Refine Search

New Search

Results in Journal Lumina: 212

(searched for: journal_id:(4252767))
Page of 5
Articles per Page
by
Show export options
  Select all
Mario Abel Bressan Junior, Heloisa Juncklaus Preis Moraes
Published: 30 April 2021
Lumina, Volume 15, pp 31-46; doi:10.34019/1981-4070.2021.v15.29770

Abstract:
Este estudo objetiva expor reflexões sobre a reformulação do Laço Social constituído com a televisão, através das recordações evocadas nos telespectadores, com a atuação de uma memória teleafetiva e com os novos formatos de consumo audiovisual. Analisa os comentários do público que assistiu ao remake do programa Cassino do Chacrinha, exibido em 2017, na Rede Globo de Televisão e no Canal Viva, em comemoração ao centenário de Abelardo Barbosa, importante comunicador brasileiro entre as décadas de 1970 e 1980. Como procedimentos metodológicos, aplica-se a análise de conteúdo de Laurence Bardin (2011) nos textos postados no Twitter com a expressão “Cassino do Chacrinha” nos dias 28 de agosto de 2017 (programa exibido no Canal Viva) e 6 de setembro de 2017 (Rede Globo). O embasamento teórico é fundamentado nos conceitos de memória coletiva (HALBWACHS, 2003), Memória Teleafetiva (BRESSAN JÚNIOR, 2019), Laço Social (WOLTON, 1996) e Imaginário (DURAND, 2002); (MORAES, 2019); (SILVA, 2017). A pesquisa discute as relações entre imaginário, memória e laço social, a partir de um arquivo televisivo, apresentando marcas da memória teleafetiva por imagens pregnantes e compartilhadas nos comentários analisados.
Estíbaliz García-Taboada, ,
Published: 30 April 2021
Lumina, Volume 15, pp 205-220; doi:10.34019/1981-4070.2021.v15.30277

Abstract:
With the expansion of connected devices (tablets, smartphones, etc.), a leap in multiplatform technologies is occurring, bringing about changes in many areas of the communications professions. In this context, values based on flexible, multiplatform, cooperative work that takes the audience into consideration are increasingly important. Professional photography coexists with — and is even rivaled by — images taken by citizens, which are often used by the mass media. For that reason the need is greater than ever for photographers and graphic professionals who, in one way or another, adapt to the new media Using a multiple case study method, this article examines the digital resources used by photographers who have won a World Press Photo Award. It studies the ways in which they exploit the medium, extending the photographic narrative beyond the website, to promote themselves and their personal brand. The results show photographers’ preference for unidirectional communication models and superimposed strategies that have limited engagement and viralisation. The acquisition of digital expertise by photojournalists is at an intermediary stage, since the cases analyzed reveal that these professionals’ web 2.0 activity is limited or underexploited.
, Débora Salles, Giulia Tucci, Charbelly Estrella
Published: 30 April 2021
Lumina, Volume 15, pp 124-142; doi:10.34019/1981-4070.2021.v15.29086

Abstract:
Os “bots políticos” são perfis automatizados programados para atuar nas redes sociais com o objetivo de influenciar as discussões políticas, endossar ou difamar um candidato, disseminar propaganda de campanha, criar ruído no debate público e interferir na formação da opinião dos usuários. Este artigo investiga como essas contas afetaram a conversação política no Twitter durante o primeiro turno das eleições municipais de 2016 no Rio de Janeiro, contribuindo para a discussão de como os bots podem colocar em risco a comunicação on-line e afetar a campanha e os resultados eleitorais (HOWARD; WOOLLEY; CALO, 2018). A partir da abordagem da teoria fundamentada, utilizamos a netnografia observacional aliada à análise de discurso para estudar o comportamento de um conjunto de bots no Twitter durante o primeiro turno das eleições municipais no Rio de Janeiro. Detectamos 3.101 bots, responsáveis por 19.915 tuítes, e classificamos nossa amostra em três categorias de bots com base no conteúdo dos tuítes: bots gerados por usuário, spambots de mídia e bots políticos. Estes últimos foram divididos em duas subcategorias, em função do tipo de discurso que difundiram na rede: “ativistas” e “agentes provocadores”. Os resultados da pesquisa demonstram que os bots políticos representam um problema social crítico por ocuparem um vácuo de opiniões políticas oferecendo posições partidárias para aqueles que não as possuem. Concluímos que estas contas automatizadas prepararam o terreno para a vitória de Jair Bolsonaro nas eleições presidenciais de 2018, apoiando o então deputado e fortalecendo sua presença nas redes.
Luíza Beatriz Alvim
Published: 30 April 2021
Lumina, Volume 15, pp 63-78; doi:10.34019/1981-4070.2021.v15.27395

Abstract:
Jean-Luc Godard fez cinco curtas-metragens nos anos 1950: Operação concreto (Opération béton, 1954), Uma mulher faceira (Une femme coquette, 1955), Charlotte e Véronique: todos os rapazes se chamam Patrick (Charlotte et Véronique: tous les garçons s´appellent Patrick, 1957), Charlotte e seu namorado (Charlotte et son Jules, 1959), além de Uma história de água (Une histoire d´eau), filmado por Truffaut em 1958 e montado por Godard posteriormente. Por meio da identificação das peças musicais e de análise fílmica das relações da música com as imagens e com os outros sons, objetivamos ressaltar aspectos formais da distribuição dos trechos musicais ao longo desses filmes, além de associações de significados. Observamos, assim, várias características importantes da obra posterior de Godard já presentes nesses curtas: o uso de peças preexistentes do repertório clássico, como as de Beethoven, compositor prevalente ao longo de toda a obra do diretor; a repetição da mesma música num só filme e/ou o retorno das mesmas peças musicais em filmes distintos, com o reaproveitamento constante de materiais ao longo da obra; a fragmentação da música em pontos não usuais, causando estranhamento no espectador; a presença de um comentário over verborrágico.
Afonso Barbosa,
Published: 30 April 2021
Lumina, Volume 15, pp 79-92; doi:10.34019/1981-4070.2021.v15.28634

Abstract:
O presente artigo objetiva realizar uma análise sobre dados da produção de sentido na obra de Jorge Furtado, desenvolvendo observações em torno da trilha sonora de Saneamento básico, o filme, longa-metragem de 2007. Nesse sentido, o estudo pretende examinar como a porção sonora da obra se destaca pelo investimento que faz em estruturas dialógicas, abrindo espaço ainda para debater a maneira como esses elementos também incorporam aspectos metalinguísticos na tessitura do filme. Saneamento básico possui aspectos multifacetados, diálogos explícitos e implícitos, além de jogos metalinguísticos amparados por dispositivos cômicos e discussões importantes acerca da própria arte em seu estatuto autorreferencial ou enquanto elemento sensibilizador, mobilizador e de congregação comunitária. Nesse contexto, o estudo deve debruçar-se ainda sobre esta duplicação que se desdobra a partir da utilização de um processo metaficcional dentro da narrativa do filme e elementos da construção do cômico. Além disso, cabe-nos examinar como o impulso criativo está entrelaçado a elementos como o conhecimento internalizado e a sensibilidade artística — latente, velada e revelada —, que é paulatinamente desenvolvida nos personagens. Dessa forma, este artigo procura observar os desdobramentos da metalinguagem e do dialogismo, examinando como esses conceitos se aplicam no filme, especialmente pela análise dos engajamentos que são construídos a partir da trilha sonora.
Published: 30 April 2021
Lumina, Volume 15, pp 5-30; doi:10.34019/1981-4070.2021.v15.25981

Abstract:
O artigo examina o fenômeno da midiatização com foco nos processos de circulação de sentidos. Em meio à profusão imagética da sociedade midiatizada, investiga-se a disputa pela construção da imagem do Exército Brasileiro durante a operação de pacificação do Complexo da Maré, ocorrida entre 2014 e 2015. Como referencial teórico, defende-se uma compreensão do fenômeno da midiatização baseada na abordagem mais recente de Verón (2014), que encaminha às noções de circulação a partir de Braga (2012) e Fausto Neto (2010) e de dispositivo midiático a partir de Ferreira (2013). Quanto aos aspectos metodológicos, parte-se do esquema prógono de Verón para análise da midiatização (1997) para a constituição de dois eixos de análise, organizados em três coleções de imagens referentes a acontecimentos da operação. Tensionadas quanto a aspectos sócio-semio-técnicos, as coleções revelam categorias de imagens produzidas sobre o Exército, posteriormente sistematizadas em diagramas inferenciais. Conclui-se que, na circulação midiática atual, cada vez mais heterogênea e transversal, além da disputa intermidiática que atravessa a construção da imagem do Exército na Maré, configura-se também uma coprodução da imagem institucional, potencializada pela processualidade simbólica que, paradoxalmente, fortalece determinadas imagens em detrimento de outras.
Daniel Rios
Published: 30 April 2021
Lumina, Volume 15, pp 143-164; doi:10.34019/1981-4070.2021.v15.31161

Abstract:
As séries televisivas estadunidenses circulam no Brasil há bastante tempo. Contudo, nos últimos vinte anos, observa-se uma mudança no status de legitimidade dessas produções estrangeiras. Em decorrência disso, há a emergência de inúmeras comunidades de fãs voltadas para essas produções. Assim como em outros fandoms, os fãs de narrativas seriadas produzem variados tipos de materiais, como fanfics, fanarts e memes de internet. A partir disso, este artigo tem como objetivo investigar quais são as semelhanças e as diferenças que memes circulados em fandoms de narrativas seriadas distintas carregam entre si. Para isso, foi realizada uma pesquisa de inspiração etnográfica em três comunidades de fãs, cada uma voltada para uma série diferente. Entre junho de 2018 e maio de 2019, os memes circulados pelos sujeitos dentro dos fandoms foram observados, buscando identificar aqueles que apresentavam referências intertextuais com elementos de outras narrativas seriadas. Argumenta-se que os memes seriam uma importante ferramenta para a circulação das ficções seriadas estadunidenses no Brasil e para as dinâmicas de sociabilidade dos fãs brasileiros, contribuindo para a expansão do universo narrativo e influenciando a experiência do consumo midiático. Por fim, constata-se um intenso uso de intertextualidade, embora as produções midiáticas referenciadas nas três comunidades sejam distintas.
, Suzete Gaia de Sousa
Published: 30 April 2021
Lumina, Volume 15, pp 165-185; doi:10.34019/1981-4070.2021.v15.26278

Abstract:
A migração dos veículos para as redes sociais mostra a centralidade que o espaço tem adquirido nas redações, especialmente como forma de distribuir conteúdo e, principalmente, atrair leitores, a partir da política dos cliques. Assim, a necessidade de atualização contínua, associada ao interesse dos leitores por assuntos leves e/ou curiosos e a busca por acessos aos portais podem fazer com que os veículos passem a priorizar determinados conteúdos que, apesar da pouca contribuição ao debate público, cumprem sua função de gerar cliques. A partir desse pressuposto, o artigo traz uma análise sobre como veículos regionais impressos têm usado o Facebook. O estudo é feito com base em 2.825 postagens realizadas durante duas semanas de coleta de dados, sendo que foi usada a análise de conteúdo quantitativa como técnica de pesquisa. O objetivo do artigo, de modo específico, é verificar os temas das postagens realizadas, observando similaridades e diferenças entre as seguintes fanpages: A Tarde, Correio Braziliense, Diário Online, Gazeta do Povo e O Globo. Dentre os principais resultados, cita-se a priorização dada aos temas de entretenimento, porém percebeu-se também a veiculação de assuntos relacionados à violência, que se caracterizam pela proximidade e impacto das notícias.
, Victor Hugo Sanches Pereira
Published: 30 April 2021
Lumina, Volume 15, pp 47-62; doi:10.34019/1981-4070.2021.v15.21539

Abstract:
O artigo volta-se à análise do longa-metragem Paterson (2016), do diretor norte-americano Jim Jarmusch, obra que apresenta como principal referência os eventos que sucedem a vida cotidiana. A trama do romance acontece em um cenário urbano, sob o protagonismo de um tranquilo motorista de ônibus que descreve os acontecimentos do seu dia a dia em abstrações poéticas. O trabalho propõe-se a uma reflexão sobre os impactos que provém da organização da vida cotidiana ordenada pelo tempo da produção linear. A vida cotidiana pode ser compreendida a partir de um cenário progressivo de fenômenos mediados por acontecimentos ordinários e regulares (instância temporal), que respaldam — e encontram respaldo — no senso comum como forma de conhecimento (instância da produção de significados). A partir de análise de sequências do filme, o artigo indica uma reflexão sobre a constituição da vida cotidiana em interface com as categorias do pensamento fenomenológico oriundas da filosofia peirceana. Compreende-se, em sintonia com Cañizal (2001), que as formas de expressão poética mobilizadas pelo longa-metragem endereçam a uma ruptura do conhecimento padronizado, sublinhando a poiésis como categoria metafísica que expande os aspectos de representação da realidade.
Daniela Paiva De Almeida Pacheco, Wallace Faustino Da Rocha Rodrigues
Published: 30 April 2021
Lumina, Volume 15, pp 108-123; doi:10.34019/1981-4070.2021.v15.29580

Abstract:
O objetivo do texto é o de promover uma reflexão sobre a forma como a campanha eleitoral é organizada na atualidade, levando em conta a existência do que é conhecido como campanha permanente. Para tanto, apresenta-se um debate estruturado em dois eixos. O primeiro aborda o papel dos partidos políticos na produção das campanhas. Eles são resgatados em seu potencial de organizadores do processo eleitoral e atores responsáveis pela veiculação da informação política, principalmente em virtude de seu monopólio de representação. O segundo eixo trata da disputa em torno da construção e desconstrução das imagens dos partidos e candidatos e da definição dos issues de campanha, redimensionada pela utilização das redes sociais, ainda que não descartada a importância dos meios de comunicação de massas como arena de visibilidade privilegiada. Assim sendo, a questão recai sobre a centralidade e o controle da informação por parte dos atores políticos tradicionais frente à produção e disseminação de conteúdo nas redes sociais. Desse modo, evidencia-se que o controle quanto à difusão das informações torna-se um desafio e o impacto na campanha eleitoral é evidente.
Published: 30 April 2021
Lumina, Volume 15, pp 93-107; doi:10.34019/1981-4070.2021.v15.26158

Abstract:
O objetivo é discutir a constituição de identidades, do ponto de vista da cultura do consumo, pensada no contexto da sociedade midiatizada em que a violência é matéria-prima essencial tanto para os conteúdos jornalísticos como nas relações estabelecidas no mundo virtual. São problematizadas as imbricações entre a cultura do consumo e uma cultura da violência entendendo que esta intersecção se dá por meio do simbólico, em especial no contexto midiático, como estratégia de mobilização dos indivíduos em prol da manutenção das perspectivas hegemônicas. A discussão desenvolve-se a partir do entendimento do consumo como referente fundamental para conformação de narrativas sobre si e sobre o outro, compondo universos simbólicos repletos de significações. A reflexão se dá com base em um levantamento bibliográfico com foco em consumo, violência e identidade, salientando o cultural do consumo, abarcando a violência simbólica e como isso impacta a constituição de identidades na modernidade tardia. A violência é pensada entendendo cultura do consumo e da violência como esferas refletoras de significados ideológicos, que alimentam e são realimentadas pela mídia como fonte e modeladora de informação e experiências sobre as mais diversas questões.
, Diego Rodrigues da Silva
Published: 30 April 2021
Lumina, Volume 15, pp 186-204; doi:10.34019/1981-4070.2021.v15.29537

Abstract:
O referente trabalho busca analisar a necessidade humana em ser reconhecido e como se busca esse caminho de “existência” e os efeitos disso na constituição do sujeito. Para tanto, tomamos como corpus de análises alguns recortes do mangá Naruto, de Masashi Kishimoto. O referido mangá trata do personagem homônimo que possui no seu interior o demônio “Raposa de Nove Caudas”, responsável pela destruição da vila e que essa “Raposa de Nove Caudas” fora introduzida em Naruto como uma espécie de pacto do pai do personagem, o qual conseguiu salvar a vila do ataque do ser maléfico que habita o corpo de Naruto. O aparato teórico que sustenta nosso estudo ampara-se em autores como Estés (1999), Cyrulnik (2013) e Comte-Spoville (2007). Metodologicamente falando, trata-se de um estudo descritivo-interpretativo de natureza qualitativa. As análises dos recortes de Naruto permitem-nos evidenciar que na saga interpenetram uma série de questões que envolvem a busca por reconhecimento, a incompletude constitutiva do sujeito num processo contínuo de construção de si e do outro. Esses (des)caminhos levam-nos a pensar na configuração da existência mimetizada nos mangás como um dispositivo importante dos fluxos comunicacionais da contemporaneidade.
, Suzana Kilpp
Published: 30 December 2020
Lumina, Volume 14, pp 77-93; doi:10.34019/1981-4070.2020.v14.31862

Abstract:
O tema deste artigo é a atualização da memória tecnocultural na imagem cinematográfica. Partimos do conceito de memória de Bergson (2010) e investigamos a sua incidência em objetos tecnoculturais. Pensar em termos tecnoculturais é reconhecer a estrutura projetual, o design dos objetos investigados, relativizando a separação premeditada entre arte e técnica, e entender os objetos enquanto expressões de inúmeros tempos e espaços, dotados de sentidos fluidos. Nossa costura teórica também evidencia como imagens de diferentes naturezas técnicas se contagiam de forma independente entre si. Abordamos esse processo comunicativo a partir do filme Aquarius (2016), de Kleber Mendonça Filho. Demonstramos como e quais devires tecnoculturais se atualizam nas técnicas e nas estéticas, nas montagens e nos planos narrativos de Aquarius, que transforma o arquivo em seu próprio tema, propondo uma espécie de “prática da memória”. O filme faz remissões aos Anos 70, propondo duas dimensões narrativas, e um conflito geral entre as utopias da Era de Aquário e do neoliberalismo. O modo como estabelece essa montagem dá continuidade a um devir tecnotropical, coalescendo e tensionando utopias, imagens e formas de uma corrente artística brasileira de vanguarda.
Published: 30 December 2020
Lumina, Volume 14, pp 213-226; doi:10.34019/1981-4070.2020.v14.28251

Abstract:
Os estudos no campo da Comunicação sempre dialogaram com outras disciplinas, especialmente Ciências Sociais, Filosofia e Linguística. Nos últimos anos, vem despontando o interesse pelo diálogo com mais uma área, a História, indo desde a Teoria da História até a História oral. Assim, conceitos como tempo, historicidade, temporalidade, memória e história oral de vida passaram a transitar em pesquisas da Comunicação. A entrevista a seguir explora algumas possibilidades desse diálogo, ao mesmo tempo em que introduz o pesquisador da Comunicação a premissas da História oral, que tem uma peculiar proximidade com o Jornalismo pela centralidade da entrevista. A nossa conversa foi com o historiador José Carlos Sebe Bom Meihy, professor titular aposentado do Departamento de História da Universidade de São Paulo e atualmente professor da Unigranrio. Autor de mais de uma centena de trabalhos - entre livros, capítulos e artigos – e orientador de mais de uma centena de pesquisas de mestrado e doutorado, Meihy está entre os pesquisadores brasileiros que mais contribuíram para o avanço das pesquisas em História oral. Ele nos fala de temas como características da memória de expressão oral, aspectos balizadores da relação entre oralistas e os seus entrevistados e dos riscos de associações apressadas entre memória e identidade. Para os que confundem História oral com a realização de entrevistas, ele alerta: “Não é apenas o ato de entrevistar que matiza a História oral. [...] O que marca o projeto de História oral é a organização de entrevistas que se encaminham para exames mnemônicos específicos.”
Danielle Ramos Brasiliense, Victor Antonio Araújo
Published: 30 December 2020
Lumina, Volume 14, pp 130-148; doi:10.34019/1981-4070.2020.v14.26116

Abstract:
Este trabalho busca entender como são construídas as representações do gênero masculino no site pornográfico Hotboys. A partir de uma perspectiva de análise do discurso com base foucaultiana buscaremos demonstrar como determinadas estratégias enunciativas utilizadas na produção das publicações em Hotboys contribuem para um processo de afirmação da performance masculina. Mais especificamente, o artigo investiga a construção e reprodução de estereótipos historicamente construídos sobre o papel do masculino a partir de uma matriz cultural heteronormativa que marca diferenciações entreo homem ativo e o passivo. Nos interessa compreender como um site, que tem como alvo o público gay, produz discursos de virilidade, através do qual valorizam atributos corporais e comportamentais que reiteram o modelo cultural de masculinidade hegemônica. E, ainda, reforçam padrões normativos sobre o masculino colocando o homem afeminado num plano inferior e submisso. Isso acontece porque a heteronormatividade rege o afeto e o sexo, independentemente da orientação sexual. É como se essa norma fosse um guarda- chuva e nós estivéssemos abrigados debaixo dele. É algo mais amplo e mais definidor, uma regra, portanto, vertical que iremos questionar.
Published: 30 December 2020
Lumina, Volume 14, pp 194-212; doi:10.34019/1981-4070.2020.v14.25819

Abstract:
O “campo público” de comunicação é formado por atores heterogêneos, entre eles, as emissoras universitárias. Este artigo problematiza a noção de campo público, denominação incorporada pela academia do movimento pela democratização da comunicação. O referido campo tem sua diferenciação na especificidade da programação, modelo de gestão, financiamento e propriedade dessas emissoras. A partir da noção de campo social de Bourdieu, questiona-se a existência do campo público de comunicação noBrasil. O trabalho apresenta também o resultado da pesquisa com as TV Universitárias de Minas Gerais. A análise focaliza na atuação de 5 emissoras mantidas por Instituições de Ensino Superior (IES) públicas, sendo uma estadual e quatro federais. A pesquisa de caráter exploratório aponta um cenário bastante crítico para o setor. Das 16 TVs Universitárias (TVUs) mineiras encontradas em mapeamento feito em 2017, 5 delas foram fechadas dois anos depois. Entre as emissoras mantidas por universidades públicas, 3 foram desativadas no mesmo período. Aquelas que continuam em atividade possuem programação local bastante restrita devido à escassez de recursos financeiros. A terceirização da grade tem sido uma estratégia adotada para aumentar a grade local como também injetar algum dinheiro no orçamento. A pesquisa aponta a necessidade de se ampliar o debate sobre a gestão indireta das emissoras, por meio de fundações.
, Luísa Schenato Staldoni
Published: 30 December 2020
Lumina, Volume 14, pp 37-56; doi:10.34019/1981-4070.2020.v14.31486

Abstract:
Este artigo desenvolve hipótese sobre o meio e objeto música para a investigação na perspectiva da midiatização. Na primeira parte, apresentamos a hipótese geral sobre a midiatização acionada, referenciada em Verón (2014) e Ferreira (2018). Localizamos nesse lugar epistemológico o objeto e meio musical inseridos em contextos de produção e recepção, emergência e mutações do campo da música. Finalizamos essa parte com proposições sobre a singularidade da música na semiose midiatizada. Na segunda parte, essa abordagem epistemológica é referência para inferências dedutivas, indutivas e abdutivas sobre o funkproibidão. As inferências são apresentadas como proposições e questões relativamente à linguagem do proibidão – enquanto meio-música e narrativas – e usos e apropriações dos meios na configuração de circuitos, coletivos, táticas e outras linguagens. A singularidade da inserção do funk proibidão no espaço público ampliado é colocar em cena rupturas em relação às hegemonias dos meios musicais da modernidade – referenciados na racionalidade da partitura, na música enquanto sublimação do real e das poéticas não menos sublimadoras. Certamente, o funk proibidão não é único a ocupar esse espaço, pois se diferencia em relação ao conjunto do hip-hop (através do rap e do trap). Porém, a sua existência material – enquanto linguagem instrumental, narrativas, usos e apropriações dos meios em rede e reapropriações por atores que participam de seus circuitos – traz aos outros contextos sociais – musicais ou não – o imperativo comunicacional de interagir, com empatia ou repressão.
Published: 30 December 2020
Lumina, Volume 14, pp 175-193; doi:10.34019/1981-4070.2020.v14.21472

Abstract:
O presente artigo busca compreender quais foram os enquadramentos utilizados pelos veículos jornalísticos brasileiros de alcance nacional em sua cobertura sobre a possibilidade de publicação de biografias não-autorizadas. A análise de enquadramento é uma modalidade de pesquisa que busca descobrir de que maneira os textos jornalísticos salientaram certos aspectos dos acontecimentos em detrimento de outros (ENTMAN, 1993). Após uma revisão das classificações presentes na literatura sobre as pesquisa de enquadramento, são apresentados os enquadramentos genéricos, ou seja, aplicáveis a qualquer cobertura, que conduzirão essa pesquisa: conflito, interesse humano, consequências econômicas, moralidade e responsabilidade (SEMETKO; VALKENBURG, 2000). O corpus a ser analisado consiste nas 56 matérias publicadas pelos três jornais de maior circulação nacional considerados quality papers: Folha de S. Paulo (21 notícias), O Globo (16) e O Estado de S. Paulo (19), ao longo do mês de outubro de 2013. Os dados encontrados demonstram que o conflito foi o enquadramento mais recorrente na cobertura dos veículos,com 20 aparições, seguido pelos frames responsabilidade e interesse humano. Houve poucas ocorrências dos enquadramentos econômico e moralidade. O destaque do frame conflito confirmou uma tendência já apontada pela literatura de que o jornalismo prefere abordar os temas pelo embate entre os personagens envolvidos.
Krystal Urbano, Mayara Araujo
Published: 30 December 2020
Lumina, Volume 14, pp 112-129; doi:10.34019/1981-4070.2020.v14.28888

Abstract:
O artigo busca refletir sobre a importância do conceito de autenticidade na construção da experiência contemporânea dos reality shows produzidos no Japão, em particular, na franquia Terrace House (TV Fuji, 2012 - Presente). Utilizando uma metodologia baseada em uma observação sistemática dos episódios da segunda temporada de Terrace House: Boys & Girls in the city (2015 - 2016) disponível no catálogo da Netflix Brasil, argumentamos que as condições de convivência criadas pela produção do programa, que manifesta-se de maneira mais contundente na suposta ausência de um “roteiro” a ser seguido, seriam as ideais para a revelação da autenticidade dos participantes desse reality show, numa perspectiva moral e filosófica não-ocidental. Nossa hipótese central é que a ausência estratégica de regras de convivência previamente estabelecidas pela produção do programa para os participantes de Terrace House: Boys & Girls in the city interagirem entre si, seriam capazes de reforçar ainda mais a noção de “bem comum”, bastante valorizada na sociedade japonesa, além de favorecer a adoção de “máscaras sociais” condizentes às expectativas morais e sociais nos modos de agir dessa mesma sociedade.
, Olga Bon
Published: 30 December 2020
Lumina, Volume 14, pp 94-111; doi:10.34019/1981-4070.2020.v14.21470

Abstract:
Este artigo analisa as representações do feminino em um conjunto de anúncios veiculados na revista Careta na década de 1920. A revista Careta foi um dos mais importantes veículos de comunicação disponíveis ao público de grandes centros urbanos como a cidade do Rio de Janeiro, então capital federal, e circulou de 1908 a 1960. Os anúncios estudados nesse trabalho reúnem um material capaz de refletir certos modelos de enquadramento e representação do feminino naquele período, que destacavam alguns e silenciavam outros tantos modos de existência e tipos de mulher na sociedade urbana brasileira. Enquanto os anúnciosvendiam uma compreensão coletiva de tipos idealizados, havia uma afluência de outras mulheres, com diferentes perfis, desejos, funções, trabalhos e reivindicações, que se amalgamavam naquela sociedade. Eram seletivos e elegiam uma representação dentro do leque de possibilidades experimentadas pelas mulheres em suas relações concretas de vida. Destaca-se o fato de que, nos anúncios, por mais diversos que fossem, os tipos de mulheres escolhidas para serem representadas estavam em congruência com a moda e as novidades da época, exibindo penteados, roupas, maquiagens e acessórios específicos que se revelavam na figura da melindrosa.
Clotilde Perez, Clóvis Teixeira Filho, Eduardo Correa De Godoy
Published: 30 December 2020
Lumina, Volume 14, pp 57-76; doi:10.34019/1981-4070.2020.v14.27322

Abstract:
Diferentes expressões comunicacionais em mediação com o consumo cultural dos sujeitos são apresentadas pelo carnaval, em um deslocamento na cidade de São Paulo para a ocupação das ruas pelos jovens. Aqui, consideramos os memes em uma proposta ampliada entre a comunicação digital e as vivências urbanas. Assim, este artigo objetiva analisar as manifestações meméticas dos megablocos do carnaval de rua de São Paulo, presentes tanto em suas mídias sociais, quanto nas derivações colocadas em circulação pelos consumidores a partir das marcações (hashtags) com os nomes dos blocos e em suas performances durante as saídas no carnaval de 2019. Para tanto, foram estudados seis casos, que possuíam perfis próprios nas mídias sociais, por meio de análise de conteúdo e análise semiótica peirciana, orientadas à comunicação e consumo. Dentre os resultados, além da forte presença das marcas patrocinadoras dos segmentos de bebidas, alimentos e vestuário e os temas ligados à política e à crítica social, destacam-se a presença de memes marcários expressos por meio de personagens, celebridades, transgressões de gênero e nudez. Cada uma dessas categorias foi articulada com o referencial teórico para aprofundar as relações entre sujeitos consumidores e carnaval.
Sílvio Antonio Luiz Anaz
Published: 30 December 2020
Lumina, Volume 14, pp 149-174; doi:10.34019/1981-4070.2020.v14.21484

Abstract:
Notícias negativas ocupam espaço significativo no jornalismo impresso, televisivo e on-line. Muitas são ilustradas por fotografias e vídeos que contribuem para reforçar a negatividade. Diferentes hipóteses nos campos da comunicação, psicologia, sociologia e antropologia buscam explicar o fenômeno da predominância das más notícias. Para contribuir nessa discussão, este artigo desenvolve a análise dos significados potenciais de trinta das mais icônicas imagens veiculadas pelo jornalismo em âmbito global, entre 2001 e 2017, a partir da perspectiva da teoria geral do imaginário e da matriz arquetipológica, desenvolvidas por Gilbert Durand. A análise desenvolvida utiliza o método mitocrítico e a classificação dos regimes de imagens. Os resultados revelam que 80% dessas imagens são associadas a notícias com conotações negativas. As más notícias são ilustradas por imagens predominantemente diurnas, isto é, que materializam uma visão de mundo pautada pela lógica do combate, cisão, purificação e hipóstase das dificuldades existenciais. Destaca-se nesse âmbito a redundância do arquétipo da oposição alto vs. baixo, presente em 80% delas, sendo o aspecto da queda – que junto com a ascensão compõem duas faces do mesmo arquétipo – o mais frequente.
Tiago Quiroga, Guilherme Policena
Published: 23 December 2020
Lumina, Volume 14, pp 22-36; doi:10.34019/1981-4070.2020.v14.27321

Abstract:
Partindo do importante pressuposto que caracteriza a tradição epistemológica francesa, de que as redes conceituais desempenham papel central na constituição das áreas de conhecimento, o artigo propõe a teoria da comunicação do filósofo tcheco-brasileiro Vilém Flusser como contribuição decisiva às especificidades do campo comunicacional. Com base na midiatização como atual forma histórica da comunicação, problematiza-se a contraposição de informação e sentido como estrutura ambígua do objeto comunicacional, em que o pensamento flusseriano pode ser visto como caminho comum aos dois polos de entendimento. Em termos metodológicos, são realizados inicialmente apontamentos acerca do percurso filosófico de Flusser, que vai da linguagem à comunicação. Em seguida, explora-se a ressignificação que o autor faz da informação, inserindo-a num enquadramento epistemológico propriamente comunicacional. Posteriormente, apresenta-se a escalada da abstração como perspectiva fenomenológica da história da cultura, revelando o código simbólico como mediação fundamental entre a informação e o sentido. Por fim, procura-se lançar um olhar epistemológico sobre a midiatização, em que ela conforma o código zero dimensional, reacendendo o debate ontológico acerca do comunicacional na presente área de estudos.
Lucia Santaella, Tarcisio Cardoso
Published: 23 December 2020
Lumina, Volume 14, pp 5-21; doi:10.34019/1981-4070.2020.v14.31001

Abstract:
O presente artigo pretende explorar o conceito de “mediação” na obra de dois autores: Charles S. Peirce e Bruno Latour. Sem a intenção de confrontar ambas as teorias, o artigo dedica-se a uma tarefa prévia que é aquela de explicitar a natureza desse conceito na obra de cada um desses pensadores. Em Peirce, o conceito de mediação é lógico e radicalmente abstrato. Este artigo busca trilhar o caminho realizado por Peirce para alcançar o nível de abstração a que chegou, examinando as consequências des. A seguir é apresentada a proposta antropológicasociológica latouriana, destacando sua crítica aos dualismos próprios da modernidade, sua proposta para a ação dos híbridos, e a articulação de tal proposta com as noções latourianas de intermediário, mediador e actante. Tanto em Peirce como em Latour, nota-se a existência de uma dimensão não dual, que rompe, em certo sentido, com o dualismo sujeito/objeto ao instaurar o “império do meio”. Fica assim evidenciada a proeminência da mediação como ação do meio. Com isso, o presente texto pretende servir de base para pesquisas sobre mediação, dada a relevância desse conceito em um mundo mergulhado em antagonismos nos quais se encontra em falta o império do meio.
Andre Vasconcelos
Published: 30 August 2020
Lumina, Volume 14, pp 22-38; doi:10.34019/1981-4070.2020.v14.30106

The publisher has not yet granted permission to display this abstract.
Published: 30 August 2020
Lumina, Volume 14, pp 171-185; doi:10.34019/1981-4070.2020.v14.29758

The publisher has not yet granted permission to display this abstract.
Published: 30 August 2020
Lumina, Volume 14, pp 186-198; doi:10.34019/1981-4070.2020.v14.21478

The publisher has not yet granted permission to display this abstract.
Fabiana Moraes, Moacir Dos Anjos
Published: 30 August 2020
Lumina, Volume 14, pp 39-54; doi:10.34019/1981-4070.2020.v14.30099

The publisher has not yet granted permission to display this abstract.
Jaimie Baron
Published: 30 August 2020
Lumina, Volume 14, pp 134-157; doi:10.34019/1981-4070.2020.v14.31518

The publisher has not yet granted permission to display this abstract.
Sabrina Tenório Luna Da Silva
Published: 30 August 2020
Lumina, Volume 14, pp 88-101; doi:10.34019/1981-4070.2020.v14.30102

The publisher has not yet granted permission to display this abstract.
Published: 30 August 2020
Lumina, Volume 14, pp 74-87; doi:10.34019/1981-4070.2020.v14.30063

The publisher has not yet granted permission to display this abstract.
Published: 30 August 2020
Lumina, Volume 14, pp 158-170; doi:10.34019/1981-4070.2020.v14.30754

The publisher has not yet granted permission to display this abstract.
Ana Carolina Lima Santos, Sarah Gonçalves Ferreira
Published: 30 August 2020
Lumina, Volume 14, pp 55-73; doi:10.34019/1981-4070.2020.v14.30092

The publisher has not yet granted permission to display this abstract.
Luis Felipe Silveira De Abreu
Published: 30 August 2020
Lumina, Volume 14, pp 102-116; doi:10.34019/1981-4070.2020.v14.29811

The publisher has not yet granted permission to display this abstract.
Silvana Seabra
Published: 30 August 2020
Lumina, Volume 14, pp 7-21; doi:10.34019/1981-4070.2020.v14.30380

The publisher has not yet granted permission to display this abstract.
Alfredo Suppia
Published: 30 August 2020
Lumina, Volume 14, pp 117-133; doi:10.34019/1981-4070.2020.v14.30909

Abstract:
Este artigo enfoca o cineasta e artista plástico Marcos Bertoni, criador do movimento Dogma 2002. Com uma obra em Super-8 reconhecida e premiada no Brasil, Marcos Bertoni inaugurou um estilo de cinema de remix muito particular com seu movimento Dogma 2002, paródia do Dogma 95 dinamarquês. O Dogma 2002 de Bertoni tem um único e simples mandamento: “Tudo é permitido, menos filmar”. O movimento conta com mais de uma dezena de filmes, a começar por Recuerdos da República (2002), uma obra de forte teor político. Em seguida, Bertoni realizou mais filmes Dogma 2002 como Dr. Eckardt (2002), O 24 Horas (2004), e Cocô Preto (2003), alguns deles premiados em festivais pelo Brasil. Todos filmes muito divertidos e irreverentes, misturando comédia, ficção científica e policial, com matizes políticas. Ainda hoje o Dogma 2002 de Marcos Bertoni continua vivo – e se reciclando. Sob o pseudônimo Marc Breton, Bertoni realizou Zazá: o Artista, o Mito (2013) e As Núpcias do Coronel Santo Amaro (2019), entre outros títulos recentes, todos sob o signo do Dogma 2002. São filmes feitos a partir de rolos comprados em feiras livres ou sebos, doados por amigos ou parentes, ou simplesmente achados em latas de lixo. Cortados, remontados e (re)dublados, às vezes incorporam imagens rodadas pelo próprio Bertoni, porém ressignificadas, dando origem a criaturas fílmicas inesperadas. Marcos Bertoni, o Victor Frankenstein do cinema Super-8 brasileiro.
Eduardo Zilles Borba
Published: 30 April 2020
Lumina, Volume 14, pp 37-52; doi:10.34019/1981-4070.2020.v14.30019

Abstract:
The essay approaches the sociocultural and technological issues linked to the communicational process that exists in the user’s relationship with immersive digital environments, specifically: Virtual Reality (VR). A critical look at VR as a communication interface is launched, precisely because it indicates assumptions of enhancing the creation of meanings on media surfaces by leveraging multisensory stimuli that cause the immersion of individual’s body in a 360° framed experience. To instigate the problematization about transformations resulting from these techno-experience, empirical explorations are conducted to Brazilian immersive environments. In addition, data are qualitatively analyzed based on Kerckhove, Gumbrecht and Flusser and others ideas to illuminate the debate of technical-images, digital narratives and appropriations on technological devices, media languages and coding in the digital age.
Published: 30 April 2020
Lumina, Volume 14, pp 7-19; doi:10.34019/1981-4070.2020.v14.30237

Abstract:
This paper seeks to examine the discourse on BRICS that are framed by digital journalists in South Africa. South Africa has been going through an uneasy economic path characterised by high unemployment rates, constant power cuts, and their economy relegated into a ‘junk status’. Against this background, BRICS presents a good opportunity for the country to negotiate and address some of its challenges/problems with other economic super-powers within the economic block. This paper comes against a background of silent research on BRICS yet the block has developed into an economic hub which other developing countries benefiting from it for the development of their economies. I therefore argue that South African digital journalists from the country’s leading news websites, News24 and Daily Maverick, are framing BRICS in a manner in which it reflects the socio-economic and political problems affecting the country. Hence, the study had sought to find out the images of BRICS among the journalist and also information, events, and activities that are being prioritized in reference to South Africa’s challenges. Findings have shown that BRICS is benefiting South Africa. The benefit is seen through trade relations that are framed as having been improved while there are also other potential areas of cooperation that should be utilised.
Published: 30 April 2020
Lumina, Volume 14, pp 174-191; doi:10.34019/1981-4070.2020.v14.29629

Abstract:
A sociedade midiatizada como paradigma atual nas transformações sociais e políticas. A produção de sentidos a partir de processos de colaboração e hibridismos nas redes sociais digitais. As proposições de Rancière (1996) sobre estética e política e o surgimento de novos lugares possíveis e dissensuais de vivência. Após breve revisão bibliográfica, é realizada uma análise de conteúdo dos memes políticos de ação popular do segundo turno das Eleições 2018, com base em categorias propostas por Chagas et al. (2017). Hipótese de que os memes de ação popular se apresentam como dispositivos para a construção de cenas de dissenso, pensando-os como gramática que se dota de um conjuntos de elementos que se repetem entre apoiantes de ambos os candidatos em disputa, com mais diversidade observada, contudo, no conjunto formado pelos eleitores de Haddad. Conclui-se a partir da amostra que a prevalência de memes de ação popular para este candidato pode ser relacionada pela mobilização de afetos para a projeção desses lugares de conivência de uma parte dos sem-parte e pluralismo agonístico de coexistência de “povos” diversos.
Published: 30 April 2020
Lumina, Volume 14, pp 156-173; doi:10.34019/1981-4070.2020.v14.26243

Abstract:
Este artigo traz reflexões sobre novas formas de consumo midiático, como as plataformas de Video on Demand a exemplo da Netflix, abordando o localismo nas produções nacionais e o cosmopolitismo proporcionado pela transmissão de conteúdo para públicos globais. A conceituação teórica é ancorada em autores que discutem o consumo cultural (GARCÍA CANCLINI, 2004), a nacionalização da ficção televisiva (LOPES, 2004) e a memória como recurso no audiovisual (MACDOUGALL, 1998). Em seguida, discorremos brevemente sobre as séries nacionais produzidas pela Netflix Brasil até o final de 2019, a fim de ilustrar as primeiras experiências da produtora e a tendência a certos tipos de narrativas ou gêneros. Por fim, analisamos os elementos nacionais e a relação com a memória presentes na série Coisa Mais Linda (Netflix Brasil, 2019). A análise da série parte da ideia de “promessa de sentido” (JOST, 2008) para, a seguir, se deter na narrativa com foco nas personagens (JOLY, 1996). Como resultado argumentamos que é possível perceber na série elementos de uma ‘brasilidade’ demarcada para conquista de público internacional e o uso de uma temporalidade passada para discutir questões do presente.
Jing Yang
Published: 30 April 2020
Lumina, Volume 14, pp 125-138; doi:10.34019/1981-4070.2020.v14.30260

Abstract:
Desktop film or computer screen film is a film subgenre with all events and actions taking place on a screen of a computer and using the protagonist’s first-person perspective, exemplified by The Den (2013), Open Windows(2014), Unfriended (2014), Unfriended: Dark Web (2018), Profile (2018) and Searching(2018). This paper mainly focuses on the desktop films with the theoretical framework of “Media Ecology”, aiming to investigate how the desktop film evolves and interacts with new media, digital technology, while influencing communication and spectatorship. Firstly, this paper discusses the evolution of cinema, which evolves through the interaction, co-existence and convergence with other media, as well as corresponds to the anthropotropic trend. Secondly, this paper investigates the digital media and technology in desktop films. “Desktop films” create cyberspaces and reproduce people’s virtual lives, revealing the influences of media technology, which is considered as a double-edged sword. Thirdly, this paper analyzes how desktop film exerts impacts on cinematic communication, while reshaping the spectatorship and audience’s viewing mechanism. “Desktop films” are suitable to be watched on computer, thus making audiences become active and have more autonomy.
Published: 30 April 2020
Lumina, Volume 14, pp 111-124; doi:10.34019/1981-4070.2020.v14.30137

Abstract:
India’s soft power is on the rise, in parallel with its economic power as one of the fastest growing major economies in the world. This chapter discusses India’s soft power within four domains: firstly, the democratic strengths of India, a particular distinction among the BRICS countries. As the world’s largest democracy, India has retained and arguably strengthened democracy in a multi-lingual, multi-racial and multi-religious society. The second domain examines the diasporic dimension of India’s international presence, increasingly viewed by Indian government and corporates as a vital resource for its soft power. As the world’s largest English-language speaking diaspora, the Indian presence is visible across the globe. The third domain focuses on the emergence of an Indian internet – part of the Indian government’s ‘Digital India’ initiative, launched in 2015 - and its potential for becoming the world’s largest ‘open’ internet. The chapter argues that, with the government of Prime Minister Narendra Modi the push for digital commerce and communication is likely to increase. Already home to the world’s second largest internet population, its creative and cultural industries, notably Bollywood, have the potential to circulate across various digital domains, resulting in globalized production, distribution and consumption practices. However, the chapter argues that these three domains of soft power will remain ineffective until India is able to eliminate its pervasive and persistent poverty, afflicting large number of its citizens.
Published: 30 April 2020
Lumina, Volume 14, pp 97-110; doi:10.34019/1981-4070.2020.v14.30259

Abstract:
The innovations of digital photography are transforming people’s experiences of producing, manipulating, sharing, and using their personal photographic images. The essentialist and representational dualistic viewpoints of photography that were initially developed in the era of the Daguerreotype appear no longer tenable in the contemporary photography era. This study focuses on the ever-changing role of personal photographic images in the three typical photography events, i.e., the selfie production, the real-time beautified video sharing on the social media, and the production of deepfake AI face-swaps. The study is inspired by the Deleuze-Guattari’s conceptual framework that is mainly composed of the concepts of minor literature, assemblage, becoming, and de/re-territorialization, and defines personal photographic images as both an assemblage and a constitutive part of larger assemblages, i.e., personal photograph production and usage events. The tetravalent model of assemblages is used as a major analysis toolkit to achieve the research purpose. A thorough analysis and discussion shows the material and expressive components that compose different sizes of assemblages and the emergent capacities. It also discloses how digital photography apps play as a line of flight to de/re-territorialize the presumed representational association between individuals and their photographic images. The images have become one of the multiplicities or becoming of individuals, either interacting with individuals, acting on individuals, or extending individuals’ disembodied experiences. This study seeks to develop alternative theoretical lenses on the role of digital personal photography in everyday life and the rhizomatic experiences that it generates.
Svetlana Simakova
Published: 30 April 2020
Lumina, Volume 14, pp 84-96; doi:10.34019/1981-4070.2020.v14.30188

Abstract:
The goal of the present study is to demonstrate the media-aesthetic potential of infographic messages on particular cases. This can be done due to an integrated approach to the analysis of the visual content of media content. That indicates the case study method implementation as well as description and generalization. The theoretical basis of the research is represented by scientific studies of various directions. That includes the history of media and visual media culture; features of the concepts of media culture and media language, media aesthetics; infographics as a tool of media language. The empirical basis of the study is journalistic materials containing infographic content of such publications as by RIA Novosti (ria.ru), TASS (tass.ru). The examples of visual image implementation in the transmission of information — media content containing infographics — are given and analyzed. Considering media aesthetics as the formation of a sensory perception of the proposed media content, the author turns to the philosophical and aesthetic foundations of visual practices in the media and post-humanistic trends in journalism. As a result of the analysis of the theoretical and practical basis of the research, the author comes to the conclusion that today the role of the media aesthetic component of messages is most relevant. And infographics, as the connecting link of language and consciousness, is its most striking tool.
Sanjay Bharthur
Published: 30 April 2020
Lumina, Volume 14, pp 20-36; doi:10.34019/1981-4070.2020.v14.30139

Abstract:
Erstwhile faith and belief in media and its potential for development spurred the growth of broadcasting to its present level in India. The arrival of printing press in the early phase of European colonialization subsequently lead to print journalism that is now more than 240 years old. Its sustained growth and coexistence with the new media in digital India is contrary to developments in many other nations where erstwhile print journalism is giving way to convergent media. Reforms in the telecom sector and corresponding institutional arrangements have led to the formulation of an ambitious digital India programme. This programme focusses more on enhancing the access and equity to the rural population. The nebulous distinction between legacy media and social media has raised several issues including governance, production and consumption of content and delivery of welfare services including financial inclusion. These challenges are sought to be addressed through the digital infrastructure. Solving contemporary problems within the fragile and vulnerable social structure are daunting including the challenges posed by user generated content. The frequency of internet shutdowns across the country including conflict zones has increased. A key economic and commercial variable in Digital India is the media and entertainment (M&E) industry that has taken full advantage of infrastructure b evolving newer revenue models in the over the top (OTT) platforms and smart devices. India’s communication policy in a digital context will be examined as a national case study by drawing parallels where possible with one or two other BRICS nations.
Published: 30 April 2020
Lumina, Volume 14, pp 53-67; doi:10.34019/1981-4070.2020.v14.30111

Abstract:
Monitoring and interpreting an increasing number of images has become part of people’s daily lives. These images trigger a complex process of relations that can result in direct human or non-human actions over people, over services or over the very space. As part of a broader and widespread mediascape, the repertoire of images, its organization and connection to multiple devices and huge databases, make interpretation processes much more complex and beyond our reach. When arranged in a network, technical devices do not need to follow a logic narrative of facts. Paradoxically, they contribute to the construction of all possible narratives. This work proposes, from an archaeological perspective, that the intentionality of images, especially those that are produced and circulate in digital environment, is the symptom of a contemporary episteme that delegates to objects not just a functional autonomy, but also one of existence and of description of the world. The multiplicity of digital images makes of them Beings that exist beyond the human and that constitute a kind of continuous phenomenological machinic process, an awareness of the self and of the other.
Fangyu Chen
Published: 30 April 2020
Lumina, Volume 14, pp 68-83; doi:10.34019/1981-4070.2020.v14.30238

Abstract:
This paper traces artistic and ideological discrepancies between the young generation of Hong Kong filmmakers and their predecessors – the established generation who contributed to the glory days of Hong Kong cinema during its economic boom. By tracing studies of national cinema and transnational cinema in the last three decades, the author argues that current Hong Kong cinema has split into two: a transnational cinema represented by the established generation of filmmakers; and a national cinema that is driven by the emerging generation who struggles for better preservation of Hong Kong local culture and their own cultural identities. To conduct the research, 47 people were interviewed including13 established filmmakers, 16 young filmmakers and18 film students from 3 universities in Hong Kong. The three groups of respondents generally represent three perspectives: that of the established film practitioners, who have a vested interest in the current co-production era; that of the emerging young film practitioners, who above all crave a flourishing local film market and whose productions exhibit stronger Hong Kong cultural identities; lastly, that of the, who were predominantly born in the 1990s and have the most extreme views against mainland China and whose filmmaking ideologies and practices foreshadow the future of the industry.
Published: 30 April 2020
Lumina, Volume 14, pp 139-155; doi:10.34019/1981-4070.2020.v14.29005

Abstract:
Este artigo tem por intuito analisar o roteiro literário de Chicanery, quinto episódio da terceira temporada da série Better Call Saul (2015-atual), um spin-off da renomada série Breaking Bad (2008-2013), agora em uma coprodução do canal a cabo AMC com a Netflix. Para tanto, buscamos identificar os aspectos que impulsionaram a escrita do roteiro de séries contemporâneas, a partir da sofisticação do estilo e da narrativa, em um processo que levou ao desenvolvimento de um modelo de escrita mais centrado na construção da atmosfera e na subjetivação dos personagens que na descrição objetiva da cena dramática. Para compreender essa estilística particular, observamos, metodologicamente, de que forma elementos incomuns à ortodoxia do roteiro, como o uso de interjeições, interrogações e figuras de linguagem, além da presença ostensiva de um narrador polifônico, operam na construção do roteiro de Chicanery, inserindo interferências épicas e líricas no seio do texto dramático. Por fim, demonstramos as funções desses elementos atmosféricos e subjetivos para a roteirização audiovisual contemporânea, reforçando ainda a importância das análises textuais de roteiros literários para a compreensão das estratégias de serialização televisiva.
Published: 30 December 2019
Lumina, Volume 13, pp 103-118; doi:10.34019/1981-4070.2019.v13.28621

Abstract:
O artigo realiza uma análise longitudinal dos gastos de campanha das candidaturas presidenciais brasileiras no período entre 2002 e 2018. O objetivo é verificar quais os impactos da proibição da arrecadação de recursos junto a empresas privadas (ocorrida em 2015 e aplicada pela primeira vez em 2018) sobre os gastos eleitorais, especialmente os feitos com comunicação. Para a consecução da pesquisa, recorreu-se aos valores informados pelas candidaturas na prestação de contas apresentadas ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O banco de dados montado descriminou apenas os gastos de campanha feitos com atividades de comunicação, sendo esses distinguidos ainda na forma de subcategorias, de modo a especificar o recurso a diferentes mídias e usos. Preservou-se ainda a informação do total de despesas realizada por cada candidatura.De início, a pesquisa confirma a hipótese inicial, de que o fim da possibilidade de empresas privadas financiarem as eleições afetaria a arrecadação total das campanhas. Mais importante, confirma-se também que tal redução da arrecadação total das candidaturas impactaria com menor força os gastos com comunicação, os quais, apesar de reduzidos em seu montante final, tiveram ampliada sua participação percentual entre o total de despesas.De outro modo, confirma-se ainda que a continuidade da centralidade dos gastos de campanha em comunicação, especialmente na forma de mídia televisiva, é favorecida por um segundo aspecto institucional do país: o oferecimento de espaços gratuitos no rádio e na TV a partidos e candidatos – uma forma de financiamento indireto.
, Simonetta Persichetti
Published: 30 December 2019
Lumina, Volume 13, pp 135-151; doi:10.34019/1981-4070.2019.v13.28571

Abstract:
O presidente Jair Bolsonaro venceu o pleito eleitoral com forte apelo discursivo nacionalista e conservador. Esse trabalho analisa a aderência desses temas em seus 27 anos como parlamentar, em seus discursos de campanha e nos nove primeiros meses de governo (janeiro de 1991 a setembro de 2019). Os resultados demonstram um forte apego ao passado, a prevalência de pautas militares e uma mudança a partir de 2014 por uma pauta de costumes e com conteúdo evangélico onde Bolsonaro passa a polemizar mais ainda em seus pronunciamentos. Nosso embasamento teórico é norteado pelas noções de representatividade política de Bernard Manin, pelas teses sobre a subjetividade contemporânea de Christopher Lasch e Análise de Discurso de Patrick Charadeau.
Page of 5
Articles per Page
by
Show export options
  Select all
Back to Top Top