário de Bitita (1986), enfocando aspectos como a negritude e o pertencimento. De forma específica, buscou-se entender como a questão racial e a ideia de pertencimento são abordadas na referida obra, além de discutir como Carolina de Jesus lidava com essas questões na sua infância e adolescência. Para tanto, buscou-se como auxílio os aportes teóricos de Cixous (2017), Fanon (2008), Hall (2005), entre outros. Observou-se, através desta análise, que a escrita de Carolina Maria de Jesus é um instrumento utilizado pela escritora para denunciar a situação dos pobres e, principalmente dos negros, diante de uma sociedade dominada por uma concepção eurocêntrica que privilegia os brancos em detrimento dos negros. Diante do preconceito, da discriminação e da exclusão vivenciados por Bitita, muitas vezes ela desejava ter a pele branca para assim poder usufruir dos mesmos direitos de que dispunham os brancos.Palavras-chave: escrita; negritude; pertencimento; Diário de Bitita. The presence of blacks in the Brazilian literary scene has become more visible in recent decades. Although in the past this main role was more timid, especially when it comes to black women, this presence today is quite expressive. Carolina Maria de Jesus, despite of prejudice and discrimination, is one of the many Afro-descendant writers who had achieved prominence in the literary medium. Through her writing, she showed the situation of poverty, misery and exclusion she suffered during her life. Thus, this article aims to analyze the work Diário de Bitita (Bitita’s Diary, 1986), focusing on aspects such as blackness and belonging. More specifically, we sought to understand how the racial issue and the idea of belonging are addressed in the referred work, in addition to discussing how the author dealt with these issues in her childhood and adolescence. Therefore, support was sought in the theoretical contributions of Cixous (2017), Fanon (2008), Hall (2005), among others. It was observed that Carolina Maria de Jesus uses her writing as an instrument to denounce the situation of poor and, especially of black people, in the face of a society dominated by an Eurocentric conception that privileges whites over blacks. Facing the prejudice, discrimination and exclusion experienced by Bitita, she often wished to have white skin to enjoy the same rights as white people.Keywords: writing; blackness; belonging; Diário de Bitita.
Anco Márcio Tenório Vieira
O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Volume 29, pp 36-55; doi:10.17851/2358-9787.29.3.36-55

Abstract:
Resumo: Este trabalho aborda o modo como Gilberto Freyre, a partir do seu olhar expressionista, emulou Luís de Camões. Rompendo as fronteiras entre o homem Luís de Camões e a sua obra, Freyre diluiu os limites que separam o autor do narrador, rompendo também as fronteiras entre o sujeito e o seu objeto de estudo. Desse modo, Freyre inscreve Camões e a sua obra em sua gramática sociológica e antropológica e, principalmente, o eleva ao panteão de um dos percussores do Lusotropicalismo.Palavras-chave: Gilberto Freyre; Luís de Camões; Lusotropicalismo; emulação. This work discusses the way Gilberto Freyre, from his expressionist gaze, emulated Luís de Camões. Breaking the boundaries between Luís de Camões as a man and his work, Freyre diluted the boundaries that separate the narrator from the author, also breaking the boundaries between the subject and his object of study. Thereby, Freyre inscribes Camões and his work in his sociological and anthropological grammar and, mainly, elevates him to the pantheon of one of the Lusotropicalism pioneers.Keywords: Gilberto Freyre; Luís de Camões; Lusotropicalism; emulation.
Back to Top Top