Revista Extraprensa

Journal Information
ISSN / EISSN : 1519-6895 / 2236-3467
Total articles ≅ 465
Current Coverage
DOAJ
Archived in
SHERPA/ROMEO
Filter:

Latest articles in this journal

Marcelo Gil Ikeda
Revista Extraprensa, Volume 14, pp 122-142; https://doi.org/10.11606/extraprensa2021.185388

Abstract:
Este artigo apresenta um amplo panorama das políticas para o setor audiovisual implementadas pela Agência Nacional do Cinema em 20 anos de atividade (2001-2021). Em primeiro lugar, serão analisadas sua criação como uma agência reguladora e as limitações para sua atuação, impostas na lei que a formou. Em seguida, será avaliada a ampliação do escopo da agência sob a gestão de Manoel Rangel, com a aprovação das Leis nº 11.437/06, 12.485/11 e 12.599/12, e serão discutidos os impasses das gestões Leitão-Castro e Braga. Por fim, serão comentados os principais desafios à gestão pública do audiovisual para os próximos anos.
Caio Teruel, Helder Prior
Revista Extraprensa, Volume 14, pp 421-437; https://doi.org/10.11606/extraprensa2021.186716

Abstract:
Este artigo tem como objetivo compreender o jornalismo contemporâneo em meio ao fenômeno da aceleração social do tempo, este explorado pelo teórico alemão Hartmut Rosa, por meio de uma inflexão teórico-conceitual. Para isso, delimita-se, em um primeiro momento, algumas das bases da aceleração social do tempo, isto é, as dimensões fenomenológicas da aceleração temporal. Em seguida, investiga-se a função do jornalismo no fenômeno aceleratório, bem como a ascensão do presentismo por meio de aparatos jornalísticos. Por último, busca-se apreender os fenômenos tratados em enunciados políticos de modo empírico por meio de análises e contextualizações.
Revista Extraprensa, Volume 14, pp 281-298; https://doi.org/10.11606/extraprensa2021.171049

Abstract:
Este artigo propõe uma reflexão sobre a função mediadora exercida por artistas travestis no Brasil a partir da cena contemporânea. Para tanto, examina-se o caso do espetáculo teatral Manifesto transpofágico, da atriz Renata Carvalho. A partir da observação in loco do espetáculo, a análise evidencia os elementos de artivismo e mediação sociocultural ali praticados em prol de uma maior aceitação da transgeneridade em uma sociedade ainda marcada pela transfobia e pelo preconceito com a dissidência de gênero.
Vinicius Guedes Pereira de Souza, Raylson Chaves Costa
Revista Extraprensa, Volume 14, pp 438-451; https://doi.org/10.11606/extraprensa2021.185427

Abstract:
O presente artigo, por meio de pesquisa bibliográfica no campo da comunicação decolonial com práticas etnomidiáticas indígenas e da análise imagética de produto audiovisual, pretende contribuir para as discussões sobre as produções próprias do Povo Terena em Mato Grosso do Sul (MS) e seu papel no combate às estratégias para invisibilizar a presença de seus corpos no estado. O texto traz apontamentos feitos a partir das provocações levantadas pelo filme “Primeira Cavalgada Indígena – Grito dos Excluídos”, do realizador Angelo Terena, que trabalha com audiovisual desde os 15 anos de idade, criando imagens autônomas sobre seu povo. O filme mostra reivindicações da comunidade no dia do “descobrimento do Brasil”, por meio de uma manifestação na rodovia que dá acesso à aldeia, reunindo crianças, jovens e anciões.
José M´árcio Barros, Plínio César dos Santos Rattes
Revista Extraprensa, Volume 14, pp 264-280; https://doi.org/10.11606/extraprensa2021.185246

Abstract:
O presente texto discute como e por que a gestão de equipamentos culturais demanda a existência de gestores qualificados e reflete sobre quais habilidades e competências se espera que esses profissionais desenvolvam para realizar uma gestão comprometida com o exercício pleno da cidadania, dos direitos culturais e da proteção e promoção da diversidade cultural. O texto aborda ainda as adversidades que emergiram a partir da pandemia por Covid-19 e que impuseram novos desafios aos equipamentos culturais e aos profissionais que neles atuam.
Jean Carllo De Souza Silva
Revista Extraprensa, Volume 14, pp 452-470; https://doi.org/10.11606/extraprensa2021.184972

Abstract:
Este artigo analisa a campanha “Povo desenvolvido é povo limpo”, com vistas a compreender o teor político e ideológico da propaganda institucional do período dos governos militares (1964-1985). A campanha, vinculada na década de 1970, era estrelada por um personagem de desenho animado de nome “Sujismundo”, que, embora simpático, era representado com aspecto de sujeira. Oficialmente, tal propaganda objetivava conscientizar a população sobre a necessidade de se manter hábitos higiênicos e saudáveis. Mas os “anos de chumbo”, explicitamente ou não, produziram propagandas que expressavam os ideais desenvolvimentistas sustentados pelas Forças Armadas em conjunto com setores civis conservadores. É nesse contexto que analisamos a utilização dessa propaganda para fins políticos e ideológicos dos militares.
Matina Magkou, Maud Pélissier
Revista Extraprensa, Volume 14, pp 327-343; https://doi.org/10.11606/extraprensa2021.188937

Abstract:
In France, as in many other countries, cultural production and management practices are facing numerous transformations. Being understood as experimental; intermediary cultural spaces that redefine the relationship of culture with the public and the local territory, cultural third places provide a vivid example of this changing reality. Before the current health crisis, the social role of these constructs in regard to the local context were made even more visible. On a first level, this article aims to present the uniqueness of those spaces in the French context. Secondly, it describes the preliminary results of an exploratory study analyzing the reactions and adjustments to working dynamics of a number of spaces in the PACA region, in France, during the first months of the pandemic. Finally, we propose further lines of research.
Amanda Salgado e Carvalho, Danilo Júnior de Oliveira
Revista Extraprensa, Volume 14, pp 27-43; https://doi.org/10.11606/extraprensa2021.186359

Abstract:
O presente artigo se debruça sobre a bibliografia e o exercício analítico crítico do conceito de desenvolvimento cultural brasileiro e da própria razão de ser do Estado na condução do planejamento das políticas culturais. Tal incursão é acompanhada do debate da Medida Provisória nº 1.012/2020, que prorrogou a vigência do Plano Nacional de Cultura (PNC) até o ano de 2022. O objetivo é restabelecer a vital importância do PNC na garantia dos direitos culturais, como a diversidade cultural, a cidadania e as identidades culturais, e sobretudo do próprio desenvolvimento cultural. O artigo também pretende analisar criticamente o PNC, realizando breves diagnósticos dos principais entraves à efetiva implementação de políticas culturais coordenadas. Entendemos que tal investigação crítica ultrapassa o território dos estudos culturais e situa-se na análise das problemáticas históricas do Estado brasileiro.
Antonio Albino Canelas Rubim, Luana Vilutis, Gleise Cristiane Ferreira de Oliveira
Revista Extraprensa, Volume 14, pp 9-26; https://doi.org/10.11606/extraprensa2021.185326

Abstract:
Após o reconhecimento da complexidade e das dificuldades de imaginar um futuro na atualidade brasileira, devido a um conjunto de fatores associados à pandemia e ao pandemônio vividos no país, este texto busca traçar algumas inferências acerca do futuro da cultura e sua gestão no Brasil. Nesse sentido, são analisados quatro horizontes, considerados relevantes e conectados aos processos em curso na sociedade brasileira: a instalação da sociabilidade contemporânea; a possível emergência do federalismo cultural; as exigências atuais da transversalidade da cultura, provenientes do acionamento do conceito ampliado de cultura; e o entendimento de uma ideia de sustentabilidade da cultura não reduzida à dimensão meramente econômica. O exercício de imaginação desenvolvido dialoga com dilemas presentes na conjuntura brasileira e, em especial, com seus desdobramentos nos próximos anos, a fim de não ficar prisioneiro dos tempos sombrios atuais.
Luiz Roberto de Almeida, Lucilene Cury
Revista Extraprensa, Volume 14, pp 299-316; https://doi.org/10.11606/extraprensa2021.186268

Abstract:
A identidade cisgênero heterossexual é a norma, uma construção social e cultural a partir da qual as demais identidades são hierarquizadas e marginalizadas, deixando os sujeitos LGBTQ+ à mercê de diversas violências. Diante disso, acredita-se que os artistas LGBTQ+ são figuras de referência para a sociedade porque seus trabalhos artísticos apresentam possibilidades de existência de sujeitos cisgêneros homossexuais, trans ou não-binários. Considerando a violência vivenciada por esses sujeitos e a importância do artista na constituição de uma narrativa identitária da comunidade LGBTQ+, é urgente pensar políticas públicas que promovam maior visibilidade desses artistas. Para investigar tal tema, foram entrevistados treze artistas – músicos, atores e uma escritora –, dos quais sete são de Buenos Aires e seis, de São Paulo.
Back to Top Top