Revista do Centro de Estudos Portugueses

Journal Information
ISSN / EISSN : 1676-515X / 2359-0076
Current Publisher: Faculdade de Letras da UFMG (10.17851)
Total articles ≅ 852
Filter:

Latest articles in this journal

Matthews Carvalho Rocha Cirne
Revista do Centro de Estudos Portugueses, Volume 40, pp 89-106; doi:10.17851/2359-0076.40.63.89-106

Abstract:
Resumo: A poesia experimental encontra-se constantemente vinculada às obras ensaísticas dos autores que integraram o movimento, em suas diversas fases. Este artigo tem por objetivo compreender a poética de E. M. de Melo e Castro através dos seus ensaios. O ponto de partida será o livro Literatura portuguesa de invenção (1984), do qual serão destacados alguns pontos de interesse, que são a transgressão e a intertextualidade. Buscaremos ainda traçar as fronteiras existentes entre o poema e o ensaio, bem como a relação de ambos com os movimentos de vanguarda e o mecanismo inventivo denominado poesia programática, resultado de um trabalho de pesquisa histórica que reinseriu o Barroco na poesia portuguesa desde o final dos anos 50. As reflexões de Clément Rosset, Georges Didi-Huberman, Hannah Arendt, Marcos Siscar e Walter Benjamin subsidiarão este estudo interpretativo da obra de Melo e Castro.Palavras-chave: intertextualidade; experimentalismo; transgressão; vanguardas. The experimental poetry is constantly linked to essayistic works of authors that integrated the movement, in their several phasis. This article seeks the understanding of the poetics of E. M. de Melo e Castro through his essays, as well as their relationship with the movements of vanguard and the inventive mechanism called poesia programática, result of a work of historical research that reinserted the Baroque in portuguese poetry since the late 50’s. The reflections of Clément Rosset, Georges Didi-Huberman, Hannah Arendt, Marcos Siscar and Walter Benjamin will subsidize this interpretative study of the work by Melo e Castro.Keywords: intertextuality; experimentalism; transgression; vanguards.
Silvana Maria Pessôa De Oliveira, Maria Do Socorro Fernandes De Carvalho, Raquel Dos Santos Madanêlo Souza, Roberto Bezerra De Menezes
Revista do Centro de Estudos Portugueses, Volume 40, pp 7-8; doi:10.17851/2359-0076.40.63.7-8

Antonio Simplício De Almeida Neto
Revista do Centro de Estudos Portugueses, Volume 40, pp 33-40; doi:10.17851/2359-0076.40.63.33-40

Abstract:
Resumo: Esse artigo apresenta um relato autobiográfico no qual o autor procura recuperar seus primeiros contatos com a poesia visual-concreta-experimental ao longo dos anos 1980 em função de deslocamentos provocados por diferentes sujeitos presentes nas relações estabelecidas no meio universitário do curso de graduação em História. Escapando de uma perspectiva histórica teleológica e de supostos encadeamentos lógicos e objetivos de causa e efeito, entende sua trajetória lítero-poética como decorrente de improváveis intercorrências no campo social em que se inseria. Ressalta, por isso mesmo, a importância dos processos educativos básicos e acadêmicos na promoção dos deslocamentos criativos e poiéticos. Traz, finalmente, um poema-visual de sua autoria em que relaciona história, memória e o fazer poético.Palavras-chave: poesia visual; poesia experimental; concretismo; autobiografia; memória.This article presents an autobiographical account in which the author seeks to recover his first contacts with visual-concrete-experimental poetry throughout the 1980s due to displacements caused by different subjects present in the relationships established in the undergraduate course in History. Avoiding a teleological historical perspective and supposed logical links and objectives of cause and effect, he understands his literary-poetic trajectory as a result of unlikely complications in the social field to which he belonged. It therefore emphasizes the importance of basic and academic educational processes in the promotion of creative and poietic dislocations. Finally, he brings a visual poem of his own in which he relates history, memory and poetic making.Keywords: visual poetry; experimental poetry; concretism; autobiography; memory.
Roberto Bezerra De Menezes
Revista do Centro de Estudos Portugueses, Volume 40, pp 75-87; doi:10.17851/2359-0076.40.63.75-87

Abstract:
Resumo: A poética de E. M. de Melo e Castro, um dos maiores representantes da Poesia Experimental em Portugal, fundamenta-se num jogo constante com as linguagens disponíveis, da escrita à imagética, da escrita enquanto imagem, da imagem enquanto inscrição. O objetivo desta reflexão é procurar compreender a postura do poeta perante a tradição partindo de suas experimentações em torno do soneto e de sua busca pelo que chamou “poligonia total da experimentação poética”. Para isso, recorreremos à obra Poligonia do soneto (1963) e a textos teóricos e reflexivos do autor, além de outras leituras críticas.Palavras-chave: soneto; poesia experimental portuguesa; tradição; forma. The poetics of E. M. de Melo e Castro, one of the greatest representatives of Experimental Poetry in Portugal, is based on a constant game with the available languages, from writing to imagery, from writing as image, from image as inscription. The purpose of this reflection is to seek to understand the poet’s attitude towards tradition based on his experiments on the sonnet and on his search for what he called “the total polygon of poetic experimentation”. For this, we will use the work Poligonia do soneto (1963) and the author’s theoretical and reflective texts, as well as other critical readings.Keywords: sonnet; Portuguese experimental poetry; tradition; form.
Franklin Larrubia Valverde
Revista do Centro de Estudos Portugueses, Volume 40, pp 41-50; doi:10.17851/2359-0076.40.63.41-50

Abstract:
Resumo: Este artigo traz um relato pessoal sobre o meu despertar para a poesia concreta e experimental depois de assistir a uma aula em meu curso de graduação na qual foi analisado o poema “Objectotem” de E. M. de Melo e Castro. Nele abordo também a importância da obra desse poeta português. Essas reflexões foram apresentadas de forma abreviada no colóquio Pensar a Palavra-Experiência: Homenagem a E. M. de Melo e Castro, realizado em outubro de 2019, na Universidade Federal de São Paulo – UNIFESP, campus Guarulhos.Palavras-chave: poesia concreta, poesia experimental, Melo e Castro. Report of the awakening of poet Franklin Valverde for concrete and experimental poetry after a class in which the poem “Objectotem” by E. M. de Melo e Castro was analyzed, as well as the importance of the work of the Portuguese poet. Presented at the Think the Word-Experience: Tribute to E. M. de Melo e Castro, held in October 2019, at the Federal University of São Paulo - UNIFESP, Guarulhos campus.Keywords: concrete poetry, experimental poetry, Melo e Castro.
Ernesto Manuel De Melo E Castro
Revista do Centro de Estudos Portugueses, Volume 40, pp 11-21; doi:10.17851/2359-0076.40.63.11-21

Abstract:
Resumo: Conferência lida no dia 23 de outubro de 2019, na Universidade Federal de São Paulo, campus Guarulhos, durante o Colóquio “Pensar a palavra-experiência”: homenagem a E.M. de Melo e Castro.Palavras-chave: poesia portuguesa contemporânea; experimentação; vanguarda. Conference read on October 23, 2019, at the Federal University of São Paulo, Guarulhos campus, during the Colloquium “Pensar a palavra-experiência”: Homenagem a E.M. de Melo e Castro.Keywords: contemporary portuguese poetry; experimentation; vanguard.
Moacir Amâncio
Revista do Centro de Estudos Portugueses, Volume 40, pp 25-32; doi:10.17851/2359-0076.40.63.25-32

Abstract:
Resumo: A poesia do autor português Ernesto Manuel de Melo e Castro, radicado no Brasil, desconhece limites geográficos e da expressão, pautando-se pelos ritmos da liberdade. Sua obra, marcada pelo concretismo brasileiro, confirma o movimento, conferindo-lhe não um papel de superioridade e influência, mas um papel de diálogo, de junção das experiências e a busca de linguagens contemporâneas. O que não se limita à experimentação expressiva, pois implica a atuação num espectro amplo e da quebra de tabus. O questionamento incansável é a pauta de sua obra.Palavras-chave: poesia portuguesa; vanguarda; experimentação; concretismo; barroco. The poetry of Portuguese author Ernesto Manuel de Melo e Castro, based in Brazil, is oblivious to limits of geography and expression, guided instead by the rhythms of freedom. His work, marked by Brazilian Concretism, confirms the movement, providing not a role of superiority and influence, but of dialogue, of bringing together experiences and the search for contemporary languages. This is not limited to expressive experimentation, as it implies acting on a broad spectrum and breaking taboos. The tireless questioning is his work’s agenda.Keywords: Portuguese poetry; vanguard; experimentation; concretism; baroque.
Maria Do Socorro Fernandes De Carvalho
Revista do Centro de Estudos Portugueses, Volume 40, pp 51-58; doi:10.17851/2359-0076.40.63.51-58

Abstract:
Resumo: Este pequeno texto parte da constatação de recorrências literárias entre a Poesia Experimental de E. M. Melo e Castro e a Poesia Concreta brasileira, que tem origem no diálogo intertextual ocorrido no cerne das rupturas literárias das vanguardas nas décadas de 1950 e 1960 no Brasil e em Portugal. Trato dessas relações a partir da leitura de três livros de poesia escritos pelo poeta português: Queda livre, de 1961, Ideogramas, de 1962 e Poligonia do soneto, de 1963.Palavras-chave: experimentação; poesia concreta; vanguarda; ruptura; modernidade. This text is based on the observation of literary recurrences between E. M. Melo e Castro’s Experimental Poetry and Brazilian Concrete Poetry, which originates from the intertextual dialogue that took place at the heart of the literary ruptures of the avant-garde in the 1950s and 1960s in Brazil and Portugal. I deal with these relations from the reading of three poetry books written by the Portuguese poet: Queda Livre, 1961, Ideogramas, 1962 and Poligonia do soneto, 1963.Keywords: experimentation; concrete poetry; avant-garde; rupture; modernity.
Sandro Ornellas
Revista do Centro de Estudos Portugueses, Volume 40, pp 59-74; doi:10.17851/2359-0076.40.63.59-74

Abstract:
Resumo: A partir da colaboração entre Melo e Castro e Herberto Helder na direção do segundo número da revista PO.EX, de 1966, o texto propõe um diálogo entre os dois poetas quanto ao uso do método cibernético da combinação em suas poéticas. Toma-se inicialmente o contexto do pós-guerra, quando o método combinatório passa a ser chave de criação para os poetas. No fim do texto, chega-se à contemporaneidade, quando a tecnologia algorítmica parece controlar e conduzir destinos político-culturais. Nesse percurso, articulam-se algumas semelhanças e diferenças entre os usos da combinação pelos dois poetas, permitindo-nos pensar algumas contradições históricas na imbricação entre discurso poético e tecnologia, sendo infinito e segredo os elementos potencialmente políticos que as poéticas de Melo e Castro e Herberto Helder desenvolvem em suas combinações.Palavras-chave: infinito, segredo, combinação, Herberto Helder, Melo e Castro. Based on the collaboration between Melo e Castro and Herberto Helder for the second issue of the PO.EX magazine, from 1966, the article proposes a dialogue between the two poets regarding the use of the cybernetic method of combination in their poetics. Initially, as of the post-war context, when the combinatorial method became the key of creation for some poets. In the conclusion, it reaches contemporary times, when algorithmic technology seems to control and drive political-cultural goals. Throughout the article, the author approaches some similarities and differences between the uses of the combination by the poets, enabling us to think some historical contradictions in the connection between poetic discourse and technology. This leads infinite and secret as potentially political elements in the Melo e Castro and Herberto Helder’s poetics of combination.Keywords: infinite, secret, combination, Herberto Helder, Melo e Castro.
Rui Torres
Revista do Centro de Estudos Portugueses, Volume 40, pp 107-126; doi:10.17851/2359-0076.40.63.107-126

Abstract:
Resumo: O objetivo deste artigo é apresentar a poesia experimental portuguesa através da identificação de certos ecos e nexos que as suas criações verbivocovisuais estabelecem com as propostas estéticas de Ernesto de Sousa, colocando-os por isso em diálogo. Pretende-se para isso focalizar o estudo do experimentalismo poético em vetores orientadores que acreditamos permitir uma abordagem mais adequada à multiplicidade e profusão do corpus disponível. Esse foco norteador será construído a partir do conceito de diálogo(s): diálogo com o leitor (a obra em relação interativa com o receptor, isto é, a sua abertura à interpretação); diálogo com a escrita (a obra reflexiva em relação à linguagem, a sua abertura ao código); e diálogo com a tradição (a obra como releitura e reescrita, a sua abertura ao mundo). Conclui-se que a poesia experimental sinaliza uma libertação do texto em direção ao leitor, ao código e a uma renovação da tradição: a uma libertação que é simultaneamente estética e política, aspetos aqui referidos como poeprática e poelítica.Palavras-chave: Poesia experimental portuguesa; dialogismo; abertura; Ernesto de Sousa. The aim of this paper is to present the Portuguese experimental poetry through the identification of certain echoes and nexuses that its verbivocovisual creations establish with Ernesto de Sousa’s aesthetic proposals, thus placing them in dialogue. This is achieved by focusing the study of poetic experimentalism using some guiding vectors that we believe allow for a more adequate approach to the multiplicity and profusion of the available corpus. This guiding focus will be built from the concept of dialogue(s): dialogue with the reader (the work in interactive relationship with the receiver, that is, its openness to interpretation); dialogue with writing (the reflexive work in relation to language, its openness to the code); and dialogue with tradition (the work as rereading and rewriting, its openness to the world). We conclude that experimental poetry signals a liberation of the text towards the reader, the code, and a renewal of tradition: a liberation that is both aesthetic and political, aspects referred to here as poepractice and poelitics.Keywords: Portuguese experimental poetry; dialogism; openness; Ernesto de Sousa.
Back to Top Top