Revista de Gestão dos Países de Língua Portuguesa

Journal Information
ISSN / EISSN : 21837678 / 16772067
Current Publisher: Fundacao Getulio Vargas (10.12660)
Total articles ≅ 34
Filter:

Latest articles in this journal

Joaquim Rubens Fontes-Filho, Carla Xavier Dos Santos Kaufmann, Tania Maria Peixoto Fonseca, Roberto Da Costa Pimenta, Juliana Bezerra De Souza, Ernane Dantas Novaes
Revista de Gestão dos Países de Língua Portuguesa, Volume 19, pp 57-81; doi:10.12660/rgplp.v19n1.2020.81475

The publisher has not yet granted permission to display this abstract.
Cristiane Aparecida Da Silva, Edicreia Andrade Dos Santos
Revista de Gestão dos Países de Língua Portuguesa, Volume 19, pp 39-56; doi:10.12660/rgplp.v1n1.2020.81044

Abstract:
Este estudo teve por objetivo examinar quais são os reflexos das falhas cognitivas no uso da internet por parte dos servidores públicos federais na satisfação do design de conteúdo, na satisfação do design de interface e desses tipos de design no valor de utilidade percebida e na intenção de continuidade do uso dos sistemas e-learning adotados nos cursos de aperfeiçoamento. Para tanto, realizou-se uma pesquisa descritiva, com abordagem quantitativa e dados coletados a partir de um survey aplicado a 50 servidores públicos de um hospital universitário federal localizado na Região Centro-Oeste do Brasil. Para testar as hipóteses, aplicou-se a técnica de equações estruturais. Os resultados indicaram que o valor de utilidade percebida afeta positivamente a intenção de continuidade do uso, porem, não foi possível confirmar que a falha cognitiva na internet afeta negativamente a satisfação do individuo com o design de conteúdo e com o design de interface do sistema e-learning, nem que a satisfação com o design de conteúdo e o design de interface afeta positivamente o valor de utilidade percebida. Em tempos de limitações financeiras, especialmente no setor público, os sistemas e-learning possibilitam que o treinamento atinja diversas forças de trabalho dispersas geograficamente, tornando-se ferramentas populares para facilitar processos de ensino e aprendizagem que viabilizam um aprendizado flexível.
Wesley Da Silva Lourenço, Luiz Cláudio Louzada, Paulo Victor Gomes Novaes
Revista de Gestão dos Países de Língua Portuguesa, Volume 19, pp 14-38; doi:10.12660/rgplp.v1n1.2020.78460

Abstract:
Este artigo concentra-se em investigar o papel de moderação da concentração do mercado na relação entre desempenho operacional e composição de custos das empresas. Adotamos para desempenho operacional o Retorno sobre Capital Investido (ROIC) e o Grau de Alavancagem Operacional (DOL) como proxy para o comportamento de custo das empresas. Como proxy da concentração de mercado, nos adotamos o Índice Herfindahl-Hirschman (HHI) e também incluímos o Grau de Alavancagem Financeira (DFL) como variável moderadora para aumentar nossa robustez. O banco de dados abrange empresas não financeiras no mercado brasileiro de 1996 a 2016, terceiro trimestre. Nossas descobertas indicam a existência de um efeito moderador de concentração no relacionamento entre ROIC e DOL nos setores de Industria e Serviços. Os resultados gerais sugerem a existência de uma relação entre o desempenho operacional das empresas e o comportamento dos custos, indicado por uma relação negativa entre ROIC e DOL. Além disso, o grau de alavancagem financeira (DFL) e a concentração do mercado (HHI) exercem um papel moderador combinado na relação entre ROIC e DOL. Nos setores de Industria e Serviços, na medida em que a concentração do mercado se move para uma configuração de nível de concentração mais alta, o efeito moderador do HHI se torna mais latente.
Rodrigo De Oliveira Leite, Layla Dos Santos Mendes
Revista de Gestão dos Países de Língua Portuguesa, Volume 19, pp 1-13; doi:10.12660/rgplp.v1n1.2020.78456

Abstract:
Nos aprimoramos a teoria de Rajan e Zingales (1995) por meio da análise de dados de um período mais recente e de técnicas estatísticas mais robustas. Comprovamos que o modelo teórico proposto por Rajan e Zingales continua atual, mesmo levando em conta correções para autocorrelações seriais e controlando pela alavancagem inicial. Porém, o nível de tangibilidade mostrou-se não ser significante, o que é atribuído a mudança da estrutura das firmas dos países desenvolvidos. Assim, este estudo contribui para uma modificação dos determinantes de alavancagem nos países componentes do G7.
Miguel Pina E Cunha, Arménio Rego
Revista de Gestão dos Países de Língua Portuguesa, Volume 18, pp 188-206; doi:10.12660/rgplp.v18n3.2019.79780

Abstract:
A investigação sobre gestão e organizações tem sido metodologicamente dominada pela lógica hipotético-dedutiva e pelos métodos quantitativos. Tal orientação tem possibilitado significativos desenvolvimentos do conhecimento. Todavia, essas disciplinas também se beneficiam da aplicação de métodos indutivos. Assim, os métodos indutivos são aqui apresentados como de especial relevância para um mundo organizacional em profunda mudança. Este artigo apresenta algumas das críticas recorrentes aos métodos qualitativos (MQ) de natureza indutiva, bem como possíveis remédios contra essas críticas. O texto procura ultrapassar a visão preconceituosa por vezes feita dos MQ. Mas estes métodos ajudam a explicar, a mostrar por quê, a retratar com rigor os fenômenos estudados –o objetivo último da investigação científica. Permitem, ainda, mitigar um problema atual dos estudos organizacionais, um campo no qual muitos estudos são rigorosos, mas oferecem conclusões triviais.
Thainá Islan Oliveira Nunes, Adilson Caldeira
Revista de Gestão dos Países de Língua Portuguesa, Volume 18, pp 229-251; doi:10.12660/rgplp.v18n3.2019.78463

Abstract:
Este estudo teve por objetivo compreender como a inovação influencia a decisão de compra dos consumidores de peças de vestuário, de modo a proporcionar vantagens competitivas aos produtos inovadores sobre seus concorrentes. A partir de abordagens já existentes sobre estratégias para a competitividade e práticas de inovação, realizou-se pesquisa de campo, via questionário aplicado a consumidores de produtos de vestuário, para identificar sua visão quanto às práticas de inovação e a competitividade de empresas que suprem esse mercado. Adotou-se um método quantitativo, com fim exploratório. Os dados foram coletados via internet em questionário com 20 assertivas, sendo consideradas válidas 211 respostas. Os dados foram submetidos a estatística descritiva para o perfil da amostra e estatística multivariada (análise fatorial e de correlação), com uso do software SPSS. A análise identificou correlações entre práticas de inovação e decisão de compra de produtos no setor em questão, na visão dos participantes da pesquisa. Os resultados evidenciam a subjetividade no valor percebido pelo consumidor – como a utilidade do produto e os benefícios oferecidos, a influência da diferenciação do produto como determinante na decisão de compra, a percepção do valor da inovação pelos consumidores (que aceitam pagar mais pelo diferencial) e a preferência por marcas inovadoras e internacionais – e revelam aspectos que podem ser utilizados estrategicamente pelas empresas na conquista e fidelização de seus clientes, propiciando vantagens competitivas.
Carlos André Marinho Vieira, Evaldo José Da Silva, Wenner Glaucio Lopes Lucena
Revista de Gestão dos Países de Língua Portuguesa, Volume 18, pp 169-187; doi:10.12660/rgplp.v18n3.2019.78290

Abstract:
Este artigo analisa as características empresariais que influenciam o número de membros do conselho de administração (CA), sua independência e a dualidade do diretor executivo (chief executive offi cer [CEO]). A amostra do estudo consiste em 162 empresas financeiras e não financeiras listadas na B3 no período entre 2010 e 2014. Observou-se que empresas maiores, menos endividadas e com perspectiva de crescimento apresentam um conselho formado por mais membros. Holdings, empresas mais antigas, menos lucrativas e com seu CEO compondo o conselho apresentavam menos membros independentes. Empresas mais endividadas, com seu CEO compondo o conselho e com conselhos maiores apresentaram mais membros externos. Por fi m, empresas menores, mais lucrativas e com menos oportunidades de crescimento tinham seu CEO também ocupando o cargo de presidente do CA (chairman).
Roberto Da Costa Pimenta
Revista de Gestão dos Países de Língua Portuguesa, Volume 18; doi:10.12660/rgplp.v18n3.2019.80756

Luciana Graziani, Pedro Paulo Murce Meneses, Marcus Vinícius De Miranda Castro, André Luiz Marques Serrano
Revista de Gestão dos Países de Língua Portuguesa, Volume 18, pp 207-228; doi:10.12660/rgplp.v18n3.2019.79484

Abstract:
Diante da percebida dificuldade para implementar políticas estratégicas de gestão de pessoas (GP), este estudo explora quais são os fatores que contribuem para tal dificuldade. O artigo identifica fatores contextuais de natureza institucional, política, organizacional e setorial que podem interferir na implementação de políticas de gestão estratégica de pessoas (GEP) no caso de uma empresa pública, segundo categorias de contingências levantadas previamente na literatura. Trata-se de pesquisa com abordagem qualitativa e uso de entrevistas e pesquisa documental. Os dados foram submetidos a análise de conteúdo. Os resultados indicam que os principais fatores interferentes se relacionam a aspectos: a) culturais, devido ao perfil dos empregados da empresa; b) políticos, pois na empresa os projetos estratégicos tendem a ser descontinuados; e c) setoriais, pois a unidade de GP goza de baixa credibilidade, reputação e autonomia. Conclui-se que iniciativas de implementação de políticas de GEP constituem, sobretudo, um processo de mudança cultural.
Antonio Iacono, Marcelo Seido Nagano
Revista de Gestão dos Países de Língua Portuguesa, Volume 18, pp 146-168; doi:10.12660/rgplp.v18n2.2019.78459

Abstract:
Este artigo tem por objetivo analisar os processos de aprendizagem e identificar os mecanismos de aquisição e conversão de conhecimento que contribuem significativamente para o processo de acúmulo de capacidade tecnológica. A fim de alcançar tais objetivos, realizou-se um estudo exploratório junto a 44 empresas do setor de bens de capital mecânico no Brasil. Para analisar a contribuição dos mecanismos de aquisição e conversão de conhecimento, foram utilizados o Índice de Capacidade Tecnológica (ICT) e a regressão linear múltipla com seleção de variáveis stepwise. Os resultados da análise econométrica revelaram a aderência de poucos mecanismos de aprendizagem para a aquisição externa de conhecimento, aquisição interna de conhecimento e codificação de conhecimento. O uso de apenas um ou outro mecanismo, por mais eficiente que se apresente, não é suficiente para contribuir e explicar o ICT. É necessário ampliar e aprimorar continuamente uma variedade de mecanismos em todos os tipos de processos de aprendizagem, para rotinizar a conversão de aprendizagem individual em organizacional.
Back to Top Top