Revista de Gestão dos Países de Língua Portuguesa

Journal Information
ISSN / EISSN : 21837678 / 16772067
Current Publisher: Fundacao Getulio Vargas (10.12660)
Total articles ≅ 20
Filter:

Latest articles in this journal

Inês Lisboa
Revista de Gestão dos Países de Língua Portuguesa, Volume 17, pp 24-42; doi:10.12660/rgplp.v17n2.2018.78223

Abstract:As empresas familiares estão presentes mundialmente, contribuindo positivamente para a economia, criação de riqueza e emprego. A continuidade destas empresas depende essencialmente da sua sucessão. Neste trabalho é apresentado um enquadramento teórico sobre a sucessão das empresas familiares, o que deve ser feito e os principais erros. Posteriormente, é feito um levantamento sobre a sucessão das empresas familiares da região de Leiria, em Portugal. Por fim, é analisado o impacto da geração da empresa e da existência de gestores não familiares no endividamento destas empresas. Os resultados evidenciam que a maioria das empresas se encontra na geração do fundador e que os gestores são maioritariamente familiares. Porém, uma percentagem de 45% dos inquiridos já se preocupou com a sucessão e elaborou um plano, embora o tenha feito maioritariamente sem o apoio de especialistas na área. Por fim, a geração da empresa e o tipo de gestor não tem impacto no endividamento destas empresas.
Arménio Rego, Miguel Pina E Cunha, Victor Meyer Jr.
Revista de Gestão dos Países de Língua Portuguesa, Volume 17, pp 43-57; doi:10.12660/rgplp.v17n2.2018.78224

Abstract:Uma das dificuldades associadas à realização de investigação qualitativa remete para a dimensão das amostras. Com alguma frequência, os investigadores não justificam a sua escolha de N e são por isso criticados. Este artigo apresenta linhas de orientação para a determinação e justificação do número de casos a usar numa investigação qualitativa. Defende que (a) o aumento da dimensão da amostra não é, em si, uma vantagem, e (b) a quantidade desejável de casos da amostra depende da pergunta de investigação e da declinação da mesma numa série de linhas orientadoras.
Edzangela De Vasconcelos Santos, Lígia Maria Quitério, Renata Mahfuz Daud-Galotti, Marcia Cristina Zago Novaretti
Revista de Gestão dos Países de Língua Portuguesa, Volume 17, pp 58-72; doi:10.12660/rgplp.v17n2.2018.78226

Abstract:Falhas assistenciais podem comprometer a segurança de pacientes. No hospital, em especial na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), a gestão de operações depende de tarefas administrativas, mas não foi estudado até então seu papel na segurança de pacientes. Esta pesquisa analisou incidentes decorrentes de falhas administrativas em pacientes internados em UTI com abordagem empírica de caráter exploratório-descritivo e estratégia de pesquisa-ação. Detectamos 653 incidentes decorrentes de falhas administrativas (6,94%), sendo 280 eventos adversos (42,8%). A ocorrência de falhas administrativas prolongou internação na UTI em 1,84 dias, (p<0,0005) e no hospital (p=0,002). A maioria dos incidentes (99,3%) era evitável. O gestor pode atuar neste cenário monitorando tarefas administrativas de risco à segurança do paciente usando diferentes ferramentas e até preveni-las, colocando barreiras buscando melhoria da qualidade e maior eficiência operacional.
Renato Lopes Da Costa, Nelson José Dos Santos António
Revista de Gestão dos Países de Língua Portuguesa, Volume 17, pp 4-23; doi:10.12660/rgplp.v17n2.2018.78222

Abstract:Embora a literatura existente apelide o setor de consultoria de gestão como um setor extraordinário e um fenómeno único no contexto empresarial, na verdade, estas afirmações não vêm acompanhadas por um número de estudos académicos que realcem a importância do trabalho efetivo dos consultores de gestão. Para combater a falta de estudos nesta área emergente, este artigo visa construir um modelo que permita combinar, numa mesma estrutura, os papéis dos consultores de gestão, as variáveis a equacionar em cada um destes papéis e o tipo de consultoria implícita em cada uma destas análises. Os resultados da análise empírica sob a forma de entrevistas semiestruturadas e questionários aplicados a consultores de gestão e gestores de PME em Portugal demonstram que os papéis dos consultores não podem ser apenas definidos nas variáveis visibilidade organizacional e estatuto do consultor.
Revista de Gestão dos Países de Língua Portuguesa; doi:10.12660/rgplp

Carlos Mota
Revista de Gestão dos Países de Língua Portuguesa, Volume 18, pp 57-78; doi:10.12660/rgplp.v18n1.2019.78484

Abstract:Este estudo analisa a disciplina do depositante bancário em Angola, um mercado emergente. Investiga se os depositantes são capazes de monitorizar os riscos bancários, reconhecendo e penalizando os bancos mais arriscados por meio das alterações nos depósitos e juros pagos. Utiliza os dados anuais de um painel de instituições bancárias angolanas, no período entre 2008 e 2017, para analisar o impacto e valor explicativo dos fatores de risco no comportamento dos depositantes. Os resultados sugerem não haver evidência consistente de disciplina de mercado. Os depositantes angolanos se mostram pouco receptivos ao risco bancário, após controle de outros fatores, e a capacidade explicativa global dos modelos de regressão é reduzida. No entanto, nem todos os fatores de risco evidenciam a mesma ausência de preponderância. Evidencia-se, ainda, que a disciplina não difere entre os vários grupos de bancos em função da proveniência e propriedade do capital e que a monitorização dos comportamentos de risco efetuada pelos depositantes não foi significativamente alterada pela crise econômica e financeira angolana.
Roberto Da Costa Pimenta
Revista de Gestão dos Países de Língua Portuguesa, Volume 18; doi:10.12660/rgplp.v18n1.2019.78935

Luciana Alves Rodas Vera, Marlusa De Sevilha Gosling, Helena Belintani Shigaki
Revista de Gestão dos Países de Língua Portuguesa, Volume 18, pp 15-32; doi:10.12660/rgplp.v18n1.2019.78889

Abstract:Em uma cultura em que os consumidores passam a ser representados e compreendidos como sujeitos em busca de uma identidade reflexiva e empoderada, o tema Consumer Culture Theory ou Teoria da Cultura do Consumo (CCT) ganha relevância. Este ensaio teórico tem por objetivo a discussão sobre as possibilidades, as críticas e os caminhos dessa tradição teórica em estudos de Marketing no Brasil. Os resultados deste ensaio teórico apontam que tal abordagem tem ganhado crescente atenção no campo do comportamento do consumidor, com estudos desenvolvidos em vários sentidos, como padrões sócio-históricos de consumo, culturas de mercado, identidade do consumidor e apropriações do uso de mídias. Igualmente, nota-se que a CCT apresenta muitas possibilidades em pesquisa de marketing, tanto no contexto brasileiro quanto estrangeiro e que suas poucas críticas podem ser solucionadas e revertidas por meio do contexto interdisciplinar que este novo campo de estudo propõe.
Aloisio Celso De Araujo, João Alberto Neves Dos Santos, Gilson Brito Alves Lima, Julio Nichioka, Luiz Octávio Gavião
Revista de Gestão dos Países de Língua Portuguesa, Volume 18, pp 33-56; doi:10.12660/rgplp.v18n1.2019.78890

The publisher has not yet granted permission to display this abstract.
Guilherme Abib Leão, Bernardo Guelber Fajardo
Revista de Gestão dos Países de Língua Portuguesa, Volume 18, pp 1-14; doi:10.12660/rgplp.v18n1.2019.78457

Abstract:Os vieses cognitivos têm-se mostrado capazes de afetar as decisões dos agentes, desviando-as da escolha racional. O objetivo do estudo foi identificar o efeito dos vieses da racionalidade conhecidos como efeito chamariz e efeito âncora na escolha de diferentes ofertas de emprego. Por meio de metodologia experimental, um questionário foi estruturado e respondido por 142 estudantes de Administração; ele apresentava oportunidades de emprego e remunerações esperadas hipotéticas, a ser escolhidas pelos respondentes, nas quais foram inseridos chamarizes e âncoras. Os resultados demonstram que os vieses da racionalidade são capazes de influenciar as escolhas profissionais e o valor mínimo pelo qual os respondentes aceitariam prestar um serviço.