URBANA: Revista Eletrônica do Centro Interdisciplinar de Estudos sobre a Cidade

Journal Information
EISSN : 19820569
Current Publisher: Universidade Estadual de Campinas (10.20396)
Total articles ≅ 264
Current Coverage
DOAJ
Archived in
SHERPA/ROMEO
Filter:

Latest articles in this journal

Sebastián Godoy
URBANA: Revista Eletrônica do Centro Interdisciplinar de Estudos sobre a Cidade, Volume 11, pp 259-293; doi:10.20396/urbana.v11i3.8656264

Abstract:
El presente artículo intenta dar cuenta de una serie de repertorios de acción artística colectiva que tuvieron lugar en la ciudad de Rosario (Argentina) entre 1995 y 2001. Se trabajaron tres modulaciones de estos repertorios. La primera, denominada performáticas de la manifestación, operó en diversas marchas y protestas, aportando elementos lúdicos y paródicos. La segunda, llamada irrupciones acontecimentales, se dio en los escraches realizados a ex represores de la dictadura militar 1976-1986, generando una suerte de “happenings” sorpresivos. La tercera, definida como paisajes eventuales, comprendió diversas intervenciones estéticas, dramáticas y pedagógicas en la espacialidad urbana, con el fin de concientizar a la población frente a los abusos policiales. Para el análisis de los estudios de caso se realizaron una serie de entrevistas que se cruzaron con algunos registros periodísticos y fotografías.
Maria Emília Regina, Erica De Sousa Checcucci
URBANA: Revista Eletrônica do Centro Interdisciplinar de Estudos sobre a Cidade, Volume 11, pp 232-258; doi:10.20396/urbana.v11i3.8656274

Abstract:
Este trabalho apresenta uma narrativa histórica sobre as intervenções municipais que regulamentam as festas populares em Salvador - Bahia, especialmente no que diz respeito às suas barracas de comida e bebida. Para tal, foi realizado um levantamento sistemático de literatura no acervo on-line das Leis do município que identificou 15 marcos regulatórios no período entre 1989 e 2018. Analisando estes marcos, foi possível perceber como o poder público foi padronizando as barracas das festas e reduzindo as possibilidades de personalização e de produção cultural nestes objetos urbanos efêmeros que marcam a paisagem durante os festejos. Esta pesquisa entende as Festas de Largo como sistemas dinâmicos instáveis. Ao analisar sua história, é possível propor mudanças no sentido de resgatar valores culturais que foram se perdendo ao longo dos anos. Este trabalho é parte inicial de uma pesquisa de doutorado que objetiva potencializar o resgate da produção cultural e artística das barracas de venda de comida e bebida em Festas de Largo, utilizando novas tecnologias de fabricação digital, especialmente o conceito de personalização em massa. Sua maior contribuição se dá pela sistematização e análise da história das barracas, entendendo e ressaltando a importância dos marcos legais no desenvolvimento destes artefatos.
Lucas Barbosa De Santana, Rafael Alves Orsi
URBANA: Revista Eletrônica do Centro Interdisciplinar de Estudos sobre a Cidade, Volume 11, pp 168-190; doi:10.20396/urbana.v11i3.8656271

Abstract:
A presente pesquisa tem como orientação principal a arte urbana no centro histórico das cidades médias, especificamente, analisando o grafite e as nuances de suas manifestações no corpo urbano da cidade de Araraquara. Este artigo apresentará o trabalho desenvolvido pelos pesquisadores durante um ano de pesquisa acadêmica. A arte urbana é, notavelmente, matéria de inúmeros estudos no campo das Ciências Humanas de forma geral, entretanto, há certa hesitação, por parte dos pesquisadores brasileiros, em analisar as dinâmicas sociais impostas às cidades médias, que representam boa parcela dos municípios brasileiros, neste rol, estão incluídos também os estudos sobre arte urbana no espaço dessas cidades. Deste modo, tivemos como fio condutor e instigador a necessidade de compreender algumas das dinâmicas impostas a estes espaços, que, sobretudo, são espaços em disputa, disputa pelos mercados locais, pela população, mercado imobiliário, setor público, e a própria arte. Nesta dinâmica é fundamental analisar como a arte urbana sobrevive, como é capaz de alterar significados e imprimir marcas nos indivíduos num urbano em disputa.
Ana Clara Sousa E Silva, Matheus Silva Nascimento, Beatriz Santos Alves Lopes Boaventura, Isaura Oliveira Figueiredo
URBANA: Revista Eletrônica do Centro Interdisciplinar de Estudos sobre a Cidade, Volume 11, pp 191-231; doi:10.20396/urbana.v11i3.8656273

Abstract:
O seguinte artigo analisa a necessidade de reunião dos conceitos de cidade e lugar, a saber de Argan e Santos respectivamente, partindo das mudanças na concepção da arte contemporânea, quando proposto que é na relação entre o sujeito e a obra que brota o objeto artístico. Para tanto utiliza três objetos de arte, e suas relações com o espaço vivido, lançando mão de metodologias típicas da antropologia, e construindo reflexões dialéticas que surgem a partir da exploração conceitual. Conclui, afirmando que a cidade enquanto obra de arte se mantém em estado de latência, até que a relação entre o sujeito e o espaço à determina de fato como objeto desta natureza portanto, é a medida em que a cidade se torna um lugar que esta passa a ser percebida como arte, tendo assim a técnica e forma, elementos necessários, mas não suficientes.
Milene Migliano, Jessica Santana Bruno
URBANA: Revista Eletrônica do Centro Interdisciplinar de Estudos sobre a Cidade, Volume 11, pp 154-167; doi:10.20396/urbana.v11i3.8656266

Abstract:
Localizada na região do Recôncavo da Bahia, a cidade da Cachoeira possui história singular nas relações de luta pela existência política e imaginária, desde a sua participação decisiva nas lutas pela emancipação política do Brasil à constante resistência da população negra que sobrevive às heranças da escravidão. Desde 2017, temos notado a emergência de graffitis que põem em circulação narrativas e imaginários associados ao reconhecimento das singularidades e potências da mulher, superação da opressão masculina, relações entre o corpo feminino e a natureza e entre o corpo da mulher e diversas ancestralidades ligadas à religiões afro-brasileiras, que também tem tomado as redes sociais digitais ampliando as possibilidades de significação, como é o caso do perfil asparedesdocahlfalam, no instagram. Aqui, buscaremos explorar a dimensão política-comunicativa das expressividades artísticas das práticas de escrita da cidade, relacionando com as condições de possibilidades de invenção, encontro e contextos históricos culturais.
Roberto Camargos
URBANA: Revista Eletrônica do Centro Interdisciplinar de Estudos sobre a Cidade, Volume 11, pp 126-153; doi:10.20396/urbana.v11i3.8656021

Abstract:
O presente artigo analisa como os rappers foram reunindo elementos, selecionando indícios, capturando traços/rastros de experiências para consolidar uma perspectiva de explicação histórica para certos processos sociais e investiram na construção de uma leitura para o rap (especialmente como é praticado no Brasil a partir de finais dos anos 1980) que, mais do que situá-lo como prática musical, fez sobressair sua existência como campo de valores e modo de vida. Esses valores e modos de vida foram fundamentais para a maneira como esses sujeitos lidaram com o espaço urbano, ressignificando em muitas composições, por exemplo, a periferia.
João Augusto Neves, Maria Isabel Costa Menezes Da Rocha
URBANA: Revista Eletrônica do Centro Interdisciplinar de Estudos sobre a Cidade, Volume 11, pp 2-10; doi:10.20396/urbana.v11i3.8659483

Abstract:
Em consonância com o escopo da Revista Urbana, o dossiê ArteCidade amplia suas reflexões – sobre a produção do universo urbano em perspectiva histórica – enfocando desta vez produções e manifestações artísticas que florescem no meio urbano e tensionam suas ordenações.
Andre Abreu Da Silva
URBANA: Revista Eletrônica do Centro Interdisciplinar de Estudos sobre a Cidade, Volume 11, pp 86-125; doi:10.20396/urbana.v11i3.8646357

Abstract:
Este artigo faz parte de um estudo sobre a cidade de São Paulo, sob a perspectiva da cultura punk. Contemplamos, parcialmente, representações do espaço urbano nas produções culturais e experiências dos punks, inseridos na materialidade de São Paulo entre 1982 e 1998. Os punks, reunidos neste contexto como grupo de ação cultural e política da juventude das periferias, elaboraram um conjunto de imagens dialéticas sobre a cidade. Esta última compreendida, entre outras particularidades, como espaço de produção e consumo de representações. Conduzimos a pesquisa por intermédio das análises de produtos da cultura punk: cartazes, panfletos, gravações musicais, entre outras. O resgate das representações de São Paulo pelos punks nos revelou novas dimensões e camadas temporais ocultas da cidade.
Cristina Martins Tavelin
URBANA: Revista Eletrônica do Centro Interdisciplinar de Estudos sobre a Cidade, Volume 11, pp 11-29; doi:10.20396/urbana.v11i3.8656275

Abstract:
Felipe Marcondes da Costa, um dos idealizadores de Escritas do efêmero, nasceu em 1990 em São Paulo. Tem formação em dramaturgia pela SP Escola de Teatro e Letras pela FFLCH-USP, instituição em que faz mestrado em Literatura Portuguesa pesquisando a relação entre poesia e a arte da performance na obra de Herberto Helder. Seu interesse nessa zona fronteiriça se desdobra em práticas que, como portais, separam e unem expressões artísticas e suscitam a discussão sobre o que é considerado ou não arte. No projeto poemasemdinheiro escreve versos em cédulas, em desencapados os poemas vão parar em documentos oficiais e em Escritas do efêmero os versos estampam as ruas de diversas cidades para serem apagados pelo tempo e deixarem todo o resto que não se apaga. Este diálogo foi realizado presencialmente em agosto de 2019 e sua transcrição foi posteriormente revisada pelo autor.
Ricardo Luis Silva
URBANA: Revista Eletrônica do Centro Interdisciplinar de Estudos sobre a Cidade, Volume 11, pp 58-85; doi:10.20396/urbana.v11i3.8655998

Abstract:
O presente artigo pretende encontrar quem fale do espaço urbano e de nossas experiências como seres humanos/urbanos. Encontrar quem tencione e especule propositivamente sobre o anestesiamento e silenciamento dos dissensos urbanos, sobre a homogeneização e estandardização da vida cotidiana, sobre o viver urbano, sobreviver urbano. Encontrar na Arte quem assuma o choque moderno (o ainda insistente ensaiado por Benjamin) e incorpore o turbilhão informacional contemporâneo e que nos convoque a um deslocamento necessário à reflexão e constituição da subjetividade, da alteridade, da urbanidade. Nessa busca, caminhar e encontrar alguns artistas contemporâneos, colecionar algumas de suas obras e estabelecer uma análise crítica. Os trabalhos artísticos centrais são: Le Sacre (1992), de Guillermo Kuitca e Buenos Aires Tour (2003), de Jorge Macchi.
Back to Top Top