Holos Environment

Journal Information
EISSN : 15198634
Total articles ≅ 342
Filter:

Latest articles in this journal

Mateus Alves De Sousa, Adao Pires De Almada, Victor Sousa Avelino, Iolanda Maria Soares Reis
Holos Environment, Volume 20, pp 352-360; doi:10.14295/holos.v20i3.12387

Abstract:
O uso do biofertilizante líquido é uma alternativa sustentável para o uso agrícola, pois trata-se de uma técnica que consiste no emprego de resíduos orgânicos domésticos que são biodegradados por microorganismos, disponibilizando nutrientes para utilização em cultivos agrícolas. E pode ser uma alternativa viável para a produção de feijão-caupi, fornecendo nutrientes adequados para esta cultura, além de propiciar inibição à doenças e insetos. Diante disso, o objetivo neste trabalho foi avaliar a incidência de doença no feijão-caupi submetido a diferentes doses de biofertilizante. O experimento foi desenvolvido no viveiro da Universidade Federal do Oeste do Pará, conduzido em delineamento de blocos ao acaso com cinco repetições. Os tratamentos foram 4 doses de biofertilizante (50, 100, 150 e 200 ml planta -1) e adubação mineral em função da análise do solo. Os dados de doenças foram submetidos a matriz binária de presença e ausência de doença e posteriormente analisados pelo teste TCL a 5% de probabilidade. O teste não apontou significância para incidência de doenças na adubação mineral com p>5%, as doses de 50 e 200 ml planta-1 também apresentaram maior incidência de doenças p>5%. As doses de biofertilizante que apresentaram significância e as menores incidências de doenças no feijão-caupi foram as doses de 100 e 150 ml planta-1 com p
Davi Santiago Aquino, Lilian Lopes Cordeiro
Holos Environment, Volume 20, pp 360-367; doi:10.14295/holos.v20i3.12388

Abstract:
O conhecimento do comportamento da intensidade máxima de precipitação de determinada localidade apresenta grande interesse de ordem técnica nos projetos de obras hidráulicas, como dimensionamento de sistemas de micro e macrodrenagem de águas pluviais em áreas urbanas, rurais e rodoviárias. Neste contexto, o presente trabalho objetivou comparar estatisticamente pelo teste “t” de Student a 5% de significância os valores de intensidade de precipitação máxima entre as três microrregiões da mesorregião do Sul Baiano, para os tempos de precipitação de 10, 30, 60, 120 e 1.440 minutos e períodos de retorno de 2, 10, 50 e 100 anos. Para cada um dos 20 cenários advindos do cruzamento dos valores de duração da precipitação e de período de retorno calcularam-se os valores de intensidade de precipitação dos 70 municípios da mesorregião e as médias microrregionais foram comparadas estatisticamente entre si, a fim de se verificar a ocorrência de heterogeneidade de comportamento da intensidade de precipitação. Verificou-se que as três microrregiões não apresentam grande discrepância entre si e observaram-se disparidades apenas pontuais em determinados cenários, como maior suscetibilidade dos municípios da microrregião de Porto Seguro a precipitações de curta duração.
Ramilly Rodrigues Cavalcante, Renata Carmo De Assis
Holos Environment, Volume 20, pp 335-351; doi:10.14295/holos.v20i3.12381

Abstract:
Os alimentos apresentam em sua composição uma microbiota natural. O grande impasse está em impedir a colonização natural por esta microbiota. Os ácidos orgânicos são constituintes naturais de muitos alimentos e são amplamente utilizados como aditivos conservantes devido sua atividade antimicrobiana. A metodologia consistiu em uma revisão integrativa buscando estudos relatando a utilização dos ácidos orgânicos como agente sanitizante de alimentos. Ao final da pesquisa obtiveram-se 10 artigos que foram analisados e discutidos de acordo com cada ácido orgânico. A depender de sua natureza, concentração e tempo de tratamento, os ácidos orgânicos possuem uma potencial aplicação como sanitizantes para alimentos.
Pedro Henrique Dos Santos Coliado, Vanessa Cezar Simonetti, Darllan Collins Da Cunha E Silva
Holos Environment, Volume 20, pp 320-334; doi:10.14295/holos.v20i3.12386

Abstract:
As características morfométricas das bacias hidrográficas são elementos essenciais para a avaliação do comportamento hidrológico e sua relação com a maximização ou minimização dos impactos ambientais. Dessa forma, o objetivo deste estudo foi analisar a morfometria da bacia hidrográfica do rio Pariquera-Açu no Baixo Ribeira de Iguape (SP) com o uso de técnicas geoprocessamento, visando obter informações que forneçam subsídios para o planejamento e gestão desta área quanto à preservação, racionalização do seu uso e recuperação ambiental. A bacia hidrográfica possui uma área de 345,27 km² e suas principais atividades econômicas provém do cultivo de chá e banana. As curvas de nível foram extraídas do Modelo Digital do Terreno (MDT) do satélite japonês Alos e a hidrografia das cartas topográficas do Instituto Geográfico e Cartográfico (IGC) para determinação dos índices morfométricos. Os resultados demonstraram que os valores medianos da densidade de drenagem, associados à presença de áreas planas e baixo coeficiente de rugosidade, facilitam a infiltração da água no solo, diminuindo o escoamento superficial, bem como o risco de erosão e degradação ambiental, e, ainda, propicia o desenvolvimento agrícola. Os valores baixos do índice de circularidade e do coeficiente de compacidade indicam que a bacia tende a ser alongada, com menor suscetibilidade à ocorrência de enchentes acentuadas. Entretanto, devido ao relevo suave nas áreas próximas aos cursos de água podem ocorrer episódios de enchentes, portanto, estas áreas devem receber uma atenção especial por parte dos gestores públicos ao que tange o monitoramento e ações de conservação.
Paulo Henrique Ferreira Galvão
Holos Environment, Volume 20, pp 303-319; doi:10.14295/holos.v20i2.12382

Abstract:
A infiltração é o fenômeno em que a água penetra no perfil do solo devido a este meio ser permoporoso, ou por capilaridade em solos pouco permeáveis. Se a percolação for mais profunda, a água contribuirá com a recarga do aquífero local. A taxa de infiltração pode ser diferente a depender do tipo e do uso e ocupação do solo, da cobertura vegetal (ou ausência dela) ou do grau de compactação do terreno (natural ou antropicamente induzido). O município de Paragominas, sudoeste do Pará, possui locais em que a combinação de diferentes tipos de solo, cobertura vegetal, manejo e de manutenção da mata ciliar podem resultar em diferentes taxas de infiltração da água, afetando na recarga dos aquíferos locais. A pesquisa avaliou possíveis mudanças nas taxas de infiltração de água em áreas de mata ciliar, pastagem e agricultura no igarapé 54 e no igarapé 7 e as comparou com os períodos seco e chuvoso. Parâmetros como granulometrias e teores de umidade de cada solo foram igualmente avaliados. Constatou-se uma estreita relação entre taxa de infiltração, teor de umidade, textura e tipo de manejo do solo. Em mata ciliar, o caráter argiloso do terreno e o papel da vegetação foram determinantes no baixo valor de infiltração; em pastagem, houve valores distintos de infiltração entre a seca e a chuva devido à baixa capacidade de retenção de umidade na camada superficial do solo, além da compactação devido ao pisoteio do gado; na área de agricultura (apenas no igarapé 54) houve um comportamento próximo nas duas estações, com a taxa de infiltração estabilizando aos 60 minutos.
Daniel Delgado Queissada, Jesiel Alves Da Silva
Holos Environment, Volume 20, pp 271-286; doi:10.14295/holos.v20i2.12378

Abstract:
O interesse na imobilização enzimática é alcançar um biocatalisador com atividade e estabilidade que não sejam afetadas durante o processo e que proporcione o máximo de reutilização da enzima frente aos parâmetros que podem inativar a mesma (temperatura, solventes orgânicos, etc.), cooperando com o meio ambiente e, ao mesmo tempo, otimizando a produção industrial. Este trabalho tem como objetivo principal descrever a imobilização enzimática em suportes orgânicos e inorgânicos, destacando as principais vantagens e desvantagens de cada sistema.Conclui-se que o uso da imobilização enzimática é menos prejudicial para o meio ambiente, contudo a escolha do melhor tipo de suporte, dependendo do objetivo da produção, é fundamental para o sucesso, tanto ambiental como industrial, do processo. Assim, deve-se levar em consideração as principais vantagens e desvantagens de cada técnica utilizada.
Frederico Pacheco Militão, Raissa Hirle Krettle, Fernanda Brêda-Alves, Camilo Dias Júnior, Érico Tadao Teramoto, Levi Pompermayer Machado, Valéria De Oliveira Fernandes
Holos Environment, Volume 20, pp 287-302; doi:10.14295/holos.v20i2.12379

Abstract:
Este estudo avaliou a influência de seis meios de cultura alternativos (um a base de NPK, dois contendo extrato de Pistia stratiotes e Eichhornia crassipes enriquecido de NPK, e outros três com diferentes diluições de extrato puro de E. crassipes, (Eic 40, Eic 85, Eic 130) em comparação ao meio de cultura comercial ASM-1, no desenvolvimento da microalga Scenedesmus acuminatus. Foram avaliados taxa de crescimento (K), densidade, volume celular, biovolume e qualidade nutricional dos meios de cultura. Os meios de culturas testados apresentaram concentração de nutrientes suficiente para o crescimento da microalga. As taxas de crescimento de ASM-1 (0,439) foram similares (p>0,05) a NPK, Pis + NPK e Eic + NPK. Eic 85 e Eic 130 apresentaram os valores mais baixos (0,201; 0,150, respectivamente) e similares entre si. Os volumes dos tratamentos não diferiram de ASM-1 (135,427 μm3), somente o Eic NPK e Eic 130 apresentaram valores menores (86,780 e 100,401 μm3, respectivamente). O maior biovolume e densidade celular foram encontrados em Eic NPK (1,273 mm3.L-1 e 1047 x 104 cél.mL-1). Os tratamentos apresentaram capacidade de nutrição muito similar ao ASM-1, podendo substitui-lo no cultivo de S. acuminatus, em especial Eic + NPK que apresentou maior densidade e biovolume. Os tratamentos com extrato puro, apesar de apresentarem resultados mais baixos, ainda assim possibilitaram o desenvolvimento da alga.
Gustavo Dias Miguel, Mozara Benetti, Karla Salvagni Heineck
Holos Environment, Volume 20, pp 251-271; doi:10.14295/holos.v20i2.12377

Abstract:
Geocompostos argilosos para barreira impermeabilizante (GCL, do inglês: Geosynthetic clay liners) apresentaram-se como uma alternativa a Camadas de Argila Compactada (CCL, do inglês: Compacted Clay Liners). Um produto manufaturado apresenta benefícios em comparação àqueles que se utilizam apenas de produtos naturais. Entretanto, um manejo inadequado destes produtos pode fazer com que estes se tornem inaptos a sua utilização. Se tornando, na verdade, um inconveniente onde aplicado. Assim sendo, algumas considerações básicas devem serem levadas em conta quando de sua utilização. Com isto, aspectos como principais benefícios, resultados de pesquisas, particularidades de sua utilização que prolonguem ou afetem a vida útil e desempenho, são discutidas no presente trabalho. Ao final, é realizada uma breve comparação entre as duas técnicas correlatas, GCLs e CCLs, ambas utilizadas como barreiras impermeabilizantes.
Guilherme Henrique Santos Cruz, Maria Rita Raimundo E Almeida
Holos Environment, Volume 20, pp 231-250; doi:10.14295/holos.v20i2.12371

Abstract:
Aterro sanitário é uma tipologia de projeto causadora de significativo impacto, portanto, sujeita ao processo de Avaliação de Impacto Ambiental (AIA), em que o estudo de alternativas se desenvolverá para a escolha de uma opção de área adequada para construção do empreendimento. O presente trabalho objetivou avaliar como estão sendo contemplados os estudos de alternativas locacionais para construção de aterros sanitários nos processos de licenciamento com AIA no Estado de Minas Gerais (MG). A metodologia consistiu em investigar os processos de licenciamento ambiental de aterros em MG que consideraram o estudo de alternativas locacionais por meio de Estudo de Impacto Ambiental (EIA) disponíveis no Sistema Integrado de Informações Ambientais. Foram encontrados 1584 processos, sendo que 17 possuíam EIA, 8 estavam disponíveis e apenas 7 dispunham de estudo de alternativas locacionais, os quais foram analisados. Os estudos de caso, principalmente os critérios de seleção de áreas utilizados, foram comparados entre si e, posteriormente, comparados com a literatura. As comparações possibilitaram levantar quais os critérios que estão sendo utilizados e atestar que não existe uma metodologia modelo, resultando em diferentes formas de se adotar critérios e processos de seleção da área de implantação da atividade de disposição final dos resíduos.
Luís Alberto Silva
Holos Environment, Volume 20, pp 198-213; doi:10.14295/holos.v20i2.12375

Abstract:
O sensoriamento remoto – SR é uma técnica empregada no estudo de processos sobre a superfície terrestre a partir do uso de sensores. Uma das suas principais aplicações é no estudo da cobertura vegetal, por meio da aplicação do NDVI, auxiliando, assim, no monitoramento ambiental, por meio do estudo da distribuição espacial da vegetação e das suas prováveis transformações em momentos distintos. O objetivo desse estudo foi apresentar trabalhos que empregaram o NDVI como um elemento de monitoramento ambiental em empreendimentos minerários. Para tal, realizou-se uma revisão bibliográfica, levando-se em conta trabalhos publicados entre 2010 e 2018, empregando os seguintes descritores: “NDVI”, “NDVI e monitoramento ambiental”, “NDVI e a recuperação de áreas degradadas por mineração”, “NDVI e a sua influência na mineração”. Em todos os trabalhos concluiu-se a importância do emprego do NDVI, uma vez que o índice forneceu dados significativos sobre o comportamento da cobertura vegetal nos processos minerários, contribuindo, assim no planejamento e gestão territorial das áreas estudadas.
Back to Top Top