Periódico Técnico e Científico Cidades Verdes

Journal Information
EISSN : 2317-8604
Total articles ≅ 239
Filter:

Latest articles in this journal

Ana Laura Pascucci de Oliveira, Matheus Ribas Francisco, Simone Andrea Furegatti
Periódico Técnico e Científico Cidades Verdes, Volume 10; https://doi.org/10.17271/23178604102720223244

Abstract:
Os processos erosivos urbanos são ocasionados por uma combinação de fatores naturais, como o relevo, tipo e manejo dos solos, e podem se agravar mediante à ação humana ao longo do tempo. O objetivo do trabalho aqui apresentado foi realizar um estudo de caso das erosões hídricas em uma encosta localizada na região de nascente do Córrego da Grama, em região periférica do município de Bauru/SP, para analisar a evolução temporal e os principais fatores de influência no surgimento das feições visíveis em imagens de satélite, por meio de sistematização das características de cada erosão. A organização das informações permitiu melhor entendimento dos processos, suas origens e os motivos que colaboram para sua persistência, correlacionando-as com o ambiente e formando um panorama geral dos eventos que acontecem na encosta.
José Ulisses Bezerra de França, Ana Paula Branco Do Nascimento, Francisca Jane Furtado Marinho, Milena De Moura Régis, André Felipe Simões
Periódico Técnico e Científico Cidades Verdes, Volume 10; https://doi.org/10.17271/23178604102720223248

Abstract:
O momento pandêmico proporcionou o fortalecimento de ações sociais voltadas à população de comunidades com alto índice de vulnerabilidade social. Dentre os princípios da sustentabilidade urbana, está a mitigação das disparidades sociais, assunto relevante no planejamento urbano sustentável. A presente pesquisa, neste contexto, tem como objetivo relatar os serviços socioambientais oferecidos por um parque urbano durante a ainda vigente Pandemia de COVID-19; o recorte espacial escolhido, em vista da considerável disponibilidade de dados primários, foi o Parque Municipal Jardim da Conquista (PMJC), localizado na Zona Leste da cidade de São Paulo não. Trata-se de uma pesquisa descritiva e exploratória que observou, registrou, analisou e correlacionou eventos e fatos, além de usar procedimentos técnicos documentais para descrever de forma qualitativa as ações sociais realizadas no e pelo parque. O isolamento social, consequência da pandemia em curso, implicou, via de regra, no fechamento de parques urbanos, mesmo assim, o PMJC não interrompeu a prestação de serviços socioambientais aos cidadãos e passou a protagonizar, além desses serviços, determinadas ações sociais que beneficiaram cerca de seis mil famílias residentes em favelas na Zona Leste da cidade e na Região Metropolitana de São Paulo (RMSP). Fato este que apontou para a possibilidade de os parques públicos urbanos também serem espaços de promoção de ações socioambientais as quais mitiguem externalidades negativas associáveis à vulnerabilidade social de moradores dessas regiões. As parcerias com a Central Única das Favelas (CUFA), com Organizações Não Governamentais (ONGs) locais e com lideranças regionais, que atuaram enquanto colaboradores para a efetivação das ações, tornaram o supracitado parque urbano o pioneiro na condição de entreposto para o recebimento e distribuição de doações (por exemplo de gêneros alimentícios, cobertores e botijões de gás) a esta população tipicamente vulnerável.  Palavras-chave: Espaços Verdes. Parques Urbanos. Cidade de São Paulo. Pandemia de COVID-19. Vulnerabilidade. Sustentabilidade Urbana. Mitigação de Desigualdades Sociais.
Thaissa Martins, Fernanda Barcellos, Patricia Drach
Periódico Técnico e Científico Cidades Verdes, Volume 10; https://doi.org/10.17271/23178604102720223247

Abstract:
As dificuldades de transpor a grande muralha de praticamente 1.000m e acessar a Serra da Estrela fez com que, nos primeiros 200 anos da colonização portuguesa, a região de Mata Atlântica permanecesse praticamente intocada e protegida. Para adentrar o território e alcançar a região de Minas Gerais, esse acesso próximo, mas íngreme, e cuja travessia dos rios era impossível nos momentos de chuva, foi substituído por outros mais longos, porém mais seguros. As estradas cortavam a região a partir da cidade de Paraty e alcançando a região de produção de ouro através de uma rede de caminhos. Nesse trabalho foram mapeados o acesso inicial e os caminhos que levavam à cidade de Petrópolis, desde o antigo caminho do Imperador, parte das Estradas Reais, às rodovias atuais. Foi gerado um gráfico síntese apresentando a associação dos dados mapeados, fornecendo um cenário geral da localização de algumas indústrias ao longo do tempo, a partir do núcleo fundacional, estabelecendo sua relação com a abertura de novos caminhos e expansão da cidade. PALAVRAS-CHAVE: Petrópolis; ferrovias; rodovias; indústrias.
Marcos Antonio Santana Menezes Junior, Rosio Fernández Baca Salcedo
Periódico Técnico e Científico Cidades Verdes, Volume 10; https://doi.org/10.17271/23178604102720223242

Abstract:
A Prefeitura Municipal de Bauru, diante da demanda por Habitação de Interesse Social (HIS) na cidade, implementou no ano de 2009, em parceria com o Ministério das Cidades e a Caixa Econômica Federal (CEF), o Programa Minha Casa Minha Vida (PMCMV), através da construção de 19 empreendimentos habitacionais. Nesse sentido, o objetivo desse estudo é analisar a moradia adequada a partir da relação dos empreendimentos habitacionais do Programa Minha Casa Minha Vida (PMCMV) na cidade Bauru em relação à oferta de equipamentos e serviços coletivos e comércio básico existentes no Contexto. A Metodologia vai de encontro com base na arquitetura e dialogia, em que foram definidas duas etapas. A primeira, abrange o Contexto em que está localizado o empreendimento que será analisado segundo os parâmetros: físico-geográficos, arquitetônicos, urbanos e ambientais. A segunda etapa, o Texto: os Empreendimentos habitacionais MCMV e sua relação com os equipamentos e serviços coletivos, além do comércio local, segundo parâmetros de Prinz. Os resultados evidenciam que, dentre os 19 empreendimentos residenciais analisados nesse estudo, nenhum dispõe de acesso a todos os equipamentos e serviços coletivos integralmente, pois a maioria dos residenciais não dispõe de praças e parques próximos, emprego e lazer, e não menos importantes são a escassez de escolas de ensino infantil fundamental e médio. PALAVRAS-CHAVE: Equipamentos coletivos, Habitação Social, Moradia Adequada, PMCMV, Sustentabilidade Social.
Hanna Thamis Picanço Coutinho, Jacy Soares Corrêa Neto
Periódico Técnico e Científico Cidades Verdes, Volume 10; https://doi.org/10.17271/23178604102720223240

Abstract:
A segregação é uma das principais problemáticas urbanas no Brasil. Esse fenômeno tem como característica a exclusão espacial de grupos sociais, dentre eles, a população negra, devido a fatores sócio-históricos. Nesse contexto, o objetivo deste trabalho é compreender o processo contemporâneo de segregação urbana racial em uma cidade média amazônica. Para tanto, a metodologia utilizada englobou as características da segregação no Brasil e no objeto de estudo, a cidade de Macapá, localizada no Estado do Amapá, Amazônia brasileira. A pesquisa foi de natureza exploratória pelo procedimento de estudo de caso, com coleta de dados baseada em revisão da literatura, pesquisa histórica e pesquisa documental estatística. Do exposto, a análise dos dados se baseou na sistematização e evolução da noção de segregação racial urbana, suas causas e efeitos nas cidades, bem como na construção socioespacial desse fenômeno a partir de intervenções urbanísticas realizadas pelo Estado na contemporaneidade. Os resultados evidenciaram que a segregação racial no espaço urbano ocorre pela tendência de concentração da população negra em periferias, reafirmando a lógica centro-periferia. No caso de Macapá, as práticas urbanísticas estatais da década de 1940 promoveram a retirada de comunidades negras do bairro Central, área considerada mais nobre. A cartografia produzida evidenciou que população negra se distribui de forma difusa cidade, entretanto, com maior percentual de concentração em bairros e áreas periféricas. Diante disso, a relevância da compreensão da segregação racial urbana se justifica como alternativa à inclusão e promoção de políticas afirmativas étnico-raciais negras, no sentido de reduzir desigualdades urbano-raciais e promover o direito à cidade. PALAVRAS-CHAVE: Segregação Urbana. Segregação Racial. Cidade Média. Macapá-AP.
Fabiana Portilho de Resende Lanza, Adriane Gomes Rodrigues Batata
Periódico Técnico e Científico Cidades Verdes, Volume 10; https://doi.org/10.17271/23178604102720223238

Abstract:
Os processos de expansão urbana tanto nas cidades de médio porte, como nas de grande, têm sido influenciados por uma nova forma de produção do espaço urbano, os condomínios fechados. Cada vez mais presentes na paisagem das cidades, essa tipologia reflete o desejo de grupos sociais específicos que, estimulados pelo mercado imobiliário, impactam o tecido urbano e social estabelecendo diferentes formas de segregação. O trabalho busca contribuir para a discussão a respeito do impacto da proliferação e consolidação de condomínios fechados horizontais em cidades de médio porte, como o município de Ilhéus, BA. Os principais resultados encontrados sugerem certa ineficiência da administração pública municipal em fazer cumprir a legislação urbana, associada a uma forte pressão do mercado imobiliário em negociar a paisagem. Tal contexto resulta em diferentes processos de segregação, como o associado à mobilidade urbana. PALAVRAS-CHAVE: Cidades médias. Produção do espaço. Segregação. Agentes sociais. Paisagem.
Larissa Martioli Macedo, Thaís Vicente Santos
Periódico Técnico e Científico Cidades Verdes, Volume 10; https://doi.org/10.17271/23178604102720223243

Abstract:
O espaço urbano e áreas verdes devem buscar uma integração harmônica para a construção de cidades ambientalmente saudáveis. Entretanto, possíveis desenhos benéficos entre área urbanizada e mais naturalizadas não têm sido adotados pelas cidades que suprem as áreas verdes e canalizam suas águas. Este é o caso de Fernandópolis, cidade do interior do estado de São Paulo, que invisibilizou seus córregos, têm uma ausência de áreas de preservação permanente e demais áreas verdejadas e sofre com problemas de drenagem urbana em diversos pontos de seu território. No entanto, existem possibilidades de redesenho de áreas já consolidadas, adotando medidas de infraestrutura verde, necessárias para evitar desastres ambientais e reintroduzir a vegetação em meio a infraestrutura cinza (concreto). Propôs-se assim, a análise de áreas críticas do município de Fernandópolis e adoção de tipologias verde como resolução dos problemas de enchentes.  PALAVRAS-CHAVE: natureza, cidade, infraestrutura verde.
Daniela Pires Santos, Lina Martins de Carvalho
Periódico Técnico e Científico Cidades Verdes, Volume 10; https://doi.org/10.17271/23178604102720223241

Abstract:
Este artigo aborda os efeitos do uso excessivo da publicidade sobre a arquitetura, considerando que tal prática favorece à poluição visual da paisagem urbana. A sobreposição dos anúncios de maneira arbitrária prejudica a legibilidade da paisagem, implica na perda da identidade local, através do recobrimento de elementos referenciais e simbólicos da cidade e favorece a desorientação das pessoas em razão do excesso de informações. O trabalho é fundamentado com base no direito de todos os cidadãos de usufruir de um meio ambiente ecologicamente equilibrado, garantido pelo artigo 225º da Constituição Federal de 1988, além de se constituir como um dever dos gestores públicos de preservar o meio ambiente construído e o patrimônio histórico. Adota-se o Calçadão do Centro Histórico e Comercial de Aracaju como objeto de estudo por possuir uma significativa concentração de anúncios em edificações de valor histórico, as quais vem sendo prejudicadas em razão da publicidade. O objetivo é analisar como a publicidade se insere nesta paisagem e quais seus principais impactos. Para isso, foi realizado o levantamento bibliográfico de temas relacionados e a coleta de dados tais como, visitas in loco, observações, levantamento fotográfico e análises perceptivas. Como resultado, constatou-se que o uso excessivo da publicidade ocasiona vários aspectos negativos a arquitetura, o que aponta para a necessidade de políticas públicas de reordenamento dessa prática para a garantia da qualidade visual urbana. Além disso, espera-se que as reflexões levantadas no trabalho possam contribuir para a discussão desta problemática e colaborar com o conhecimento deste campo de estudo. PALAVRAS-CHAVE: Paisagem Urbana. Publicidade. Poluição Visual.
Lucas Cunha da Silva, Giovanna Rocha Cristofoli, Sandra Medina Benini
Periódico Técnico e Científico Cidades Verdes, Volume 10; https://doi.org/10.17271/23178604102720223239

Abstract:
O presente artigo propõe-se a fazer uma análise da urbanização do município de Taubaté, SP, além de estudar os possíveis impactos dessa urbanização na APA Mananciais do Rio Paraíba do Sul, mais especificamente na parte da APA localizada dentro do Município de Taubaté, SP, aliado a isso, pressupõe-se que a implementação de uma APA na localidade tenha auxiliado na preservação da vegetação, com isso, espera-se que a preservação da vegetação tenha conseguido auxiliar na extirpação da degradação ambiental na localidade de estudo. Engendrou-se diversos tipos de análises baseando-se em produtos cartográficos e geoprocessados. Compreende-se que a metodologia implementada possibilitou um melhor apontamento do incremento de vegetação durante o espectro temporal observado.  PALAVRAS-CHAVE: Sustentabilidade. Área de Preservação Ambiental. Taubaté.
Letícia Pereira Paixão, Janice De Freitas Pires
Periódico Técnico e Científico Cidades Verdes, Volume 10; https://doi.org/10.17271/23178604102720223246

Abstract:
Este artigo vincula-se ao Projeto de Pesquisa AMPARA (Análise, Modelagem PARAmétrica e Fabricação Digital da geometria complexa da arquitetura: construção de referenciais didáticos para o ensino de projeto), da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAUrb) da Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Sob tal ótica relaciona-se o emprego de técnicas de representação gráfica digital, particularmente a modelagem paramétrica, alinhadas ao enfoque da Arquitetura Regenerativa como fonte de exploração de tais geometrias no projeto de arquitetura, a partir de sua metodologia projetual, que tem por objetivo potencializar o saber relativo à ação de projetar baseado em sistemas vivos naturais. O estudo é desenvolvido por meio da análise e representação de um projeto referencial, configurado com uma geometria complexa associada a princípios de regeneração. Busca-se explicitar o saber subjacente a este projeto, com base em autores de referência e no desenvolvimento de representações paramétricas associadas a análises da geometria, a fim subsidiar processos formativos em arquitetura.  PALAVRAS-CHAVE: Arquitetura Regenerativa. Modelagem Paramétrica. Geometria Complexa.
Back to Top Top