Boletim Cearense de Educação e História da Matemática

Journal Information
ISSN / EISSN : 2357-8661 / 2447-8504
Published by: Universidade Estadual do Ceará (10.30938)
Total articles ≅ 292
Filter:

Latest articles in this journal

Ana Cristina Silva Pereira, Mariana Feiteiro Cavalari
Boletim Cearense de Educação e História da Matemática, Volume 9, pp 318-332; https://doi.org/10.30938/bocehm.v9i26.8011

Abstract:
A presente investigação tem como objetivo analisar as contribuições do estudo da temática referente à “História das Mulheres na Matemática” para a formação de professores à luz do modelo “Conhecimento Matemático para o Ensino”, conhecido pela sigla MKT, e proposto por Deborah Ball e colaboradores. Para tanto, foram coletados dados ao longo do desenvolvimento desse tópico em uma disciplina de História da Matemática de um curso de Licenciatura em Matemática. Os dados foram coletados por meio de diário de campo, gravações audiovisuais e entrevistas. As atividades realizadas pelos licenciandos também foram analisadas. As análises indicam que os conhecimentos expressos/evidenciados pelos estudantes são referentes ao “Conhecimento Específico do Conteúdo”, especificamente ao subdomínio “Conhecimento do Conteúdo no Horizonte” e ao “Conhecimento Pedagógico do Conteúdo”, de modo específico, aos subdomínios: “Conhecimento do Conteúdo e dos Estudantes”, “Conhecimento do Conteúdo e Ensino” e “Conhecimento do Conteúdo e do Currículo”. Assim, concluímos que uma abordagem da temática “História das Mulheres na Matemática” tem o potencial de possibilitar aos licenciandos a mobilização de conhecimentos fundamentais à profissão docente. Nesse sentido, destacamos a relevância da ampliação da discussão dessa temática nos cursos de licenciatura em matemática no Brasil.
Danilo Olímpio Gomes, Charles Santos Almeida, Edclesia Demedes da Silva
Boletim Cearense de Educação e História da Matemática, Volume 9, pp 275-290; https://doi.org/10.30938/bocehm.v9i26.7996

Abstract:
Este artigo apresenta movimentos de uma pesquisa de iniciação científica em desenvolvimento, a qual vem construindo um estudo hermenêutico acerca do livro “Manual Prático de Cálculo Diferencial e Integral: fácil e atraente”, escrito pelo engenheiro francês Gustave Bessière e publicado pela primeira vez em 1928, em Paris, na França. Nossas inspirações incidem sobre um movimento histórico de compreensão a respeito do ensino de Cálculo em universidades brasileiras e sobre como a disciplina se relaciona com o ensino médio. A partir de alguns movimentos – nos quais traçamos uma introdução trazendo um panorama histórico para o ensino de Cálculo; um incômodo; uma trajetória de pesquisa na qual o livro torna-se objeto de estudo; alguns apontamentos sobre a metodologia utilizada (Hermenêutica de Profundidade); descrições preliminares relativas às traduções da obra e de seu conteúdo; fatos sobre a vida do autor e alguns vislumbres futuros – tentamos evidenciar a relevância do livro em um cenário educacional internacional e, sobretudo, brasileiro. Com isso, esperamos contribuir para que a obra de Gustave Bessière, ainda desconhecida por muitos pesquisadores em nosso país, possa ser amplamente divulgada, inspirando novos movimentos de pesquisa.
Romulo Everton De Carvalho Moia, , Marcos Fabricio Ferreira Pereira
Boletim Cearense de Educação e História da Matemática, Volume 9, pp 152-164; https://doi.org/10.30938/bocehm.v9i26.8012

Abstract:
Este trabalho tem como objetivo identificar e descrever em teses e dissertações a dimensão do campo de pesquisa História e Epistemologia da Matemática, relacionada aos anos iniciais do Ensino Fundamental, defendidas no período de 1990 a 2018. O texto, oriundo de uma pesquisa qualitativa que faz parte do projeto de pesquisa “História para o ensino de matemática na formação de professores e na Educação Básica: uma análise da produção brasileira 1990 – 2017”, apresenta resultados parciais da pesquisa para a tese doutoral intitulada “Saberes Elementares Matemáticos do Ensino Primário Presente nas Dissertações e Teses – 1990 a 2020”, orientada pelo professor Dr. Iran Abreu Mendes. Trata-se de uma pesquisa de segunda ordem (pesquisa da pesquisa), nos termos de Gamboa (2014), e fundamentada em Mendes (2014; 2018; 2019), do tipo bibliográfica, pois apresenta como objeto de estudo dissertações e teses disponíveis no acervo do Centro Brasileiro de Referência em Pesquisa sobre História da Matemática (CREPHIMat). Os resultados apontam a existência de 77 produções (55 dissertações e 22 teses), das quais foram identificadas e descritas 5 dissertações e 1 tese, que apontam para a dimensão da História e Epistemologia da Matemática. Nesses trabalhos, identificamos estudos epistemológicos relacionados, principalmente, à Aritmética, que tratam de diferentes temas, como: sistema de numeração, quatro operações, números, análise de livros didáticos.
Andréa Regina Henriques de Medeiros, Miguel Chaquiam
Boletim Cearense de Educação e História da Matemática, Volume 9, pp 62-75; https://doi.org/10.30938/bocehm.v9i26.8032

Abstract:
A partir da história da Matemática é possível elaborar atividades que podem ser utilizadas como recurso didático no ensino de conteúdos matemáticos por contemplar, entre suas potencialidades, a possibilidade de agregar significado, provocar a motivação e a curiosidade discente. Tendo em vista que poucos trabalhos retratam a história dos juros e, menos ainda a utilização de sua história no ensino, levantou-se o seguinte questionamento para balizar a pesquisa vinculada ao curso de mestrado profissional em Ensino de Matemática da Universidade do Estado do Pará (UEPA): Que recortes históricos podem ser efetuados a partir de uma história dos juros que contribuam para elaboração de atividade para uso em sala de aula. Foi estabelecido como objetivo para esse trabalho apresentar um recorte histórico das pesquisas relacionadas ao citado mestrado, tendo como objeto matemático juros. Para tanto, enveredou-se por pesquisa bibliográfica com abordagem qualitativa e, após revisão da literatura, para levantamento e organização temporal dos fatos históricos relacionados aos juros optou-se pelo diagrama-metodológico proposto por Chaquiam (2017, 2020), foi elaborado um texto visando a sua utilização durante o ensino de juros no ensino na educação básica. A apresentação desse material em sala de aula poderá agregar valor histórico na constituição desse objeto durante o processo de ensino, cuja existência milenar antecede a própria existência do dinheiro, dos bancos e da Matemática Financeira, e ao aluno que recorrentemente assiste esse conteúdo como um pacote acabado geralmente por meio de um algoritmo e listas de exercícios sem dar ênfase ao significado historicamente construído e consequentemente seu uso em sua vida. Ressalta-se que a pesquisa está em andamento, portanto, a validação do texto e das atividades ocorrerão após as análises dos dados obtidos nas empirias.
João Nazareno Pantoja Corrêa, João Cláudio Brandemberg
Boletim Cearense de Educação e História da Matemática, Volume 9, pp 125-140; https://doi.org/10.30938/bocehm.v9i26.7995

Abstract:
Neste trabalho buscamos a partir de elementos relacionados ao objeto matemático Poliedro uma abordagem de ensino de conteúdos geométricos que considere aspectos de seu desenvolvimento histórico na Antiguidade e do uso de tecnologias. Objetivamos contribuir produzindo uma literatura que possa fornecer um material, em português, para o ensino de poliedros regulares, e que leve em consideração aspectos de seu desenvolvimento histórico e do uso de tecnologias. Assim, trazemos um referencial histórico e o uso de dois softwares de geometria dinâmica que podem dar maior interação ao processo, tornando o estudo de tal conteúdo mais significante. Para tanto, em nossa abordagem histórica, iniciamos com os primeiros registros encontrados sobre poliedros na pré-história, posteriormente trazemos relatos da antiguidade clássica relacionados aos conhecimentos dos povos da Mesopotâmia, das civilizações egípcias, bem como dos etruscos e dos gregos, e ainda de matemáticos alexandrinos. Sobre o uso de tecnologias no ensino de conteúdos geométricos, buscamos desenvolver um melhor entendimento por parte do leitor sobre as Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação (TDIC) e discutimos sobre as potencialidades do uso destas no ensino de conteúdos matemáticos, apresentando em seguida os softwares de geometria dinâmica: Poly e o Great Stella. Por fim trazemos nossas considerações onde inferimos que o uso da História da Matemática e das tecnologias, trabalhadas de forma efetiva com nossos estudantes poderá lhes permitir dedicar maior atenção aos conteúdos matemáticos estudados.
José Dos Santos Guimarães Filho, João Cláudio Brandemberg
Boletim Cearense de Educação e História da Matemática, Volume 9, pp 181-197; https://doi.org/10.30938/bocehm.v9i26.7969

Abstract:
No presente trabalho, temos como objeto de investigação o Liber Abaci e os elementos historiográficos que o circundam, esse livro foi escrito por Leonardo de Pisa (1180 – 1250) em 1202 ao retornar de suas viagens pelo norte da África. Assim, objetivamos apresentar alguns elementos historiográficos da construção do Liber Abaci, com vistas a compreender o contexto histórico de construção do livro e de suas potencialidades para o ensino de conteúdos matemáticos. A fim de alcançar esse objetivo, fizemos uma revisão bibliográfica, na qual, encontramos autores, que serviram de base para a construção da malha histórica em que se encontrava o livro, estes são, Potro (2004, 2009, 2012), Garbi (2007), Vasconcelos (1925), Brito (2007), Franco Júnior (2001), Saito (2015) e Schramm (2001) e para a investigação das potencialidades nos apropriamos de uma edição de 1857 do Liber Abaci. Dividimos, dessa forma, este artigo, em três seções: elementos historiográficos, sobre a aritmética no texto e potencialidades de uso no ensino de matemática. Percebemos com a investigação que o livro possuía potencialidades para o século XIII e ainda possui para o século XXI para o ensino de conteúdos matemáticos do campo da aritmética.
Vinicius Mendes Couto Pereira
Boletim Cearense de Educação e História da Matemática, Volume 9, pp 291-305; https://doi.org/10.30938/bocehm.v9i26.8027

Abstract:
O processo de estabelecimento de uma comunidade matemática nacional tem sido um relevante problema dentro da historiografia da Matemática. Em particular, pesquisas têm apresentado um panorama acerca do surgimento e formação de uma comunidade matemática brasileira. Nesse quadro, verifica-se o predomínio exclusivo, por pelo menos um século, do ensino de Matemática Superior na formação de Engenheiros. Em particular, no século XIX, a Academia Real Militar e as instituições que a sucederam desempenharam esse papel com primazia. Por outro lado, nem sempre, a Escola de Minas de Ouro Preto, fundada em 1876, tem sido considerada como uma instituição que ministrou ensino de Matemática Superior. Nesse sentido, este artigo busca apresentar uma visão geral sobre a matemática desenvolvida na Escola de Minas de Ouro Preto, e investigar acerca da existência de professores de Matemática e de ensino de Matemática Superior nesta Instituição. Nessa linha, a pesquisa revela não somente a existência de professores de Matemática e de ensino de Matemática Superior, mas um certo protagonismo na produção científica e de determinadores atores neste contexto.
Sheila de Jesus Costa Soares,
Boletim Cearense de Educação e História da Matemática, Volume 9, pp 396-409; https://doi.org/10.30938/bocehm.v9i26.7993

Abstract:
O presente artigo, que é um recorte de uma dissertação em andamento, objetiva apresentar de forma sucinta informações parciais sobre algumas contribuições do estudioso islâmico al-Banna (1256- 1321) para a construção do pensamento científico e matemático islâmico, mais especificamente no Magrebe islâmico medieval, onde obteve ascensão em sua trajetória científica. Faremos isso seguindo os pressupostos da historiografia atualizada, que nos ajuda a olhar para a história a partir de uma cosmovisão menos eurocêntrica. Parte do pensamento desse sábio será apresentada por meio de uma de suas obras, o Rafc al-Hijab, um compilado de argumentos sobre cálculos básicos, construídos por meio de argumentos retóricos, filosóficos e poéticos. No bojo desses argumentos, procuramos apresentar também algumas potencialidades didático-pedagógicas do referido texto, tendo como suporte teórico a proposta de Luís Radford (1997). Assim, buscamos alinhar o pensamento de al-banna, o qual é conforme ao espírito da época, ao pensamento presente, partindo de uma concepção epistemológica e sociocultural.
Pedro Henrique Sales Ribeiro,
Boletim Cearense de Educação e História da Matemática, Volume 9, pp 359-373; https://doi.org/10.30938/bocehm.v9i26.8028

Abstract:
Como forma de tentar sanar as diversas dificuldades que envolvem o ensino de Matemática, destacam-se, dentre outras atividades, os cursos de extensão ofertados pelas universidades brasileiras, em consonância com a legislação, que objetivam promover uma melhor formação inicial de seus graduandos. Nesse sentido, foi oferecido um minicurso, intitulado “Manipulando com o Promptuario (1617) de John Napier para cálculos de multiplicação”, no qual se abordaram questões históricas e matemáticas do instrumento matemático Promptuario, presente no tratado Rabdologiae, publicado em 1617, por John Napier, bem como se refletiu acerca de sua inserção no ensino de Matemática. Dessa forma, este artigo tem como intuito conhecer as vantagens e as desvantagens da utilização do Promptuario para o ensino de Matemática à luz das considerações expostas pelos cursistas, valendo-se de uma abordagem qualitativa com características de cunho descritivo. Assim, constataram-se seis vantagens e três desvantagens distintas na utilização do artefato histórico Promptuario, em um contexto de ensino de Matemática, destacando-se a propriedade manipulativa e a história da Matemática como principais pontos positivos e a linguagem utilizada no tratado como um lado negativo relevante, que foi sinalizado como uma dificuldade que comprometeu a compreensão do texto. Em síntese, a partir das reflexões e das discussões realizadas junto aos cursistas, percebeu-se que existe um potencial didático na utilização desse instrumento, advindo da história da Matemática, para o ensino de Matemática e, em especial, para a multiplicação.
Maria Luíza dos Santos, Giselle Costa de Sousa
Boletim Cearense de Educação e História da Matemática, Volume 9, pp 114-124; https://doi.org/10.30938/bocehm.v9i26.8023

Abstract:
Muitos trabalhos relevantes para o desenvolvimento da matemática foram desenvolvidos em terras muçulmanas. Entre os estudiosos que contribuíram nesse cenário temos Abu Arrayhan Muhammad ibn Ahmad al-Biruni (973-1048), um matemático islâmico medieval que viveu e desenvolveu seus estudos em um contexto de instabilidade e conflitos de poder e em razão, inclusive, da religião predominante em sua região. Neste artigo, temos como objetivo descrever quem foi al-Biruni e mostrar o contexto em que ele viveu, além de destacar os apontamentos iniciais da análise da obra A Cronologia das Nações Antigas (1000) de al-Biruni, como fruto de um projeto de iniciação científica descrevendo o processo de busca da obra. O artigo foi desenvolvido com base em uma pesquisa de metodologia qualitativa bibliográfica documental de modo que, a partir do levantamento de obras originais de al-Biruni, partimos para a escolha do documento cuja análise documental preliminar foi iniciada e é aqui apresentada. Por fim, iremos concluir o presente texto abordando a relevância que al-Biruni teve com base em seus estudos, destacando algumas dificuldades que nos deparamos no processo da pesquisa e o que apontam para o que se pretende desenvolver no futuro deste estudo, de forma a dar continuidade ao projeto.
Back to Top Top