Significação: Revista de Cultura Audiovisual

Journal Information
ISSN / EISSN : 15164330 / 23167114
Total articles ≅ 602
Current Coverage
DOAJ
Archived in
SHERPA/ROMEO
Filter:

Latest articles in this journal

Alexsandro De Sousa E Silva
Significação: Revista de Cultura Audiovisual, Volume 47, pp 365-372; doi:10.11606/issn.2316-7114.sig.2020.160363

Abstract:
O livro TPA e outras histórias foi elaborado por Augusto Manuel dos Santos, conhecido como Nguxi dos Santos, que há mais de 30 anos transita entre a Televisão Pública de Angola (TPA) e as Forças Armadas Populares de Libertação de Angola (Fapla). Marcadamente memorialística e voltada para o grande público, a obra traz depoimentos de diversos protagonistas que trabalharam na TPA e compõe um mosaico que homenageia a instituição e o trabalho de Nguxi dos Santos em Angola. Nesta resenha, propomos alguns eixos de leitura da obra, como sua estruturação, suas principais contribuições e tensões que escapam ao intuito celebrativo do livro.
Eduardo Brandão Pinto
Significação: Revista de Cultura Audiovisual, Volume 47, pp 102-120; doi:10.11606/issn.2316-7114.sig.2020.166247

Abstract:
Qual o papel de categorias como o vazio e a lentidão no cinema contemporâneo? Em Adeus, Dragon Inn, Tsai Ming-Liang radicaliza a experimentação de elementos que apontam para uma energia negativa da imagem. Neste artigo, procuro reconhecer um novo estatuto da imagem fílmica: não mais definida como aquilo que organiza o visível sob a forma de campo, mas como o aparecimento do visível como uma composição de linhas de força. Para isso, construo os conceitos de perceptos molares e moleculares, em diálogo com o pensamento de Deleuze e Guattari. Discutindo com teóricos contemporâneos do cinema, proponho pensar a encenação como coordenação das forças em emergência no visível.
Érico Araújo Lima, Aline Portugal
Significação: Revista de Cultura Audiovisual, Volume 47, pp 159-179; doi:10.11606/issn.2316-7114.sig.2020.160513

Abstract:
Este artigo busca sublinhar o íntimo contágio entre maneiras de elaborar o visível e formas de produzir uma cidade, a partir de dois filmes brasileiros realizados nos últimos anos: Nunca é noite no mapa (2016), de Ernesto de Carvalho, e Entretempos (2015), de Frederico Benevides e Yuri Firmeza. Com uma atenção aos modos singulares através dos quais esses filmes interrogam e confrontam determinadas representações visuais do espaço urbano, propomos uma reflexão acerca das relações que se estabelecem entre as tecnologias do visível e as tecnologias de controle e gestão das populações, com ênfase no gesto crítico dos filmes, que também atuam na composição das cidades.
Wagner Miranda Dias, Cecília Almeida Salles
Significação: Revista de Cultura Audiovisual, Volume 47, pp 121-140; doi:10.11606/issn.2316-7114.sig.2020.164288

Abstract:
Este artigo propõe uma discussão sobre a experimentação do audiovisual na contemporaneidade. Suas interações com os processos de criação e as artes cênicas são discutidas a partir dos projetos artísticos do documentarista Evaldo Mocarzel e do artista do corpo Roberto Alencar. Trata-se de estudo inserido em campo mais amplo de pesquisa, que propõe uma abordagem para a grande diversidade de manifestações artísticas sob a perspectiva de seus modos de produção: crítica de processos de criação. Apresentam-se, mais especificamente, reflexões teóricas sobre algumas questões que envolvem a produção contemporânea, incluindo a exploração de arquivos e as diferentes relações entre processo e obra.
Lucas Procópio Caetano, Paula Gomes
Significação: Revista de Cultura Audiovisual, Volume 47, pp 180-201; doi:10.11606/issn.2316-7114.sig.2020.159231

Abstract:
O artigo investiga três filmes do diretor brasileiro Kleber Mendonça Filho, Vinil Verde (2004), O Som ao Redor (2012) e Aquarius (2016), buscando identificar, por meio da análise fílmica, o uso de elementos característicos do gênero cinematográfico do horror em diferentes momentos destas três obras. A recorrência destes elementos nos filmes do diretor e o modo como eles se relacionam com outros regimes de representação localizam essa produção dentro de uma tendência cinematográfica contemporânea já apontada por pesquisadores como Cánepa (2013).
Ruy Cézar Campos Figueiredo
Significação: Revista de Cultura Audiovisual, Volume 47, pp 141-158; doi:10.11606/issn.2316-7114.sig.2020.160170

Abstract:
Analisam-se cenas e se destacam eventos do filme Esse amor que nos consome (2012), de Allan Ribeiro, a partir de uma abordagem fenomenológica e tátil dos estudos fílmicos presente em autoras como Laura Marks, Vivian Sobchack e Jennifer Barker. Tal abordagem chama atenção para a corporificação, que no filme aqui analisado ganha características peculiares do modo afro-brasileiro de se relacionar com o corpo, considerando outras ontologias no relacionamento com a realidade e sua performance cinematográfica.
Cíntia Langie
Significação: Revista de Cultura Audiovisual, Volume 47, pp 218-232; doi:10.11606/issn.2316-7114.sig.2020.159929

Abstract:
Este texto objetiva agenciar a noção de política a um tipo específico de experiência cultural: as sessões de cinema brasileiro em universidades. Buscamos investigar os processos de subjetivação possíveis no encontro com obras de arte independentes, aquelas que não possuem espaço de circulação nas janelas tradicionais. Nessa trama de pensamento, uma experiência política pode ocorrer no estar-junto com o comum compartilhável que é o filme. Assim, propomos que projetos que profanam dispositivos na atualidade podem formar microcomunidades de partilha, para além de modelos capitalísticos hegemônicos.
Lucas Afonso Sepulveda
Significação: Revista de Cultura Audiovisual, Volume 47, pp 202-217; doi:10.11606/issn.2316-7114.sig.2020.161289

Abstract:
Este artigo apresenta uma investigação de dois episódios do quadro “Vai fazer o quê?”, um experimento social televisivo apresentado no dominical Fantástico (TV Globo). Realizamos uma análise de enquadramento para compreender os diferentes sentidos sobre as injustiças representadas e encenadas no “Especial de Natal 2013” e “Especial de Natal 2016” do programa. Buscamos, por fim, refletir sobre a proposta do experimento social televisivo em questão e o que ele revela sobre o jeito que nossa televisão e sociedade lidam com o Outro.
Ana Claudia Camila Veiga De França, Ronaldo De Oliveira Corrêa
Significação: Revista de Cultura Audiovisual, Volume 47, pp 233-250; doi:10.11606/issn.2316-7114.sig.2020.155246

Abstract:
Este ensaio circunscreve o seguinte argumento: as ideias de Raymond Williams sobre a televisão como forma e experiência cultural ampliam a compreensão sobre o período em que a cineasta brasileira Helena Solberg dirigiu diversos documentários para uma emissora de televisão norte-americana na década de 1980. Para sustentar este argumento, nos apoiamos em análises tecidas por Raymond Williams em Television (1974) e nas pesquisas sobre a trajetória de Helena Solberg realizadas por Mariana Tavares e Ana Maria Veiga. Como resultado, esperamos explicitar como os documentários dirigidos por Helena, financiados e exibidos pela emissora estadunidense Public Broadcasting Service (PBS), integram usos e práticas televisivas mais democráticas, que a partir de Williams podem ser mais bem contextualizadas e compreendidas.
Isadora Meneses Rodrigues
Significação: Revista de Cultura Audiovisual, Volume 47, pp 287-310; doi:10.11606/issn.2316-7114.sig.2020.156684

Abstract:
Na primeira fase de sua carreira, Alain Resnais discutiu a falibilidade e criatividade da memória ao ser ativada por processos mentais. Partindo do pressuposto de que o diretor precisou manipular o espaço fílmico para esculpir o tempo dos processos de rememoração no cinema, este artigo pretende examinar as estratégias de espacialização do tempo da memória em L’année dernière à Marienbad (O ano passado em Marienbad, 1961), segundo longametragem de Resnais. À luz do conceito de paisagem mental, a análise sugere que os cenários do filme se desfazem e deixam de ser subservientes a ações que obedecem a cronologias rígidas por meio do contraponto entre som e imagem, da duração dilatada dos planos e da repetição.
Back to Top Top