Paubrasilia

Journal Information
EISSN : 25956752
Current Publisher: Jadrim Botânico FLORAS (10.33447)
Total articles ≅ 18
Filter:

Latest articles in this journal

Nelson Antonio Leite Maciel
Published: 5 June 2020
Paubrasilia, Volume 3, pp 37-45; doi:10.33447/paubrasilia.v3i1.29

Abstract:
O Núcleo de Pesquisa em Educação para a Conservação é responsável pelas ações educativas e pela divulgação científica do Instituto de Botânica da Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente do Estado de São Paulo e, através de seu programa educativo, visa fomentar a compreensão sobre a importância da conservação da biodiversidade, desenvolvendo visitas educativas e atividades de interpretação ambiental. De março de 2016 a dezembro de 2017, investigou-se quais aspectos da restauração ecológica interessaram aos professores que visitaram nosso espaço e vivenciaram nossas atividades. Apenas 12% das escolas pesquisadas apontaram a restauração ecológica como objetivo da visita. Nessas escolas, atenderam-se 3.483 alunos e 212 professores. Os resultados indicaram que o Jardim cumpre sua missão educativa e conservacionista, pois está sintonizado ao trabalho que as escolas desenvolvem. Os conteúdos trabalhados, durante e após as visitas, refletem os conhecimentos e habilidades necessários para o entendimento dos processos de restauração ecológica.
Francisca Arila Maciel De Souza Xavier, João Gutemberg Leite Moraes, Marcos Levi Saraiva Silva, Rufino Barreto De Matos Neto, Damila De Oliveira Firmino, Gleidson Vieira Marques, Ervino Bleicher
Published: 5 June 2020
Paubrasilia, Volume 3, pp 18-23; doi:10.33447/paubrasilia.v3i1.21

Abstract:
O feijão-caupi (Vigna unguiculata L. Walp.) é uma fabácea utilizada como fonte alimentar em diversos países da África, Ásia e Américas. Objetivou-se, com esta pesquisa, avaliar o comportamento de genótipos de feijão-caupi ao ataque de cigarrinha-verde (Empoasca sp.) e de minador (Liriomyza sp.). O experimento foi conduzido na Fazenda Experimental Piroás da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab), nos meses de agosto a outubro de 2018, onde se utilizou o delineamento experimental em blocos ao acaso, com 15 tratamentos e quatro repetições. Para a cigarrinha, foi avaliado o número de indivíduos por planta na parcela útil, aleatoriamente, uma vez na semana, ao longo de nove semanas. Já para a minadora, foi avaliada a frequência de minas, na parcela útil e ao acaso, ao longo de quatro semanas. Os dados acumulados na última amostragem foram transformados [(x + 0,5)1/2] e submetidos à análise de variância, sendo as médias comparadas pelo teste Scott-Knott. Os genótipos BRS Juruá, BRS Marataoã, Rabo de Soin, BRS Guariba, BR 17 Gurguéia, BRS Xiquexique, BRS Potengi, BRS Aracê, BRS Cauamé, BRS Imponente, BRS Itaim, BRS Tumucumaque e Vita-7 foram menos suscetíveis ao ataque de Empoasca sp., enquanto que BRS Aracê, Rabo de Soin e Vita-7 foram menos atacados por Liriomyza sp.
Nayara Mesquita Mota, Juliano César Borin, Filipe Lorenzo Framil, Sabrina Silva Carmo
Published: 5 June 2020
Paubrasilia, Volume 3, pp 56-65; doi:10.33447/paubrasilia.v3i1.34

Abstract:
A transformação da paisagem pela combinação singular de arte contemporânea e botânica é uma marca do Instituto Inhotim. Uma combinação que estimula reflexões sobre cultura e biodiversidade. Devido ao paisagismo diverso e intenso, seu acervo botânico tornou-se tão relevante que, associado a outros fatores, permitiu o reconhecimento do Inhotim como jardim botânico em 2010. Esse trabalho demonstra como o paisagismo é o principal fio condutor das práticas do Inhotim enquanto jardim botânico, apresentando práticas atuais e desafios futuros. A partir do paisagismo, outras questões relevantes surgem, como a conservação da biodiversidade, a sustentabilidade e a educação ambiental. Tais questões levaram a práticas como a busca pela gestão sustentável dos recursos naturais, a pesquisa científica, a conservação de remanescentes florestais, a divulgação do conhecimento botânico através da sinalização do acervo, entre outras. Muitos desafios permanecem, mas o reconhecimento da identidade do jardim botânico movido pelo paisagismo permite o fortalecimento dessas atividades.
Revista Paubrasilia
Published: 5 June 2020
Paubrasilia, Volume 3, pp 1-6; doi:10.33447/paubrasilia.v3i1.42

Abstract:
Expedient Expediente Expédient Expediente
Flavia Katarine Da Silva, Joicelene Regina Lima Da Paz, André Luiz Costa Moreira
Published: 5 June 2020
Paubrasilia, Volume 3; doi:10.33447/paubrasilia.v3i1.23

Abstract:
Convolvulaceae compreende ca. 60 gêneros e 1.880 espécies, ocupa ambientes diversificados nas regiões tropicais e subtropicais, com poucos representantes nas zonas temperadas. O presente trabalho teve como objetivo apresentar a diversidade taxonômica das Convolvulaceae ocorrentes na Estação Ecológica do Jardim Botânico de Brasília (EEJBB), uma área de cerrado que apresenta alta diversidade de espécies, ampliando assim o conhecimento da família. Os espécimes foram analisados a partir das coleções depositadas nos herbários: CEN, HEPH, IBGE e UB. Na EEJBB, foram registradas 28 espécies de Convolvulaceae, distribuídas em seis gêneros: Cuscuta (1 espécie), Distimake (6 spp.), Evolvulus (3 spp.), Ipomoea (12 spp.), Jacquemontia (5 spp.) e Turbina (1 sp.). Os nossos resultados ampliam a lista de espécies da família na área e uma nova ocorrência de Cuscuta para o Distrito Federal, bem como reforçam a importância da EEJBB como área de conservação urbana de destaque para a flora de Convolvulaceae e do cerrado.
Marival Pereira De Sousa, Arine Barbosa Ramalho, Maria Otávia Silva Crepaldi, Allivia Rouse Carregosa Rabbani
Published: 5 June 2020
Paubrasilia, Volume 3; doi:10.33447/paubrasilia.v3i1.26

Abstract:
A arborização urbana é imprescindível para um melhor conforto da cidade. Contudo, existem aspectos que devem ser levados em consideração para que atinja todo seu potencial ambiental e social, como escolha de espécies e técnicas adequadas de plantio. O presente trabalho objetivou analisar a composição florística e a estrutura fitossociológica das árvores da praça Dr. Hélio Rocha Guimarães, em Almenara (MG), visando a colaborar com informações que possam auxiliar no correto planejamento e gestão da arborização da praça. Na pesquisa, foram levantados dados como número de árvores com padrão de altura mínima de dois metros, nome comum, nome científico, família, origem, porte, condição fitossanitária, além de aspectos dendrométricos e podas sofridas, condição do espaço livre da planta e do sistema radicular, e espaçamento entre árvores. Foram encontradas 47 árvores entre nove diferentes espécies, das quais 55,6% de origem exótica. Quanto ao número de árvores, a predominância é de nativas (72,3%); dentre elas, a Licania tomentosa (Benth.) Fritsch ou oiti (55,3%). As árvores são em sua maioria de grande porte (87%), com média de altura total de 12 m, ocupando área média de copa de 132,6 m2 e espaçamento entre si de 9,46 m. A praça apresentou um conforto do ponto de vista ambiental, considerando os aspectos estéticos e de conforto térmico. Contudo, deficitário em termos de diversidade biológica e, considerando que as árvores possuem bom espaçamento entre si, a mobilidade dos seus frequentadores fica comprometida apenas em relação aos danos causados por afloramento de raízes em alguns locais.
Gleidson Vieira Marques
Published: 5 June 2020
Paubrasilia, Volume 3, pp 7-7; doi:10.33447/paubrasilia.v3i1.38

Abstract:
A revista Paubrasilia é uma publicação eletrônica oficial do Jardim Botânico FLORAS e alcança o seu primeiro biênio. Durante este período a Paubrasilia coletivizou esforços e contribuiu com o compartilhamento de conhecimentos em botânica e a diversidade vegetal no Brasil.
Cátia Henriques Callado, Nattacha Dos Santos Moreira, Marcelo Fraga Castilhori, Ricardo Carneiro Da Cunha Reis, Carla Y. Gubáu Manão
Published: 5 June 2020
Paubrasilia, Volume 3; doi:10.33447/paubrasilia.v3i1.32

Abstract:
O Parque Botânico do Ecomuseu Ilha Grande (PaB) foi estabelecido em 2015 e retrata por meio das plantas, aspectos da história do homem na Ilha Grande e da história botânica da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. O PaB contribui para o conhecimento e a divulgação das plantas nativas da Ilha Grande e para a conservação, principalmente, daquelas ameaçadas de extinção. Nesse sentido, o PaB realiza atividades de pesquisa, ensino e extensão, com destaque para as áreas de florística, educação ambiental, ecoturismo e serviços ambientais, em uma série de ações e projetos descritos neste artigo.
Daniele Dos Santos Aragão, Cristiana Barros Nascimento Costa, Viviany Teixeira Do Nascimento
Published: 9 August 2019
Paubrasilia, Volume 2, pp 17-26; doi:10.33447/paubrasilia.v2i1.17

Abstract:
A família Annonaceae é comum no Cerrado do Oeste da Bahia, mas os estudos sobre a sua biologia floral, reprodutiva e fenológica na região, bem como dados sobre seus polinizadores, são raros. Uma das espécies comuns na área é a Xylopia aromatica (Lam.) Mart. cujos aspectos reprodutivos, motivo do presente trabalho, são pouco conhecidos. O presente artigo realiza também o estudo da biologia floral e reprodutiva, a fenologia e os polinizadores dessa espécie. O estudo foi desenvolvido em uma área de Cerrado no município de Barreiras-BA de outubro de 2015 a setembro de 2017 durante o qual foram feitas as análises da fenologia reprodutiva e dos cruzamentos do sistema reprodutivo, assim como observações da biologia floral e de visitantes florais. As flores de X. aromatica são dicogâmicas do tipo protogínicas. A floração é sincrônica e contínua, possibilitando o fluxo gênico entre os indivíduos da espécie. Dentre os visitantes florais, destacou-se um Curculionidae, único encontrado dentro da câmara floral. A protoginia de X. aromatica impede a autopolinização, evidenciando a dependência de polinizadores para seu sucesso reprodutivo. A maior formação de frutos por polinização cruzada, aliada à baixa taxa por geitonogamia, sugere um sistema reprodutivo autoincompatível para essa espécie.
Vanessa Ribeiro Matos, Francisco De Assis Ribeiro Dos Santos
Published: 8 August 2019
Paubrasilia, Volume 2, pp 6-16; doi:10.33447/paubrasilia.v2i1.19

Abstract:
Melipona scutellaris (uruçu) é endêmica da região Nordeste do Brasil, poliniza um número diversificado de espécies de plantas e é importante na manutenção da biodiversidade dos biomas da região, como a Mata Atlântica. O presente trabalho analisou 16 amostras de geoprópolis produzidas por esta abelha em uma área de Mata Atlântica no município de Entre Rios (Bahia). As quais foram processadas seguindo a técnica de acetólise com modificações sugeridas para geoprópolis. 75 tipos de pólen foram encontrados, dos quais 59 foram identificados como pertencentes a 28 famílias botânicas. A família Fabaceae foi a mais importante com 12 tipos polínicos identificados. Os gêneros Cecropia (Urticaceae), Eucalyptus (Myrtaceae), Mimosa pudica (Fabaceae) e Myrcia I (Myrtaceae) estiveram presentes em todas as amostras analisadas. Os tipos polínicos Protium heptaphyllum (Buseraceae) e Schinus terebinthifolia (Anacardiaceae), ambos utilizados como fonte de resina pelas abelhas, apresentaram frequências de distribuição de 56,25% e 81,25%, respectivamente.
Back to Top Top