CSOnline - REVISTA ELETRÔNICA DE CIÊNCIAS SOCIAIS

Journal Information
EISSN : 1981-2140
Current Publisher: Universidade Federal de Juiz de Fora (10.34019)
Total articles ≅ 185
Filter:

Latest articles in this journal

Larissa Zancan Rodrigues, Clayton Barbosa Ferreira Filho
CSOnline - REVISTA ELETRÔNICA DE CIÊNCIAS SOCIAIS pp 113-134; doi:10.34019/1981-2140.2020.32436

Abstract:
Neste trabalho, sob o olhar dos estudos da Sociologia e História da Educação, apresentamos e discutimos o contexto de criação da então Universidade de Santa Catarina (USC), ocorrido em meio à políticas desenvolvimentistas do Governo Juscelino Kubitschek. Para tanto, utilizamos como fonte documental o extinto jornal catarinense O Estado e pesquisas bibliográficas referentes ao período 1910-1960. A partir da análise das fontes, foi possível mapear os círculos políticos-econômicos-sociais-intelectuais da Ilha de Santa Catarina, identificando as redes de sociabilidades que vieram a compor os primórdios do campo científico que, hoje, encontra-se estruturado. Para além da conjuntura desenvolvimentista do pós-2ª Guerra, identificamos que a fundação da USC, na década de 1960, teve relação com a articulação de membros da intelectualidade ilhéu, que formavam as elites locais, para fundação do Instituto Politécnico, ainda na Primeira República, e com o contexto de estabelecimento de projetos de modernização e industrialização que buscavam tanto desenvolvimento nacional quanto regional.
Ramon Silva Costa
CSOnline - REVISTA ELETRÔNICA DE CIÊNCIAS SOCIAIS pp 188-213; doi:10.34019/1981-2140.2020.29262

Abstract:
O artigo aborda o processo de digitalização das relações homossexuais como parte dos efeitos dos avanços tecnológicos da contemporaneidade. Questiona: como os perfis do aplicativo Grindr em Juiz de Fora performam masculinidades? E quais masculinidades são essas? O objetivo é compreender como os usuários realizam performances acerca de suas masculinidades no ambiente digital. A metodologia empregada baseia-se em uma revisão bibliográfica, observação dos perfis e posterior análise de discurso multimodal em torno dos textos e fotos utilizadas por quatro usuários do aplicativo de relacionamento. Conclui-se que, as performances do aplicativo remontam performances existentes no meio sociocultural através dos recursos multimodais oferecidos pelo aplicativo. No entanto, os usuários apresentam uma pluralidade de representações do masculino, sendo um comportamento comum, a busca por parceiros com perfis semelhantes, a centralidade no corpo e sua estética e também a presença de perfis preocupados em manter em sigilo a orientação homossexual. Existem outros perfis que se descrevem e buscam por homens que não respondam ao estereotipo de comportamentos homossexuais e que exprimam uma masculinidade hegemônica, centrada na virilidade e heteronormatividade. Além disso, houve a análise de um perfil subversivo, que em seu texto contraria essas percepções trazidas pelos demais.
Paula Guerra
CSOnline - REVISTA ELETRÔNICA DE CIÊNCIAS SOCIAIS pp 135-160; doi:10.34019/1981-2140.2020.31745

Abstract:
O principal objetivo deste artigo é analisar as representações sociais do rock alternativo em Portugal entre 1980 e 2010; parte de uma pesquisa mais ampla sobre os 30 anos de modernização do país (a partir do período pós-revolucionário iniciado em 1974), em que o rock alternativo é considerado uma prática social significativa no âmbito da estrutura social, artística e musical do país. Consideramos que o rock alternativo é um assunto que pode ser iluminado pela teoria dos campos de Bourdieu, que utilizamos para explorar a complexidade das relações que substanciam as estruturas subjacentes (de bandas, músicos, agentes, locais de eventos, editoras e promotores) do rock alternativo português. Os dados utilizados são resultado de uma pesquisa de longo prazo realizada entre 2005 e 2010, em que foram realizadas entrevistas em profundidade com mais de 200 indivíduos envolvidos nas esferas de produção e publicação do segmento de rock alternativo português.
Acrisio Pereira Victorino, Carlos Augusto Da Silva Souza
CSOnline - REVISTA ELETRÔNICA DE CIÊNCIAS SOCIAIS pp 280-295; doi:10.34019/1981-2140.2020.27624

Abstract:
O objetivo deste artigo consiste em avaliar, a partir da distribuição geográfica da votação dos deputados eleitos para a Câmara dos Deputados no Estado do Pará, se é possível identificar a existência (ou não) de um padrão territorial de competição eleitoral na relação dos parlamentares com os municípios. Para isso, a estudo procurará, a partir da análise da votação geográfica de todos os candidatos que disputaram a eleição de 2014, estabelecer os mecanismos de relacionamento dos deputados com os municípios, para perceber se o padrão de votação se estabelece numa lógica de concentração territorial do voto, o que indicaria estratégias de competição mais restritas do ponto de vista da dimensão territorial do estado, ou se, ao contrário, o relacionamento dos deputados com os municípios se estabelece numa condição de dispersão do voto, o que indicaria padrões de relacionamento mais amplos territorialmente
Camila Ribeiro De Almeida Rezende
CSOnline - REVISTA ELETRÔNICA DE CIÊNCIAS SOCIAIS pp 25-44; doi:10.34019/1981-2140.2020.32424

Abstract:
A escrita acadêmica não apenas transmite o conhecimento – ela o cria. É um sistema simbólico, um instrumento estruturado e estruturante do conhecimento e da comunicação que cria ativamente as epistemologias. Por ser um sistema simbólico, ela cumpre a função política de imposição ou de legitimação da dominação. Diante disso, este artigo está interessado na dominação do interesse pelo desinteresse de expor e demarcar o “eu” na escrita acadêmica – resultante do interesse do campo científico em expressar a ciência de forma neutra, impessoal, universal e acabada. O interesse de escrever sobre essa temática foi acionado pelas leituras das escritas de Pierre Bourdieu – escritas que carregam uma estética de repetição e de jogos de palavras, que jogam o jogo acadêmico a sério, que apresentam as regras do próprio jogo fazendo da sociologia uma arma contra o desconhecimento do reconhecimento – contra a violência simbólica. Essa violência é silenciosa, suave, insensível e invisível às suas próprias vítimas. Ela também está impregnada na cultura do campo acadêmico e pode ser notada nos aspectos técnicos e formais de seu estilo de escrita – na sua forma. A partir de uma análise bibliográfica da teoria de Bourdieu e da objetivação participante – da socioanálise proposta por ele – pretendo apresentar algumas reflexões sobre a violência simbólica presente na forma da escrita acadêmica, utilizando como base para a escrita deste artigo a minha própria práxis enquanto leitora da teoria bourdieusiana e enquanto escritora e pesquisadora da escrita acadêmica.
Sintilla Abreu Cartaxo, Ricardo Shiota
CSOnline - REVISTA ELETRÔNICA DE CIÊNCIAS SOCIAIS pp 396-315; doi:10.34019/1981-2140.2020.30427

Abstract:
Este artigo de revisão bibliográfica objetiva apresentar três concepções sobre os desastres do ponto de vista sociológico. Na primeira abordagem, os desastres são a expressão de um agente externo intimidador, na segunda, os desastres traduzem a expressão social da vulnerabilidade e, por último, os desastres são vistos como um estado de incertezas geradas pelas próprias instituições. A reflexão sociológica oferece um conhecimento aprofundado acerca das conexões sócio práticas produtoras de riscos e vulnerabilidades múltiplas, que a prevenção e a ação nos episódios de desastres demandam. O reconhecimento do vocabulário e dos diversos usos do conceito de desastre é de extrema importância para a formação daqueles que intervêm nas ocasiões de danos.
Jorge Morgan De Aguiar Neto
CSOnline - REVISTA ELETRÔNICA DE CIÊNCIAS SOCIAIS pp 65-88; doi:10.34019/1981-2140.2020.32387

Abstract:
Este artigo destaca as contribuições de Pierre Bourdieu e Jean-Claude Passeron que constituem o ponto de partida para problematizarmos a maneira como a desigualdade social e cultural repercute no meio universitário brasileiro. O artigo está dividido em três partes. Na primeira, discutimos as reflexões dos autores sobre a reprodução das estruturas sociais e culturais na escola e na universidade, bem como a articulação dos conceitos habitus e campo, que ajudam a demarcar o objeto da pesquisa. Na segunda, fazemos um contraponto aos primeiros autores com base no trabalho de Bernard Lahire, que desenvolve a teoria do homem plural tendo como foco conceitos de Bourdieu e a análise do sucesso escolar. Finalmente, confrontamos essas reflexões com os dados obtidos através de uma pesquisa qualitativa, realizada junto a estudantes de origem popular que, oriundos da escola pública, conseguiram ascender ao ensino superior e se encontram matriculados em cursos de prestígio. Ao buscar contribuir para a compreensão de como se configura o sucesso escolar entre os grupos de jovens desfavorecidos, nosso trabalho traz elementos que podem servir como referência para o desenvolvimento de políticas públicas de educação duradouras, inclusivas e consequentes.
Marlene França
CSOnline - REVISTA ELETRÔNICA DE CIÊNCIAS SOCIAIS pp 237-263; doi:10.34019/1981-2140.2020.30613

Abstract:
Este artigo versa sobre a questão de gênero e a criminalidade feminina. De um modo geral, o conceito de gênero vincula-se à construção social do ser homem e ser mulher, atribuindo aos mesmos, características e papéis específicos, numa tentativa de escapar dos determinismos biológicos associados aos termos sexo e diferença sexual. As pesquisas mostram que os aspectos que envolvem o fenômeno da criminalidade feminina são mais complexos do que os relacionados aos homens, não somente porque elas cometem menos crimes, mas pelo fato de que o número reduzido implica em maiores dificuldades para pesquisar. Quanto à questão da punição, observa-se que esta possui estreita relação com a questão de gênero, ou seja, algumas penas são direcionadas exclusivamente às mulheres. Este estudo pautou-se nas obras de autores como: Scott (1995); Camacho (1997); Saffioti; Almeida (2003). Utilizou-se da revisão bibliográfica como caminho metodológico, bem como o método hipotético-dedutivo, o qual toma por base a percepção e o aprofundamento teórico de um determinado problema. A conclusão preliminar do estudo revela a necessidade de abordar as questões de gênero, sem deixar de fora aspectos como a criminalidade em que muitas mulheres estão diretamente envolvidas, deixando-as numa situação ainda mais vulnerável, uma vez que são invisibilizadas pelo Estado no tocante ao tratamento que é dispensado para a legitimação das políticas de segurança autoritárias e para o controle das massas empobrecidas.
Bárbara Venturini Ábile, Talitha Ferreira, Juliana Miraldi, Michel Nicolau Netto
CSOnline - REVISTA ELETRÔNICA DE CIÊNCIAS SOCIAIS pp 161-187; doi:10.34019/1981-2140.2020.32434

Abstract:
Este artigo tem como objetivo analisar as fronteiras simbólicas que são produzidas a partir de encontros do campo da arte com os campos da moda e da gastronomia. Elegemos como objetos de análise: no caso da moda, a parceria entre a marca de fast fashion Riachuelo e o Museu de Arte de São Paulo em 2017 chamada projeto Moda Masp; no caso da gastronomia, a obra “Restauro” na 32ª Bienal de São Paulo e a exposição “Alimentário” no Museu da Cidade, também em São Paulo. Esses encontros demonstram a articulação nesses campos de um repertório cultural legitimado e valorizado, produzido no campo da arte. É a partir desse repertório, que os agentes do campo da moda e da gastronomia traçam fronteiras simbólicas internas a seus campos, assegurando vantagens em suas disputas. Essas análises nos permitem concluir que: (i) esses encontros não ameaçam a autonomia do campo da arte, uma vez que dependem de seu reforço para que a arte continue sendo fonte de repertório cultural legítimo; (ii) a arte continua sendo importante fonte de capital cultural e distinção, se olharmos como seu repertório é utilizado para produção de fronteiras sociais a partir dos outros campos aqui analisados; (iii) esses encontros não produzem processos de artificação, na medida em que eles dependem da manutenção das fronteiras entre os campos para que haja eficácia simbólica na transferência da carga positiva atribuída ao ‘artista’ a estilistas e chefs.
Alexandre Manzoni
CSOnline - REVISTA ELETRÔNICA DE CIÊNCIAS SOCIAIS pp 45-64; doi:10.34019/1981-2140.2020.32447

Abstract:
O presente artigo interpreta o cenário do campo científico no Brasil contemporâneo à luz da teoria sociológica de Pierre Bourdieu. Nesse esforço, se debruça sobre o modo como Bourdieu produz uma teoria das classes, sugerindo que sua sociologia reorganiza o esquema marxiano na questão dos interesses. Reconstitui o modo como Bourdieu faz do habitus um conceito operativo, e aponta em que medida o habitus é cingido pela classe social. Na sequência, opera a análise referente a articulação estabelecida entre a classe e o habitus, evidenciando o quanto essa ligação atua na composição das categorias de percepção de mundo dos agentes. O artigo elege o conceito de auto-análise coletiva ou socioanálise coletiva de Bourdieu, colocando o campo científico brasileiro sob o crivo analítico. A interpretação elaborada indica que as rearticulações políticas dos últimos anos, em especial das classes médias, resultaram numa fragilização do campo científico brasileiro. Junto a isso, as reformas administrativas e cortes orçamentários do Estado colocam os pesquisadores em situação de conflito pela escassez de recursos. Por fim, o texto relembra algumas saídas produzidas por Pierre Bourdieu no contexto francês, quando a ciência está sob o ataque do neoliberalismo. Isso para fomentar, no horizonte de debates entre pesquisadores e cientistas brasileiros, a possibilidade de esboçar uma sociologia de autodefesa da autonomia do campo científico.
Back to Top Top