Refine Search

New Search

Results in Journal Dor on line: 53

(searched for: journal_id:(4133777))
Page of 2
Articles per Page
by
Show export options
  Select all
Equipe Dor On Line
Published: 12 July 2019
Abstract:
DOL – Dor OnLine Caros leitores de nosso Boletim, esta edição do mês de junho apresenta um editorial sobre o canal de sódio Nav1.9 e seu papel na dor. Além disso, em nossa seção de Divulgação científica apresentamos alertas tratando sobre tratamentos para lombalgia, dor pélvica urológica, a dor na gota, técnicas de anestesia cirúrgica e a inclusão da dor crônica na nova Classificação Internacional de Doenças. Na seção de ciência e tecnologia apresentamos alertas tratando de interações imunes de quimioterápicos na neuropatia periférica, novos avanços no entendimento da alodinia mecânica por optogenética, uma interação do canal TRPV1 com a internalização de receptores opioides e o papel do canal Nav1.7 na dor. Boa Leitura. Editorial do mês: Nav 1.9 Canal de Sódio Voltagem Dependente do Sistema Nervoso Periférico: Um importante mecanismo da regulação da excitabilidade neuronal Mariane Aparecida da Silva Marques Mani Indiana Funez Divulgação Científica Estímulo da medula espinhal em dor nas costas predominante na síndrome de cirurgia dorsal falhada. O estímulo é um diferencial no tratamento de lombalgia pós cirúrgica? Mariane Pereira Matos Avaliação da sensibilidade à dor à pressão não pélvica na Síndrome da Dor Pélvica Crônica Urológica. Qual o papel do sistema nervoso central? Ana Patrícia de L. Rodrigues Desenvolvimento e validação de um novo escore capaz de predizer a intensidade de ataque agudo de gota relatado pelo paciente para uso em estudos clínicos da doença. Otimizando o tratamento do ataque agudo de gota com a ajuda do paciente Cássia Regina da Silva Comparação de técnicas anestésicas na recuperação da cirurgia ortopédica. Controle da dor pós-operatória: Anestesia geral versus regional Thaise Loyanne Felix Dias Inclusão de dor crônica na nova Classificação Internacional de Doenças. CID-11: Avanços no diagnóstico da dor crônica Thaise Loyanne Felix Dias Ciência e Tecnologia Cisplatina educa células TCD8+ para prevenir e resolver neuropatia periférica induzida por quimioterapia. Opção de terapia para dor neuropática induzida por quimioterápicos? Júlia Maia L. Rodrigues Ativação de mecanoceptores A-beta de baixo limiar de ativação Vglut1+ e alodinia mecânica. A contribuição na neuropatia periférica. Francisco Isaac Fernandes Gomes Canal iônico TRPV1 induz analgesia opioide durante inflamação. Uma desregulação da via de sinalização TRPV1- β-arrestina 2 pode contribuir para transição da dor aguda para crônica Larissa Garcia Pinto O papel do canal Nav1.7 na dor em humanos. Validando um alvo geneticamente identificado Andreza Urba
Equipe Dor On Line
Published: 17 June 2019
Abstract:
EDIÇÃO 226 Caro leitor, este mês, em nosso boletim mensal traz um editorial sobre os desafios no tratamento da endometriose e no gerenciamento da dor associada a este quadro. Na seção de Divulgação Científica trazemos alertas sobre analgesia endógena em crianças, tratamentos alternativos aos opioides, a relação da cafeína e dor, e intervenções psicológicas para o manejo da dor. Na nossa seção de Ciência e Tecnologia temos alertas sobre resultados clínicos de uma terapia para endometriose, a ação de quinases na plasticidade neuronial, o uso de hipotermia para o tratamento da neuropatia de quimioterápicos, biomarcadores para o diagnóstico da dor e um canal de sódio na percepção do frio. Boa leitura! EDITORIAL DO MÊS Endometriose e os desafios para o seu tratamento Miriam das Dores Mendes Fonseca Divulgação Científica Modulação endógena da dor em crianças com distúrbios funcionais da dor abdominal. Crianças, de ambos os sexos, com dor abdominal crônica tem analgesia endógena menos eficiente. Rafaela Gomes Portela Tempo de mudança: uma investigação experimental da dor crônica em pacientes, respostas emocionais e atitudinais a simulação de conselho para diminuir uso de opioides. Júlia Maia L. Rodrigues Maior consumo de cafeína está relacionado à menor sensibilidade à dor. Pausa para um cafezinho Ieda Regina dos Santos Uma breve intervenção psicológica pode melhorar a dor pós-operatória? A melhora da expectativa do paciente sobre o tratamento pode contribuir para o manejo da dor pós-operatória Raquel Pereira de Souza O paciente visto além da dor. A prática do modelo biopsicossocial ainda é um desafio Letícia Menezes Rodrigues Ciência e Tecnologia Resultados a Longo Prazo do Elagolix em mulheres com endometriose. Novo tratamento para endometriose Alexandre Gomes de Macedo Maganin PKC lambda medeia plasticidade da sinapse cortical e a dor inflamatória dependente do canal iônico (ASIC1a). Possibilidades de desenvolvimento farmacêutico Alexandre Hashimoto Pereira Lopes Hipotermia e dor neuropática. Uma intervenção simples pode ser a solução para a neuropatia periférica induzida por quimioterápicos Lisa Oliveira Biomarcadores para diagnóstico da dor. Novos avanços em medicina de precisão Paulo Gustavo Barboni Dantas Nascimento O papel de Nav1.8 no reconhecimento de estímulos frios. Uma caracterização in vivo Andreza Urba de Quadros
Paulo Gustavo Barboni Dantas Nascimento
Published: 12 April 2019
Dor on line, Volume 1, pp 1-1; https://doi.org/10.26512/dol.v1i224.24058

Abstract:
DOL – Dor OnLine EDIÇÃO 224 Caros leitores, nesta edição de março de 2019 temos um compreensivo edital sobre o canal iônico Nav1.8. Temos em nossa seção de Divulgação Científica alertas tratando de cremes tópicos para a dor, o uso de opioides e mortalidade em condições crônicas, a avaliação da dor em pacientes com deficiência e a educação em dor para culturas específicas. Na nossa seção de Ciência e Tecnologia temos alertas sobre o papel do sistema imune na dor neuropática, a biossíntese em leveduras de canabinoides, um novo inibidor do canal Cav3.2, a conectividade do neurônio e glia na dor e a dor nas costas e alterações morfoanatômicas na coluna vertebral...Boa Leitura! EDITORIAL DO MÊS Nav. 1.8 Andreza Urba de Quadros ALERTAS Divulgação Científica 1. Terapia com creme tópico para tratamento da dor não tem efeito. Cremes para tratamento da dor com alto custo e pouco eficientes Alexandre Hashimoto Pereira Lopes 2. Associação do tramadol com as causas de mortalidade em pacientes com osteoartrite. Uso do tramadol e associação com mortalidade Alexandre Gomes de Macedo Maganin 3. Avaliação da dor na demência avançada. Artigo demonstra dificuldade de avaliar e tratar a dor em pessoas com demência avançada Fernanda de Souza Silva 4. Educação em Dor em diferentes culturas. Adequando a cada realidade cultural Paulo Gustavo Barboni Dantas Nascimento Ciência e Tecnologia 5. Células Naturais Degeneram aferentes Sensitivos. Células assassinas naturais Cássia Regina da Silva 6. Biossíntese completa de canabinoides e seus análogos não naturais em leveduras. Cepas de leveduras são capazes de sintetizar principais canabinoides Mariane Aparecida Da Silva Marques 7. Inibição de canais de cálcio CaV3.2: um novo alvo terapêutico para a hipersensibilidade do cólon. Francisco Isaac Fernandes Gomes 8. Neurônios e células satélites: mais conectados na dor Pedro Antônio Alves Vieira e Rangel Leal Silva 9. Associações entre dor nas costas na idade adulta e a forma da coluna na velhice. A forma de sua coluna pode te dizer mais do que você imagina... Graziele Carolina Zanata e Rangel Leal Silva
Paulo Gustavo Barboni Dantas Nascimento
Published: 11 March 2019
Dor on line, Volume 1, pp 1-1; https://doi.org/10.26512/dol.v1i223.23577

Paulo Gustavo Barboni Dantas Nascimento
Published: 11 February 2019
Dor on line, Volume 1, pp 1-1; https://doi.org/10.26512/dol.v1i222.22843

Abstract:
DOL – Dor OnLine EDIÇÃO 222 Chamada da Edição Leitores do Dor On Line, nossa edição de janeiro de 2019 traz um interessante editorial sobre boas práticas para a experimentação animal. Além disso, selecionamos trabalhos sobre estudos da dor que foram apresentados no 50th Brazilian Congress of Pharmacology and Experimental Therapeutics, ocorrido em Ribeirão Preto, no período de 25 a 28 de setembro de 2018. Boa Leitura! EDITORIAL DO MÊS Utilização de animais em pesquisa: Iniciativas para promoção do bem-estar animal, aumento na qualidade dos dados e sua reprodutibilidade. Adriele Alves Santos Thayná Moreira Gomes Marra Mani Indiana Funez ALERTAS 1 - Antagonismo do receptor tipo 2 para angiotensina como tratamento do ataque agudo de gota. Thiago Neves Vieira 2 - O Receptor de Potencial Transitório Ankirina 1 desempenha um papel crítico em um modelo animal de dor devido a metástase de câncer em camundongos Priscilla Dias 3 - O envolvimento dos receptores P2X3 periféricos na dor muscular aguda, mas não na indução e manutenção da dor muscular crônica. Alexandre Hashimoto Pereira Lopes 4 - Avaliação da eletroacupuntura e exercícios físicos em modelo de monoartrite em ratos Alexandre Hashimoto Pereira Lopes 5 - O efeito antinociceptivo de compostos semi-sintéticos derivados de flores de Moringa oleífera é mediado pelos receptores P2X7 em um modelo pré-clínico de dor na articulação temporomandibular de ratos Henrique Ballassini Abdalla 6 - Avaliação do efeito antinociceptivo da toxina TX3-3 isolada do veneno da aranha Phoneutria nigriventer no modelo de fibromialgia em camundongos Dênis Augusto Sant'Anna dos Reis 7 - Ativação do PPAR-gama modula a diminuição da expressão gênica induzida pela cisplatina em um modelo de Neuropatia Periférica Induzida por Quimioterapia Rangel Leal silva 8 - Investigação do envolvimento do sistema endocanabinoide na antinocicepção induzida por estimulação elétrica nervosa transcutânea Andressa Daiane de Carvalho Zaparolli 9 - Dieta deficiente em zinco aumenta a dor nociceptiva, no entanto reduz a dor inflamatória. Conceição Elidianne Anibal Silva 10 - Análise de vocalização ultra-sônica para o estudo do componente afetivo da dor orofacial aguda e do contágio emocional da dor em ratos Erika Ivanna Araya Pallarés
Paulo Gustavo Barboni Dantas Nascimento
Published: 14 January 2019
Dor on line, Volume 1, pp 1-1; https://doi.org/10.26512/dol.v1i221.21945

Paulo Gustavo Barboni Dantas Nascimento
Published: 11 December 2018
Dor on line, Volume 1, pp 1-1; https://doi.org/10.26512/dol.v1i220.20244

Abstract:
EDIÇÃO 220 Olá Leitores do Boletim Dor on line, a equipe DOL traz a vocês nesta edição de novembro de 2018 um editorial tratando da divulgação científica na Saúde em meios de comunicação sociais e as consequências disso para a desinformação. Nossos alertas trazem, em nossa seção de Divulgação Científica, temas tratando da avaliação da dor em pacientes, a resposta dos pais a dor da criança, o sono ruim e o desenvolvimento de dor, abordagens terapêuticas para a fibromialgia e a fascite plantar. Na seção de Ciência e Tecnologia temos alertas tratando de antagonistas seletivos de Cav3.2, neurônios diferentes nas enervações viscerais, o papel da anexina 6 na osteoartrite e anticorpos para NGF com ação analgésica em camundongos com fraturas. Boa Leitura! O panorama da linguagem dos artigos científicos nas mídias sociais Kênia Fonseca Pires Mariane Marques Divulgação Científica Influências contextuais na decodificação de expressões de dor: efeitos da idade do paciente, informações primárias e características do observador. Como avaliamos a dor do próximo Cássia Regina da Silva e Isabela Paulo Silva Amaral Influências culturais sobre as respostas dos pais à dor das crianças. O contexto individual e coletivo sobre o comportamento dos cuidadores à dor infantil Letícia Ferreira Américo Efeitos da fragmentação do sono na tolerância e sensibilidade à dor. Alterações e interrupções no sono levam ao desenvolvimento de dor Alexandre Gomes de Macedo Maganin Nova terapia para a fibromialgia. Novo tratamento reduz dor de pacientes Dênis Augusto Sant'Anna dos Reis Fascite plantar: de atletas à amantes de salto. A fascite plantar é um tipo de dor mais comum do que imaginamos Dênis Augusto Sant'Anna dos Reis Ciência e Tecnologia A inibição seletiva de canais Cav3.2 reverte a hipersensibilidade dos nociceptores periféricos. Canais T como alvo para o tratamento da dor pós-operatória Erika Ivanna Araya Pallarés O sequenciamento de neurônios colônicos revela sete classes neuronais distintas. Disfunções sensoriais estão relacionadas à patogênese de doenças Francisco Isaac Fernandes Gomes Anexina 6 inibe a transdução mecânica somato-sensorial. estudo demonstra que anexina 6 diminui a dor mecânica, comum na osteoartrite Larissa Garcia Pinto A influência do uso de anti-NGF na movimentação de camundongos submetidos à fratura óssea. O anti fator de crescimento do nervo aumenta a atividade em camundongos com dor musculo-esquelética. Mariane Pereira Matos
Equipe Dol
Published: 16 November 2018
Dor on line, Volume 1, pp 1-1; https://doi.org/10.26512/dol.v1i219.19273

Abstract:
Caros leitores do Boletim Dor On Line, bem-vindos a edição de outubro de 2018. Nesta edição, uma pausa em nossa linha de editoriais temáticos, apresentando aqui uma avaliação alarmante para o gerenciamento da dor tratando da diferença entre o consumo de opioides entre os EUA e o Brasil. Em nossa seção de Divulgação Científica, trazemos alertas sobre o tratamento hipnótico pediátrico da dor; suicídio e dor em adolescentes; terapia de fotoestimulação para artrite; dor crônica e a descontinuação de opioides; e estudos de imagem predizendo a neuralgia do trigêmeo. Na seção de Ciência e Tecnologia, trazemos a interdependência da transdução de canais TRPA1 e TRPV1 na pele humana; a modulação noradrenérgica na neuropatia; um novo agonista CB1 para o estudo da dor oncológica; e dois alertas sobre interações neuroimunes em infecções. Boa leitura! EDITORIAL DO MÊS Editorial do mês Realidades opostas no uso de opioides: Estados Unidos x Brasil Amanda Paula Mendonça da Costa, Thaise Loyanne Felix Dias e Mani Indiana Funez DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA É possível desligar os interruptores da dor com a hipnose? A hipnoterapia como opção de tratamento para queimaduras em crianças Giovanna França Alves A dor crônica leva a sentimentos de depressão, ansiedade e desesperança. A relação entre as dores crônicas e suicídio Alexandre Hashimoto Pereira Lopes Nova tecnologia com uso da luz para tratamento das dores crônicas. Proposta de equipamento digital promete alivio das dores Alexandre Hashimoto Pereira Lopes Alterações na intensidade da dor após a descontinuação do tratamento prolongado com opioides para dor crônica não oncológica. A interrupção provoca piora da dor? Amanda Paula M. da Costa Estudos de imagem predizem dor neuropática. Classificação multivariada da conectividade da substância branca prediz neuralgia Raquel Pereira CIÊNCIA E TECNOLOGIA Evidências psicofísicas e vasomotoras para interdependência de evocação TRPA1 e TRPV1 respostas nociceptivas na pele humana. Um estudo experimental Fernanda de Souza Silva Modulação noradrenérgica na neuropatia. Distinções no controle inibitório da dor espontânea e evocada Thaise Loyanne Felix Dias Neurônios sensoriais nociceptivos suprimem a resposta imune em infecções pulmonares bacterianas e na pneumonia letal. Nociceptores tem papel essencial imunidade a resposta a infecções bacterianas. Thaise Loyanne Felix Dias Tratamento da infecção invasiva por Estreptococos através do bloqueio entre a sinalização neuronal e o sistema imune. Papel do sistema nervoso na regulação da defesa a infecção por S. pyogenes. Larissa Garcia Pinto Agonista seletivo do receptor canabinoide 1 periférico como novo analgésico para tratamento da dor óssea induzida por câncer (DOIC). Novo fármaco em estudo para dor oncológica. Amanda Paula M. da Costa
Equipe Dol
Published: 26 October 2018
Abstract:
Caros leitores, a equipe DOL apresenta a vocês a edição de setembro de 2018. Nesta edição damos continuidade a nossos editoriais temáticos, apresentado um texto sobre o canal iônico Nav1.4 e o seu envolvimento na dor. Na seção de Divulgação Científica, apresentamos alertas sobre o desenvolvimento da dor em jovens, educação em dor, uso de buprenorfina em neonatos, minoxidil na neuropatia e células tronco na tolerância a opioides. Na nossa seção de Ciência e Tecnologia, apresentamos alertas sobre o receptor P2X4 na enxaqueca, canais de panexina na dor articular, os mecanismos da artrite induzida pela Chikungunya, o hormônio concentrador de melanina em modelos de dor inflamatória e neuropática e receptores AT2 na dor neuropática. Boa leitura! EDITORIAL DO MÊS Editorial do mês Nav 1.4 e Dor Mateus Fortes Rossato Divulgação Científica Desenvolvimento de dor em jovens adultos. Fatores de risco agrupados em classes Nycole Filincowsky Ribeiro A ressignificação da dor para o paciente. Educação terapêutica em dor baseada em neurociência: a ressignificação da dor para o paciente Letícia Menezes Rodrigues Kênia Fonseca Pires Farmacocinética e farmacodinâmica da Buprenorfina na Síndrome de Abstinência Neonatal. Um novo potencial medicamento Thaise Loyanne Felix Dias O minoxidil possui importante função neuroprotetora em neuropatia periférica induzida pelo paclitaxel. Fármaco para o tratamento de hipertensão e alopecia, produziu efeito neuroprotetor na neuropatia por quimioterápico Miriam das Dores Mendes Fonseca O uso da terapia com células-tronco para reverter a tolerância aos opioides. Uma nova estratégia para a utilização de opioides? Thaise Loyanne Felix Dias O receptor Microglia P2X4 contribui para a sensibilização central após recorrente estimulação com nitroglicerina. A inibição da microglia pode ser eficaz na prevenção da cronificação da enxaqueca Erika Ivanna Araya Pallarés P2X7 e canal de panexina: uma interação relevante na dor articular Andreza Urba de Quadros Artrite causada por Chikungunha: A dor articular se torna debilitante nos estágios crônico da Chikungunha Alexandre Hashimoto Pereira Lopes Efeitos analgésicos do hormônio concentrador de melanina em modelo de dor inflamatória e neuropática. Papel no controle de atividades metabólicas, sono e recompensa e nocicepção Miriam das Dores Mendes Fonseca Macrófagos periféricos e receptor AT2 desencadeiam dor neuropática. Mais um mecanismo para da dor neuropática Thiago Neves Vieira
Paulo Barboni
Published: 3 September 2018
Abstract:
Caros leitores, a Equipe DOL apresenta a vocês a edição de agosto de 2018 do Boletim Dor On Line. Esta edição apresenta um editorial da nossa sequência de textos sobre canais iônicos, tratando este mês do canal Nav 1.3 e sua participação na dor. Temos também, na seção de Divulgação Científica, alertas sobre causas da dor de cabeça, a analgesia do álcool, problemas ao avaliar a dor por profissionais da saúde, a ocorrência de abuso de opioides em idosos e as indicações para o seu uso em pacientes canadenses. Na seção de Ciência e Tecnologia, temos alertas tratando do mecanismo de ação de antagonistas de angiotensina, a participação de receptores NMDA no processo de cronificação da dor neuropática, a ação do canabidiol na dor da osteoartrite, o papel da fagocitose de macrófagos na resolução do processo inflamatório e um novo bloqueador de canal de sódio na neuropatia diabética. Boa Leitura! EDITORIAL DO MÊS Editorial do mês Nav 1.3 - avançaremos nas opções terapêuticas? Andressa Urba de Quadros Divulgação Científica 1. Alguns motivos pelos quais sentimos dores de cabeça. A ansiedade como agente determinante para a ocorrência de dor de cabeça Dênis Augusto Sant'Anna dos Reis 2. O efeito analgésico do álcool. Uma revisão demonstra o efeito analgésico do álcool Andressa Daiane de Carvalho Zaparolli 3. A dor dos pacientes subestimadas pelos profissionais. Uma revisão abrangente Kênia Fonseca Pires 4. O uso indevido de opioides aumenta à medida que as pessoas envelhecem. As fontes para a aquisição da medicação são diversas Thayná Moreira Gomes Marra 5. Indicações clínicas associadas ao início de uso de opioides para o tratamento de dor em Ontário, Canadá: um estudo de coorte de base populacional Amanda Paula Mendonça da Costa 6. Cross-talk entre macrófagos e neurônios sensoriais periféricos na dor induzida por angiotensina II. Angiotensina em macrófagos modulando dor Cássia Regina da Silva 7. A ativação de receptores NMDA está envolvida na cronificação da dor neuropática. Estímulos excitatórios mediados por receptores NMDA causa degeneração de alguns neurônios Francisco Isaac Fernandes Gomes 8. Atenuação da inflamação na fase inicial pelo canabidiol previne a dor e os danos às fibras nervosas. Tratamento com canabidiol diminui a inflamação articular. Alexandre Gomes de Macedo Maganin 9. GPR37 regula a fagocitose exercida por macrófagos e a resolução da dor inflamatória. A resolvina neuroprotectina D1 regula a fagocitose exercida por macrófagos Miriam das Dores Mendes Fonseca 10. Eficácia do bloqueador de Nav 1.7 PF-05089771 na neuropatia diabética periférica dolorosa. Uso do bloqueador do canal de sódio no tratamento da dor na neuropatia diabética Marília Pereira da Silva
Paulo Barboni
Published: 1 August 2018
Abstract:
Caros leitores do periódico Dor On Line, esta edição de julho de 2018 apresenta a vocês mais um editorial da série que estamos desenvolvendo sobre iônicos na dor. Neste mês trazemos evidências sobre a participação de canais Nav 1.2. Na seção de Divulgação Científica, trazemos alertas sobre o tratamento não farmacológico da dor; uso de opioides em cirurgias; a dor pediátrica; e um histórico da dor crônica. Na seção de Ciência e Tecnologia, trazemos a vocês alertas sobre a plasticidade do SNC na dor crônica; o perfil somatossensorial em reimplantação de membros; a ação da cúrcuma em um modelo de dor neuropática; a dor e sua influência na aprendizagem; e, também, a participação da beta-catenina na dor neuropática. Boa leitura! EDITORIAL DO MÊS Editorial do mês Evidências de antinocicepção envolvendo canais de sódio voltagem dependente (Nav 1.2) Adriele Alves Santos, Ana Carolina Alves Melo de Moura e Mani Indiana Funez Divulgação Científica 1. Tratamento não farmacológico e não invasivo para a dor crônica: Uma Revisão Sistemática. Mariane Aparecida da Silva Marques Marília Pereira da Silva 2. O uso de opioides no pré-operatório pode aumentar a chance de uso prolongado após cirurgia? Uso de opioides em cirurgias de artrodese lombar Amanda Paula Mendonça da Costa 3. Incerteza diagnóstica percebida na dor crônica pediátrica. Aumentar a compreensão e o envolvimento de pais e filhos auxilia no diagnóstico de dor crônica Mariane Aparecida da Silva Marques 4. Dor Crônica: Uma ponte entre a mente e o corpo. História da Dor Mateus Fortes Rossato 5. Pacientes com osteoartrite de joelho demonstram alterações na conectividade da ínsula. Imagens revelam informações para entender os fundamentos neurais da dor crônica Ivo Vieira de Sousa Neto 6. Evidências de um perfil somatossensorial específico após macrorreimplantação. Perfil somatossensorial na reimplantação de membro amputado Thaise Loyanne Felix Dias 7. A cúrcuma a melhora a nocicepção e o comprometimento cognitivo. A cúrcuma em modelo de dor trigeminal induzido por veneno de cobra Erika Ivanna Araya Pallarés 8. Dor crônica prejudica a flexibilidade cognitiva. Dor crônica prejudica a flexibilidade cognitiva e está envolvida com novas estratégias de aprendizagem em ratos Thayná Moreira Gomes Marra 9. Papel essencial da palmitoilação da proteína delta-catenina na dor neuropática. A delta-catenina e sua potencial interação com proteínas motoras KIFs no tráfico do canal Nav1.6 para membrana Larissa Garcia Pinto
Paulo Barboni
Published: 29 June 2018
Abstract:
Caros leitores, essa edição de junho traz um editorial tratando de canais iônicos seletivos na modulação da dor. Além disso, temos alertas na nossa seção de Divulgação Científica tratando de dor e transtorno mental; a dor da hanseníase e seu tratamento; efeito analgésico do álcool; a dor em família; e também a complexidade de comportamento, humor e o tratamento da dor. Temos também um relato de como foi o I Simpósio Interdisciplinar em Dor do Distrito Federal, realizado na Faculdade de Ceilândia. Na seção de Ciência e Tecnologia, trazemos alertas tratando da medição da atividade de neurônios sensoriais; a função dos receptores TRP na sensibilidade aguda ao calor; a plasticidade neuronial e a dor crônica; e a ação periférica da ocitocina na dor. EDITORIAL DO MÊS Editorial do mês Participação dos Canais de sódio voltagem dependente (Nav 1.1) na modulação da dor Alexandre Hashimoto Pereira Lopes Divulgação Científica 1. Dor como fator de risco para o surgimento e recorrência dos Transtornos Mentais. Resultados da Pesquisa de Saúde Mental e Estudo de Incidência na população holandesa. Marília Pereira da Silva 2. Dor neuropática na Hanseníase. Devemos adotar tratamentos diferentes para dores neuropáticas de etiologias distintas? Thayná Moreira Gomes Marra 3. Consumo moderado de álcool está associado a sintomas reduzidos de dor e fibromialgia em pacientes com dor crônica. Estudos recentes mostram seu papel na redução da dor. Alexandre Gomes de Macedo Maganin 4. Para tratar a dor em sua complexidade, estude a complexidade das pessoas. Relação entre dores, superdosagem de analgésico e humor Mateus Fortes Rossato 5. Percepção de injustiça sobre a dor. Discordância entre pais e filhos está associada com piores resultados funcionais Thayná Moreira Gomes Marra 6. I Simpósio Interdisciplinar em Dor do Distrito Federal. Uma contribuição da Universidade de Brasília para o estudo da Dor. Letícia Menezes Rodrigues Kênia Pires 7. Técnica em larga escala para estudar atividade de neurônios sensoriais in vivo. Técnica sensível o suficiente para detectar potenciais de ação individuais. Larissa Garcia Pinto 8. Um trio de canais TRP medeia a sensibilidade aguda ao calor nocivo. A presença de três canais TRP funcionais é crucial para que respostas ao calor nocivo sejam executadas. Francisco Isaac Fernandes Gomes 9. Pacientes com osteoartrite de joelho demonstram alterações na conectividade da ínsula. Estudos de imagem revelam informações poderosas para entender os fundamentos neurais da dor crônica Ivo Vieira de Sousa Neto 10. Receptores periféricos de ocitocina inibem o sinal nociceptivo para os neurônios de ampla faixa dinâmica do corno dorsal da medula espinal. O papel inibitório na dor da ocitocina Francisco Fábio Bezerra de Oliveira
Paulo Barboni
Published: 1 June 2018
Abstract:
Caros leitores, essa edição de maio traz a vocês um editorial sobre o Ano Global da Excelência na Educação da Dor, promovido pela IASP. Temos também alertas de Divulgação Científica com temas sobro NGF e dor, terapia, educação e hipnose para a dor crônica, assim como o impacto da desta dor em distúrbios mentais. Temos também um alerta sobre o uso de Celecoxibe em grávidas. Na seção de Ciência e Tecnologia, temos alertas sobre a dor crônica e ressonância magnética funcional, tratamento da dor da gota, o papel da IL-6 na dor do câncer ósseo, o papel do canal Kcns1 na dor neuropática e do TLR4 na dor orofacial. Boa Leitura! EDITORIAL DO MÊS Editorial do mês Ano Global da Excelência na Educação da Dor Paulo Gustavo Barboni Dantas Nascimento Divulgação Científica 1. Hiperalgesia que dura semanas. Fator de crescimento neural sensibiliza nociceptores na pele humana Thayna Moreira Marra 2. Terapia de Aceitação e Comprometimento (TAC) para dor crônica realizada on-line é mediada pela flexibilidade psicológica. O uso da terapia online para o tratamento da dor crônica Nycole Filincowsky Ribeiro 3. A educação da dor associada à hipnose clínica melhora a dor lombar crônica. “A orquestra do cérebro pode tocar uma música diferente” Giovanna França Alves 4. Dor como um fator de risco para Transtornos Mentais. A dor como fator de risco para o surgimento e recorrência dos Transtornos Mentais Marília Pereira da Silva 5. Celecoxibe, quando utilizado no último trimestre de gestação, eleva o risco de parto prematuro. Estudo clínico canadense mostra evidências Eliane Vieira Rosa 6. A conectividade cerebral em modelo de dor crônica. Imagens por ressonância magnética funcional demostram reorganizações cerebrais em estado de dor crônica Ivo Vieira de Sousa Neto 7. Efeitos do ácido hialurônico sobre a atividade neuronal e dor articular em modelo animal com gota aguda. Diminuição do comportamento doloroso da gota aguda? Karenina Guida 8. Bloqueio da sinalização da interleucina-6 modifica câncer ósseo. A descoberta terapêutica que impacta a progressão do câncer ósseo e promove o controle da dor Jhonata da Cruz Matos 9. Sensibilidade aumentada a dor neuropática em camundongos deficientes para o canal de potássio voltagem dependente Kcns1. Estudo demonstra importante regulador da dor Larissa Garcia Pinto 10. A deficiência de TLR4 reduz a alodinia mecânica generalizada. TLR4 participam na dor disseminada da região orofacial para locais distantes do corpo Erika Ivanna Araya Pallarés
Paulo Barboni
Published: 2 May 2018
Abstract:
O objetivo do nosso site é falar sobre dor: divulgar ciência e tecnologia em uma linguagem fácil e, ao mesmo tempo, de conteúdo científico concreto. E para que não esqueçamos nossas raízes, o DOL traz este mês um editorial muito especial: definições, história e teorias do processamento da dor. Um texto que certamente vale a pena ser lido! Além disso, temos alertas na seção de Divulgação Científica tratando de neuropática diabética; estudos sobre a subjetividade da dor; cefaleias em salvas; neuralgia pós-herpética e o tratamento da osteoartrite. Na seção de Ciência e Tecnologia, trazemos alertas sobre o tratamento da dor quimioterápica; alteração cognitiva na dor neuropática; aversão à dor e ansiedade; novos fármacos para o receptor opioide kappa; e o papel de canais TRP na dor térmica. Boa leitura! EDITORIAL DO MÊS Editorial do mês Definições, história e teorias do processamento da dor Andreza Urba de Quadros Divulgação Científica 1. Mais uma peça no quebra-cabeça auxilia na compreensão do porquê nem todos sentem dor neuropática diabética. Variantes raras do Nav 1.7 Thaise Loyanne Felix Dias 2- O conhecimento prévio da aplicação de um estímulo doloroso pode influenciar a sensação dolorosa? Experiência subjetiva medeia respostas autonômicas Eliane Vieira Rosa 3. Cefaleia em Salvas. Distúrbio raro que ocorre globalmente em 0,1% da população geral causa uma dor intensa e insuportável Andressa Daiane de Carvalho Zaparolli 4. Um novo sistema terapêutico para o alívio da neuralgia pós-herpética. Adesivo contra a dor neuropática em pacientes infectados com vírus do Herpes Alexandre Hashimoto Pereira Lopes 5. Opioides podem não ser a opção mais eficaz para dores nas costas severas e da osteoartrite de joelho e quadril. Novo estudo clínico Rafael Poloni 6. Uso de fármacos para inibir a dor de tratamentos quimioterápicos. Dor induzida pela quimioterapia é promovida pelo aumento dependente de astrócitos de adenosina quinase na medula espinhal Alexandre Gomes de Macedo Maganin 7. Alterações cognitivas em um modelo de dor neuropática em ratos: papel da estabilidade de microtúbulos Francisco Isaac Fernandes Gomes 8. Aversão à dor e o comportamento do tipo ansioso ocorrem em decursos temporais diferentes durante a dor crônica. O aspecto afetivo-emocional da dor amplifica a experiência dolorosa Erika Ivanna Araya Pallarés 9. Identificação de estabilizadores ativos na estrutura do receptor opioide Kappa. Modificações no resíduo de ligação Y7.35 transforma o equilíbrio dos agonistas Alexandre Hashimoto Pereira Lopes 10. Um trio de canais TRP e a sensação de calor aguda. Trabalho em Família Mateus Fortes Rossato
Paulo Barboni
Published: 2 April 2018
Abstract:
Prezados leitores, temos neste mês um editorial sobre a Fractalcina, mais uma quimiocina para a nossa série de editoriais sobre estas biomoléculas. Na seção de Divulgação Científica, temos alertas sobre o uso medicinal da cannabis; efeitos adversos do ibuprofeno; novas tecnologias para o tratamento da dor; o mecanismo de ação do paracetamol; e a saúde mental de adolescentes e o uso de opioides. Na seção de Ciência e Tecnologia, temos alertas tratando da analgesia gestacional; expressões gênicas diferentes e dor neuropática; o papel de receptores muscarínicos na polineuropatia diabética periférica; e células da glia na dor persistente. Boa leitura! EDITORIAL DO MÊS Editorial do mês Sessão VIII – Fractalcina/CX3CL1: um alvo terapêutico no tratamento da dor crônica Alexandre Hashimoto Pereira Lopes Divulgação Científica 1. Cannabis como substituto a opioides para tratamento da dor. Pacientes relatam o possível efeito benéfico da cannabis Mariane Aparecida da Silva 2. A fisiologia testicular frente ao uso do ibuprofeno. Um estado de hipogonodismo compensado Ana Carolina Alves M. de Moura 3. Tratamento da dor crônica por aromaterapia com hortelã. Engenharia celular a serviço da medicina Cássia Regina da Silva 4. Acetaminofeno alivia a dor em medula ventromedial rostral. A analgesia conta com a contribuição do sistema canabinoides Letícia Menezes Rodrigues 5. Condições de saúde mental e tratamentos com opioides analgésicos. O uso de opioides por adolescentes com alguma condição de saúde mental Giovanna OIiveira de Brito 6. Mediação da analgesia gestacional na dor crônica por células T em camundongos. Mediação importante em modelos de dor crônica inflamatória e neuropática Isaac Fernandes 7. Diferenças em dor neuropática e a correlação comportamental. Diferenças mecânicas em dor neuropática e a correlação comportamental com perfil de expressão global Thaise Loyanne Felix Dias 8. Papel dos receptores muscarínicos na neuroproteção durante a neuropatia periférica. Uma opção perto de nós Andreza Urba de Quadros 9. A importância das células da glia na dor persistente. Por que ainda não temos um medicamento para tratar pacientes com dores crônicas com alvo nas células da glia? Larissa Garcia Pinto
Paulo Barboni
Published: 2 March 2018
Abstract:
Caros leitores, apresentamos a edição de fevereiro do boletim Dor On Line. Nesta edição continuamos com nossos editoriais de quimiocinas e dor, com um texto sobre a CCL21 e sua implicação em quadros dolorosos. Temos, também, em nossa seção de Divulgação Científica alertas tratando de terapia do sono na osteoartrite; endocanabinoides no desenvolvimento infantil; fibromialgia; um estudo clínico de operações ortopédicas; e a individualização do tratamento farmacológico da dor. Em nossa seção de Ciência e Tecnologia temos alertas tratando da memória a curto prazo e o processamento temporal da dor; diferenças entre nociceptores entre espécies; o papel da metformina na dor neuropática; assim como os mecanismos da alodinia mecânica e térmica e nocicepção em infecções bacterianas. Boa leitura! EDITORIAL DO MÊS Editorial do mês Sessão VII - CCL21: sinalizador para uma reação em cadeia de neuroimunidade Mariane Aparecida da Silva Marques Marília Pereira da Silva Paola Costa Carvalho Mani Indiana Funez Divulgação Científica 1. Terapias comportamentais reduzem a catastrofização da dor. Intervenções psicológicas que visam o sono reduzem a catastrofização da dor em osteoartrite de joelho Letícia Menezes Rodrigues 2. Influência de endocanabinoides no controle da dor após o nascimento. O desenvolvimento infantil e a plasticidade na modulação endocanabinoide do processamento da dor através do crescimento pós-natal Marília Pereira da Silva 3. Sente dores por todo corpo durante longos períodos? Cuidado! A fibromialgia afeta cerca de 2,5% da população Dênis Augusto Sant'Anna dos Reis 4. Cirurgia para descompressão subacromial não é mais efetiva que cirurgia placebo para tratamento da dor no ombro. Estudo questiona a indicação deste tipo de cirurgia para pacientes com dor no ombro Larissa Garcia Pinto 5. Tratamento para dor feito “sobre medida”. Medicamentos com ações individualizadas deverão ser opção de tratamento para a dor no futuro Larissa Garcia Pinto 6. O papel diferencial de regiões cerebrais na dimensão temporal da dor na memória de curto prazo. Processamento cerebral da dimensão temporal de dor aguda na memória de curto prazo Thaise Loyanne Felix Dias 7. Diferenças de nociceptores entre roedores e humanos. Correlação entre camundongos e humanos Mateus Fortes Rossato 8. Dois coelhos com uma cajadada: como metformina pode controlar os niveis glicemicos e a neuropatia diabética. AMPK regula negativamente TRPA1 em neurônios sensorias primários Rangel Leal Silva 9. Desvendando os caminhos da dor neuropática. Diferenças entre os mecanismos envolvidos na alodinia mecânica e ao frio Andreza Urba de Quadros 10. QX-314 bloqueia a nocicepção induzida por bactérias vivas resistentes à meticilina. Staphylococcus aureus induz nocicepção por meio de toxinas formadoras de poro e ativação de TRPV1 neuronal que é silenciada por QX-314 Miriam das Dores Mendes Fonseca
Paulo Barboni
Published: 30 January 2018
Abstract:
Feliz 2018 da equipe DOL a todos os nossos leitores do boletim Dor On Line. Este mês trazemos um editorial de nossa série de quimiocinas e dor tratando da CCL7. Além disso, trazemos alertas sobre trabalhos envolvendo o estudo da dor que foram apresentados no 49° Congresso Brasileiro de Farmacologia e Terapêutica Experimental, que ocorreu em Ribeirão Preto em outubro de 2017. EDITORIAL DO MÊS Editorial do mês Sessão VI - CCL7: uma das engrenagens para dor neuropática Adriele Alves Santos Ana Carolina Alves Melo de Moura Giovanna Oliveira de Brito Divulgação Científica - Trabalhos apresentados no "49th Brazilian Congress of Pharmacology and Experimental Therapeutics", realizado em Ribeirão Preto, São Paulo, Brasil, de 17 a 20 de outubro de 2017. 1. Estrutura análoga ao eugenol exibe atividade antinociceptiva em camundongos Adriele Alves Santos 2. O tratamento agudo com o agonista do receptor A3 de adenosina altera a resposta hiperalgésica em ratos com dor inflamatória crônica Adriele Alves Santos 3. Efeito benéfico do lodenafil e do sildenafil na redução de sinais de dor neuropática em ratos submetidos à ligação do nervo espinal Lilian Thaís Veras de Carvalho 4. Participação do TNF-α e astrócitos na dor induzida pelo tumor de Ehrlich em camundongos Mariane Aparecida da Silva Marques 5. Envolvimento de citosinas na síndrome de dor aguda induzida pelo Paclitaxel em camundongos Mariane Aparecida da Silva Marques 6. Interação entre o sulfeto de hidrogênio (H2S) e as diferentes espécies redox de óxido nítrico (NO) - Efeitos na nocicepção e inflamação na articulação temporomandibular do rato (TMJ) Mariane Aparecida da Silva Marques 7. Relação periférica e central da proteína C5a e seu receptor com a dor neuropática Ana Carolina Alves Melo de Moura 8. Diabetes leva a hiponocicepção com a inibição Na+ / K+ / ATPase Ana Carolina Alves Melo de Moura Giovanna Oliveira Brito 9. Efeito antinociceptivo do aripiprazol por ativação das vias PI3K / AKT / NO / KATP Thatiane Sandielen Lima Soares 10. A hiperalgesia induzida por artrite na articulação temporomandibular de ratos ativa células microgliais do subnúcleo caudal trigeminal Thatiane Sandielen Lima Soares 11. Mecanismos envolvidos nos efeitos antinociceptivos e anti-inflamatórios de dihidro-obovatina em um modelo pré-clínico de dor nas articulações temporomandibulares Giovanna Oliveira de Brito 12. Pesquisa adicional de mecanismos antinociceptivos e pronociceptivos de Acmella oleracea em camundongos Letícia Menezes Rodrigues 13. Efeitos analgésicos da cetamina intranasal em modelos de ratos de dor orofacial Thaise Loyanne Felix Dias 14. Nicorandil inibe alodinia mecânica em modelo de dor neuropática induzida por paclitaxel pela ativação dos mecanismos opioidérgicos e serotoninérgicos Thaise Loyanne Felix Dias 15. O papel das células CCR2 + e CX3CR1 + na gênese e manutenção da dor neuropática Thaise Loyanne Felix Dias
Paulo Barboni
Published: 2 January 2018
Abstract:
Olá, leitores do Boletim Dor On Line! Neste mês trazemos mais um editorial da série de quimiocinas, tratando neste mês da CCL2. Temos, também, alertas tratando do estudo da dor. Estes alertas foram apresentados no Congresso Científico Anual da Sociedade Americana de Dor, que aconteceu em maio de 2017, em Pittsburg, EUA. Boa Leitura! EDITORIAL DO MÊS Editorial do mês Sessão V – CCL2 Thayna Moreira Gomes Marra Divulgação Científica 1. Os efeitos da raça e sexo na hiperalgesia induzida por interrupção experimental do sono Cássia Regina da Silva 2. Inibição da via de sinalização da proteína Ouriço Sonic (Sonic Hedgehog) previne a tolerância Rangel Leal Silva 3. Kinesio tape para redução da dor: mais do que um efeito placebo? Francisco Fábio Bezerra 4. Neuralgia do trigêmeo: Farmacoterapia e tratamento cirúrgico padrão nos Estados Unidos Erika Ivanna Araya Pallarés Ciência e Tecnologia 5. Ansiedade e desempenho relacionados à dor medidos por um programa interdisciplinar Alexandre Hashimoto Pereira Lopes 6. Tratamento intratecal com opioides na dor crônica refratária associada à esclerose mesentérica Alexandre Gomes de Macedo Maganin 7. Identificando potenciais pacientes com fibromialgia: um novo plano de triagem e diagnóstico usando dados do mundo real Ieda Regina dos Santos 8. A citocina IL-27 protege o desenvolvimento de dor neuropática por meio do aumento da expressão da proteína anti-inflamatória IL-10 Miriam das Dores Mendes Fonseca
Paulo Barboni
Published: 4 December 2017
Abstract:
Caros leitores do nosso boletim, saudações! Nesta edição de novembro de 2017 trazemos mais um editorial de nossa série que trata de quimiocinas e dor, tratando da quimiocina CXCL13. Além disso, trazemos alertas de divulgação científica tratando de problemas clínicos de neuropatia em neonatos devido ao uso de quimioterapia do câncer e o uso de radioterapia para o tratamento da dor em metástases ósseas; personalização gênica de tratamento da dor crônica; atualização de terminologia da dor pela IASP; um estudo de revisão sobre o poder analgésico de bebidas alcoólicas. Nossos alertas de Ciência e Tecnologia tratam da função de RNA não-codificante na dor neuropática; ação do tramadol na dor articular odontológica em modelos experimentais; um novo biofármaco para o tratamento da enxaqueca; o uso de realidade virtual na dor de membro fantasma e o efeito de mudanças hormonais no efeito da endomorfina 2. Boa leitura! EDITORIAL DO MÊS Sessão IV - CXCL13: uma quimiocina que estamos começando a conhecer Andreza Urba Quadros Divulgação Científica 1.Exposição precoce à Vincristina e alodínia mecânica. Relação entre quimioterapia e neuropatia periférica em neonatos Paola Costa Carvalho 2. Farmacoeconomia de tratamento baseado em genotipagem em pacientes com dor crônica. A genotipagem pode otimizar os custos na dor crônica Erika Ivanna Araya Pallarés 3. Nova terminologia de dor da IASP. Dor nociceptiva alterada recebe denominação própria Francisco Fábio Bezerra de Oliveira 4. Dois copos de cerveja podem aliviar a dor tanto quando o paracetamol. O uso moderado de cerveja auxilia o controle da dor Dênis Augusto Santana dos Reis 5. Radioterapia é efetiva para o tratamento da dor em pacientes com metástases ósseas. Ensaio clínico com pacientes demonstra controle da dor após radioterapia Larissa Garcia Pinto Ciência e Tecnologia 6. RNA longo não-codificante é um novo regulador da dor neuropática em ratos. Inibição de RNA não-codificante como uma possível terapia para dor neuropática Adriele Alves Santos 7. Efeito anti-inflamatório do tramadol na junção temporomandibular de ratos. Administração intra-articular na dor temporomandibular Alexandre Maganin 8. Anticorpo anti-CGRP pode ser a nova opção terapêutica para o tratamento da enxaqueca e de dores de cabeça severas. Galcanezumab esta em estudos clínicos de fase III em pacientes Larissa Garcia Pinto 9. Os benefícios da realidade virtual para pacientes com dor neuropática. A realidade virtual reduz a dor de membros em pacientes paraplégicos e cria a ilusão de que eles podem sentir suas pernas novamente Alexandre Hashimoto Pereira Lopes 10. Estrogênios inibem a antinocicepção da endomorfina 2 a depender do ciclo reprodutivo de ratas. Hormônio pode bloquear ação de analgésicos endógenos Ana Carolina Alves M. de Moura
Paulo Barboni
Published: 31 October 2017
Abstract:
Olá! Caros leitores do DOL, esta edição de outubro traz a vocês mais um editorial acerca do papel de quimiocinas na dor. Nesta edição falamos da CXCL12. Temos alertas de Divulgação Científica trazendo a vocês a avaliação de nocicepção em ovelhas por reconhecimento de face; evidências de neuroinflamação em dor neuropática periférica; uma importante iniciativa no Brasil em desenvolver um protocolo de atenção básica para a Dor Crônica; e a relação do diabetes mellitus e a osteoartrite. Temos na nossa seção de Ciência e Tecnologia alertas sobre o desenvolvimento de modelos experimentais com animais doentes; um modelo in vitro para fibromialgia, a origem da neuropatia perifética na hanseníase e o uso de propranolol em anestesias para evitar cronificação da sensibilização central. EDITORIAL DO MÊS Editorial do mês Sessão III - CXCL12 e seu papel na dor patológica Adriele Alves Santos Ana Carolina Alves Melo de Moura Thatiane Sandielen Lima Soares Divulgação Científica 1.Programa de computador pode ser ferramenta para detectar dor em animais. Um aplicativo que pode detectar se animais de fazenda e de estimação estão com dor. Larissa Garcia Pinto 2. Estudo clínico mostra neuroinflamação em dor neuropática periférica. Quimiocinas no fluido cerebrospinal de pacientes são diferentes de sujeitos saudáveis Paulo Gustavo Barboni Dantas Nascimento 3. Protocolo de atenção básica para Dor Crônica. Enquetes para a dor crônica Ieda Regina dos Santos Rafael Poloni 4. Sensação de dor em humanos com osteoartrite em joelho é agravada pela diabetes mellitus. A dor melhora a partir do tratamento da diabetes Giovanna O. de Brito 5. Serão os reguladores da expressão gênica a nova classe de medicamentos analgésicos? Mecanismos patofisiológicos da dor são associados com diferentes tipos de moduladores epigenéticos Larissa Garcia Pinto Ciência e Tecnologia 6. Os modelos de animais naturalmente doentes podem ser o elo perdido entre os modelos pré-clínicos e aplicação clínica? Eles podem substituir os modelos experimentais? José de Alsimir Gomes Junior 7. Novo modelo in vitro para Fibromialgia. Células do tipo glia derivadas de sangue humano como modelo de estudo da dor crônica Paulo Gustavo Barboni Dantas Nascimento 8. A resposta imune do macrófago frente ao Glicolipideo Fenólico 1 da Mycobacterium leprae e a neuropatia periférica na doença de Hansen. O papel do macrófago na neuropatia periférica na Hanseníase. Cássia Regina da Silva 9. Tratamento com propranolol previne a sensibilização central crônica induzida por estimulação dural repetida. Terapia previne o desenvolvimento de um estado crônico de sensibilização central Andressa Daiane de Carvalho Zaparolli 10. Canal iônico HCN2 modula a dor durante modelo de neuropatia diabética em camundongos. Estudo sugere que o bloqueio do canal HCN2 pode ser útil para o tratamento da dor em pacientes diabéticos com neuropatia Larissa...
Paulo Barboni
Published: 2 October 2017
Abstract:
Olá leitores do boletim Dor On Line! Neste mês de setembro o DOL traz para vocês um editorial a respeito do papel da CXCL8, mais uma quimiocina em nossa série sobre dor. Trazemos, também, na seção de Divulgação Científica alertas tratando da atividade física na fibromialgia; exercício e dor; a dor do cônjuge e depressão; e um estudo clínico sobre neuroinflamação e dor neuropática. Na seção de Ciência e Tecnologia, temos alertas tratando de microinjeções de 15d-PGJ2 na disfunção temporomandibular; o uso de sacarose na dor de neonatos e o volume cerebral; a via de sinalização PI3K/Akt e a sensibilização central na dor neuropática; o receptor TRL7 na cistite intersticial; e um modelo in vitro para a fibromialgia. Boa Leitura! EDITORIAL DO MÊS Editorial do mês Quimiocinas na dor: Sessão II - CXCL8, um caminho ainda a percorrer Cássia Regina da Silva Divulgação Científica 1. Funcionalidade física e sua relação direta com a intensidade de dor, fadiga e qualidade do sono em indivíduos com fibromialgia. Aspectos psicológicos em pessoas com fibromialgia Cássia Regina da Silva 2. Esclarecimentos acerca da redução da dor induzida pelo exercício realizados antes da sua aplicação aumenta a tolerância à dor. Informação sobre exercícios podem reduzir a dor Francisco Fábio Bezerra 3. Intensidade da dor própria e do cônjuge em casais: efeitos longitudinais sobre sintomas depressivos. O olhar das esposas para a dor do marido Thatiane Sandielen Lima Soares 4. A prevenção é o melhor tratamento para a dor crônica. A atenção inicial dada à dor aguda pode ser de suma importância para que a mesma não torne uma doença, ao se tornar crônica Dênis Augusto Santana dos Reis 5. Novo modelo in vitro para fibromialgia. Células do tipo glia derivadas de sangue humano como modelo de estudo da dor crônica Paulo Gustavo Barboni Dantas Nascimento Ciência e Tecnologia 6. Uma nova abordagem terapêutica para o tratamento das disfunções da articulação temporomandibular. Microinjeções hipodérmicas de 15d-PGJ2 Paulo Gustavo Barboni Dantas Nascimento 7. A UTI neonatal e a dor. A exposição repetida à sacarose para tratamento da dor em filhotes de camundongos leva a alterações de volume encefálico na vida adulta Ana Carolina Alves M. de Moura 8. A via PI3K/Akt e a sensibilização central na dor neuropática. Papel da sinalização PI3K na sensibilização central em um modelo de dor Erika Ivanna Araya Pallarés 9. Papel do receptor Toll-like 7 na cistite intersticial do tipo Hunner. Uma nova possibilidade de tratamento para quem tem úlcera de Hunner Mirelle Falcão Barreto 10. Envolvimento de tirosina quinases extracelulares na dor via receptor EphB2 e NMDAR. Pensando fora da caixa... Rangel Leal Silva
Paulo Barboni
Published: 28 August 2017
Abstract:
Caros leitores do DOL, neste mês trazemos um editorial tratando do papel de uma quimiocina, a CXCL1, na dor. Além disso, trazemos em nossa seção de Divulgação Científica alertas sobre trabalhos tratando do risco do uso de AINES e paradas cardíacas; a origem de dores emocionais; a ausência de associação clara entre fenótipos de dor neuropática e fármacos com mecanismo específicos; e um comentário sobre o estudo experimental da dor. Temos também, em nossa seção de Ciência e Tecnologia alertas tratando das alterações no SNC pela Neuropatia Diabética Periférica; o estudo do desequilíbrio em interneurônios inibitórios e a dor neuropática; a relação da sinalização via receptores P2X3 na dor com isoformas da PKC; um novo inibidor de canais de cálcio tipo T para o tratamento da dor e efeitos do sumatriptano na sensibilização da dor. Neste mês também foi exibida uma reportagem feita pela equipe da UnBTV sobre o projeto de extensão universitária conduzida pela equipe do DOL em Brasília. Para conhecer este trabalho, acesse: https://www.youtube.com/watch?v=QZtBuR_K9mM EDITORIAL DO MÊS Editorial do mês Quimiocinas na dor. Sessão I - CXCL1, muito além de um quimiotático Rangel Leal Silva Divulgação Científica 1. Risco de parada cardíaca aumenta com o uso de analgésicos. Analgésicos vendidos sem receita médica, como o ibuprofeno, foram associados a um maior risco fatal. Larissa Garcia Pinto 2- Sentimentos emocionais negativos proporcionam um quadro de dor. As dores físicas e emocionais compreendem circuitos cerebrais semelhantes. Alexandre Hashimoto Pereira Lopes 3. Fármacos utilizados para o tratamento da neuropatia. Ausência de efeitos fenótipo-específicos marcantes. Gisela de Martins Souza Pina 4. É possível realizar experimentos de dor in vitro? Nosso dilema diário. Andreza Urba de Quadros Ciência e Tecnologia 5. A participação do Sistema Nervoso Central na Neuropatia Diabética Periférica. O SNC também sofre. Paulo Henrique Fernandes dos Santos 6. Disfunção de interneurônios inibitórios do córtex somatossensorial primário contribuem para a gênese da dor neuropática. O equilíbrio é o segredo. Andreza Urba de Quadros 7. Hiperalgesia mediada por receptor purinérgico P2X3 através da sinalização Epac - PKC após inflamação. Desvendando as interações da sinalização por quinases. Antonio Leonardo de Freitas Garcia 8. Nova molécula com potencial terapêutico para combate a dor neuropática e visceral. Explorando o bloqueio de canais de cálcio do tipo T. Hayssa Moraes Pintel Ramos 9. Sumatriptano. Fármaco anti-migrania que é capaz de induzir a sensibilização a dor. Ação de fármaco na sensibilização hipernociceptiva. Priscilla Cartaxo Pierri Bouchardet Mani Indiana Funez
Paulo Barboni
Published: 27 July 2017
Abstract:
Edição de Julho de 2017 - Ano 17 - Número 204 Caros leitores da edição de julho do boletim Dor On Line, completamos nesse mês dezessete anos de existência lembrando do passamento do fundador deste boletim, professor Sérgio Henrique Ferreira, que nos deixou em julho do ano passado. E continuando com o mesmo espírito de antes, nesta edição temos um editorial tratando da máfia das próteses no Brasil e sua relação com o ano internacional da dor pós-operatória da IASP. Temos também, em nossa seção de Divulgação Científica, alertas sobre o sono e a dor; como medir dor em bebês; perspectivas na dor de trauma medular; uma padronização no estudo clínico da dor neuropática no diabetes; e a ação analgésica da nicotina e tabaco. Em nossa seção de Ciência e Tecnologia temos a função de interneurônios liberadores de gastrina na coceira; a comunicação do intestino com o sistema nociceptivo; uma caracterização de neurônios de fibra C, a maioria não é polimodal! Temos também mais um componente da dor neuropática de quimioterápicos e uma nova toxina de serpentes que causa dor. Boa leitura! Editorial do mês Máfia das próteses e a dor pós-cirúrgica Paulo Gustavo Barboni Dantas Nascimento Mani Indiana Funez Divulgação Científica 1. A diminuição do estado de alerta devido à perda de sono aumenta a sensibilidade à dor em ratos. Horas de sono bem dormidas, uma xícara de café e o alívio da dor! Cássia Regina da Silva Larissa Garcia Pinto 2. Novo método para detectar respostas nociceptivas em bebês. A eletroencelografia detecta áreas com atividade alterada após estímulos nocivos. Sabrina Francesca de Souza Lisboa 3. Dor neuropática central crônica, pós-trauma medular. Novas perspectivas de sua origem. Gabriela de Sousa Martins Mani Indiana Funez 4. Questionário clínico padronizado para identificar a diversidade fenotípica da polineuropatia diabética. Sistematizando as pesquisas da dor neuropática. Amanda de Araújo Fonseca Mani Indiana Funez 5. Nicotina, tabaco e dor. Nicotina e tabaco podem reduzir a dor aguda em seres humanos? Albênica Paulino dos Santos Mani Indiana Funez Ciência e Tecnologia 6. Os interneurônios de gastrina da medula espinhal transmitem a coceira através da sinalização mediada por Vglut2. Mais um componente da coceira. Pedro Augusto da Silva Soares 7. Comunicação intestino-cérebro. Células mensageiras da integração. Andreza Urba de Quadros 8. Neurônios sensoriais são caracterizados como modalidade-específico. Os neurônios sensitivos não são todos polimodais! Larissa Garcia Pinto 9. Receptor GPR132 contribui para hipersensibilidade mecânica induzida pela oxaliplatina. Descoberto possível alvo molecular para combater a dor induzida por quimioterápicos. Larissa Garcia Pinto 10. Toxina encontrada no veneno da jararaca induz dor através da liberação de ATP e ativação de receptores purinérgicos. Estudo identificou a BomoTx, uma miotoxina isolada do...
Paulo Barboni
Published: 30 June 2017
Abstract:
Edição de Junho de 2017 - Ano 17 - Número 203 Caros leitores do Boletim Dor On Line, nesta edição apresentamos um editorial sobre a atuação do Fator de Crescimento do Nervo (NGF) na dor e implicações. Em nossa seção de Divulgação Científica trazemos a vocês um vídeo sobre enxaqueca, com pesquisadores e médicos da FMRP-USP. Temos, também, alertas sobre o uso de fentanil em bebês prematuros; a influência do trabalho após lesão cervical; uma meta-análise do uso da pregabalina na dor pós-operatória crônica; uma análise dos fatores biopsicossociais relacionados à dor em crianças e adolescentes. Em nossa seção de Ciência e Tecnologia temos alertas tratando de novas propostas no controle dos efeitos adversos de opioides, um novo fármaco desenhado computacionalmente e um novo esquema terapêutico em receptores µ. Temos também um inibidor da quinase G-1α no tratamento da dor e o uso do NGF em um modelo de dor pós-operatória. Boa leitura! Editorial do mês Terapia anti-NGF: uma das propostas que estão na mesa para o controle da dor Mani Indiana Funez Divulgação Científica 1. Fentanil pode influenciar o desenvolvimento infantil. Estudo em pré-maturos mostra efeito motor no desenvolvimento em infantes que receberam infusão contínua. Sara Goulart de Castro 2. Retorno ao trabalho após lesão cervical. Pós-trauma cervical (lesão chicote), voltar ao trabalho pode te fazer um bem! Frederico Igor Ribeiro Calaça 3. Meta-análise adverte que a pregabalina não previne a dor pós-operatória crônica. Evidências de artigos e estudos não publicados mostram que a pregabalina não tem eficácia analgésica. Weverton Vieira da Silva Rosa 4. Aspectos biopsicossociais relacionados à persistência da dor em crianças e adolescentes. Baixa modulação da dor e sintomas depressivos estão relacionados com a persistência da dor. José Roberto de Souza Junior 5. Se você não tem, certamente conhece alguém que tem enxaqueca... Trazemos pra você o link de uma reportagem produzida pela TV EPTV de Ribeirão Preto sobre esse assunto, com dicas, explicações e comentários de importantes médicos sobre o assunto. Equipe Dol Ciência e Tecnologia 6. Agonista seletivo do receptor opioide periférico inibe a dor sem induzir efeitos adversos. Design computacional para situações de baixo pH, como as encontradas durante um processo inflamatório. Larissa Garcia Pinto 7. Possível papel para o NGF na dor pós-operatória ortopédica. Medida do status funcional de camundongos submetidos à artroplastia de joelho sugere NGF como alvo para analgesia. André De Melo Andrade Larissa Garcia Pinto 8. A perda da sinalização do receptor μ opioide em nociceptores, mas não na microglia, anula a tolerância à morfina. Estratégia para evitar tolerância e hiperalgesia induzida pelos opioides. Erika Ivanna Araya Pallarés 9. Novo inibidor da proteína quinase G-1α no tratamento da dor. Achados referentes ao fármaco N46 como agente...
Paulo Barboni
Published: 30 May 2017
Abstract:
Edição de Maio de 2017 - Ano 17 - Número 202 Caros leitores do Boletim Dor On Line, apresentamos a vocês a edição de maio de 2017 e com ela um editorial sobre os avanços no entendimento e terapêutica da osteoartrite. Na nossa seção de Divulgação Científica alertas tratando da eficácia da pregabalina na dor ciática; a diferença de gênero no tratamento pediátrico psicossocial da dor; a relação do álcool e a dor; e um entendimento maior sobre os efeitos adversos dos opioides. Na seção de Ciência e Tecnologia trazemos alertas tratando da sinalização GABAérgica no DRG; uma nova classe de fármaco em um modelo experimental de enxaqueca; um novo biofármaco anti-inflamatório que atua no SNC; a sinalização glutamatérgica dentro do neurônio; e a dor crônica e o mecanismo molecular epigenético da neuropatia induzida por quimioterápicos! Boa Leitura! Editorial do mês Osteoartrite: quanto avançamos? Andreza Urba de Quadros Divulgação Cientifica Tratamento com pregabalina não reduz dor ciática em pacientes. Ensaio clínico aleatório, duplo-cego e controlado com placebo traz novas evidências. Larissa Garcia Pinto Meninos e meninas respondem de forma diferente ao tratamento para dor. A questão de gênero no gerenciamento psicossocial da dor. Vanessa Carvalho Moreira Efeito analgésico do álcool. Estudo mostra que o consumo de álcool produz uma diminuição na dor e esse efeito analgésico pode contribuir para sua dependência em indivíduos com dor persistente. Andressa Daiane de Carvalho Zaparolli Opioides: mantendo o bom, eliminando o ruim. Comentário publicado na Nature Medicine a respeito das últimas descobertas em relação aos medicamentos opioides. Larissa Garcia Pinto Ciência e Tecnologia Sinalização local GABAaérgica dentro dos gânglios sensoriais controla a transmissão nociceptiva. Esta comunicação inibitória é totalmente funcional e atua na integração de sinais nociceptivos. Larissa Garcia Pinto Miriam das Dores Fonseca Efeito do análogo do ácido quinurênico (KYNA-A1) na hiperalgesia induzida por nitroglicerina: Alvos. Análogo do ácido quinurênico como possível tratamento da enxaqueca. Erika Ivanna Araya Pallarés Receptor de anti-transferrina-interleucina-1, antagonista pode reverter a hipersensibilidade mecânica neuropática. O desafio de vencer a barreira hematoencefálica. Micaele Aparecida Furlan de Oliveira Receptor metabotrópico de glutamato intracelular espinal 5 contribui para a dor e a expressão do c-fos de um modelo de dor inflamatória em ratos. Encontrado ação de glutamato em membrana nuclear. Luciana Renata Campos Miranda Identificação dos circuitos espinais envolvidos na dor mecânica dinâmica evocada pelo toque. O papel do o transportador vesicular de glutamato 3. Cássia Regina da Silva Modificação epigenética envolvida com Neuropatia Periférica Induzida por Quimioterápicos (NPIQ). Alteração de fenótipo em decorrência de mecanismo epigenético...
Paulo Barboni
Published: 3 May 2017
Abstract:
Edição de Abril de 2017 - Ano 17 - Número 201 Caros leitores, nesta edição 201 do boletim Dor On Line trazemos a vocês um editorial tratando das vias de processamento nociceptivo, com ênfase na região medular. Em nossa seção de Divulgação Científica temos alertas sobre artigos internacionais tratando da atividade física de idosos; uma possível solução para a tolerância a morfina; o controle analgésico pós-operatório de usuários crônicos de opioides; e um estudo da sensibilização da dor e o processamento sensório. Em nossa seção de Ciência e Tecnologia trazemos alertas que tratam sobre os mecanismos moleculares da terapia por LED; biomarcadores de neuropatia periférica; mecanismos moleculares da neuropatia induzida por quimioterárico; um modelo experimental de alcoolismo e a dor crônica; e um novo fármaco com ação em um modelo de enxaqueca. Boa Leitura! Editorial do mês Redes neuronais e processamento nociceptivo no corno dorsal da medula espinal Mateus Fortes Rossato Divulgação Cientifica 1. Atividade física: um santo remédio para o controle descendente da dor em idosos saudáveis. Henrique de Oliveira Castro 2- Tolerância da morfina é dependente da sinalização do receptor do tipo µ. A combinação entre agonistas e antagonistas pode ser uma alternativa mais segura e eficaz para o controle da dor. Larissa Garcia Pinto 3. A cetamina intraoperatória reduz o consumo de opioides em pacientes com dor crônica com dependência de opioides. População com risco de abuso em cirurgias ortopédicas pode ter alternativa. Yara Corrêa Alves Mendes 4. Fatores psicossociais predizem analgesia opioide por meio da função opioide endógena? Fatores negativos tem maior resposta analgésica opioide. Renata da Nóbrega Souza de Castro 5. A dor intensa influencia o processamento cortical de estímulos visuais projetados sobre a pele sensibilizada. Sentir dores intensas possibilita maior compreensão cerebral de estímulos. Danylo Santos Silva Vilaça Ciência e Tecnologia 6. Terapia de Emissão de luz por diodo induz analgesia em modelos de nocicepção em camundongos. Luz de LEDT no controle da Dor. Glauce Regina Pigatto 7. Biomarcadores de dor neuropática na neuropatia de fibras nervosas da pele: estímulo provocado por calor como uma assinatura fisiológica. Maikon Gleibyson Rodrigues dos Santos 8. Paclitaxel e Neuropatia Periférica. O aumento da expressão e função dos canais de cálcio Cav3.2 e interação com TLR4 são observados na Neuropatia Periféfica induzida por Paclitaxel. Douglas Araújo dos Santos Albernaz 9. Modelo de dor crônica em animais induz aumento no consumo de álcool. Alcoolismo e osteoartrite, parceiras na dor. Aline Silveira Silva 10. Análogo do ácido quinurênico como possível tratamento da enxaqueca. Fármaco tem ação em modelo de dor induzida por nitroglicerina. Erika Ivanna Araya Pallarés
Paulo Barboni
Published: 31 March 2017
Abstract:
Edição de Março de 2017 - Ano 17 - Número 200 Um longo caminho percorrido! 200 edições! Nosso editorial desta edição comemorativa conta um pouco sobre esta história! Obrigado a você leitor por partilhar conosco esta jornada de divulgação científica sobre o estudo da dor. Na nossa seção de Divulgação Científica temos alertas tratando sobre a sintonia da mente e o alívio da dor, a eficácia do diclofenaco na artrite e artrose, a ioga contra dor nas costas, a prevalência da dor em veteranos de guerra e a educação no DOL. Na seção de Ciência e Tecnologia temos alertas tratando do Canal Nav1.1, um estudo sobre drogas na dor evocada e dor espontânea, a abstinência de opioides e canais pannexin-1 microgliais e um estudo clínico sobre o canal PIEZO2. Boa Leitura! EDITORIAL DO MÊS Editorial do mês 200 José Waldik Ramon Divulgação Científica 1. Sintonize seu cérebro e diminua sua dor. Cientistas descobriram que estimular ondas cerebrais específicas pode ajudar no alívio da dor. Larissa Garcia Pinto 2. Estudos apontam eficácia de AINES no tratamento de osteoartrite e artrite reumatoide. As condições dolorosas crônicas são temidas em toda a população. Rafael Poloni 3. Ioga e seus benefícios na dor nas costas. Estudo comprova sua eficácia. Rafael Poloni 4. Dor intensa em veteranos militares. Estudo fornece estimativas nacionais da prevalência de veteranos militares dos Estados Unidos. Andressa Daiane de Carvalho Zaparolli 5. Projeto Dor On Line. Um projeto educacional em um projeto de extensão. Paulo Gustavo Barboni Dantas Nascimento Ciência e Tecnologia 6. Canal Nav1.1 regula a excitabilidade de nociceptores envolvidos na hipersensibilidade mecânica. Toxinas de aranha ativam Nav1.1 induzindo dor. Larissa Garcia Pinto 7. Diferentes efeitos de drogas. Os estudos animais com comportamentos nociceptivos evocados e os pacientes de dor neuropática com dor espontânea Erika Ivanna Araya Pallarés 8. Bloqueio de canais pannexin-1 microgliais alivia a gravidade da retirada de opioides. Alivio da dor e melhora dos sintomas da síndrome de abstinência aos opioides. Francisco Fábio Bezerra de Oliveira 9. O papel do canal PIEZO2 na mecanosensitização humana. Evidências clínicas da ação do canal. Paulo Gustavo Barboni Dantas Nascimento 10. Mecanismo de alteração na percepção dolorosa do autista. Será apenas comportamental e psicológico, ou também patofisiológico? Andreza Urba de Quadros
Paulo Barboni
Published: 2 March 2017
Abstract:
Edição de Fevereiro de 2017 - Ano 17 - Número 199 Nesta edição de fevereiro de 2017 trazemos a vocês, leitores do Boletim Dor On Line, um editorial que a IASP está promovendo sobre o ano de luta contra a dor após cirurgias. Além disso, temos na nossa seção de Divulgação Científica alertas tratando de cirurgias articulares e uma nova fonte de tecido de implantes; um indicativo comportamental de camundongos perceberem a nocicepção pelo olfato; evidências clínicas da eficácia de estratégias de enfrentamento da dor lombar, além de outras técnicas não farmacológicas para o gerenciamento da dor; e uma pesquisa sobre a qualidade de dispensação de maconha medicinal. Na seção de Ciência e Tecnologia temos alertas tratando da adenosina e seu papel na nocicepção crônica; a relação da enxaqueca e a microbiota do sistema digestório; evidência clínica da ineficiência da terapia de opioides na fibromialgia; a função dos canais ASIC3 e TRPV1 na analgesia induzida por eletroacupuntura; e a ketamina como fonte de novos fármacos analgésicos. Além disso, disponibilizamos aqui dois links para textos biográficos sobre o nosso Editor-Chefe, o Prof. Sérgio Henrique Ferreira, que fez sua passagem em 2016... Bakhle YS, Flower RJ. Sergio Henrique Ferreira (1934-2016). Br J Pharmacol. 2017 Feb, 174(4):341-342 (http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/bph.13683/abstract). Moncada S. Sergio Henrique Ferreira (1934-2016). Eur J Pain. 2016 Nov;20(10):1549-1550 (http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1002/ejp.966/abstract) - [artigo original]. Editorial 2017, o ano internacional contra a dor após cirurgias. Mani Indiana Funez Paulo Gustavo Barboni Dantas Nascimento Divulgação Científica 1. O tratamento para sua dor no joelho pode estar no seu nariz! Pesquisadores suíços implantaram cartilagem do septo nasal no joelho de pacientes com lesões articulares. Larissa Garcia Pinto 2. Animais sentem dor do outro. Eu posso sentir a sua dor... ou cheirá-la? Mateus Fortes Rossato 3. Redução do estresse baseado na atenção plena e terapia comportamental cognitiva para dor lombar. Efeitos semelhantes sobre a atenção plena, catastrófica, auto-eficácia e aceitação em um estudo controlado randomizado. Amanda de Araújo Fonseca 4. O poder da mente! Técnicas mentais para ajudar a combater a dor. Denis Augusto Santana dos Reis 5. Treinamento e práticas dos funcionários do dispensário de cannabis. Qualidade da dispensação de cannabis nos Estados Unidos. Adriele Alves Santos Ciência & Tecnologia 6. O papel da adenosina na dor. Pró ou anti nociceptivo? Andreza Urba de Quadros 7. As enxaquecas são correlacionadas com níveis mais elevados de nitrogênio, nitrito e óxido nítrico redutase de micróbios orais na coorte americana do projeto intestinal. Correlação entre aumento de compostos nitrogenados e bactérias do trato digestivo. Ana Carolina Alves M. de Moura 8. Opioides x Fibromialgia. O uso de opioides pode ser um...
Paulo Barboni
Published: 28 December 2016
Abstract:
Edição de Dezembro de 2016, Ano 17, Número 197. Caros leitores, encerrando este ano temos em nosso editorial uma homenagem ao Ano Internacional de Combate à Dor Articular, tema escolhido pela IASP para os trabalhos de conscientização deste ano. Como tema, a artrite gotosa em seus aspectos conceituais e práticos. Esta edição de dezembro de 2016 fecha o ano trazendo a vocês, no espírito de nossa tradição, uma visão do que foi a 47ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Farmacologia e Terapêutica Experimental (SBFTE), ocorrida em Foz do Iguaçu, de 04 a 07 de outubro de 2016. Boa Leitura! Editorial Editorial do mês: Ano Internacional de Combate à Dor Articular: passado, presente e futuro da artrite gotosa. Mateus Fortes Rossato Divulgação Científica 1. O uso de inibidores de aromatase leva ao desenvolvimento de dor via ativação TRPA1. O envolvimento do substrato enzimático da androstenediona Cássia Regina da Silva 2- Antagonista seletivo de TRPV4 reverte a hipersensibilidade mecânica em animais diabéticos. Um novo fármaco, HC-067047. Erika Ivanna Araya Pallarés 3. Herpes e TRPV1. O envolvimento do Receptor de Potencial Transitório Vaniloide 1 na indução da Neuralgia Herpética. Janaina de Andrade Pereira 4. Ômega-3 e a neuropatia. O tratamento com concentrado de óleo de peixe alivia o comportamento de dor neuropática em camundongos após lesão do nervo periférico. Andressa Daiane de Carvalho Zaparolli 5. Um novo uso para um medicamento... Envolvimento do sistema canabinoide na analgesia induzida pelo aripiprazole. Renata Mendes Andreza Urba de Quadros 6. Um novo fármaco para desenvolvimento...Efeitos benéficos do LASSBio-1027 na dor inflamatória aguda e crônica. Alexandre Hashimoto Pereira Lopes 7. HUF-101, um análogo do canabidiol, diminui a nocicepção em camundongos. Papel da facilitação da neurotransmissão mediada por receptores endocanabinoides. Nicole Rodrigues da Silva 8. O papel protetor da interleucina 27. Investigação do papel protetor da interleucina 27 (IL-27) na gênese e na manutenção da dor neuropática. Miriam das Dores Fonseca 9. Explicando o desenvolvimento da dor neuropática...A via metabólica da quinurenina liga a resposta imune periférica à sensibilização central que explica o desenvolvimento de dor neuropática. Miriam das Dores Fonseca 10. Neuropatia por quimioterápicos e a Bradicinina. Papel dos receptores de Bradicinina B1 e B2 na hiperalgesia aguda induzida por paclitaxel. Graziele Carolina Zanata
Paulo Barboni
Published: 29 November 2016
Abstract:
Edição de Novembro de 2016 - Ano 17 - Número 196 Prezados leitores de nosso boletim mensal, este mês de novembro trazemos a vocês um editorial sobre distúrbios do sono e a dor em suas inter-relações. Temos em nossos alertas de Divulgação Científica alertas sobre mecanismos celulares da dor em um mamífero muito especial, o papel do acido oleico na inibição da dor em canais iônicos, uma nova proposta para a definição de dor, novos dados epidemiológicos da dor de cabeça pediátrica e da dor crônica associada ao ambiente familiar. Na seção de Ciência e Tecnologia, discutimos a proliferação da micróglia em lesões neuropáticas, um novo tratamento para a dor em pacientes com a síndrome de dor regional complexa tipo 1, um estudo pré-clínico multicêntrico de modelo de dor, e a inibição analgésica da produção de metabólitos oxidados de ácidos graxos. Boa leitura! Editorial Dor e distúrbios do sono - uma relação recíproca Francisco Fábio Bezerra de Oliveira Divulgação Científica 1. Rato toupeira do deserto inflama, mas não arde. Enzima com menor função não sensibiliza neurônios para estímulos de calor. Paulo Gustavo Barboni Dantas Nascimento 2. Controle da dor e coceira através da inibição do canal TRPV1 por um ácido graxo ômega-9 de ocorrência natural. Dor, coceira e sua regulação por ácidos graxos-omega 9: papel do receptor TRPV1 Cássia Regina da Silva 3. Atualização da definição de dor. Novo conceito para definir o que é dor. Francisco Fábio Bezerra de Oliveira 4. Aumento na admissão hospitalar de crianças com dores de cabeça preocupa pesquisadores. Estas dores podem estar sendo tratadas inadequadamente. Rafael Poloni 5. Dor crônica associada ao ambiente familiar. Os fatores genéticos e o ambiente compartilhado com o núcleo familiar, irmãos ou cônjuge, podem determinar o risco de dor crônica. Ciência e Tecnologia 6. A proliferação microglial de células residentes é importante para a hipersensibilidade após lesão de nervos periféricos. A proliferação de micróglias locais é a única fonte da microgliose espinal. Miriam das Dores Mendes Fonseca 7. Expor ou proteger? Um estudo controlado de exposição vs tratamento da dor contingente em pacientes com síndrome de dor regional complexa tipo 1. Ana Carolina Alves M. de Moura 8. Replicação centro cruzada do comportamento de cavar suprimido como medida de desfecho de dor etologicamente relevante no rato. Um estudo prospectivo multicêntrico. Thatiane Sandielen Lima Soares 9. Inibição da CYP2J aparece como uma boa opção para o tratamento da dor induzida por quimioterápicos. Metabólito da citocromo P450 leva a sensibilização do canal TRPV1. Larissa Garcia Pinto
Paulo Barboni
Published: 31 October 2016
Abstract:
Edição de Outubro de 2016 - Ano 17- Número 195 Olá, leitores de nosso boletim mensal! Esta edição de outubro traz para vocês um editorial muito interessante tratando da relação entre a artrite reumatoide e a depressão, uma comorbidade associada à artrite que causa muitas complicações. Temos em nossa seção de Divulgação Científica uma proposta para a individualização da terapia da osteoartrite, um estudo de um nutracêutico na dor neuropática, um novo antidepressivo para a fibromialgia e um novo opioide com menos efeitos adversos. Em nossa seção de Ciência e Tecnologia temos um alerta sobre o papel da micróglia na cronificação da dor, o papel da insula na dor crônica e diversos alertas com canais vaniloides em destaque, mostrando como realizar a dessensibilização de canais TRPV1 com carbazepina, o bloqueio deste canal no tratamento da dor ortodôntica, a participação do canal TRPM2 na dor visceral e o mecanismo da transdução do estimulo frio por canais TRPA1. Boa Leitura! Editorial Relação entre dor na artrite reumatoide e depressão Sabrina Francesca de Souza Lisboa Divulgação Científica 1. Rumo a terapias individuais. Identificação de diferentes perfis fenotípicos de dor em indivíduos de idade avançada com osteoartrite moderada. Leonardo Gomes Oliveira da Silva 2. Palmitoiletanolamida ultramicronizada na dor neuropática da lesão medular. Um experimento randomizado, duplo-cego, controlado por placebo. Letícia Menezes Rodrigues 3. Eficácia da mirtazapina para o tratamento de fibromialgia, sem depressão concomitante. Segunda fase de um estudo duplo-cego, randomizado controlado com placebo no Japão. Adriele Alves dos Santos 4. Descoberto composto que age nos receptores μ-opioides e que combate a dor sem efeitos colaterais. Agente químico é capaz de aliviar a dor de forma tão efetiva quanto a morfina. Miriam das Dores Mendes Fonseca Ciência e Tecnologia 5. A função microglial mais uma vez em evidência. Mais um passo para entender a comunicação neuro-imune-glial. Andreza Urba de Quadros 6. Novo estudo contra a inflamação e dor via TRPA1. Existe medicamento para a dor severa? Ieda Regina dos Santos 7. Atenuação farmacológica do aumento sensorial intermodal dentro da dor crônica insular. Insula: substrato neural da dor crônica? Ana Carolina Alves M. de Moura 8. O bloqueio de TRPV1 no periodôntio alivia a dor ortodôntica. O antagonista do TRPV1 poderia aliviar a dor de tratamento dos dentes. Erika Ivanna Araya Pallarés 9. Canal iônico TRPM2 participa da dor visceral. Estudo demonstra a expressão de TRPM2 em neurônios aferentes primários de ratos. Larissa Garcia Pinto 10. Descoberto novo mecanismo envolvido na sensibilidade ao frio do canal iônico TRPA1. Um sensor ao frio nocivo via transdução da sinalização das espécies reativas de oxigênio. Larissa Garcia Pinto
Paulo Barboni
Published: 30 September 2016
Abstract:
Edição de Setembro de 2016 - Ano 17 - Número 194 Caros leitores, nesta edição de setembro de 2016 trazemos a vocês um editorial tratando da neuropatia diabética em uma perspectiva de saúde pública. Discutindo divulgação científica, falamos sobre a ameaça da falsificação de opioides nos EUA, novas formulações contra dor neuropática, perfis de pacientes que automedicam contra a dor, novos cultivares de Cannabis para pesquisa e uma pesquisa para preditores de dor pós-traumática. Na seção de Ciência e Tecnologia temos alertas sobre o papel de opioides endógenos na fibromialgia, o papel da β-arrestina 2 na cronificação da dor, o efeito antinociceptivo da substância P, o efeito central da analgesia do etoricoxibe e a modulação da sensibilização da neuropatia pela GRK6. Boa Leitura! Editorial Saúde pública e neuropatia diabética Amanda de Araujo Fonseca Divulgação Científica 1. A ameaça global da falsificação de opioides. Olha ai o fentanil chinês! Paulo Gustavo Barboni Dantas Nascimento 2. Mepivacaína tópica pode ser útil no tratamento da neuropatia por HIV. Novo estudo clínico para formulação farmacêutica. Amanda Souza Menezes e Mani Indiana Funez 3. Pacientes que se automedicam apresentam perfis heterogêneos. Identificação pode facilitar cuidados no gerenciamento da dor. Brígida de Paula Andrade Brito e Mani Indiana Funez 4. EUA busca aumentar o estoque de Cannabis sativa para pesquisa. EUA busca liberar a entrada de novos produtores para a pesquisa com financiamento publico e privado. Janaína de Andrade Pereira 5. Preditores de dor pós-traumática. Idade e sensibilidade à dor importam. Amanda de Araújo Fonseca Ciência e Tecnologia 6. O papel de opioides endógenos na dor da fibromialgia. Uma avaliação por estudos de imagem. Cássia Regina da Silva e Thiago Mattar Cunha 7. Papel da β-arrestina 2 na transição da dor aguda para crônica. Envolvimento do receptor NMDA espinhal Larissa Garcia Pinto 8. Modulação redox-dependente de canais de cálcio tipo-T em neurônios sensitivos contribui para o efeito antinociceptivo agudo da substância P. O efeito antinociceptivo periférico da substância P. Andressa Daiane de Carvalho Zaparolli 9. Etoricoxibe: modula a dor em nível central em pacientes com osteoartrite de joelho. Evidência de um mecanismo de ação central de coxibes. Renata Pascoal Illanes Tormena e Thatiane Sandielen Lima Soares 10. GRK6 modula a sensibilização mecânica e térmica na neuropatia através da expressão de CXCR2. GRK6: o outro lado da gangorra. Rangel Leal Silva
Paulo Barboni
Published: 1 September 2016
Abstract:
Edição de Agosto de 2016 - Ano 17 - Número 193 Caros leitores, o projeto Dor On Line completa este mês 17 anos de sua jornada de divulgação científica na área do estudo da dor. Neste momento, ainda sobre a auspiciosa sombra de nosso editor-chefe, trazemos a vocês um editorial autoral, fruto direto do próprio DOL e que é uma avaliação da atuação do boletim enquanto veículo de divulgação científica. Na seção de Divulgação Científica, temos alertas tratando do risco de osteoartrite e corridas; dor crônica na adolescência e transtornos mentais; o pó neural; o papel do placebo no tratamento da dor crônica; o uso racional de opioides; e uma história sobre a dor. Na seção de Ciência e Tecnologia temos a participação do canal TRPA1 na dor neuropática trigeminal com participação imune; o papel da neuroliguina 2 na plasticidade GABAérgica; e mais indícios da participação imune da plasticidade da dor crônica neuropática. Boa leitura! EDITORIAL DO MÊS Boletim Dor On Line - 16 anos: uma revisão retrospectiva, descritiva, quantitativa e qualitativa bibliográfica. Thayná Moreira Gomes Marra Paulo Gustavo Barboni Dantas Nascimento Divulgação Científica 1. Histórico de corridas não está associado ao maior risco de osteoartrite. Corridas x osteoatrite: qual a relação? Rangel Leal Silva 2. A dor crônica na adolescência e internalização por transtornos de saúde mental: um estudo nacional representativo. A dor crônica na adolescência e seu impacto na vida adulta. Amanda de Araújo Fonseca 3. Nova tecnologia pode realizar gravações wireless do sistema nervoso periférico. As propriedades do pó neural ultrasônico. Paulo Gustavo Barboni Dantas Nascimento 4. Placebos: seu papel no tratamento da dor crônica. Eu vou receitar a você este placebo, se você não melhorar, vamos tentar outro mais potente. Cássia Regina da Silva 5. A outra questão dos opioides. Uso racional de opioides. Janaína de Andrade Pereira 6. Uma historia dolorosa. Decurso temporal de como o homem lida e interpreta a dor e seus diferentes aspectos. Mateus Rossato Ciência e Tecnologia 7. TRPA1 medeia a dor neuropática trigeminal em camundongos favorecido por monócitos/macrófagos. Dano do nervo produz a ativação dos canais TRPA1 em um modelo de dor neuropática trigeminal. Erika Ivanna Araya Pallarés 8. Neuroligina 2 regula plasticidade GABAérgica espinhal no priming hiperalgésico, um modelo de transição da dor aguda para crônica. Um novo tipo de plasticidade GABAérgica espinhal controlada por neuroligina 2. Adriele Alves Santos 9. Dor crônica neuropática: Quem é mais importante? Células residentes ou infiltradas? Um redirecionamento do nosso olhar. Andreza Urba de Quadros
Paulo Barboni
Published: 1 August 2016
Abstract:
Edição de Julho de 2016 - Ano 16 - Número 192 Esta é uma edição especial: uma homenagem ao idealizador deste projeto! Aqui nos despedimos do Prof. Dr. Sérgio Henrique Ferreira, que nos deixou neste mês de julho, depois de uma vida dedicada ao desenvolvimento da Ciência Brasileira, à sua divulgação e difusão. Este “jornal eletrônico” (como ele sempre chamava o DOL), agora com 16 anos de existência, é uma evidência disso. Por esse motivo, a Equipe DOL tomou para si uma árdua tarefa neste momento de seu passamento: honrar nosso Editor-Chefe com uma edição que pudesse traduzir um pouco do que foi a somatória de suas contribuições como cientista, pesquisador, educador e amigo... Esperamos que nosso objetivo tenha sido alcançado... Boa leitura! Editorial (especial) Sérgio Henrique Ferreira: quando a curiosidade é a força motriz... Ieda Regina dos Santos, José Waldik Ramon, Mani Indiana Funez e Paulo Gustavo Barboni Dantas Nascimento Nossa ideia ao escrever este editorial foi contar resumidamente (e “bem resumidamente”) um pouco da história dessa figura ímpar chamada Sérgio Henrique Ferreira. Além da parte textual, procuramos fazer algo um pouco diferente, criando um mural de fotos que ilustra momentos da vida do idealizador do DOL – Dor On Line, mostrando um pouco mais de suas facetas... Alertas (especial) 1. Toxina isolada do veneno da jararaca potencializa ação da Bradicinina. Um novo mecanismo in vivo para o desenvolvimento de novas drogas. Paulo Gustavo Barboni Dantas Nascimento 2. Isolamento de peptídeos potencializadores da ação da bradicinina presentes no veneno da jararaca Bothrops. Um passo a mais para o desenvolvimento dos inibidores da ECA Cássia Regina da Silva 3. Efeitos da indometacina e da aspirina sobre a liberação de prostaglandinas. Um passo a mais em direção ao Nobel. Andreza Urba de Quadros 4. Prostaglandinas e a analgesia da aspirina. No caminho de desvendar a sensibilização de aferentes periféricos. Mani Indiana Funez 5. O bloqueio da geração local de prostaglandinas esclarece o efeito analgésico da aspirina. A via clássica de ação das aspirinas. Alexandre Hashimoto Pereira Lopes 6. A hiperalgesia das prostaglandinas. O envolvimento de íons cálcio e o cAMP. Paulo Gustavo Barboni Dantas Nascimento 7. Bloqueio pelo soro anti-macrófagos da migração de neutrófilos polimorfonucleares para a cavidade peritoneal inflamada. Neutrófilos e sua atuação como células de alarme durante o processo inflamatório Jozi Godoy Figueiredo 8. Interleucina-1 beta como potente agente hiperalgésico. A Interleucina IL-1β, potente agente hiperalgésico, é antagonizada por um tripeptídeo análogo. Miriam das Dores Fonseca 9. Mecanismo de ação da analgesia periférica da morfina - estimulação do sistema do L-arg/NO/GMPc. A morfina promove analgesia através do óxido nítrico em neurônios periféricos. Anne Karoline Schreiber 10. A analgesia periférica da morfina depende da...
Paulo Barboni
Published: 30 June 2016
Abstract:
Edição de Julho de 2016 - Ano 16 - Número 191 Nesta edição de junho temos um editorial inspirado no Ano Mundial Contra as Dores das Articulações, da IASP, falando sobre dor orofacial e as desordens da articulação temporomandibular. Em nossa seção de Divulgação Científica, temos alertas tratando do problema do sono em adultos; mais um efeito indesejado do paracetamol; uma iniciativa de dar o quinto sentido, a dor, a robôs; e um estudo clínico em adolescentes mostrando a relação direta entre a atividade esportiva e a dor músculo esquelética; temos também o problema da terapia opioide em diferentes facetas, uma interessante matéria da Times LA sobre as estratégias de venda e propaganda. Em nossa seção de Ciência e Tecnologia, um estudo complementar mostrando que no pós-operatório da artrosplastia total, o uso persistente de opioides pode não estar associado à dor; temos também alertas mostrando uma técnica analgésica com menor dor pós-operatória; o papel da IL-10 na atividade física regular e um mecanismo para a participação do C5a/C5aR na hipernocicepção térmica. Boa Leitura! Editorial Dor orofacial e as desordens da articulação temporomandibular: perspectivas e terapêutica para dor Alexandre Hashimoto Pereira Lopes Divulgação Científica 1. Oxycontin e seus riscos. O estranho mercado dos opioides nos EUA. Amanda de Araújo Fonseca 2. Problemas de sono e dor. Estudo em adultos emergentes. Andressa Daiane de Carvalho Zaparrolli 3. Estudo revela mais um efeito colateral do paracetamol. Paracetamol poderia prejudicar a capacidade de sentir empatia pela dor de outras pessoas? Miriam das Dores Mendes Fonseca 4. Um sistema nervoso artificial para ensinar robôs a sentir dor. Concedendo reflexos e propriocepção às máquinas. Paulo Gustavo Barboni Dantas Nascimento 5. Relação dose-resposta entre atividade esportiva e dor músculo-esquelética em adolescentes. Atividades esportivas em excesso podem levar à dor. Mirelle Falcão Barreto Ciência e Tecnologia 6. Bloqueio paravertebral unilateral em comparação com a anestesia subaracnóidea para a gestão da síndrome da dor pós-operatória após a herniorrafia inguinal. Utilização de bloqueio paravertebral para diminuir incidência de dor pós-operatória. Thaise Loyanne Felix Dias 7. Atividade física regular e seus benefícios. O papel da IL-10. Cássia Regina da Silva 8. Um mecanismo proposto para a participação de C5a/C5aR na hipernocicepção térmica. Será que temos um caminho? Andreza Urba de Quadros 9. Tendências e preditores do uso de opioides após a artroplastia total de quadril e joelho. Uso persistente de opioides após cirurgia pode não estar associado à dor articular. Leonardo Gomes Oliviera da Silva 10. Correlação entre roedores e humanos. É possível? Andreza Urba de Quadros
Paulo Barboni
Published: 31 May 2016
Abstract:
Edição de Maio de 2016 - Ano 16 - Número 190 Caros leitores, neste mês de maio, às vésperas de uma nova estação do ano e com as temperaturas mais baixas em algumas regiões do Brasil, temos o mote para o nosso editorial do mês: Por que sentimos mais dor no frio? Na nossa seção de Divulgação Científica temos alertas sobre a eficácia de medicamentos na osteoartrite; a dor física e a sociabilidade; o paracetamol e seus efeitos adversos; o eterno debate sobre a eficácia da acupuntura sobretudo na Inglaterra, que agora parece estar mais assertiva; e um efeito adverso de altas doses do Ibuprofeno. Na seção de Ciência e Tecnologia, trazemos os seguintes alertas: a plasticidade no sistema de sinalização endovaniloide; o consumo de opioides relacionado a tendências suicidas; um modelo de dor de cabeça de astronautas; um mecanismo de reparo de lesão medular e uma nova ação farmacológica da N-acetil-cisteína na dor. Boa Leitura! EDITORIAL DO MÊS Por que sentimos mais dor no frio? Francisco Fábio Bezerra de Oliveira Divulgação Científica 1. Eficácia de medicamentos para a osteartrite. Paracetamol melhora a dor da osteoartrite? Ieda Regina dos Santos 2. Pessoas mais sociáveis suportam melhor a dor física. Ter mais amigos funciona como analgésico natural. Alexandre Hashimoto Pereira Lopes 3. Novo efeito colateral do paracetamol. Paracetamol pode prejudicar capacidade de tomar decisões. Miriam das Dores Mendes Fonseca 4. Afinal acupuntura melhora ou não a dor? Novo estudo diz que acupuntura não é melhor que placebo para tratar dor nas costas. Larissa Garcia Pinto 5. Agência Européia de Medicina alerta acerca dos possíveis riscos cardiovasculares associados a altas doses de anti-inflamatórios. OTC´s mais vendidos do mundo! Rafael Poloni Ciência e Tecnologia 6. Endovaniloides modulam a dor via RVM em modelo de neuropatia diabética. Alterações plásticas na via de sinalização. Erika Ivanna Araya Pallarés 7. Dose de opioides e risco de suicídio. Consumo de opioides como marcador de risco de suicídio Thatiane Sandielen Lima Soares 8. Dor de cabeça sob microgravidade simulada. A relação com o sistema endócrino, distribuição de fluídos, e as alterações nas junções ocludentes. Ana Carolina Alves M. de Moura 9. Neuregulina-1 e o reparo espontâneo após lesão medular. Fator de crescimento é responsável por mecanismo de reparo endógeno após lesão de nervo. Larissa Garcia Pinto 10. N-acetil-cisteina atenua dor neuropática. Ação em metaloproteinases e a maturação de citocinas pró-inflamatórias. Paulo Gustavo Barboni Dantas Nascimento
Paulo Barboni
Published: 30 April 2016
Abstract:
Edição de Abril de 2016 - Ano 16 - Número 189 Leitores do Boletim Dor On line, nesta edição temos um editorial sobre a ameaça da epidemia do vírus Zika e suas complicações. Em nossa seção de Divulgação Científica trazemos alertas sobre a Fascite Plantar, a prescrição de opioides em Nova York, os cuidados primários em portadores de HIV e a dor crônica, implantes wireless contra a dor e novos alertas contra AINEs. Em nossa seção de Ciência e Tecnologia trazemos alertas sobre o envolvimento do canal TRPA1 na neuropatia do trigêmeo, a análise do transcriptoma após lesão nervosa, a contribuição de auto anticorpos na artrite reumatoide para a manutenção da dor, o aumento da expressão de quimiocinas na medula espinal na neuropatia e a síntese de opioides por leveduras. Boa Leitura! EDITORIAL DO MÊS Manifestações neurológicas com histórico de infecção viral e a epidemia de Zika no Brasil Paulo Gustavo Barboni Dantas Nascimento Divulgação Científica 1. Atenção corredores: dores na sola dos pés, alerta ligado para Fascite Plantar. A um passo de uma dor crônica. Jozi Godoy Figueiredo 2. Lei proíbe prescrições manuscritas para combater o abuso e dependência de opioides. Novo formato de prescrições para a cidade de Nova York. Amanda de Araújo Fonseca 3. Dor crônica nos cuidados primários de HIV. Características clínicas e associação com utilização dos serviços de saúde. Isabel Rosa de Araújo 4. Dispositivos sem fio implantados em animais podem ser ativados e bloquear os sinais de dor. Optogenética wireless! Simone Aparecida Antoniazi Pereira 5. Anti-inflamatórios não esteroidais podem estar relacionados com ataque cardíaco e risco de derrame. O FDA tem alertado continuamente sobre eventos adversos cardiovasculares. Rafael Poloni Ciência e Tecnologia 6. A neuropatia do trigêmeo é mediada pela ativação de receptores TRPA1. A infiltração de monócitos/macrófagos e o estresse oxidativo Cássia Regina da Silva 7. Análise de transcritoma de alta resolução revela expressão de genes característicos da dor neuropática na microglia espinal após lesão nervosa. Possível influência dos genes Gria1 e miR- 29c. Leonardo Gomes Oliveira da Silva 8. Presença de auto anticorpos durante artrite reumatoide contribui para manutenção da dor. Dor articular persistente ocorre por mecanismo dependente de quimiocinas. Larissa Garcia Pinto 9. Neuropatia induz aumento da expressão de CXCL13 e CXCR5 na medula espinhal. Interação entre neurônios e astrócitos na medula espinhal contribui para dor neuropática. Larissa Garcia Pinto 10. Biossíntese completa de opioides em levedura. Leveduras como forma alternativa para produção de opioides. Adriele Alves Santos
Paulo Barboni
Published: 1 April 2016
Abstract:
Edição de Março de 2016 - Ano 16 - Número 188 Olá, leitores! Epigenética e dor é o tema de nosso editorial desse mês. Na seção de Divulgação Científica, trazemos alertas tratando de assuntos como o uso da pupilometria na avaliação da analgesia opioide; a relação do excesso de trabalho e a lombalgia; novas propostas de analgésicos, inclusive em serviços de música on line; e mais um artigo ligado ao “Ano de Combate à Dor Articular”. Na seção de Ciência e Tecnologia, trazemos alertas tratando da inibição da via da tetrahidrobiopterina; a identificação de um fator ligado à proliferação microglial em nervos lesionados; um alvo proteico ligado ao estresse e dor crônica e um novo tipo de priming hiperalgésico. Boa Leitura! Editorial Participação de mecanismos epigenéticos na dor crônica: uma crescente área de investigação Andreza Urba de Quadros Divulgação Científica Movimento da pupila pode predizer redução da dor pela administração de opioides. Pupilometria auxilia no tratamento da dor. Alexandre Hashimoto Pereira Lopes Dor nas costas aumenta em pessoas viciadas em trabalho. Você é um workaholic? Se sim, cuidado! Dênis Augusto Santana Reis Analgésicos potentes para o alívio da dor. Pesquisa mostra o efeito de análogos às endomorfinas administrados para aliviar a dor. Andressa Daiane de Carvalho Zaparolli Dorflex cria 'analgésico musical'. O uso de uma terapia musical pode funcional como um tratamento complementar ao tratamento farmacológico. Dênis Augusto Santana Reis Prescrição e efeito total da utilização de analgésicos, hipnóticos, antidepressivos e ansiolíticos. Resultado proveniente de uma população total de pacientes com artroplastia no quadril. Ana Carolina Alves M. de Moura Ciência e Tecnologia Redução da dor inflamatória e neuropática através da inibição da via da tetrahidrobiopterina (BH4). Pesquisadores desenvolveram um inibidor da via de BH4 capaz de reduzir a dor crônica sem causar tolerância e efeitos adversos. Flávia Viana Santa-Ceclília CSF-1 derivado do nervo sensorial lesionado induz proliferação microglial e dor via dependente de DAP12. Neurônios sensoriais lesionados ativam a micróglia. Miriam das Dores Mendes Fonseca Avaliação in vivo e in vitro dos efeitos da Urtica dioica e natação em fatores do diabetes. A Urtiga é utilizada como planta medicinal para o tratamento de diversas patologias. Erika Ivanna Araya Pallarés Proteína FKBP51, envolvida na resposta do organismo ao estresse, envolvida na origem da dor crônica. Proteína FKBP51 como um possível alvo terapêutico para o tratamento da dor crônica. Sabrina Francesca de Souza Lisboa Agonista do receptor adenosina-a1 induz sensibilização hiperalgésica tipo II. Modelo de cronificação da dor. Thatiane Sandielen Lima Soares
Paulo Barboni
Published: 29 February 2016
Abstract:
Edição de Fevereiro de 2016 - Ano 16 - Número 187 Leitores do boletim Dor On Line, nesta edição trazemos um editorial sobre avanços no entendimento e tratamento da ressaca, o conjunto de sintomas que sofremos após a intoxicação por bebidas alcoólicas. Na seção de Divulgação Científica, trazemos alertas sobre a dor pós-operatória em crianças e sua relação com os pais; inovações no entendimento do tratamento da dor com laser; um teste Von Frey caseiro; o ano mundial contra a dor nas articulações; e a febre Chikungunya e dor. Na seção de Ciência e Tecnologia, trazemos alertas sobre o canal piezo2 e a dor endotélio-dependente; a relação do canal NAV1.7, a insensibilidade à dor e opioides endógenos; a implicação de alterações epigenéticas na cronificação da dor; novas implicações à teoria do portão de modelagens computacionais; e a implicação de canais TRP no endométrio em processos inflamatórios e hormonais. Editorial do mês - A ressaca: sintomatologia, fisiopatologia e avanços na terapêutica Paulo Gustavo Barboni Dantas Nascimento Sabrina Francesca de Souza Lisboa Divulgação Científica Trajetória da dor pós-operatória em crianças. Como o cuidado com a família pode levar à melhor recuperação da criança. Mirelle Falcão Barreto Interação de laser com neurônios. Óptica de tecidos e fotoneuromodulação da dor. Amanda de Araújo Fonseca Construir, testar e validar um conjunto de filamentos de von Frey caseiros. Uma alternativa precisa para a avaliação da nocicepção, Amanda de Araújo Fonseca Ano mundial contra a dor nas articulações. Oficialmente lançado em 11 de janeiro de 2016 pela IASP. Cássia Regina da Silva Febre Chikungunya e dor.Possível fardo de longa duração de uma doença aguda. Jozi Godoy Figueiredo Ciência & Tecnologia Contribuição de piezo2 à dor endotélio-dependente. Piezo2 e a perspectiva de possíveis tratamentos pré-clínicos de dores vasculares e de neuropatias causada por oxaliplatina. Thatiane Sandielen Lima Soares Ausência do canal de sódio Nav1.7 e a insensibilidade a dor. Contribuição dos opioides endógenos. Larissa Garcia Pinto Alterações epigenéticas e dor crônica. Metilações no DNA no córtex pré-frontal e células T podem não apenas diagnosticar e predizer o desenvolvimento da dor crônica. Andreza Urba de Quadros A famosa teoria do portão revisada. A realidade não parece ser tão fiel a essa teoria. Rafael Poloni Regulação positiva de receptores TRPA1 e TRPV1 no endométrio de ratas dependente de estrogênio. A dependência da expressão de mediadores inflamatórios. Erika Ivanna Araya Pallarés
Paulo Barboni
Published: 31 January 2016
Abstract:
Edição de Janeiro de 2016 - Ano 16 - Número 186 Caros leitores, feliz 2016! Nesta edição de janeiro apresentamos os trabalhos expostos no 47º Congresso da Sociedade Brasileira de Farmacologia e Terapêutica Experimental (SBFTE), realizado de 28 de outubro a 01 de novembro de 2015, em Águas de Lindóia, Brasil. Acompanhando esta edição, temos um editorial falando um pouco da Sociedade Brasileira de Farmacologia e Terapêutica Experimental. Boa Leitura! Editorial A Sociedade Brasileira de Farmacologia e Terapêutica Experimental (SBFTE) Mani Indiana Funez Paulo Gustavo Barboni Dantas Nascimento Trabalhos apresentados no 47º Congresso da Sociedade Brasileira de Farmacologia e Terapêutica Experimental, realizado em Águas de Lindóia, Brasil. Caracterização farmacológica de tratamento concentrado de óleo de peixe em modelo experimental de dor neuropática Mirelle Falcão Barreto Propriedades anti-inflamatórias e antinociceptivo do extrato etanólico das folhas de Trema micrantha Mirelle Falcão Barreto Gedunin induz efeito anti-nociceptivo em camundongos suíços Isabel Carolina de Sousa Alves Efeito anti-hiperalgésico sinérgico do diclofenaco associado com terpinoleno na dor inflamatória em ratos Thatiane Sandielen Lima Soares A curcumina como alvo diferentes vias de sinalização para reduzir a hiperalgesia induzida por ânion superóxido Amanda de Araújo Fonseca Flavonoides presentes em cana de açúcar demonstram atividade antinociceptiva Guilherme Guimarães da Silva Papel do nitroxil na redução da dor neuropática Guilherme Guimarães da Silva Efeito antinociceptivo periférico do resveratrol é mediado pela ativação do receptor μ-opioide Adriele Alves Santos Estudo da atividade analgésica do extrato de Solidago chilensis Meyen enriquecido com diterpenos Adriele Alves Santos Papel dos receptores de reconhecimento padrão do tipo toll 4 na neuralgia herpética e pós-herpética Ana Carolina Alves M. de Moura Cássia Regina da Silva
Paulo Barboni
Published: 31 December 2015
Abstract:
Edição de Setembro de 2015 - Ano 16 - Número 182 Prezados leitores, finalizando o ano de 2015, trazemos nesta edição os trabalhos apresentados no Quinto Congresso Internacional em Dor Neuropática da IASP, realizado de 14 a 17 de maio de 2015, em Nice, França. Ainda, acompanhando esta edição, temos um editorial tratando sobre o canal de sódio Nav1.9 e seu papel na inflamação e na dor neuropática. Boa Leitura! Editorial No Gain, No Pain! Nav 1.9: uma nova arma para o tratamento da dor? Larissa Garcia Pinto Trabalhos apresentados no Quinto Congresso Internacional em Dor Neuropática da IASP, realizado de 14 a 17 de maio de 2015. Neuroesteróides são potenciais novos agentes analgésicos para dor neuropática do diabetes. Simone Aparecida Antoniazi Pereira Comportamento de ansiedade e prejuízo no Locus Coeruleus em dois modelos de neuropatia em ratos: um estudo comparativo. Alexandre Hashimoto Pereira Lopes Envolvimento do receptor de insulina IGF1 no tratamento de neuropatia diabética. Jozi Godoy Figueiredo Citidina 5-difosfocolina (citicolina) inibe a dor neuropática e a expressão de canais de sódio Nav 1.7 após lesão do nervo ciático por esmagamento. Anne Karoline Schreiber A separação materna no período neonatal pode servir como modelo animal relevante para estudar a fibromialgia? Cássia Regina da Silva Caracterização farmacológica da eficácia analgésica do CR4056, um novo ligante do receptor imidazoline-2. Andressa Daiane de Carvalho Zaparolli Gabapentina reduz nocicepção em modelo de osteoartrite em roedor: isto seria um componente neuropático da dor por osteoartrite? Rangel Leal Silva O papel da CASPR2 na regulação de sensibilidade dolorosa. Alexandre Hashimoto Pereira Lopes TRPA1 contribui para hiperalgesia facial ao frio induzida por capsaicina em ratos. David Wilson Ferreira Comorbidades na neuropatia dolorosa e silenciosa. Miriam das Dores Mendes Fonseca
Paulo Barboni
Published: 1 December 2015
Abstract:
Edição de Novembro de 2015 - Ano 16 - Número 184 Caros leitores, a edição de novembro de 2015 do Boletim Dor on line traz a vocês um editorial sobre receptores de adenosina e o seu papel na Dor e seu tratamento. Na seção de Divulgação Científica, temos alertas tratando da prevalência da disfunção temporomandibular em jovens brasileiros, a eficácia de TENS em idosos, evidências genéticas da dor neuropática na dor crônica generalizada, diferenças sexuais e enxaqueca em crianças e analgesia intratecal. Na seção de Ciência e Tecnologia, temos alertas tratando da função da dopamina na fibromialgia e dos receptores opioides na artrite, obtidos por PET, a relação dos microRNAs e a cronificação da dor, administração guiada por imagem de agonistas TRPV1 no gânglio e o desenvolvimento de um novo método experimental para a evolução da artrite em camundongos. Boa Leitura. Editorial Adenosina e seus receptores: alvos para o desenvolvimento de analgésicos. Andreza Urba de Quadros Divulgação Científica 1. Dor orofacial e estalo ao mastigar, sinais de uma articulação esquecida. Disfunção Temporomandibular em uma população Brasileira de jovens-adolescentes. Cássia Regina da Silva 2- Estimulação elétrica nervosa transcutânea de alta e baixa frequência não reduz dor experimental em idosos. Eficácia da estimulação elétrica nervosa transcutânea (TENS) em idosos é controversa. Adriele Alves Santos 3. Dor neuropática como parte da dor crônica generalizada: influências de fatores genéticos e ambientais. Leonardo Gomes Oliveira da Silva 4. O cérebro, a enxaqueca e o desenvolvimento de meninos e meninas. Estudo avalia diferenças de gêneros na prevalência da doença durante o crescimento. Paulo Gustavo Barboni Dantas Nascimento 5. Analgesia intratecal na dor crônica refratária. Um método de alívio da dor. Amanda de Araujo Fonseca Ciência e Tecnologia 6. Função da dopamina diferencial na fibromialgia. Fibromialgia e dopamina: uma percepção emocional. Thatiane Sandielen Lima Soares 7. Teste de incapacitação dinâmico. Uma importante ferramenta complementar no estudo da dor e incapacitação articulares. Andreza Urba de Quadros 8. Expressão de microRNA e seu envolvimento no desenvolvimento da dor músculo-esquelética persistente. Fatores epigenéticos podem contribuir para a persistência da dor músculo-esquelética? Guilherme Guimarães da Silva 9. Tratamento seletivo periférico da dor com precisão guiada por imagem. Injeção de agonista de TRPV1 guiada por tomografia computadorizada nos gânglios da raiz dorsal diminui a transmissão nociceptiva. Flávia Viana Santa-Cecília 10. Disponibilidade de receptor opioide no estriado está relacionada à percepção aguda e crônica da dor na artrite. A adaptação opioide aumenta a resistência à dor crônica? Andressa Daiane de Carvalho Zaparolli Leonardo Gomes Oliviera da Silva
Paulo Barboni
Published: 31 October 2015
Abstract:
Edição de Outubro de 2015 - Ano 16 - Número 183 Prezados leitores, em nossa edição 183 temos contribuição “internacional”, vinda da Universidade de Nottingham, Inglaterra: o Prof. Gareth Hathway nos traz texto sobre a dor em crianças. Além do texto original em inglês, oferecemos uma adaptação em língua portuguesa elaborada por Renata Cristina Mendes Ferreira, doutoranda da UFMG e, também, por Andreza Urba de Quadros, doutoranda e membro do corpo editorial do DOL que está desenvolvendo suas atividades junto ao laboratório do Prof. Gareth. Além disso, trazemos também em nossa seção de Divulgação Científica alertas tratando da Sociedade Brasileira de Médicos Intervencionistas em Dor, do uso da aspirina e cafeína e enxaquecas, o colesterol alto e a enxaqueca, a influência do exercício na artrite reumatoide e a relação entre a sobrevida do câncer gastrointestinal e o uso da aspirina. Temos também em nossa seção de Ciência e Tecnologia alertas tratando de circuitos espinhais da alodinia mecânica, sobre como o exercício pode prevenir a dor neuropática, como a lidocaína causa analgesia, a origem do bem estar do exercício físico e a influencias de canais HCN na dor neuropática. Boa Leitura! 1. 3° Congresso da Sociedade Brasileira de Médicos Intervencionistas em Dor. SOBRAMID – uma esperança na direção de um tratamento adequado. Cássia Regina da Silva 2. Uso combinado entre aspirina e cafeína e o aumento da frequência da dor de cabeça. Estudo longitudinal desmistifica problema. Guilherme Henrique Alves 3. Níveis altos de colesterol e intensidade de enxaqueca. Relação entre medicamento para enxaqueca e níveis lipídicos no sangue. Ieda Regina dos Santos 4. Exercícios de alta intensidade podem melhorar aspectos cardiovasculares na artrite reumatoide. Relação entre exercícios físicos e artrite. Rafael Poloni 5. Aspirina apresenta efeito benéfico em pacientes com câncer gastrointestinal. Estudo realizado em 14.000 pacientes com câncer aponta que a aspirina prolonga o tempo de vida dessas pessoas. Flávia Santa Cecília Ciência e Tecnologia 6. Desvendando os circuitos espinhais da dor e da alodinia mecânica. Como circuitos espinhais medeiam a sensação tátil inócua, e como essa informação se transforma em sensação dolorosa? Cássia Regina da Silva 7. Exercício intenso em esteira após lesão neuronal pode prevenir a dor neuropática. Influência nos brotamentos laterais e homeostase de cotransportadores de cloreto. Guilherme Guimarães 8. O metabólito de lidocaína, N-etilglicina, tem efeitos antinociceptivo em modelo experimental inflamatório e dor neuropática. Uso de lidocaína sistêmica possui efeito antinociceptivo? Amanda de Araujo Fonseca 9. Sistema endocanabinoide e exercícios. Prazer e efeito ansiolítico de exercícios intensos são associados a receptores CB. Paulo Gustavo Barboni Dantas Nascimento 10. Bloqueio de canais iônicos específicos no cérebro reduz a dor neuropática. Um novo estudo aponta novas perceptivas para pacientes com dor crônica. Flávia Santa Cecília
Paulo Barboni
Published: 31 August 2015
Abstract:
Edição de Agosto de 2015 - Ano 16 - Número 181 Nossa edição de agosto sempre é uma edição auspiciosa. O Dor On Line faz aniversário: 16 anos de existência! Neste ano, como todo processo de amadurecimento, mudanças ocorreram. Esta iniciativa de divulgação e promoção do estudo da dor passou por um processo de consolidação de esforços. Hoje o Boletim Dor On Line é uma publicação seriada, veiculada em mais de um formato digital, disponível em nosso portal, no portal de periódicos da Universidade de Brasília e indexado no Diretório Latindex, um sistema de informação dedicado ao registro e difusão de revistas acadêmicas editadas nos países ibero-americanos. Lá, fazemos parte do Catálogo Latindex, onde títulos são selecionados segundo critérios internacionais de qualidade editorial, testados e adotados pelo Sistema Latindex. E nesta edição comemorativa, trazemos um editorial em homenagem a J.J. Bonica, Presidente Fundador da IASP. Além disso, em nossa sessão de Divulgação Científica trazemos alertas tratando de infiltração anestésica e operações de colocação de próteses; lombalgias por infecção; canabinoides para dores neuropáticas; a inauguração de uma Unidade de Pesquisa Clínica de neuropatias; e a relação da analgesia por opioides e a depressão e a ansiedade. Na seção de Ciência e Tecnologia, trazemos alertas sobre endometriose e receptores EP; mecanismos neurais da dor crônica; relações neuro-imunes da asma e neurônios sensoriais; relações metabólicas de neurônios, astrócitos e endocanabinoides; e também o papel do retículo endoplasmático no desenvolvimento da dor neuropática. Boa Leitura! Editorial Afinal quem é John J. Bonica? Miriam das Dores Mendes Fonseca Divulgação Científica 1. Infiltração de anestésico local durante cirurgias para inserção de prótese do quadril diminui a cronificação da dor. Procedimento anestésico simples com grande impacto. José de Alsimir Gomes Júnior 2. Dor forte e persistente nas costas? Atenção! Pode ser uma infecção! Um alerta sobre a osteomielite vertebral Andreza Urba de Quadros 3. Eficácia da Cannabis inalada na neuropatia diabética dolorosa. Pesquisadores avaliam o uso de THC spray para aliviar a dor em pacientes com neuropatia periférica diabética Andressa Daiane de Carvalho Zaparolli 4. Universidade Federal Fluminense inaugura Unidade de Pesquisa Clínica em Neurologia e Neurociências. O objetivo é uma referência em pesquisa neurológica e diagnóstico de neuropatias. Paulo Gustavo Barboni Dantas Nascimento 5. Ansiedade e depressão podem estar associadas a uma menor analgesia ou uso incorreto de opioides em pacientes com dor crônica. Estes analgésicos podem ter pouca eficácia em alguns indivíduos. Cássia Regina da Silva Ciência e Tecnologia 6. Endometriose e receptores EP2 e EP4. Bases moleculares e pré-clínicas para uma terapia não hormonal. Paulo Gustavo Barboni Dantas Nascimento 7. Cientistas...
Paulo Barboni
Published: 24 August 2015
Abstract:
Chamada da Edição Caros leitores, iniciando o ano de 2015 o boletim Dor On Line traz a vocês o primeiro de uma série de editoriais tendo como tema as toxinas e o estudo da dor. Ainda, e complementando nossa edição anterior, trazemos resumos apresentados em congressos no ano de 2014, mostrando aqui alertas sobre alguns trabalhos discutidos em formato de pôster no 46º Congresso Brasileiro de Farmacologia e Terapêutica Experimental, promovido pela SBFTE, Sociedade Brasileira de Farmacologia e Terapêutica Experimental, em Fortaleza - CE, de 21 a 24 de outubro de 2014. Boa Leitura! Alertas 1. O Bloqueio do receptor de potencial transitório A1 reduz a hiperalgesia em um modelo de neuralgia do trigêmeo. 2. Avaliação da eficácia terapêutica do extrato de óleo de peixe no tratamento da dor neuropática. 3. Ativação supraespinal da via das quinureninas contribui para a manutenção da dor neuropática. 4. Ativação da aldeído-desidrogenase 2 reduz a dor neuropática e adutos de 4-hidroxinoneal. 5. O envolvimento do sistema opioidérgico na analgesia induzida por enriquecimento ambiental. 6. NOD1 E NOD2 contribuem para a gênese da dor neuropática e estão envolvidos na ativação de células gliais. 7. Polissacarídeo sulfatado derivado de algas vermelha solieria filiformis reduz hipernocicepção mecânica na articulação temporomandibular de ratos durante a artrite induzida por zymosan. 8. IFN-γ induz indoleamina (2,3)-dioxigenase (IDO) na medula espinal que contribui para a gênese da dor neuropática. 9. TNF-α participa da hipernocicepção e da inflamação induzida por cristais de urato em camundongos. 10. Investigação do papel dos receptores Toll-like 9 (TLR9) no desenvolvimento e manutenção da dor crônica inflamatória e neuropática.
Paulo Barboni
Published: 24 August 2015
Abstract:
Chamada da Edição Caros Leitores do Boletim Dor on Line, bem vindos a nossa edição 175, do mês de fevereiro de 2015! Nesta edição, continuamos com a série de editoriais com temática nas toxinas. Nesta edição temos a toxina pertussis como o tema do editorial. Temos também em nossa seção de divulgação científica alertas tratando dos fatores biopsicossociais associados a dor crônica em idosos depressivos, novos avanços na pluripotência celular e fabricação de neurônios da dor, avanços no entendimento da transmissão da dor crônica, o abuso do uso de celulares e algumas ações inusitadas das companhias farmacêuticas no mundo. Na seção de Ciência e Tecnologia apresentamos alertas sobre a estimulação transcraniana por corrente direta, o agonismo A3 e a analgesia da dor neuropática, uma revisão da farmacoterapia da dor neuropática e o papel do inflamossoma na hiperalgesia inflamatória aguda. Divulgação Científica 1. Determinantes físicos, de estilo de vida, psicológicos e sociais da dor em idosos depressivos. Fatores biopsicossociais associados à dor crônica e aguda em idosos com depressão. 2. Pesquisadores transformam células. Transformando células da pele em nociceptores. 3. Cientistas traçam circuito espinhal responsável pela dor crônica. Estudo de novas terapias para doenças como fibromialgia e dor do membro fantasma. 4. Inclinar a cabeça para checar o celular prejudica a coluna, diz estudo. Uso excessivo de celular pode causar sérios danos à saúde. 5. Pfizer, pregabalina e a medicina. A regulação do uso de medicamentos para a dor neuropática é bem diferente por ai afora. Ciência e Tecnologia 6. Estimulação Transcraniana por Corrente Direta (ETCC) e Dor. ETCC mostra baixos níveis de evidência no tratamento da dor. 7. Ativação do receptor de adenosina A3 endógeno alivia seletivamente estados de dor persistente. Agonismo seletivo A3 para o tratamento da dor neuropática? 8. Farmacoterapia da dor neuropática em adultos. Guia baseado em evidências revisa os avanços da última década. 9. Inflamassoma NLRC4/ASC/Caspase-1 contribui para hiperalgesia inflamatória aguda via IL-1β. O que o NLRC4 vê, o nervo sente.
Paulo Barboni
Published: 17 August 2015
Abstract:
Edição de Março de 2015 – Ano 15 – Número 176 Caros leitores, nesta edição de março de 2015, apresentamos mais um editorial tratando de toxinas e a dor. Neste mês, temos a toxina botulínica como nosso tema. Além disso, temos alertas de divulgação científica tratando de assuntos como alguns desenvolvimentos no diagnostico errado da fibromialgia, o uso de gás hilariante na analgesia do parto, o uso de imagens de ressonância magnética do SNC para comprovar dor em perícias judiciais, a endometriose e a dor, e a terapia celular da osteoartrite. Na nossa seção de C&T temos alertas tratando de um peptídeo potencializador de canais de potencial transiente, moduladores de canais NAV1.7 e um análogo da bradicinina antinociceptivo isolados de toxinas de invertebrados, descobertas nos mecanismos da compulsão alimentar de canabinoide e o papel dos oligodendrócitos na dor. Boa Leitura! Divulgação Científica 1. Dor crônica generalizada. Imprecisão no diagnostico. 2- Dor de Parto. Rir ou chorar para aliviar a Dor. 3. Técnicas de análise de imagens cerebrais e "provas" em tribunais americanos. Enquanto alguns anseiam comprovar seu estado doloroso, outros temem o seu uso indevido. 4. Sintomas da endometriose e saiba quais os tratamentos. Como saber se você tem endometriose 5. Células-tronco: uma nova abordagem terapêutica contra dores articulares. Alívio da dor em paciente com osteoartrite após regeneração da cartilagem. Ciência e Tecnologia 6. Tmem100, um peptídeo endógeno, potencializa a hiperalgesia inflamatória por modular a interação TRPA1-TRPV1. Um intruso na boa relação. 7. Moduladores de canais iônico NAV1.7 provenientes do veneno da Tarântula podem ajudar no tratamento de dores crônica. Um novo estudo demonstra alvos promissores no tratamento de dores crônicas. 8. Larica da maconha é mediada por B-endorfinas. Ativação de CB1R em neurônios hipotalâmicos mostra novo mecanismo paradoxal dos sistemas canabinoide e opioide. 9. O papel dos oligodendrócitos na dor. O que ainda não sabíamos sobre eles? 10. Thr6-BK: um importante peptídeo antinociceptivo no veneno de vespa. Contribuição brasileira para o desenvolvimento de novas drogas.
Paulo Barboni
Published: 13 August 2015
Abstract:
Edição de Abril de 2015 – Ano 15 – Número 177 Caros Leitores, a equipe do Dol apresenta a vocês a edição de abril de 2015 de nosso Boletim mensal. Nesta edição trazemos um interessante editorial tratando do Sistema Complemento, um histórico e seu papel na dor, sistema imune e somatossensorial, e implicações clínicas. Além disso, em nossa seção de Divulgação Científica, trazemos alertas tratando de aplicativos para o gerenciamento da dor, um vídeo sobre um método fisioterápico para redução da dor, uma reflexão sobre o papel do farmacêutico no tratamento da dor crônica e do câncer, o papel da ligação afetiva estável na dor ,o custo e qualidade de vida em idosos com dor crônica, além de um novo estudo clínico avaliando combinações de opioide e antidepressivo para dor neuropática. Na seção de Ciência & Tecnologia, trazemos alertas tratando da participação de neurônios glicinérgicos no controle da dor e da coceira, oxidação e nocicepção na dor associada à endometriose, efeitos ansiolítico do tramadol e de embotamento emocional do acetominofeno. Boa leitura! Divulgação Científica 1. Aplicativos de celulares melhoram a atenção ao paciente. Tecnologia agindo na Dor. 2- Isostreching para dor osteomusculares. Método Francês para redução da dor. 3. Papel do farmacêutico no seguimento farmacoterapêutico para o controle da dor de origem oncológica. Inserção do farmacêutico no controle da dor. 4. A ligação afetiva de um casal estável no efeito de dor. A presença do parceiro associada à dor. 5. Severidade da dor crônica na população idosa na Suécia, impacto nos custos e na qualidade de vida. A dor crônica e a senescência estão diretamente relacionada com um aumento nos custos financeiros. 6. Estudo mostra combinação eficaz para alívio da dor neuropática. Estudo demonstra eficácia superior de analgésico opioide combinado com antidepressivo. Ciência e Tecnologia 7. Participação de neurônios glicinérgicos no controle da dor e da coceira. Estudo que reforça a teoria da comporta. 8. Oxidação e nocicepção na dor associada à endometriose. Uso de antioxidantes para o tratamento da dor em mulheres com endometriose. 9. Tramadol reduz a ansiedade e depressão possivelmente induzidas pela dor. Uso do tramadol no alívio de fatores emocionais e da dor crônica. 10. Acetaminofeno pode limitar a sua alegria. Uso do medicamento embota descriminação de imagens associadas a sentimentos positivos e negativos.
Paulo Barboni
Published: 30 July 2015
Abstract:
Edição de Junho de 2015 - Ano 15 - Número 180 Caros leitores de nosso Boletim, a edição 180 do Dor on line traz em seu editorial uma interessante reflexão sobre a dor neropática e a depressão, suas relações e implicações. Além disso, em nossos alertas, trazemos como Divulgação Científica temas como uma bomba de neurotransmissores implantável, uso de escalas de dor, a memória da dor, a influência da dieta na neuropatia periférica diabética e o que é a osteartrose. Em nossa seção de Ciência & Tecnologia, trazemos temas como a Doença de Alzheimer e a onectividade cerebral na dor, o papel do receptor GPR84, a ação analgésica da benzbromarona, o papel da SerpinA3N de linfócitos T na dor neuropática e como realizar ensaios clínicos com fidelidade na área da dor muscular. Boa Leitura! Divulgação Científica 1. Tratando o mal pela raiz. Novo dispositivo implantável para o controle da dor. 2- Paciente decide a quantidade de medicamento para dor aguda. Você quer mais medicamento? 3. Memória da Dor. É possível esquecer a dor? 4. Dieta rica em vegetais melhora dor neuropática diabética. Uma alimentação saudável pode ser a cura para pacientes . 5. Doença que afeta as articulações. Osteoartrose: o que é? Ciência e Tecnologia 6. Doença de Alzheimer e conectividade funcional de regiões cerebrais na percepção de dor. Neurodegeneração pode ser responsável pela percepção alterada de dor. 7. Papel do receptor GPR84 na dor neuropática. Atividade imunomodulatória do receptor acoplado à proteína G. 8. Ativação dos Canais KCNQ periféricos aliviam a dor da gota. Benzbromarona e o seu papel no alívio da dor periférica. 9. Inibidor de serina protease (SerpinA3N) atenua a dor neuropática. A inibição da leucócito elastase derivado de células T. 10. Estudos analgésicos sobre a dor muscular tardia. Como melhorar ensaios clínicos na fisioterapia e educação física.
Page of 2
Articles per Page
by
Show export options
  Select all
Back to Top Top