Revista Eletrônica de Estudos Integrados em Discurso e Argumentação

Journal Information
EISSN : 2237-6984
Current Publisher: Galoa Events Proceedings (10.17648)
Former Publisher: Revista Eletronica de Estudos Integrados em Discurso e Argumentacao (10.47369)
Total articles ≅ 167
Current Coverage
DOAJ
Archived in
SHERPA/ROMEO
Filter:

Latest articles in this journal

Mírian Lúcia Brandão Mendes
Revista Eletrônica de Estudos Integrados em Discurso e Argumentação; doi:10.47369/eidea-20-3-2782

Abstract:
Este artigo tem como proposta discutir a construção descritiva do racismo no século XIX. O objetivo principal é verificar os mecanismos da descrição como estratégias discursivas utilizadas nos enunciados dos anúncios de escravizados do jornal Correio Paulistano e nos textos opinativos em A Redempção. A análise metodológica do corpus é fundamentada a partir da Teoria Semiolinguística de Charaudeau (2008), com foco na verificação do funcionamento dos procedimentos discursivos da construção descritiva. De um modo geral, as análises sinalizaram que, nos textos analisados, as categorias do qualificar surgem em maior número revelando os primeiros traços do racismo sobre o negro no Brasil. Essa percepção pode ser confirmada não só nas análises dos anúncios de escravizados do Correio Paulistano como também nas propostas abolicionistas de A Redempção.
Edmar Peixoto De Lima, Marcia Pereira Da Silva Franca, Maria José Fernandes Da Silva Araújo
Revista Eletrônica de Estudos Integrados em Discurso e Argumentação; doi:10.47369/eidea-20-3-2771

Abstract:
Este artigo objetiva analisar a interação dos argumentos com vistas a compreender a força da argumentação presente na construção de uma reportagem sobre bullying nas escolas. O trabalho se fundamenta nos estudos de Perelman & Olbrechts-Tyteca (2005), Cunha (2005), Bakhtin (2016), Amossy (2018), entre outros estudiosos. Os resultados apontam que a força dos argumentos está relacionada às teses principais e às escolhas dos argumentos de sustentação que, por sua vez, variam de acordo com o auditório a quem o orador se direciona e com o gênero textual utilizado na enunciação. Sendo assim, o objeto de estudos desta investigação se configura em uma temática importante para a argumentação, tendo em vista que não basta apenas identificar as teses defendidas, mas também cabe ao pesquisador analisar de que forma os argumentos e as teses interagem no texto para exercer a função de influenciar ou orientar o outro na conversação.
Jean-Blaise Grize
Revista Eletrônica de Estudos Integrados em Discurso e Argumentação; doi:10.47369/eidea-20-3-3012

Abstract:
Considera-se aqui que argumentar é uma atividade discursiva endereçada a alguém com a intenção de convencê-lo(la) ou persuadi-lo(la) de algo, enquanto demonstrar é uma atividade de cálculo que não se endereça a alguém em particular. Uma argumentação apresenta dois aspectos: ela deve provar para convencer, ou seja, dirimir dúvidas que podem nascer no destinatário; e como as palavras do discurso remetem necessariamente a objetos carregados de valores emotivo-afetivos, a argumentação deve também iluminar a situação de forma positiva aos olhos do destinatário.
Glayci Kelli Reis Da Silva Xavier
Revista Eletrônica de Estudos Integrados em Discurso e Argumentação; doi:10.47369/eidea-20-3-2945

Abstract:
O presente trabalho tem como objetivo principal investigar os recursos linguístico-discursivos e as estratégias da argumentação presentes em gêneros multimodais da instância midiática. A metodologia da pesquisa tem caráter teórico e aplicado. Como corpus, são utilizadas uma charge, uma peça publicitária e uma capa de revista. A base teórica principal será a Teoria Semiolinguística de Análise do Discurso, de Patrick Charaudeau (2008; 2016), em interface com a Argumentação no Discurso, de Ruth Amossy (2011; 2018), e com os estudos acerca da multimodalidade textual (DIONISIO, 2011; ROJO, 2012; ROJO e MOURA, 2019). Por meio da pesquisa, reforça-se a ideia de que, devido ao desenvolvimento da tecnologia e ao grande acesso ao “mundo” virtual, torna-se cada vez mais necessário o letramento (ou multiletramentos) para a leitura de textos multimodais, de modo que o indivíduo possa ampliar sua capacidade de compreender/interpretar o mundo ao redor e, consequentemente, possibilitar sua plena participação social.
Revista Eletrônica de Estudos Integrados em Discurso e Argumentação; doi:10.47369/eidea-20-3-2779

Abstract:
Este artigo mostra resultados da análise dos textos-cartas enviados por Jô Soares ao presidente Bolsonaro, publicados na Folha de São Paulo. A análise do corpus pontua formas pelas quais um lugar discursivo materializado em pastiche está afetado pelo determinante político do sentido. Fundamentado na Análise do Discurso pecheutiana, conclui que este lugar faz emergir o sujeito do discurso por efeitos de sentido que, de forma deslocada, sustentam uma argumentação que por meio do humor e do pastiche instala críticas ao atual governo.
Juliemerson José Silva,
Revista Eletrônica de Estudos Integrados em Discurso e Argumentação; doi:10.47369/eidea-20-3-2657

Abstract:
O presente trabalho propõe investigar como se manifesta a (re)construção dos efeitos de sentido e a orientação argumentativa, por meio do meme, a partir de um olhar semântico-enunciativo. Sendo assim, nossa pesquisa elege os memes como objeto de estudo, no intuito de compreender esse fenômeno de ação coletiva na/da cibercultura sob a perspectiva da Semântica da Enunciação. Para desenvolver a análise a que nos propomos, buscamos discutir o conceito de meme, examinando as características que o compõem. No que tange ao tema e à delimitação do objeto de estudo, procuramos abordar os memes relacionados à ex-presidente do Brasil, Dilma Rousseff. A elaboração do corpus da pesquisa foi realizada por meio de entradas de busca na plataforma Google utilizando do processo metodológico das redes enunciativas (DIAS, 2018). Como resultado, a pesquisa constatou que os movimentos argumentativos, presentes nos memes, se configuram pela orientação temática e posicionamentos, direcionando efeitos de sentido.
Aleise Guimarães Carvalho, Maria Eliane Gomes Morais, Erivaldo Pereira Do Nascimento
Revista Eletrônica de Estudos Integrados em Discurso e Argumentação; doi:10.47369/eidea-20-3-2910

Abstract:
Este artigo objetiva identificar e analisar o emprego dos operadores de contraposição mobilizados para formulação da tese presente na introdução de redações nota 1000 do Exame Nacional de Ensino Médio (ENEM) dos anos 2016 e 2017, publicadas na Cartilha do Participante (2017; 2018). À luz da Semântica Argumentativa, analisou-se o comportamento semântico-argumentativo desses operadores, considerando o requisito da construção de um texto dissertativo-argumentativo avaliado na competência II, da matriz de referência do INEP/MEC, a fim de discutir de que maneira tais elementos contribuem para formulação da tese e direcionam a argumentação. O caráter metodológico do estudo em questão foi documental, de cunho descritivo-interpretativista, baseado nos postulados teóricos de Ducrot (1987; 1988), Vogt e Ducrot (1980), Koch (2011) e Silva (2015). Os resultados obtidos indicam que os operadores de contraposição são recorrentes na construção da tese das redações analisadas e contribuem para marcar o posicionamento do locutor na introdução do texto.
Patrícia Sousa Almeida De Macedo
Revista Eletrônica de Estudos Integrados em Discurso e Argumentação; doi:10.47369/eidea-20-3-2954

Abstract:
O objetivo deste artigo é analisar como a referenciação funciona enquanto estratégia argumentativa em tirinhas da Mafalda, do escritor argentino Quino. Para alcançar esse fim, apoiamo-nos na Teoria da Argumentação no Discurso, proposta por Amossy (2002; 2005; 2006; 2011; 2016; 2018), na tese de Macedo (2018) e nos estudos sobre referenciação de Custódio Filho (2011; 2012). O diálogo estabelecido entre a teoria retórico-discursiva de Amossy e a Linguística Textual mostrou-se profícuo, pois, na análise, pudemos verificar que a construção de referentes nas duas tirinhas selecionadas consiste não somente em uma estratégia textual, que contribui para o estabelecimento da coerência, mas também em uma estratégia argumentativa, na medida em que permite desvelar os embates discursivos subjacentes e que orienta a maneira de ver do interlocutor.
Maria Aparecida De Souza Carvalho,
Revista Eletrônica de Estudos Integrados em Discurso e Argumentação; doi:10.47369/eidea-20-3-2951

Abstract:
O objetivo deste trabalho é analisar discursivamente como se dá a argumentação por parte de sujeitos-alunos do nono ano do ensino fundamental de uma escola pública, ao discursivizarem sobre o uso, ou não, do celular nas escolas. Adotamos o embasamento teórico da Análise do Discurso de linha francesa pêcheuxtiana e os estudos sobre a argumentação na perspectiva da AD que, para Pacífico (2016) é um direito humano; para Amossy (2016) mobiliza jogos de força e coloca em evidência a relação do discurso com o poder, e, para Piris (2016) não é um jogo de estratégias para persuadir. Foi possível constatar que a escola ainda é um espaço de interdição dos sentidos, posto que argumentar contra o sentido dominante, no caso da lei que proíbe o uso do celular na escola, nem sempre é possível para o sujeito-aluno, que produz imagens sobre o seu leitor.
Mônica Santos De Souza Melo
Revista Eletrônica de Estudos Integrados em Discurso e Argumentação; doi:10.47369/eidea-20-3-2943

Abstract:
O presente artigo visa analisar a organização argumentativa da nota da CNBB “Levante a voz pela Amazônia”, para identificar como nela se dá o discurso da Igreja Católica pela preservação do meio ambiente e das populações vulneráveis da região amazônica. Tal nota se insere no esforço histórico dessa instituição de contestar a política neoliberal, as desigualdades e agressões aos oprimidos e ao meio ambiente e se alinham às diretrizes do Concílio Vaticano II e, mais recentemente, às orientações do Papa Francisco. Nossa análise adotará como referencial teórico e metodológico a Teoria Semiolinguística do Discurso, de Patrick Charaudeau, especificamente as categorias pertencentes ao modo de organização argumentativo. Essa investigação nos permitiu identificar um posicionamento que deixa claro que a devastação da Amazônia é um fato decorrente da ação humana. Há também um engajamento em relação à necessidade de mobilização da população e das autoridades, em defesa da Amazônia.
Back to Top Top