Refine Search

New Search

Results in Journal Revista Práticas de Linguagem: 236

(searched for: journal_id:(4308723))
Page of 5
Articles per Page
by
Show export options
  Select all
Amanda Chaptiska Dos Santos
Revista Práticas de Linguagem, Volume 10; https://doi.org/10.34019/2236-7268.2020.v10.31493

Abstract:
A partir das contribuições de bell hooks a respeito da Educação Feminista, o presente texto acompanha a prática de uma equipe de residentes mulheres em uma escola estadual da capital paulista no Programa Residência Pedagógica, na tentativa de realizar um trabalho de afeto e cuidado em um cotidiano de violência de gênero constante, a fim de discutir a relevância entre o debate de gênero dentro da escola a partir de experiências compartilhadas no cotidiano escolar, bem como sua recepção pelos agentes escolares. Palavras-chave: Educação feminista. Escola pública. Violência de Gênero. Residência Pedagógica.
Eva Aparecida Da Silva
Revista Práticas de Linguagem, Volume 10; https://doi.org/10.34019/2236-7268.2020.v10.31494

Abstract:
Este relato vem apresentar experiências de atividades (formação da equipe, mapeamento sociocultural e ambiental, observação da prática de ensino de Sociologia, etc.) e de regências de aulas, em seus temas, metodologias e recursos didáticos, realizadas no âmbito do Programa Residência Pedagógica “Ensino de Sociologia”, em três escolas-campo de Ensino Médio da rede estadual de Araraquara/SP, no período de ago/2018 a nov/2019. Na primeira escola, o ensino da História da África e afro-brasileira norteou o diálogo com o currículo de Sociologia. Já na Educação de Jovens e Adultos foi abordada a importância da escolarização, a inserção e transformações no mundo do trabalhº Na segunda escola, as identidades nacional, social, cultural e juvenil foram alvo do debate, e, na continuidade, gênero, sexualidade e educação sexual. Na terceira escola, optou-se por aprofundar alguns temas do currículo, como consumº Logo, as regências de aulas possibilitaram o exercício da prática de ensino de Sociologia, na abordagem de diferentes temas, metodologias e recursos, contribuindo para a formação inicial e continuada de professores. Palavras-chave: Aulas. Regências. Ensino de Sociologia. Residência Pedagógica.
Francisca De Fátima Oliveira
Revista Práticas de Linguagem, Volume 10; https://doi.org/10.34019/2236-7268.2020.v10.31489

Abstract:
A base deste relato é a prática de uma intervenção pedagógica do subprojeto “Alfabetização e Letramento”, em complemento ao ensino da classe gramatical dos substantivos, mas de modo lúdico e diferenciado. Assim, esse trabalho foi desenvolvido em diversas etapas. Partindo de uma investigação para obter o diagnóstico da turma, de discussões com a professora regente, a fim de nos inteirarmos sobre os passos do projeto, da execução do projeto e, por fim, da avaliação final. Para isso, as principais concepções que orientaram a execução do projeto foram: as qualidades provenientes da convivência social, o aprendizado por meio de observações, as experiências adquiridas nos diversos ambientes acadêmicos e a prática na construção do conhecimento para a formação docente. Dessa forma, os métodos utilizados para o desenvolvimento das atividades foram pesquisas sobre o assunto, criação de atividades lúdicas para os alunos e o incentivo à participação. Enfim, o trabalho apresentou resultados sastisfatórios e certamente é uma prática que contribuiu muito para os alunos, bem como para a residente. Palavras-chave: Intervenção pedagógica. Substantivo. Alfabetização.
Carla Matildes Da Silva Amorim
Revista Práticas de Linguagem, Volume 10; https://doi.org/10.34019/2236-7268.2020.v10.31488

Abstract:
Este relato se fundamenta na experiência e reflexão do desenvolvimento entre a relação da teoria com a prática, que se mostra como fundamento necessário à formação dos futuros profissionais da educação. Sendo assim, pretende-se expor como foi aplicado e os resultados alcançados com o Programa de Residência Pedagógica pela Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG), coordenado pela CAPES, em uma escola da rede pública estadual de Barbacena/MG, nas turmas de 4º ano do Ensino Fundamental, tendo como objetivo principal capacitar os universitários do 6º ao 8º período do curso de Pedagogia para a formação prática, que se deu através da ambientação, observação e intervenção pedagógica. Cada etapa do programa resultou em ferramentas que possibilitaram aos residentes uma visão segura e um contato concreto com a profissão docente. Palavras-chave: Programa Residência Pedagógica. Capacitação docente. Formação prática.
Pamela Cristina Conde Ferreira, Miriam Carla Da Silva Siqueira
Revista Práticas de Linguagem, Volume 10; https://doi.org/10.34019/2236-7268.2020.v10.31448

Abstract:
São inúmeras as adversidades que permeiam o processo de formação docente; dessa maneira, é fundamental que haja pesquisas com intuito de elucidar e informar sobre este tema. O presente artigo tem como propósito abordar a importância da relação teoria-prática na formação inicial docente, e, ainda, tratar sobre a relevância do Programa Residência Pedagógica (PRP) como instrumento enriquecedor do processo formativo. Buscou-se contextualizar o processo de formação docente mediante às práticas pedagógicas ofertadas nos cursos de licenciatura, as quais são normatizadas e direcionadas por meio das Políticas Públicas de Educação, bem como relatar a importância do Programa de Residência Pedagógica, como dispositivo capaz de aliar a teoria e a prática – eixos indissociáveis e complementares no processo de formação docente. Este estudo teve como estratégia metodológica a pesquisa bibliográfica. A partir dos referenciais teóricos consultados, conclui-se que a articulação entre a teoria e a prática se concretiza nas ações do PRP, em que ficam evidentes as propriedades positivas do programa no que tange à criação de um espaço de formação diferenciado, capaz de fomentar uma postura dialética, num esforço real de colaboração entre universidades e escolas de educação básica, com intuito de melhorar a qualidade de ensino nesse segmento. Palavras-chave: Formação docente. Relação teoria-prática. Residência Pedagógica.
Revista Práticas de Linguagem, Volume 10; https://doi.org/10.34019/2236-7268.2020.v10.31460

Abstract:
O presente artigo propõe discutir o tema formação docente no campo da EJA a partir do Programa Residência Pedagógica, com base na problematização: como formar-se no que-fazer² de formar o outro? Neste contexto, reconhece o professor como sujeito da/na sua prática, destaca os desafios dos docentes da educação de jovens e adultos, busca repensar o papel político da escola enquanto espaço de múltiplas aprendizagens e ressalta a responsabilidade das instituições públicas de ensino (universidade e escola) acerca da construção de teias de saberes em prol da garantia do direito à educação de qualidade. Para tal, ancora-se nas ideias de Arroyo (2017), Cortella (2014), Farias et al (2011), Freire (2004, 2011), Nóvoa (2017), Oliveira (2007) e Zeichner (2008). Palavras-chave: Residência Pedagógica. Educação de Jovens e Adultos. Formação de professores. Práxispedagógica.
Jacqueline Leticia Domiciano, Mariana Cristina Pimentel
Revista Práticas de Linguagem, Volume 10; https://doi.org/10.34019/2236-7268.2020.v10.31490

Abstract:
Este relato tem por objetivo apresentar a experiência vivenciada no Programa de Residência Pedagógica durante o desenvolvimento do Projeto Identidade, surgido a partir de uma demanda percebida pelas residentes, relacionada à autoestima, autoconceito/autoconhecimento e afetividade. Através de atividades lúdicas, envolvendo algumas produções de texto, foram trabalhados conceitos ligados à questão identitária dos alunos. As atividades evidenciaram que o trabalho a partir das demandas de aprendizagem ou de habilidades emocionais dos alunos é muito produtivo e pode ser feito de forma interdisciplinar. Palavras-chave: Residência Pedagógica. Afetividade. Produção de textos.
Dedilene Alves De Jesus
Revista Práticas de Linguagem, Volume 10; https://doi.org/10.34019/2236-7268.2020.v10.31495

Abstract:
Neste número, tivemos a honra de entrevistar a professora Welessandra Aparecida Benfica, Coordenadora Institucional do Programa Residência Pedagógica da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG). Welessandra é Doutora em Educação pela FAE-UFMG, Mestre em Educação pela PUC/MG na área de concentração “Sociologia e História da profissão docente e da educação escolar”. Ela é também Especialista em Psicologia da Educação pela PUC/MG e em Educação à distância pela UNIUBE. Atua na Coordenação institucional do Programa de Residência Pedagógica desde 2018 e tem experiência na Educação Básica e Ensino Superior, em coordenação de projetos sociais e culturais, em consultoria pedagógica, tutoria de cursos (EAD), na docência e gestão em cursos de pós-graduação.
Dedilene Alves De Jesus
Revista Práticas de Linguagem, Volume 10; https://doi.org/10.34019/2236-7268.2020.v10.31461

Abstract:
A formação inicial docente tem requerido especial atenção diante das demandas educacionais contemporâneas. A Política Nacional de Formação de Professores é estabelecida como uma resposta a essas demandas, estabelecendo diretrizes para uma política pública de formação docente que consiga “resolver” o entrave na aliança teoria-prática nos cursos de licenciatura. Nessa perspectiva, diante da realização do programa-piloto de Residência Pedagógica proposto pela CAPES em 2018, objetivamos apresentar alguns resultados que demonstrem as percepções de um grupo de envolvidos no programa, os residentes. A partir das considerações feitas no relatório final, documento requerido como comprovação de cumprimento das atividades. Para analisar esses dados, fizemos uso do programa Iramuteq (análise de similitude e elaboração de nuvem de palavras), além da análise do discurso a partir de pressupostos linguísticos. Palavras-chave: Programa de Residência Pedagógica. Formação docente. Aliança teoria-prática.
Amábile Maria Santos Bezinelli
Revista Práticas de Linguagem, Volume 10; https://doi.org/10.34019/2236-7268.2020.v10.31491

Abstract:
O presente relato pretende compartilhar o trabalho realizado nas Reuniões Pedagógicas, durante o Programa Residência Pedagógica – 2018/2019, no Instituto de Artes da UNESP. Constituída por 24 estudantes de Licenciatura em Arte-Teatro, Artes Visuais e Música, por duas coordenadoras e por convidados esporádicos, as reuniões pedagógicas vislumbraram a possibilidade de atuar como um espaço de pesquisa em temáticas que tangenciam o cotidiano escolar, mas que são comumente ignoradas pela formação na graduação. Buscar-se-á partilhar algumas das experiências que aconteceram nestas reuniões, que perpassaram por pilares como o da responsabilidade coletivizada, do risco, do corpo presente e do afeto, e que contribuíram para construir uma comunidade de aprendizagem engajada em repensar formas expansivas e potencializadoras de se entender a prática e a formação da professora e do professor. Palavras-chave: Formação de professores. Reunião Pedagógica. Experiência.
Marina Klautau Felipe
Revista Práticas de Linguagem, Volume 10; https://doi.org/10.34019/2236-7268.2020.v10.31492

Abstract:
Este artigo discorre sobre a manutenção do pacto racista da branquitude na escola pública a partir de minha experiência no Programa de Residência Pedagógica. Com base no conceito de pacto narcísico entre brancos de Maria Aparecida Silva Bento, analiso uma experiência que revela a escola como uma instituição responsável pela produção da desigualdade racial. Investigo desejos e afetos que movem nós, educadoras(es) brancas(os), a agir com indulgência perante o racismo. A partir do princípio de autoatualização de bell hooks, estudo as possibilidades de responsabilização coletiva de nós brancas(os) na construção de nossa identidade e na nossa atuação em instituições de ensino. Palavras-chave: Branquitude. Racismo. Pacto narcísico. Desigualdade racial. Escola pública.
Lauriana Paiva, Liliana Mendes
Revista Práticas de Linguagem, Volume 9; https://doi.org/10.34019/2236-7268.2019.v9.31342

Abstract:
O presente relato pretende descrever o trabalho realizado nas turmas de terceiro ano do Ensino Fundamental1, num total de 90 alunos, na faixa etária dos 8-9 anos, do Colégio de Aplicação João XXIII, da Universidade Federal de Juiz de Fora – MG, que buscou desenvolver, durante o recreio, uma extensão do trabalho de letramento literário realizado durante as aulas de Língua Portuguesa dos terceiros anos do Ensino Fundamental, propondo ações que ajudassem nossas crianças a se encantarem pela leitura, fazendo descobertas, percebendo as sutilezas da palavra escrita através da (re)contextualização das tecnologias digitais no espaço escolar. Para tal propusemos estações de leitura durante o tempo do recreio. Desenvolvemos, também, utilizando as estratégias de gamificação na educação, um quis game literário com acervo de questões acerca do folclore Latino Americano. Palavras-chave: Letramento Literário. Recreio escolar. Tecnologias digitais no espaço escolar.
Anderson Ferrari
Revista Práticas de Linguagem, Volume 9; https://doi.org/10.34019/2236-7268.2019.v9.31344

Abstract:
Em 2017 ocorreu na Unicamp um seminário que tinha um título provocativo e instigante - “Escola Pública: tempos difíceis, mas não impossíveis” - um título que nos serve para pensar o papel dos colégios de aplicação na formação de professores e professoras, sobretudo a partir da ação nos estágios. Podemos dizer que esses tempos difíceis se prolongaram para além de 2017 e ainda hoje se mostram, especialmente, desafiadores para a administração pública, de forma geral, e para a Educação, em especial (GALLO, 2019).
Ana Carina Baron Engerroff, Fabiana Giovani
Revista Práticas de Linguagem, Volume 9; https://doi.org/10.34019/2236-7268.2019.v9.31337

Abstract:
Este relato de experiência tem por intuito narrar, de forma reflexiva, uma experiência que ocorreu no primeiro semestre de 2019. Trata-se da parceria entre duas professoras - do Departamento de Metodologia da Universidade Federal de Santa Catarina e do Colégio de Aplicação da mesma universidade - durante o componente curricular Estágio Ensino Língua Portuguesa e Literatura I. Elementos da teoria bakhtiniana permearam a prática desenvolvida, bem como a reflexão feita a posteriori e aqui registrada. Palavras-chave: Colégio de Aplicação. UFSC. Linguagem. Estágio Supervisionado. Bakhtin.
Anselmo Lima De Oliveira
Revista Práticas de Linguagem, Volume 9; https://doi.org/10.34019/2236-7268.2019.v9.31335

Abstract:
Este trabalho resulta de uma pesquisa desenvolvida com os objetivos de observar e analisar os discursos que ocorrem no Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Sergipe, a partir da perspectiva de gênero e corpo. A pesquisa foi desenvolvida com docentes e discentes do ensino médio, por meio de uma abordagem qualitativa feita através de entrevistas. Utilizou-se para a análise de dados a análise de discurso na perspectiva pós-estruturalista (foucaultiana). Sugere-se que os discursos biológico, religioso, pedagógico, científico, moralista atravessam as falas dos participantes da pesquisa, produzindo representações sobre gênero, corpo e sexualidade, tanto submetendo quanto subvertendo a heteronormatividade presente no Colégio. Palavras-chave: Educação. Corpo. Gênero. Discurso.
Bruna Quartarolo Vargas, Victória Alves Lopes Guarilha
Revista Práticas de Linguagem, Volume 9; https://doi.org/10.34019/2236-7268.2019.v9.31338

Abstract:
Este texto configura-se como um relato de experiências que tem por objetivo narrar dois percursos de formação profissional. A partir de considerações construídas baseadas nos preceitos elencados pela Linguística Aplicada Crítica (PENNYCOOK, 2001), destacamos a necessidade de se explorar a língua em contextos sociais, considerando a “complexidade dos fatos envolvidos com a linguagem em sala de aula” (MOITA LOPES, 2006b, p. 19), balizadas na ideia de prática de linguagem como “aquilo que acontece através da linguagem” (PENNYCOOK, 2010, p. 12). Por meio de narrativas, “forma primordial pela qual a experiência humana é tornada significativa” (POLKINHORNE, 1988, p. 1), histórias se entrelaçam e se complementam, revelando a reconstrução identitária das professoras em constante (trans)formação. Palavras-chave: Relato de experiência. Linguística Aplicada Crítica. Reflexão Crítica. Narrativas. Formação deprofessoras.
Luciana Soares Muniz
Revista Práticas de Linguagem, Volume 9; https://doi.org/10.34019/2236-7268.2019.v9.31341

Abstract:
O presente artigo tem como objetivo apresentar aportes teóricos e metodológicos que fundamentam o trabalho com o Diário de ideias na escola, com o intuito de contribuir com o processo de ensino e aprendizagem da leitura e da escrita. Trabalho pautado na perspectiva cultural-histórica e em seu âmbito na Teoria da Subjetividade de González Rey, no campo da aprendizagem criativa com as contribuições de Mitjáns Martínez, bem como em nossas investigações no campo da aprendizagem criativa da leitura e da escrita (MUNIZ; MITJÁNS MARTÍNEZ, 2019). A utilização do Diário de ideias em contexto de sala de aula contribui para que a leitura e a escrita possam se constituir para estudantes e professores, processo de expressão, criação e comunicação, conectando as experiências da criança com o contexto escolar, em um processo de leitura de mundo, potencializando a qualidade de atuação com a leitura e a escrita no exercício protagonista da criança na sociedade. Palavras-chave: Subjetividade. Leitura. Escrita. Aprendizagem. Diário.
Lucilene Hotz Bronzato
Revista Práticas de Linguagem, Volume 9; https://doi.org/10.34019/2236-7268.2019.v9.31340

Abstract:
Este relato de experiência pretende compartilhar com os leitores o desenvolvimento de uma ação pedagógico-social por meio de uma sequência didática intitulada: Campanha educativa: Sim, o melhor é falar sobre o suicídio, desenvolvida no Colégio de Aplicação João XXIII/ UFJF, de Juiz de Fora-MG, e cujos protagonistas foram alunos do 9º ano do Ensino Fundamental II.
Alessandra Pereira Gomes Machado, Érica De Oliveira Jarske
Revista Práticas de Linguagem, Volume 9; https://doi.org/10.34019/2236-7268.2019.v9.31339

Abstract:
O trabalho interdisciplinar teve como objetivo enfatizar a importância da leitura tanto em Língua Portuguesa quanto em Matemática. As estratégias de compreensão leitora de seis contos populares foram desenvolvidas nas aulas de Língua Portuguesa e o raciocínio lógico-matemático por meio da construção do Tangram em Matemática. As atividades de leitura foram realizadas em ambas as disciplinas com os alunos do 6º ano do Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Sergipe (Codap/UFS), durante o 1º semestre letivo de 2019. As atividades foram acompanhadas por alunos da graduação em Matemática, que participam da residência pedagógica, e da graduação em Letras vernáculas e estrangeiras, que realizam o estágio. Essas atividades permitiram verificar a compreensão leitora e o desenvolvimento de raciocínio lógico e geométrico, além do interesse dos alunos pela leitura. Os graduandos puderam vivenciar as fronteiras científicas entre Língua Portuguesa e Matemática interagirem e estabelecerem relações de troca de conhecimento e experiências. Palavras-chave: Língua Portuguesa. Matemática. Compreensão leitora. Raciocínio lógico-geométrico.Graduandos da UFS.
Alessandra Pereira Gomes Machado, Marlucy Mary Gama Bispo
Revista Práticas de Linguagem, Volume 9; https://doi.org/10.34019/2236-7268.2019.v9.31336

Abstract:
As dificuldades em leitura e escrita interferem no desempenho escolar, levando à retenção e abandono. Ter um diagnóstico do nível de letramento linguístico de estudantes da educação básica é o primeiro passo para pensar em estratégias efetivas para atuar nessas dificuldades que interferem no desempenho escolar. Nesse entendimento, o objetivo deste projeto é desenvolver a avaliação diagnóstica e proporcionar práticas deletramento linguístico a estudantes dos anos finais (6º ao 9º ano) do Ensino Fundamental do Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Sergipe (Codap-UFS), com a proposta de diminuir a assimetria entre nível de letramento e escolaridade discente. Para tanto, foram desenvolvidas oficinas, no turno oposto ao de aulas regulares, envolvendo graduandos dos cursos de Letras vernáculas e estrangeiras da UFS. Palavras-chave: Língua Portuguesa. Letramento linguístico. Diagnóstico de leitura e escrita. Graduandos. Formação docente.
Carmen Rita Guimarães Marques De Lima, Paulo Henrique Goliath, Raquel Martins Melo Pinheiro Aquino De Oliveira
Revista Práticas de Linguagem, Volume 9; https://doi.org/10.34019/2236-7268.2019.v9.31343

Abstract:
Neste número da Revista Práticas de Linguagem, tivemos o prazer de entrevistar as professoras Angélica Cosenza Rodrigues, Juliana Maddalena Trifilio Dias e Isabela Ferreira Lima, que nos fazem conhecer melhor o Programa Residência Docente da Universidade Federal de Juiz de Fora. A Professora Angélica Cosenza é Coordenadora das Licenciaturas, ligada à Pró-Reitoria de Graduação (PROGRAD/UFJF) e Coordenadora Institucional do PIBID UFJF, tendo acompanhado o processo de criação e de implementação do Programa desde a sua concepção. As professoras Juliana Maddalena, Coordenadora de Gestão, e a Professora Isabela Lima, Coordenadora Pedagógica da Residência Docente, acompanham de perto o cotidiano do Programa, gerenciando e promovendo a interação entre seus diferentes atores.
, Luiz Carlos Coelho De Oliveira
Revista Práticas de Linguagem, Volume 9; https://doi.org/10.34019/2236-7268.2019.v9.31334

Abstract:
Qual papel a escola vem desempenhando na formação leitora dos estudantes? Quais fatores incentivam a leitura? Como ela principia? Este artigo visa refletir tanto sobre estas questões quanto em relação ao perfil leitor dos educandos de Ensino Fundamental II e Médio do CAp UERJ a partir do levantamento de dados realizado por meio de produção textual, intitulada “autobiografia literária”, de modo a coletar relatos espontâneos oriundos de um mínimo de coordenadas, que forneçam dados mais precisos e fidedignos. Pensando o papel de um Colégio de Aplicação na nossa sociedade atual por meio da perspectiva da luta de classes e dos aparelhos ideológicos de Estado, pretende-se fornecer um panorama geral da formação de leitores para refletir sobre a possibilidade da construção de uma educação mais crítica, criativa e democrática. Palavras-chave: CAp UERJ. Formação leitora. Leitura crítica. Política pedagógica. Libertação.
Maria Suely De Souza Montes
Revista Práticas de Linguagem pp 54-63; https://doi.org/10.34019/2236-7268.2019.v9.28570

Abstract:
O projeto “Era uma vez... A descoberta do universo da leitura e da escrita”, partindo dos contos maravilhosos, propos ampliar o repertério de leitura literaria dos alunos, incentivar a oralidade, a leitura e a escrita espontanea, de modo que os alunos pudessem se expressar livremente através da cria§ao de contos para a produ§ao de um livro de historias e um audiobook. A motiva§ao para o desenvolvimento desse trabalho foi a constata§ao da diversidade cultural, social e pedagogica de uma turma de 6° ano do Ensino Fundamental, cujo diagnostico inicial revelou que 32% dos alunos poderiam ser considerados analfabetos funcionais. A interven§ao pedagogica oportunizou, ainda, a organizaggo de ideias e sentimentos, bem como, a ampliaggo da visgo de mundo externada nos textos produzidos pelos alunos, contribuindo para melhor compreensgo acerca dos conflitos existentes no contexto escolar e promoggo de maior interaggo entre eles, fomentando o letramento literario.
Denise Pereira Rebello Viglioni
Revista Práticas de Linguagem pp 30-41; https://doi.org/10.34019/2236-7268.2019.v9.28564

Abstract:
O desenvolvimento deste trabalho considera o ensino de gramatica nas escolas publicas brasileiras, visando a aplica§ao de um ensino pautado na gramatica contextualizada. Portanto, adota-se a perspectiva da analise linguistica e dos géneros textuais para o ensino de Li’ngua Portuguesa e do texto como lugar de interagao de sujeitos sociais. As atividades foram desenvolvidas nas aulas de Ii’ngua de turmas de 9° anos do ensino fundamental de escola publica estadual em Juiz de Fora. O objetivo principal da sequéncia didatica aplicada foi de promover apropria§ao do género artigo de opiniao e, tendo em vista a primeira produ§ao dos alunos, também dos recursos coesivos, abordando como tema a violéncia na sociedade atual. 0s objetivos especificos contemplam a expIora§ao da capacidade de leitura, escuta e produ§ao textual do aluno. A apIica§ao das atividades propostas, considerando principios da sequéncia didatica, confirmou a hipotese de que o estudo reflexivo da coesao atrelado ao género artigo de opinigo possibilita a apropriaggo de recursos Iingui’sticos pelo aluno para praticas escolares e nao escolares.
Renata Cristina Das Dores Alves
Revista Práticas de Linguagem pp 74-84; https://doi.org/10.34019/2236-7268.2019.v9.28579

Abstract:
0 presente texto discorre sobre a realizaqao de uma proposta de atividade interdisciplinar: a organizaggo de um jornal mural, ocorrida com alunos de turmas do oitavo ano do Ensino Fundamental, em uma escola publica. A produ§3o do jornal objetivou desenvolver entre os discentes uma maior participaggo em sua aprendizagem com a organizaggo de textos de circula§3o real. A proposta efetivou -se através da realizaggo de um projeto interdisciplinar (GUEDES et at., 2017) que envolveu docentes das diferentes disciplinas na organiza§ao do jornal. Como abordagem linguistica, assumiu-se a concep§ao interacionista da linguagem (ANTUNES, 2014). Além disso, discutiram-se formas de participa§ao ativa dos educandos em seus processos de aprendizagem, de maneira a propiciar o protagonismo juvenil (SILVA; ASINELLI-LUZ, sem data). 0s resultados do projeto interdisciplinar apontaram para maior adesao e participagao dos alunos nas tarefas de ensino e de aprendizagem, como também para a potencializagao do engajamento e autoria dos docentes.
Gisele De Oliveira Barbosa
Revista Práticas de Linguagem pp 42-53; https://doi.org/10.34019/2236-7268.2019.v9.28569

Abstract:
0 presente trabalho relata uma experiéncia de elabora§ao de uma revista nas aulas de Lingua Portuguesa (LP) em turmas dos anos finais do Ensino Fundamental. Realizada em duas escolas publicas das redes Estadual e Municipal, a proposta teve o objetivo de tornar as aulas de LP mais dinamicas, trazendo para o ambiente escolar situa§oes concretas de produ§ao e circula§ao de textos, associadas a contextos discursivos. Incorporando inovagoes relacionadas a uma concepggo discursiva de linguagem, o projeto foi pautado na perspectiva do Interacionismo Sociodiscursivo (Bronckart 2010 [2006]), na Teoria dos Géneros Textuais (Dolz e Schneuwly, 2011) e em Projetos de letramento (Kleiman, 2007). Como resultados, pudemos observar a ampliagao das capacidades de linguagem dos alunos, amplia§go de seus letramentos, bem como a produ§go de material didatico na escola a partir de conhecimentos adquiridos antes, durante e depois da passagem da autora por experiéncias de forma§ao continuada como o Profletras e o PIBID.
Revista Práticas de Linguagem pp 64-73; https://doi.org/10.34019/2236-7268.2019.v9.28575

Abstract:
Esse relato apresenta uma proposta pedagogica com vistas a discutir soluqoes para incomodos frequentes no ambiente escolar, buscando o dialogo como ferramenta para tomada de decis3o e o envolvimento dos alunos na organiza§go dos espagos e eventos escolares. Foi desenvolvida numa escola da rede estadual, que abriga apenas o ensino médio, na cidade de Itamarati de Minas/MG. A proposta envolve a realizaggo de assembleias de classe (TOGNETTA; VINHA, 2007) realizadas, principalmente, durante as aulas de Li’ngua Portuguesa, tornando-se, também, uma oportunidade para o trabalho com a oralidade (MIRANDA, 2006). Partindo da concep§ao da escola como local de aprendizagem (NOVOA, 2007; GERALDI, 2010) adota o protagonismo juvenil (COSTA, 2007) como categoria importante para que haja aprendizagem. 0s resultados apontam para um despontar do protagonismo discente, um crescente desenvolvimento da capacidade de analise critica e da argumentagao oral, além de uma melhora nas praticas de oralidade nas instancias publicas.
Cláudia Aparecida Ferreira Ferraz
Revista Práticas de Linguagem pp 18-29; https://doi.org/10.34019/2236-7268.2019.v9.28566

Abstract:
Neste texto, apresentamos um relato de uma experiéncia pedagogica em que se articulam as atividades de leitura literaria e produ§go escrita, objetivando a aquisi§3o de estratégias narrativas por meio da leitura do conto Um estudo em vermelho, de Sir Arthur Conan Doyle (2018), e de um jogo de detetives. Trabalhamos com os conceitos de letramento literario (COSSON, 2016), comunidade de leitores (LERNER, 2012), estratégias narrativas do conto policial (TODOROV, 2010) e, a fim de nos orientar no uso do jogo como estratégia para a constru§ao de texto, utilizamos os estudos de Huizinga (2000). As analises realizadas a partir das produ§oes escritas dos alunos revelam que a articulagao entre leitura e escrita, se bem realizada, pode promover o letramento literario e a ampliagao do repertorio de escrita, além de contribuir para o estabelecimento de uma comunidade de leitores em sala de aula.
Karin Adriane Henschel Pobbe Ramos
Revista Práticas de Linguagem pp 130-139; https://doi.org/10.34019/2236-7268.2017.v7.28502

Abstract:
O presente artigo tem como objetivo discutir a relação entre literatura e ensino, a partir do relato de experiências de bolsistas de iniciação à docência do PIBID (Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência), que fazem parte do Subprojeto Letras Português da UNESP de Assis. O foco do subprojeto é produzir atividades didático-pedagógicas a partir de textos literários para serem desenvolvidas em duas escolas parceiras que pertencem à rede pública estadual da cidade de Assis, Estado de São Paulo. Os referenciais teóricos para as reflexões empreendidas estão baseados em Cândido (2011; 1970); Cosson (2014); Silva (2007) e outros autores que discutem a questão da formação docente para o trabalho com textos literários no contexto escolar e suas implicações nas práticas de sala de aula. A análise das vinhetas narrativas produzidas pelos bolsistas trata das reais dificuldades enfrentadas durante a execução das atividades. Ao mesmo tempo, os relatos trazem indícios de que projetos de iniciação à docência são fundamentais para a criação de um espaço de discussão do papel formador da literatura na constituição de sujeitos autônomos e críticos. Os resultados têm apontado que a grande contribuição do projeto está no percurso que cada um dos envolvidos traça ao se engajarem nas atividades.
Márcia Volani Cordova De Oliveira, Likelli Simão Bender, Luciane Baretta
Revista Práticas de Linguagem pp 321-329; https://doi.org/10.34019/2236-7268.2017.v7.28504

Paola Cordeiro Fernandes
Revista Práticas de Linguagem pp 360-372; https://doi.org/10.34019/2236-7268.2017.v7.28459

Abstract:
O estudo aqui apresentado teve como uma das questões de partida, refletir quais as características e concepções de letramento subjacentes à concepção de processo ensino-aprendizagem de uma determinada escola. Como um estudo de caso etnográfico, torna-se relevante repensar o cotidiano escolar e a prática pedagógica, já que parte da prática e à prática retorna, ressignificando-a teoricamente. Na escola pesquisada, observamos uma perspectiva tradicional mecanizada do processo de ensino e aprendizagem, baseada numa fundamentação comportamentalista e descontextualizada. Destacamos, ainda, uma perspectiva redutora do papel da linguagem no processo de ensino e aprendizagem, com a leitura, colocada como castigo, e a escrita, vinculada a esforço manual da caligrafia, relacionando-as ao desprazer e promovendo atitudes de rejeição.
Cláudia Roberta Tavares Silva, Dorothy Bezerra Silva Da Brito
Revista Práticas de Linguagem pp 149-160; https://doi.org/10.34019/2236-7268.2017.v7.28510

Abstract:
Este artigo aborda a atuação do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID) nos anos de 2010 a 2015, vinculado à Unidade Acadêmica de Serra Talhada da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE/UAST). Nesse período, o PIBID atuou em seis escolas da rede pública estadual no Sertão do Pajeú-PE, em específico, na cidade de Serra Talhada, e contemplou três eixos do processo ensino-aprendizagem de Língua Portuguesa, a saber: produção de texto, leitura de texto e análise linguística, indo na direção do que é proposto pelos Parâmetros Curriculares Nacionais. Para tanto, a adoção da perspectiva sociointeracionista da linguagem, que traz consequências para o entendimento das concepções de sujeito, texto e leitura, foi crucial para o sucesso desse Programa, evidenciado por suas satisfatórias intervenções na produção de um jornal escolar.
Ana Claudia Rodrigues Gonçalves Pessoa, Ester Calland De Sousa Rosa, Telma Ferraz Leal
Revista Práticas de Linguagem pp 1-8; https://doi.org/10.34019/2236-7268.2017.v7.28528

Maria Valésia Silva Da Silva, Márcia Zambon Farias
Revista Práticas de Linguagem pp 262-269; https://doi.org/10.34019/2236-7268.2017.v7.28519

Abstract:
O presente artigo tem como objetivo relatar as experiências e reflexões do subprojeto PIBID - Letras/Inglês da Universidade de Caxias do Sul. O referido projeto é executado no campus Universitário de Caxias do Sul e na Escola Estadual de Ensino Médio Santa Catarina e tem como finalidade contribuir para a aproximação Universidade/escola na formação inicial e continuada na área de ensino da língua inglesa, através do desenvolvimento de uma proposta de letramento e construção social do conhecimento, agregando a tecnologia à rotina da sala de aula. O desenvolvimento desse subprojeto é composto de quatro etapas. Na primeira, foram realizadas leituras e discussões sobre a construção social do conhecimento de Vygotsky com vistas ao embasamento teórico do projeto. A segunda etapa compreende: diagnóstico, planejamento e desenvolvimento das sequências didáticas de língua inglesa em turmas de primeiros e terceiros anos do Ensino Médio da escola. Na terceira etapa, foi feita a avaliação do trabalho desenvolvido até então e foram propostas melhorias a serem adotadas para os anos seguintes. Atualmente os oito bolsistas do curso de licenciatura em Letras – Inglês, a supervisora escolar e a coordenadora estão em processo de sistematização das ações desenvolvidas em forma de artigos acadêmicos.
Ângela Rita Christofolo De Mello
Revista Práticas de Linguagem pp 68-85; https://doi.org/10.34019/2236-7268.2017.v7.28533

Abstract:
Este manuscrito tem como objetivo problematizar inconsistências observadas em relação ao quantitativo de alfabetizandos que realizaram as avaliações editadas no Sistema Integrado de Monitoramento e Controle (SIMEC)/Sistema de Monitoramento do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (SISPACTO) em 2014, comparadas as avaliações editadas via Instituto de Estudos e Pesquisa Anísio Teixeira (INEP)/Avaliação Nacional da Alfabetização (ANA/2014). O artigo contextualiza aspectos de uma pesquisa de abordagem qualitativa, realizada no âmbito de um estágio de pós-doutorado que investigou a progressão dos alfabetizandos de Mato Grosso matriculados no 3º ano do ciclo, publicizadas nos referidos Sistemas. Os dados que compõem o corpus da análise sinalizam, dentre outros aspectos que as inconsistências podem indicar a preocupação das instituições educativas em comprovar metas estabelecidas por organismos internacionais e nacionais, resultantes de amplas negociações, com vistas a assegurar melhores resultados estatísticos e melhores posições para o país em rankings mundiais.
Alyne Raíssa Belarmino Gomes, Janaíne Dos Santos Rolim, Angélica Maia
Revista Práticas de Linguagem pp 339-353; https://doi.org/10.34019/2236-7268.2017.v7.28506

Abstract:
A sociedade na era digital vem transformando concepções de lingua(gem) e formas de construir conhecimento (MONTE-MÓR, 2009). Diante disso, apresentamos uma experiência de desenvolvimento e aplicação de uma aula de inglês que buscou contemplar aspectos multimodais da linguagem por meio de um tour virtual a um museu e um jogo interativo no PowerPoint visando também romper com a “inclusão marginal” (CARVALHO, 2005) dos alunos com deficiências. A análise do plano de aula, dos slides e dos relatos dos professores que ministraram as aulas evidencia que o uso de recursos multimodais contribuiu para um maior envolvimento da turma e maior participação dos alunos com deficiência na aula.Palavras-chave: Inclusão; Multimodalidade; Jogos; Ensino de Inglês; PIBID.
Roberta Fernandes Pacheco, Ana Carla Machado, Marso Maria De Almeida Fiorillo
Revista Práticas de Linguagem pp 158-176; https://doi.org/10.34019/2236-7268.2017.v7.28509

Abstract:
Este trabalho objetiva discutir o papel da oficina de música na aprendizagem da língua espanhola e sua importância na construção do vínculo entre aluno e idioma. Assumimos uma perspectiva teórica que gira em torno de três cernes: o ensino do espanhol no Brasil (LAWALL, 2016); a formação do licenciando (FREITAS, 2012) e o pibid; a ludicidade na aprendizagem do aluno (OMISTE, ET. Al., 2000). A oficina Musicalizando el español foi realizada com alunos do Ensino Fundamental II da E.M. Vereador Raimundo Hargreaves (JF-MG). Dentre os resultados obtidos, podemos destacar o aumento do interesse do aluno pela língua, a melhoria nas relações interpessoais e a ruptura da barreira existente no aprendizado de uma língua estrangeira.
Célio Da Silveira Júnior
Revista Práticas de Linguagem pp 635-649; https://doi.org/10.34019/2236-7268.2017.v7.28482

Abstract:
A leitura é recurso fundamental para o ensino-aprendizagem de Ciências, mas faltam pesquisas que reflitam sobre o uso dos Textos Didáticos de Ciências (TDC) em sala de aula. Aqui, são apresentados os primeiros resultados de uma investigação em andamento, de natureza narrativa e condizente com a perspectiva histórico-cultural do desenvolvimento humano. O objetivo é o de pesquisar o lugar ocupado pela mediação da leitura de TDC nas práticas pedagógicas desenvolvidas em salas de aula da Educação Básica. Para os trabalhos de campo, estão sendo envolvidos sujeitos em formação na UFMG: licenciandos e mestrandos. Os primeiros resultados obtidos confirmam a hipótese inicial de trabalho: a mediação docente da leitura de TDC apresenta menor status frente às demais práticas pedagógicas desenvolvidas em sala de aula.
Eloisa Graziela Franco De Oliveira Hamasaki, Eliana Maria Severino Donaio Ruiz
Revista Práticas de Linguagem pp 364-381; https://doi.org/10.34019/2236-7268.2017.v7.28508

Abstract:
O presente trabalho, pautado pelos dispositivos teórico-metodológicos da Análise de Discurso francesa e pela literatura acerca do ensino da leitura, visa a problematizar o imaginário discursivo acerca da formação de leitores literários por sujeitos vinculados ao PIBID. A análise discursiva de dizeres de entrevistados em diferentes posições–sujeito (licenciandos, professores supervisores e professores coordenadores) revela um imaginário que se constrói tanto em relação a uma metodologia real quanto a uma metodologia ideal de ensino da leitura.Palavras-chave: imaginário discursivo, formação de leitores, leitura literária, pedagogia da leitura, PIBID.
, Isabella Bacha Ferreira
Revista Práticas de Linguagem pp 592-603; https://doi.org/10.34019/2236-7268.2017.v7.28479

Abstract:
Este trabalho busca analisar o tratamento dado à multimodalidade em planos de aulas disponibilizados no Portal do Professor - espaço em ambiente virtual com recursos educacionais voltados para professores da Educação Básica. Esta pesquisa se pauta nos fundamentos da Teoria da Multimodalidade (KRESS; VAN LEEUWEN, 2006) e nos estudos sobre os multiletramentos (ROJO, 2009) e sobre os gêneros textuais/discursivos (MARCUSCHI, 2003). Para a análise, foram selecionados 10 (dez) planos de aulas, a partir de indicadores previamente determinados. Evidencia-se a relevância das discussões sobre o planejamento de aulas como estratégia para uma formação docente reflexiva, uma vez que possibilita não somente sinalizações para a implementação de metodologias, mas também uma articulação entre teoria e prática.
Ângela Rita Christofolo De Mello, Albina Pereira De Pinho Silva
Revista Práticas de Linguagem pp 491-507; https://doi.org/10.34019/2236-7268.2017.v7.28471

Abstract:
O artigo analisa as avaliações de Língua Portuguesa inseridas no Simec/SisPacto pelos professores de Mato Grosso, no início e no final de 2014. As avaliações se referem aos onze direitos de aprendizagem de Língua Portuguesa e nos foram concedidas pela coordenação geral do PNAIC em Mato Grosso em abril de 2015. Essas foram sistematizadas em quadros e demonstram como os alfabetizandos se encontravam no início e no final de 2014, em relação a cada um dos direitos de aprendizagem. A análise ancorou-se na abordagem qualitativa e investigou se houve um avanço na apropriação do conhecimento dos alfabetizandos e uma correlação entre os direitos de aprendizagem. As fragilidades do processo de alfabetização foram apontadas e ajustes necessários para a superação dessas foram sugeridos.
Fernanda Abreu Gualhano, Adrieli Laviola Bonjour Da Silva
Revista Práticas de Linguagem pp 348-359; https://doi.org/10.34019/2236-7268.2017.v7.28458

Abstract:
A pesquisa intenta em averiguar se a premissa de que “jovens não tem hábito e gosto em ler e escrever” é verídica e, sobretudo, analisar a relação dos alunos com a leitura e escrita dentro e fora do âmbito escolar. Utilizamos a abordagem quantitativa e qualitativa, mediante a aplicação de questionário; esse foi realizado com 3º ano do Ensino Médio público, de Carangola/MG. Observamos, portanto que nas aulas de Língua Portuguesa, duas turmas têm relação boa e uma não, como também, opiniões diferentes sobre a experiência fora do setor escolar, contudo, a maioria dos alunos não tem hábito em ler e escrever, o que torna uma questão preocupante. O presente trabalho se baseia nas concepções tratadas, principalmente, por Koch e Elias (2006), Marcuschi (2001, 2008) e Rojo (2010).
Page of 5
Articles per Page
by
Show export options
  Select all
Back to Top Top