Refine Search

New Search

Results in Journal OPSIS: 469

(searched for: journal_id:(495417))
Page of 10
Articles per Page
by
Show export options
  Select all
Wanderson Fabio De Melo
Published: 1 October 2020
OPSIS, Volume 20, pp 1-12; https://doi.org/10.5216/o.v20i1.64373

Abstract:
O trabalho discute o governo Dilma e a sua crise, enfatizando o papel dos empresários. Estuda-se as dimensões do ciclo das commodities, as políticas de conciliação de classe, as medidas favoráveis ao capital, a crise do governo com o setor empresarial e o fim do gestão Dilma Rousseff. As fontes são os posicionamentos dos dirigentes do PT e dos empresários. A metodologia é a análise histórica.
Marília Gago
Published: 1 October 2020
OPSIS, Volume 20, pp 1-13; https://doi.org/10.5216/o.v20i1.63859

Abstract:
As sociedades atuais lidam com um crescente manancial de informação fruto de diversas origens, divulgado por vários meios e construída com base em preocupações, interesses e olhares distintos. Com frequência utilizam-se as expressões “opinião”,” ponto de vista” e “perspetiva” sem se debaterem quais os significados e que ideias dão corpo a estas expressões/conceitos. Propõem-se este debate atendendo às conceções idealistas passando pelo Pós-modernismo e pelo “realismo crítico interno”. Partilha-se a perspetiva que a História é uma ciência que desenvolve o modo de compreender a realidade humana e considera-se necessário que este debate seja realizado com o objetivo de conscientemente se tomarem decisões válidas no percurso histórico. A narrativa histórica, face material da História, independentemente do suporte que utiliza, é natural e legitimamente multiperspetivada, considerando-se que é no criticismo mútuo que a validade pode emergir nas formas mais sofisticadas e se pode construir a compreensão histórica de forma interperspetivada. Este debate poderá contribuir para que os ruídos constantes que espelham interesses relativamente à(s) verdade(s) histórica(s) possam fazer emergir ideias e narrativas históricas mais sofisticadas construídas no diálogo múltiplo e plural.
Published: 1 October 2020
OPSIS, Volume 20, pp 1-15; https://doi.org/10.5216/o.v20i1.63748

Abstract:
O artigo contrapõe o Movimento da Literatura Marginal a algumas experiências culturais passadas, sobretudo ao modernismo paulista. De início, reconstroem-se algumas das demandas da vanguarda modernista apresentadas por ocasião da Semana de Arte Moderna de 1922. Em seguida, analisa-se como agentes marginais, com a preparação da Semana de Arte Moderna da Periferia e do Manifesto da Antropofagia Periférica, de 2007, elaboraram uma releitura da história cultural brasileira. Os manifestos lançados, as ressignificações simbólicas propostas e as reorientações estéticas subjacentes revelam contra-usos políticos importantes da ideia de vanguarda. Ao final, argumenta-se que a formatação do movimento das periferias dependeu de distanciamentos críticos praticados por seus/suas integrantes em relação a uma tradição que não os/as contemplou, distanciamentos esses que revelam uma potência antropofágica que se processa desde o local de enunciação, estendendo-se à forma literária.
Ana Carolina Eiras Coelho Soares, Neide Célia Ferreira Barros
Published: 1 October 2020
OPSIS, Volume 20, pp 1-13; https://doi.org/10.5216/o.v20i1.64372

Abstract:
O presente trabalho aborda as reflexões sobre a oficina ministrada no LEHIS em 2016 a respeito da importância de uma educação que trabalhe as questões de gênero no ambiente escolar e em como isso pode auxiliar na diminuição das violências e desigualdades sobre as mulheres e as minorias sociais em nosso cotidiano. Dentro do contexto histórico contemporâneo de retrocessos sociais, buscou-se compreender as naturalizações que perpetuam uma cultura do estupro em nossa sociedade e quais as contribuições dos estudos de gênero para uma sociedade mais justa e igualitária. Palavras-chave: Cultura do Estupro; Educação; Relações de gênero.
Rosana Soares Campos
Published: 1 October 2020
OPSIS, Volume 20, pp 1-11; https://doi.org/10.5216/o.v20i1.64195

Abstract:
Este estudo analisa o papel dos governos Fernando Collor de Melo, Itamar Franco e Fernando Henrique Cardoso na implementação de políticas econômicas neoliberais nos anos 1990 no Brasil. A pesquisa utiliza duas categorias de análise: democracia e neoliberalismo. Neste cenário, a partir de um estudo histórico e estatístico-descritivo verificou-se um comportamento funcional dos governos democráticos, através de políticas de privatização, abertura de mercado, redução do papel do Estado na economia, etc, acarretando graves consequências sociais a uma expressiva parcela da população brasileira. O desemprego e a informalidade laboral foram alguns dos principais impactos dessas políticas.
Rildo Bento De Souza
Published: 1 October 2020
OPSIS, Volume 20, pp 1-12; https://doi.org/10.5216/o.v20i1.63887

Abstract:
Pretende-se nesse artigo analisar duas biografias do médico e político goiano Pedro Ludovico Teixeira (1891-1979), quais sejam, A vida de Pedro Ludovico: fundação de Goiânia (1ª edição 1992; 2ª edição 2004) de José Mendonça Teles e Tu és Pedro: uma biografia de Pedro Ludovico Teixeira (2016) de Hélio Rocha. O que pretendo demonstrar é que os dois livros, com poucas alterações substanciais, percorreram o caminho trilhado pelo próprio Pedro Ludovico na sua autobiografia intitulada Memórias que foi publicada em 1973. Nesse sentido, tomaremos como exemplo as construções narrativas dos motivos que levaram Pedro Ludovico a lutar na Revolução de 1930 e as suas primeiras ações no governo do Estado, como Interventor.
Ailton Laurentino Caris Fagundes, Bruna Caroline Machado Gomes
Published: 1 October 2020
OPSIS, Volume 20, pp 1-11; https://doi.org/10.5216/o.v20i1.64184

Abstract:
Contando com cerca a 50 milhões de fiéis e uma atuação organizada, os evangélicos se tornaram um ator importante na política brasileira, capaz de eleger representantes, organizar partidos, influenciar ou decidir eleições. Engajados politicamente desde os anos oitenta, após forte crescimento das igrejas neopentecostais, os evangélicos não formam, entretanto, um grupo homogêneo e podem agir de forma conjunta ou não de acordo com seus dogmas ou interesses. Este trabalho busca analisar historicamente o perfil de atuação política dos evangélicos no Brasil e o modo como se organizam e atuam mostrando por uma lado como as crenças servem para justificar e legitimar a participação no jogo eleitoral e, por outro, como o pragmatismo político entra nas igrejas permitindo que elas possam agir como partidos.
Carmem Lúcia Costa
Published: 1 October 2020
OPSIS, Volume 20, pp 1-10; https://doi.org/10.5216/o.v20i1.64008

Abstract:
Este artigo apresenta uma reflexão sobre o processo de captura das subjetividades dos/as trabalhadores/as nos tempos de avanço do projeto neoliberal de extrema direita no Brasil, marcado pelo projeto de poder que exclui, segrega, mata e subjuga a classe trabalhadora a partir de retirada de direitos, mas sobretudo, pela inserção da lógica da mercadoria na vida cotidiana. Para realizarmos o exercício de compreensão, buscamos neste artigo discutir as subjetividades sob a ótica do materialismo histórico e dialético para entender sua dinâmica e, assim, sua captura e sua condição de superação. O artigo reafirma a necessidade da construção de um projeto de superação da sociedade capitalista e da produção de novas subjetividades a partir da resistência popular, da ciência e de novas formas de produzir o cotidiano.
Sônia Meneses
Published: 31 December 2019
OPSIS, Volume 19, pp 1-9; https://doi.org/10.5216/o.v19i2.55707

Abstract:
Resumo: Este artigo problematiza a emergência de histórias públicas reacionárias e novos negacionismo influenciados pela profusão de narrativas históricas vinculadas aos meios de comunicação e às ideias de pós-verdade. Assim, destacam-se as relações entre história e abusos do passado, difusão de narrativas históricas e consumo. Ao final, aponta para os desafios colocados ao próprio lugar da produção histórica e dos historiadores frente a essa produção. Palavras-chave: História Pública, Pós-Verdade, Negacionismo, Consumo.
Diogo Da Silva Roiz
Published: 30 December 2019
OPSIS, Volume 19, pp 1-13; https://doi.org/10.5216/o.v19i2.58684

Abstract:
Pretende-se analisar as leituras que foram propostas sobre a obra de Sérgio Buarque de Holanda produzida ao longo dos anos 1940 e 1950, por meio do estudo detalhado das resenhas e dos comentários elaborados a respeito de seus livros. Como veremos abaixo, apesar de não haver certamente a totalidade das notícias que foram publicadas, as edições seguintes de Raízes do Brasil (em 1948, a segunda, e em 1956, a terceira), ou as primeiras de: Cobra de vidro (1944), Monções (1945), Caminhos e fronteiras (1957) e Visão do Paraíso (1958, 1959), não chegaram a gerar um número tão representativo e diversificado de comentários e críticas, como no caso de seu livro de estreia. Ainda mais se considerarmos que nos anos 1950, SBH estava no auge de sua carreira profissional, como diretor do Museu Paulista, e, depois, como catedrático da cadeira de História da Civilização Brasileira do curso de Geografia e História da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade de São Paulo (FFFCL/USP), a partir de 1958.
Mariana Lagarto
Published: 30 December 2019
OPSIS, Volume 19, pp 1-8; https://doi.org/10.5216/o.v19i2.56759

Abstract:
Este artigo aborda uma situação de boas práticas de ensino e aprendizagem em História, com alunos entre os 14 e os 17 anos, sobre uma questão tão complexa quanto difícil: o antissemitismo na Alemanha nazi. Esta situação foi observada numa investigação conduzida em Portugal (e orientada por Isabel Barca) sobre a forma como as práticas de ensino e de aprendizagem em História no 3º ciclo contribuíam para o desenvolvimento das competências históricas dos alunos. Procurava-se compreender se estas promoviam, ou não, uma orientação temporal dos alunos adequada aos desafios da sociedade atual. A metodologia do estudo foi inspirada na Grounded Theory por permitir um constante repensar das categorias. A recolha de dados foi feita através da observação direta de aulas, de entrevistas a professores e das respostas dos alunos. A análise indutiva e a triangulação dos dados mostrou que: a) os professores não revelam um único perfil de docência, tendendo antes a oscilar entre perfis de momentos de ensino e de aprendizagem desde a simples transmissão até a momentos centrados em tarefas sofisticadas e desafiantes; b) foi possível estabelecer uma relação entre esses perfis e o tipo de competências desenvolvidas nos alunos (expresso num modelo de três níveis), sendo evidente que a sofisticação das tarefas potencia o aumento da compreensão dos alunos em História.
Júlio Cesar Meira
Published: 30 December 2019
OPSIS, Volume 19, pp 1-11; https://doi.org/10.5216/o.v19i2.57936

Abstract:
Este texto propõe investigar o processo de periferização na cidade do México a partir da segunda metade do século XX, a partir da análise do seriado Chaves. Parte-se de duas interpretações. Em primeiro lugar, que esse processo de favelização e periferização foi parte da expansão urbana e industrial, na qual os mais pobres, os trabalhadores, ficaram à margem. Luta de classes, especulação imobiliária, concentração de renda, são alguns dos sintomas que geraram grandes massas de excluídos, que se concentraram em regiões precárias e distantes dos centros urbanos e econômicos, ainda que servindo de mão de obra a alimentar esse sistema. Em segundo lugar, que a exclusão e periferização pode se dar também no campo social, mesmo que convivendo os excluídos e privilegiados lado a lado ou no mesmo espaço. O recorte temporal, como apontado acima, abrange o período da segunda metade do século XX, com ênfase para a década de 1970.
Eduardo Henrique Barbosa De Vasconcelos, Ruben Maciel Franklin
Published: 30 December 2019
OPSIS, Volume 19, pp 1-15; https://doi.org/10.5216/o.v19i2.47942

Abstract:
O presente artigo tem como objetivo analisar as inquietações que atravessaram o pensamento o historiador inglês Edward Palmer Thopson, abrindo um diálogo bibliográfico com autores que nos possibilitem debater como determinados temas foram trabalhados e discutidos por E. P. Thompson. Nesse sentido, os temas: determinação social, cultura & antropologia, “elitismo intelectual” e questões pertinentes ao materialismo histórico marxiano. No entrecruzamento dessa gama de preocupações, circunscrevemos a coerência interna da obra “thompsoniana” num intervalo grande de tempo (entre os textos da The New Reasoner os da década de 1970), com frentes de contestação que transitaram do stalinismo para o estruturalismo, assumindo posições consistentes quanto a pesquisa histórica e aos procedimentos do historiador.
Marina Duque Coutinho De Abreu Lacerda, Renilson Rosa Ribeiro
Published: 17 December 2019
OPSIS, Volume 19, pp 1-16; https://doi.org/10.5216/o.v19i1.52857

Abstract:
Ao abordar tombamento como uma regulamentação do Estado que busca a preservação dos bens materiais, este artigo faz uma reflexão acerca da demanda de impugnação impetrada contra o tombamento do Centro Histórico de Cuiabá, fazendo uma breve análise das motivações dos proprietários em confrontação com a argumentação do órgão de preservação do governo federal na década de 1980. Neste sentido, buscamos uma reflexão crítica acerca das políticas de conservação e preservação do patrimônio de Cuiabá e das resistências dos proprietários dos imóveis tombados em aceitar a “monumentalidade” da história que suas edificações abrigariam, o que transformaria sua propriedade em bem simbólico da identidade nacional brasileira.
Published: 8 October 2019
OPSIS, Volume 19, pp 1-21; https://doi.org/10.5216/o.v19i1.53435

Abstract:
Apresenta-se uma reflexão sobre a forma como as atividades de exploração educativa do património cultural podem modelar as relações entre o ensino e a aprendizagem de História, o passado histórico e as preocupações do presente. Sendo a aprendizagem histórica uma das dimensões da consciência histórica, configurando assim as competências de orientação na vida e de construção de identidade histórica, é também influenciada pelo ensino de História. Através de um estudo de natureza essencialmente qualitativa, procurou-se desenvolver uma atividade de educação patrimonial no âmbito do currículo português de História no 3º ciclo do ensino básico e no ensino secundário, com recurso a objetos e edifícios do centro histórico de Guimarães, no norte de Portugal. A análise de dados sugeriu diversos perfis conceptuais quanto ao modo como os alunos dão sentido ao património, e como eles e seus professores entendem a relação dialógica entre passado, presente e futuro, que caracteriza a consciência histórica.
Julia Silveira Matos
Published: 8 October 2019
OPSIS, Volume 19, pp 1-17; https://doi.org/10.5216/o.v19i1.54120

Abstract:
No presente texto, almejo discutir para além desses que envolvem os processos e cenários de ensino-aprendizagem contemporâneos, sem, no entanto, perder-los de foco. Nossa proposta visa explorar o ensino, as aprendizagens, a memória e o regime de tempo através da perspectiva da experiência da própria autora no espaço museológico. Sem desfocar no debate do papel que as experiências com o passado tem nas aprendizagens significativas, no presente texto bucamos extrapolar o debate do ensino de História formal. Entretanto, antes que se possa pensar nos possíveis debates sobre o Museu e seus acervos enquanto conjuntos de objetos patrimonializados, já alerto que não visamos uma abordagem pela Educação Patrimonial, pois o foco será pensar dois Museus especificamente enquanto exemplos de espaços de aprendizagem histórica a partir de uma abordagem da História das sensibilidades.
Radamés Vieira Nunes
Published: 8 October 2019
OPSIS, Volume 19, pp 1-14; https://doi.org/10.5216/o.v19i1.53833

Abstract:
Ao longo de toda década de 1880 nas páginas impressas, nas ruas, nos trieiros, clubes e outros ambientes a abolição da escravidão ocupava significativo espaço nas mentes goianas, principalmente em relação às incertezas quanto aos desdobramentos que causaria. Na cidade de Porto Imperial, Joaquim Ayres da Silva, proprietário de escravos, acompanhou de perto as conversas atento aos muitos posicionamentos sobre a questão. Nesse trabalho a proposta é perscrutar a trama entre poder e liberdade que envolveu Joaquim Ayres e um negro chamado Faustino Pereira de Oliveira, bem como seus desdobramentos atuais na cidade portuense. O episódio, que ainda suscita ecos, foi acompanhado pelos principais jornais goianos se tornando um símbolo do jogo de forças travado entre a população goiana sobre como as ideias abolicionistas se assentariam em Goiás.
Maristela Carneiro, Vilson André Moreira Gonçalves
Published: 8 October 2019
OPSIS, Volume 19, pp 1-19; https://doi.org/10.5216/o.v19i1.53472

Abstract:
Este trabalho propõe discutir as construções do conhecimento histórico e das relações de gênero em quatro filmes históricos brasileiros, tendo como recorte contextual o caso da colonização portuguesa: Xica da Silva (Carlos Diegues, 1976), Carlota Joaquina, Princesa do Brazil (Carla Camurati, 1994), Caramuru, A Invenção do Brasil (Guel Arraes, 2001) e Desmundo (Alain Fresnot, 2003). Ao escolher filmes, entendemos que, no uso público de balizas históricas específicas, encontram-se tensões entre a cultura e as referências dos grupos envolvidos e dos padrões de consumo próprios a um objeto da cultura de massa. Esses fatores dão a conhecer a experiência de um passado, mas também estruturam uma narrativa que dá sentido às experiências de vida. Mesmo que o filme retrate certo passado histórico, pode dialogar com as relações de gênero na contemporaneidade. Essas narrativas são como teias de significados, os quais são constantemente relembrados, modificados e trabalhados, o que mantém sua natureza dinâmica e aberta. Isso significa que a prática de construir narrativas históricas se configura num espaço central da própria experiência de vida humana, uma vez que este sentido possível de orientação temporal constrói uma espécie de conexão com os diferentes entendimentos do passado e nossas identidades atuais. A escolha pelos filmes sobre a colonização portuguesa enxerga neste suporte narrativo um espaço de produção de sentido histórico e de referência cultural, um espaço em que o olhar histórico de uma sociedade pode ser analisado de maneira mais ampla.
Jaqueline Ap. Martins Zarbato
Published: 8 October 2019
OPSIS, Volume 19, pp 1-20; https://doi.org/10.5216/o.v19i1.53747

Abstract:
Este artigo tem como objetivo analisar as concepções sobre o Patrimônio Histórico em Mato Grosso, a partir neste processo de construção de um ‘olhar plural’, com as análises e concepções da História e da Arquitetura. Pretende-se compreender e investigar a amplitude das questões que envolvem o bem patrimonial, bem como as ressonâncias e representações ao logo do tempo Plano Nacional de Cultura ( PNC). Neste sentido, apresentamos o percurso das concepções sobre Patrimônio no Centro oeste, numa ‘seara’ de conhecimento e silenciamento.
Adriana Aparecida Pinto
Published: 4 October 2019
OPSIS, Volume 19, pp 1-18; https://doi.org/10.5216/o.v19i1.54903

Abstract:
Por meio da investigação histórica, o presente artigo indica possibilidades de análise da imprensa periódica de circulação geral, no que diz respeito à compreensão do papel dos intelectuais em um cenário comum – a configuração cultural do território mato-grossense entre os anos de 1880 a 1920. Parte-se da premissa que a imprensa deve ser colocada ao lado dos progressos materiais indicativos da modernidade, que gradativamente chegaram ao território a partir da segunda metade do século XIX. Os jornais mato-grossenses difundiram os ideais das instâncias políticas e do poder, representados pelas famílias tradicionais, que se alternavam no poder e se ramificavam pelas municipalidades. No entanto, os jornalistas, categoria fluída em termos profissionais, desfrutavam de legitimidade social, pois se vinculavam à produção, circulação e divulgação de valores (MICELI, 2001), sendo também formadores de opinião e, na concepção que orienta este texto, intelectuais-mediadores/medidores culturais. Interessa discutir como profissionais de áreas distintas constituíram-se como editores, colaboradores, articulistas, integrando a categoria de intelectuais, partindo de uma conceituação proposta por Jean-François Sirinelli (1998, 2003).
Published: 19 November 2018
Abstract:
A partir de entrevistas narrativas, o artigo trata de interligações entre a privatização de uma planta siderúrgica das Forjas Acesita, em 1998, por uma companhia alemã, e a restruturação do modo de trabalho operário. Tal fato é analisado a partir de entrevistas produzidas, entre 2010 e 2011, com três operários que viveram esse processo de modificação, em dupla circunstância. Pois eram trabalhadores da empresa e, ao mesmo tempo, estavam à frente do Sindicato dos Metalúrgicos de Santa Luzia, Minas Gerais. Ao destacar vestígios de mudanças nas políticas sindicais, o texto aborda memórias, acontecimentos e interpretações que indicaram alterações nas sociabilidades entre antigos e jovens metalúrgicos. Por fim, destaca ações de novos sujeitos e incipientes avaliações sobre os rumos que o Sindicato deveria tomar para combater a dissolução da categoria frente as imposições colocadas pela Globalização da economia.
Published: 19 November 2018
Abstract:
O trabalho mostra o surgimento das cidades na província de Goyaz e a forma como elas aparecem nas narrativas dos viajantes do século XIX. Os pioneiros viajantes, normalmente europeus, foram os interessados em retratar as paisagens e cidades brasileiras no século XIX, período em que elas passavam por grandes transformações. Transformações que não atingiu todas as cidades da ex-colônia e principalmente as da província de Goyaz o que levou quase a totalidade dos viajantes que a visitou fazerem uma descrição apontando para o atraso material a que estava submetida toda a região e apontassem seus habitantes como “preguiçosos” e assim responsáveis pelo atraso. O viajante Oscar Leal, um dos últimos a passar por Goiás já em 1882, não mais fala de decadência, mas sim de progresso. Quando de sua passagem por Jataí o que anota sobre a cidade do sudoeste goiano são suas modernidades.
Leonardo Turchi Pacheco,
Published: 19 November 2018
Abstract:
O objetivo desse artigo é o de refletir sobre as narrativas da medicina e fisioterapia esportiva para dar sentido a dores e lesões nos corpos de atletas de futebol. Para tal realizamos a analise de dois Consensos e um Protocolo – Consensos de Doha e Munique, e do protocolo FIFA11+ – os quais fomos apresentados em uma palestra de fisioterapeutas esportivos de um grande time de futebol da capital paulista. Fundamentados nesses documentos e nos dados coletados na palestra exploramos as relações de poder e os conflitos entre alguns atores do campo esportivo na tentativa de propor uma classificação e uma sensação legitima de dor e de lesão nos corpos dos atletas. Concluímos que, através da linguagem legitima e autorizada, os discursos sobre a dor e a lesão adquirem um estatuto de verdade, enquadrando os atletas a experimentarem sua condição de sujeito, quando lesionados, em uma das categorias construídas pelos consensos.
Jose Lima Soares
Published: 19 November 2018
Abstract:
Este trabalho tem como objetivo central, analisar os sindicatos durante o período da ditadura, bem como as diferentes formas de luta que se desenvolveram no Brasil contra a repressão política que se impôs contra os trabalhadores. Partimos da premissa de que os trabalhadores, mesmo com os sindicatos sob a tutela do Estado e submetidos ao controle do peleguismo, cumpriram um papel importante, buscando se organizar nos locais de trabalho, muitas vezes, até na clandestinidade, no sentido de construir a unidade de classe contra a exploração capitalista e o arrocho salarial. Tudo isso, em uma conjuntura política difícil, em que os militantes, sindicalistas, estudantes, eram perseguidos, presos, torturados, exilados e mortos.
Ricardo Gião Bortolotti
Published: 19 November 2018
Abstract:
: O espaço político é caracterizado pela pluralidade de opiniões. Cenário em que a liberdade deve manifestar-se na expressão de cada um, conforme a singularidade de sua opinião frente à pluralidade que define a comunidade. Políticas totalitárias impedem a livre expressão, influenciando modos de pensar mecanizados, uma vez que ideias abstratas e universais dirigem a conduta do indivíduo. Ora, Arendt procura pensar nas condições que não só originaram políticas destrutivas, mas também a tradição filosófica que influenciou o modo de conceber a história e, com ela, a trajetória da liberdade. Com efeito, os modos de conceber a política e as mudanças que se operavam no espaço público deram lugar à esfera social e à sociedade de massas. A preocupação com a cidade, conforme o modelo da polis grega, foi substituída pelo cuidado com a qualidade de vida. Em outros termos, necessidades privadas invadiram o espaço público e dominaram o cenário político. É, pois, nesse palco que procuramos compreender o papel da religião na cena política. E, além disso, também buscamos esclarecer algumas expressões próprias da religião, as quais a autora utiliza na arena política. A ação política é irreversível, inexplicável pela causalidade matemática, mas seus atos não obstruem um novo começo. Tal é o papel do perdão e da promessa. Por fim, este artigo procura esclarecer estas questões, partindo das mudanças efetuadas no cenário público, e que oferecem, nos dias atuais, lugar para a participação de políticas comprometidas com denominações religiosas, mas que se caracterizam por uma política inautêntica.
Fábio Francisco De Almeida Castilho
Published: 19 November 2018
Abstract:
O presente texto tem por objetivo analisar a representação escrava nos periódicos alagoanos no período final do escravismo, em especial, as notícias encontradas em O Jornal de Penedo, que repercutiam a ocorrência de três crimes de tentativa de assassinato praticados por cativos naquela freguesia no ano de 1875. Ao nos debruçarmos sobre este mote encontramos informações relevantes do período de crise do escravismo no país tomando por recorte espacial o interior de Alagoas. A cidade de Penedo, localizada às margens do Rio São Francisco teve seu desenvolvimento econômico impulsionado pela navegação a vapor que conectava o seu porto fluvial aos principais portos oceânicos da época, reforçando sua posição de entreposto comercial entre o interior do Rio São Francisco e o comércio de cabotagem nacional em um contexto de intensificação do tráfico interprovincial na segunda metade do XIX. Com a análise dos crimes violentos e fugas relatados nos periódicos buscamos compreender o papel dos escravizados naquela sociedade e suas formas de busca por autonomia e estratégias de negociações, vislumbrando o papel do cativo enquanto sujeito histórico.
Marcos José Diniz Silva
Published: 19 November 2018
Abstract:
O presente trabalho versa sobre a história da maçonaria no Ceará, a partir das publicações da Grande Loja Maçônica do Estado do Ceará sobre sua história como história da Maçonaria. A análise centrou-se nas cinco narrativas de autores vinculados à maçonaria local publicadas nos anos de 1973, 1977, 1987, 1998 e 2008. Discutiu-se, numa perspectiva historiográfica, o fato de que tais narrativas se inseriam naquilo que Maurice Halbwachs chama de memória coletiva, ou memória de grupo, à medida que os trabalhos denotam um esvaziamento da reprodução da memória coletiva entre seus membros e sua transplantação para narrativas históricas, ou memória histórica da instituição, na qual dominam interpretações que produzem e reforçam a hegemonia dessa corrente maçônica em detrimento da outra vinculava ao Grande Oriente do Brasil.
Iara Toscano Correia
Published: 9 May 2018
OPSIS, Volume 18, pp 154-173; https://doi.org/10.5216/o.v18i1.46879

Abstract:
O artigo traça um panorama sobre as manifestações religiosas ligadas ao ritual das folias de reis presentes no município de Januária-MG. As folias de reis enquanto expressão da religiosidade popular são festividades que se expressam a partir de autos natalinos encenando o nascimento e a anunciação do menino Jesus. Em Januária a diversidade dos grupos (comunidades, famílias, bairros) envolvidos nessa tradição denota a força das folias de reis na região. O estudo partiu da observação de três grupos de folias distintos. Por meio de entrevistas, análise de textos bíblicos e teóricos, foi possível a caracterização do ritual e a construção de um quadro comparativo destas práticas no contexto da região Norte de Minas Gerais.
Published: 9 May 2018
OPSIS, Volume 18, pp 81-97; https://doi.org/10.5216/o.v18i1.47379

Abstract:
Tendo em vista a importância da dinastia de Avis na construção e na reestruturação da história do reino de Portugal, o presente estudo propõe discutir como a diplomacia e, especialmente, as cerimônias da diplomacia, atuaram na promoção da história do reino durante o século XV. Para tal, concentra-se a reflexão no Diário de viagem do embaixador Nicolau Lanckman de Valckenstein, sobre o casamento de D. Leonor, na narrativa Viaje a España, sobre a viagem de Jorge de Ehingen aos reinos ibéricos, e na Oratio Oboedientiae ao papa, em 1485, de Vasco Fernandes de Lucena. Procura-se demonstrar que através da diplomacia se apresentava ao estrangeiro a história do reino de Portugal associada à providência divina e à luta contra o infiel, marcas da memória quatrocentista promovida pela dinastia de Avis.
Denise Da Silva Menezes Do Nascimento
Published: 9 May 2018
OPSIS, Volume 18, pp 116-128; https://doi.org/10.5216/o.v18i1.47344

Abstract:
Garcia de Resende, buscou eternizar as ações e os valores de D. João II que deveriam servir de paradigma para uma parcela importante da sociedade portuguesa de quatrocentos. O cronista objetivava deixar para a posteridade os fatos e atitudes que deveriam servir de modelo para os monarcas vindouros. Se hoje desviamos nosso olhar da mera narração de grandes feitos, uma nova perspectiva se lança ao nos debruçarmos sobre as linhas dos cronistas medievais. Nesse sentido, a partir da análise da rede de intrigas narrada por Resende podemos nos voltar para as estratégias de poder que permitiram a D. João II consolidar a imagem de rei justo e misericordioso.
Paulo Duarte Silva
Published: 9 May 2018
OPSIS, Volume 18, pp 21-43; https://doi.org/10.5216/o.v18i1.47397

Abstract:
Do século III em diante, com a expansão do cristianismo e o aumento do poder local e regional do episcopado, os concílios suplantaram os debates e consultas epistolares como principal ambiente decisório dos assuntos eclesiásticos. O estudo dos cânones conciliares tradicionalmente deu à historiografia fundamentos para avaliar a crescente consolidação institucional da Igreja, especialmente no que se refere às decisões de cunho teológico, disciplinar e litúrgico, como no caso dos concílios ditos ecumênicos. A partir da contribuição de pesquisas mais recentes, neste artigo exploramos os concílios valorizando não somente sua inserção na tradicional história institucional da Igreja mas visando, em especial, suas disputas, os atritos e omissões, bem como a preocupação dos bispos com a produção de uma memória conciliar, a partir das referências da sociologia de Pierre Bourdieu. Para tal, enfocamo-nos nos concílios regionais do sul da Gália (524-529), sob a presidência de Cesário, bispo de Arles (502-542)
Renata Cristina De Sousa Nascimento
Published: 9 May 2018
OPSIS, Volume 18, pp 142-153; https://doi.org/10.5216/o.v18i1.47391

Abstract:
A questão das fronteiras e/ou delimitação de limites territoriais se constituíram, desde sempre, em campos de tensão. No contexto ibérico medieval as vivências e os processos de deslocamento espaço- temporais estiveram envolvidos nas dinâmicas expressas nos confrontos entre cristãos e muçulmanos, e também entre os próprios reinos cristãos. A historiografia tem se debruçado há tempos sobre estas temáticas, sofrendo um processo de constante reelaboração. Para a compreensão desta experiência múltipla, de definição e redefinição fronteiriça, entre reinos e cidades, deve-se levar também em consideração a busca pela sacralização do território. Para que este processo se efetivasse foi necessária à introdução de signos identitários que fortalecessem a memória das populações, inserindo-as no ambiente em que viviam. Neste texto temos a pretensão de discutir o papel exercido pelas relíquias cristãs enquanto fatores de referência, tendo função eficiente também na ocupação do espaço geográfico. Para tanto elencamos a importância do Santo Lenho de Marmelar, relíquia simbólica, que contribuiu para fomentar o prestígio da região do Alentejo, em um contexto complexo, de ocupação de fronteiras.
Dominqiue Santos
Published: 9 May 2018
OPSIS, Volume 18, pp 44-60; https://doi.org/10.5216/o.v18i1.47325

Abstract:
: In most works approaching Premodern historiographical phenomena there is a remarkable silence about Seanchas, an Irish tradition related to old tales, memory, history, historiography genealogy and traditional law. The main purpose of this article is to analyze this issue, pointing out Seanchas is a conditio sine qua non to the comprehension of both Irish History and Historiography from Early Christian to Modern Ireland. Therefore, any attempt to understand Premodern and Early Modern European historiography should also consider this Irish contribution.
Published: 9 May 2018
OPSIS, Volume 18, pp 154-172; https://doi.org/10.5216/o.v18i1.47380

Abstract:
A composição de tratados relacionados ao governo foi um fenômeno constante durante o Medievo, principalmente a partir do século XII, em um contexto de ressurgimento das cidades medievais como centro de cultura e poder. Neste artigo analisamos o Regiment de la cosa pública, de Francesc Eiximenis (1330-1409), contido na edição 10 do Arxiu de la Corona d’Aragó (ACA), o qual apresenta um tratado sobre o modo de governar, elaborado originalmente em 1383 e recuperado posteriormente através da impressão em 1499 na cidade de Valência. Nossa proposta é compreender este objeto como pertencente a um determinado contexto histórico e como produto do comportamento político do seu momento de impressão. O que buscamos neste artigo é o que denominamos significado histórico, ou seja, o motivo pelo qual este objeto historiográfico foi composto em determinado contexto.
Marcella Lopes Guimarães
Published: 9 May 2018
OPSIS, Volume 18, pp 129-141; https://doi.org/10.5216/o.v18i1.47364

Abstract:
Charles d’Orléans era filho de Luís d’Orléans e Valentina Visconti, sobrinho do rei Carlos VI de França. Muito cedo, foi convocado ao proscênio do cenário político da época, na vingança contra o assassinato de seu pai (em 1407). Entretanto, o evento mais marcante de sua vida seria vivenciado a partir da Batalha de Azincourt (1415), quando foi feito prisioneiro. O poeta viveria 25 anos no cativeiro. A condição de cativo para um nobre na Idade Média era bastante variada. Há momentos em que era tratado como um hóspede e, em outros, as condições eram menos simpáticas. Sabemos, porém, que o Duque de Orléans pôde se dedicar à leitura e à escrita no período. Essa comunicação tem por objetivo analisar as expressões poéticas da liberdade e do seu cerceamento a partir de dois poemas: La Retenue d’Amour, de antes da experiência da prisão, em 1414, e Songe en complainte, de 1437, bem como propor uma tradução das obras.
Stéphane Boisselier
Published: 9 May 2018
OPSIS, Volume 18, pp 61-80; https://doi.org/10.5216/o.v18i1.51035

Abstract:
Este texto propõe uma reflexão acerca da maneira que a informação circulava em áreas rurais no periodo medieval. Este campo de estudos permanece pouco explorado, sendo a maioria dos estudos relativos à formulação dos testemunhos em processos judiciais e livros de milagres. O rumor está no coração de nossa reflexão, na medida em que representa um conhecimento coletivo e impessoal, de que os próprios atores estavam conscientes; Podemos sugerir que a adesão em valores morais não se funda principalmente na autoridade desses que as expressam, ou na veracidade do enunciado (caso da palavra clerical), mas, sobretudo, na suposta generalidade dessa adesão, pelo menos no seio das comunidades: é assim uma forma de integração, baseada no conformismo. Para terminar, analisamos as fontes de informação invocadas por beneficiários de milagres em duas coleções portuguesas do fim do séc. XII, e do começo do século XIV.
Published: 9 May 2018
OPSIS, Volume 18, pp 98-115; https://doi.org/10.5216/o.v18i1.46410

Abstract:
Analisaremos a sociedade política do reino português na época de D. Fernando I (1367-83), último rei da dinastia portuguesa de Borgonha. Seu reinado marcaria a entrada da Península Ibérica na Guerra dos Cem Anos (1337-1453). Um contexto de partidarizações instáveis em relação aos dois reinos em guerra, francês e inglês, cujos respectivos aliados formariam os blocos anglo-luso e franco-trastamarista. No campo espiritual os partidarismos gerariam dois fenômenos em sequência, primeiro o Exílio de Avignon (1305-1377) seguido do Cisma do Ocidente (1378-1422) que promovem a fratura da Cristandade latina entre os oponentes no conflito. Neste contexto os reis com legitimidade de sangue perdiam campo sobre seus concorrentes, os usurpadores ou sucessores ilegítimos. A sociedade política mais tradicional, por sua vez, faria eco às pretensões dos legitimistas enquanto tivessem interesses e projetos comuns. A práxis política e militar mostraria neste contexto a dialética própria dos períodos de transição e demandaria uma atualização dos conceitos de legitimidade, fidelidade e traição. As elaborações jurídico-legislativas da Escola de Bolonha se difundiriam na medida das necessidades do contexto e promoveriam uma sistematização de conceitos e práticas de governação pautadas no Direito Comum. A abordagem que propomos a partir da linha da Nova História Política concebe estes dados contextuais para além de sua dimensão factual analisando os ecos de uma transformação mais profunda de conceitos que sustentam em bases atualizadas a legitimidade de sucessão monárquica
Published: 9 May 2018
OPSIS, Volume 18, pp 5-20; https://doi.org/10.5216/o.v18i1.47254

Abstract:
Este artigo tem por objetivo, em primeiro lugar, elaborar uma introdução e uma apresentação de como a história e o passado eram concebidos, compreendidos, estruturados, registrados e utilizados na Pérsia Sassânida (séculos III ao VII). Em segundo lugar, investigar-se-á – partindo das informações expostas – como a construção do passado e sua instrumentalização, juntamente com as perspectivas religiosas e culturais do zoroastrismo, foram fundamentais para a manutenção de uma ideologia imperial e para a criação de uma certa unidade cultural para um vasto e heterogêneo potentado como a Pérsia, unidade essa incorporada no termo Ērānšahr – “império dos iranianos”. Assim, conclui-se que a “construção do passado” era vista como uma prerrogativa imperial e que a escrita da história, portanto, era flexível e dependente de contingências de seu tempo.
Lucia Travaini
Published: 1 November 2017
OPSIS, Volume 17, pp 176-193; https://doi.org/10.5216/o.v17i02.44498

Abstract:
Solo gli Stati possono battere moneta, ora come nel passato (non i privati che potevano semmai produrre soltanto medaglie che non circolavano): l’iconografia, testo e immagine sui due lati della moneta, permetteva, allora come ora, di identificare l’autorità emittente e garantire allo stesso tempo la bontà del metallo e del peso. Le divinità sono sempre state presenti su uno dei due lati delle monete: Zeus o Apollo sulle monete greche; Giove, Venere, Ercole, Diana, Sol Invictus e tanti altri su quelle romane; le personificazioni divinizzate di Atena o Roma sulle monete delle due città. Così fu anche nel medioevo e nell’età moderna, con i santi patroni delle città (san Giovani Battista a Firenze o sant’Ambrogio a Milano) e perfino san Francesco d’Assisi, lui che odiava il denaro!L’identificazione tra Stato e moneta portava anche ad un forte rapporto identitario tra chi usava le monete e le sentiva proprie: alcune monete straniere ritrovate in contesti sacri medievali (santuari o tombe di santi) possono essere interpretate come casi di offerte personali da parte di pellegrini che venivano da luoghi lontani e volevano lasciare una ‘memoria’ di sé. Gli usi delle monete si estendevano quindi oltre la sfera economica ‘terrena’ fino ad un scambio economico con l’Aldilà: monete in tombe, in fondazioni di edifici ed anche monete reliquie conservate in alcune chiese.
Andre Nunes Azevedo
Published: 1 November 2017
OPSIS, Volume 17, pp 266-279; https://doi.org/10.5216/o.v17i02.43697

Abstract:
A reforma urbana levada a cabo pelo prefeito Pereira Passos visou operar uma integração conservadora das camadas populares ao Centro urbano do Rio de Janeiro. Para tanto, o alcaide do Distrito Federal buscou tornar o Centro da cidade um lugar exemplar dos valores que entendia como sendo próprios de uma “cidade civilizada”. Assim o fez porque pensou o Centro reformado da urbe carioca como lugar privilegiado da didática da civilização no espaço urbano dessa metrópole. Para alcançar tal efeito, Pereira Passos buscou criar um ambiente urbano que, através da arquitetura e de uma nova articulação urbanística, seduzisse o cidadão carioca, constantemente presente em seu Centro urbano, a tomar parte nos padrões daquilo que percebia como sendo “uma cidade civilizada”.
Marina Benedetti
Published: 1 November 2017
OPSIS, Volume 17, pp 158-175; https://doi.org/10.5216/o.v17i02.44613

Abstract:
The fairy tale of the heretic princess coming from far away. Again on Guglielma Divided into two parts (biography and hagiography) the article shows the multiple tendencies to create “the fairy tale of the heretic princess coming from far away”. The author takes into consideration different kinds of sources relating to a women called Guglielma, who died in Milan in 1281-1282 known by the proceedings of an inquisitorial trial hold in 1300. Although we know very little about her, in the most recent tendencies, information are just put together to create one Guglielma, a sort of patchwork of different Guglielmas, such as the famous case of “Guglielma of Bohemia, Milan and Brunate” or the pretended relation between Guglielma and Agnes of Prague, extremely fascinating, but not supported by historical documents.
Antonio De Padua Bosi
Published: 1 November 2017
OPSIS, Volume 17, pp 280-294; https://doi.org/10.5216/o.v17i02.41868

Abstract:
Este artigo discute a relação entre capital e trabalho na cadeia avícola localizada numa pequena vila no Oeste paranaense denominada Vila Celeste. A quase totalidade dos moradores dessa vila trabalham para uma cooperativa agroindustrial e lidam com diversas etapas da produção do frango que abastece os frigoríficos. Embora não tenha sido construída pela cooperativa, ser uma vila cujos moradores são majoritariamente empregados por uma única empresa a aproxima das típicas vilas operárias, comuns no século XIX e começo do XX. A partir desse ponto procuro examinar o peso que a vila tem tanto para a empresa quanto para os trabalhadores. Especificamente busco sondar as formas como os trabalhadores tratam suas experiências relativamente à vila e a cooperativa.
Marco Bartoli
Published: 1 November 2017
OPSIS, Volume 17, pp 142-157; https://doi.org/10.5216/o.v17i02.44497

Abstract:
Síntesi: La lettera Sicut manifestum, Gregorio IX del 17 settembre 1228 indirizzata a Chiara, figlia di Favarone di Offreduccio di Assisi e alle sue compagne, è certamente un documento originale. Nell’archivio del monastero di Santa Chiara di Assisi, come pure nelle testimonianze delle sorores di San Damiano rese durante il Processo di canonizzazione della donna di Assisi, il testo è chiamato Privilegium paupertatis. In esso il papa concedeva ad un gruppo di donne il singolare privilegio di poter vivere la scelta della più profonda povertà e, di conseguenza, di non essere forzate da nessuno a ricevere possedimenti. Il saggio analizza gli antefatti della concessione del privilegium ed insieme delinea gli svolgimenti successivi. Ne emerge una inconsueta capacità, da parte della donna di Assisi, a gestire rapporti con i vertici della Chiesa romana, dalla quale richiede sempre conferma della propria scelta di vita, senza però mai rinunciare alla libertà che le derivava dalla sua scelta evangelica.
Teresinha Maria Duarte
Published: 1 November 2017
OPSIS, Volume 17, pp 252-265; https://doi.org/10.5216/o.v17i02.43143

Abstract:
Resumo A Cidade de Deus é um dos escritos de Santo Agostinho, no qual ele reconhece a existência de duas cidades: uma celestial e outra temporal, intra-histórica. Embora, esta caminhe para aquela e até chegue a admitir uma confusão ou até mesmo uma justaposição entre a cidade terrena e a espiritual, no tempo, é nela, na cidade dos homens que se pode verificar a sua concepção de cidade. Para o Bispo de Hipona, cidade é a sociedade humana, com os laços que unem seus membros, entre si. Assim, vicissitudes históricas, como a escravidão, são permitidas por Deus, para a redenção dos vencidos. E aqueles que governarem a cidade temporal – os Estados – são chamados por Deus para manterem a ordem em prol da justiça e da paz, para a felicidade de todos. Palavras-chave: Santo Agostinho, A Cidade de Deus, Estado; Domínio; Servidão
Daniela Saresella
Published: 1 November 2017
OPSIS, Volume 17, pp 194-215; https://doi.org/10.5216/o.v17i02.44508

Abstract:
Na passagem entre o Oitocentos e o Novecentos, o mundo católico europeu viveu uma profunda crise: a aversão pela modernidade, que se enraizara nos ambientes eclesiásticos a partir da Revolução Francesa, tinha empobrecido a cultura da Igreja e, com o novo século, muitos intelectuais católicos acharam oportuno abrir-se ao confronto com os desafios da contemporaneidade. Na Itália, o Modernismo, além de concentrar-se em questões teológicas e exegetas, assumiu uma conotação social e se caracterizou por um forte interesse pelas condições dos ‘últimos’. No início do Novecentos nasciam, de fato, os primeiros grupos de católicos democráticos, em constante diálogo e confronto com o mundo socialista.
Francisco Fagundes De Paiva Neto
Published: 1 November 2017
OPSIS, Volume 17, pp 233-251; https://doi.org/10.5216/o.v17i02.39950

Abstract:
RESUMO Através de fontes diversificadas, procuramos responder a questão de como seu deu a trajetória religiosa-política do padre italiano Luigi Pescarmona. A opção de Luigi Pescarmona em tornar-se padre sofreu a influência da experiência de sacerdotes italianos opositores do regime fascista, além de ser pertencente a uma família de inclinação socialista e católica. A trajetória do religioso decorreu em meio a duas grandes transições no campo religioso católico: o Concílio do Vaticano e a crise da Teologia da Libertação, a partir da década de 1980. Durante a fase compreendida entre 1960 e fins da década de 1990, analisamos como ocorreu uma experiência religiosa-política do padre Luigi Pescarmona, por meio de um habitus partisão, ligado à Teologia da Libertação, cuja relação se deu com as demandas pela reforma agrária, sobretudo no estado da Paraíba. Os aportes de Pierre Bourdieu fomentaram a nossa percepção sobre a dinâmica do campo político, as disputas simbólicas, os conflitos entre classes e de representações, que demonstram diversos níveis de conflitividade no campo de força societal. Quanto à contribuição micro histórica, recorremos ao uso das escalas, que nos permitiu perscrutar as fontes disponíveis. Utilizamos fontes orais, bibliográficas, primárias, artigos de jornais e documentos oriundos de arquivos judiciais.
Breno Gontijo Andrade
Published: 3 April 2017
OPSIS, Volume 17, pp 121-134; https://doi.org/10.5216/o.v17i1.39807

Abstract:
O artigo trabalha com a produção historiográfica da Revolução Pernambucana de 1817 ao longo de quase duzentos anos. Textos dos revolucionários, realistas, viajantes, historiadores e observadores embasam o estudo. Também questiona o esquecimento da historiografia sobre a Revolução de 1817: primeiro movimento a ter sucesso em sua declaração de independência da Coroa portuguesa; primeiro movimento a buscar ajuda política, militar e econômica de outros países; primeiro movimento a criar uma pré-constituição no Brasil; primeiro movimento a ter grande apoio da maçonaria e do clero que pegou em armas; e a ter centenas de presos acusados de crime de lesa-majestade.
Roseli Martins Tristão Maciel
Published: 3 April 2017
OPSIS, Volume 17, pp 68-84; https://doi.org/10.5216/o.v17i1.42133

Abstract:
O objeto de estudo do artigo são as políticas públicas em âmbito estadual e municipal para a hanseníase, na cidade de Goiânia, entre 2005 e 2013, considerando que as propostas de combate à hanseníase se caracterizam pela descentralização de suas ações, desde a Constituição de 1988, quando foi apresentado um novo marco jurídico institucional para as políticas públicas de saúde no país. Assim, as políticas públicas para hanseníase estão, simultaneamente, sob as responsabilidades dos governos federal, estadual e municipal. O objetivo geral é conhecer a real situação da hanseníase e identificar quais medidas políticas vêm sendo implementadas, no período em questão, pelas instâncias do governo estadual, e quais relações estabelecem com o seu contexto nacional.
, Mariana Alice Pereira Schatzer Ribeiro
Published: 3 April 2017
OPSIS, Volume 17, pp 52-67; https://doi.org/10.5216/o.v17i1.42912

Abstract:
O presente artigo busca analisar a questão da saúde, doenças e óbitos dos africanos livres pertencentes à Real Fábrica de Ferro São João do Ipanema, em Sorocaba-SP, entre os anos de 1840 a 1870. O empreendimento imperial foi criado através da Carta Régia de 1810, assinada por D. João VI, cujos objetivos eram dinamizar a economia, bem como a ocupação do interior da Província de São Paulo. Assim, observaremos as principais enfermidades sofridas pela mão-de-obra, como por exemplo: o escorbuto, as bexigas (varíola), boubas e febres; além das condições médico-sanitárias em seus postos de trabalho. Por fim, mais do que compreender acerca das práticas de saúde, essas abordagens revelam inclusive, as tensões, conflitos e negociações na sociedade escravista
Page of 10
Articles per Page
by
Show export options
  Select all
Back to Top Top