Refine Search

New Search

Advanced search

Results: 104

(searched for: doi:(10.17695/*))
Save to Scifeed
Page of 11
Articles per Page
by
Show export options
  Select all
Sciprofile linkMayra Sousa Gomes, Angélica Kercya Pereira De Mendonça, Thaís Oliveira Cordeiro, Maisie Mitchele Barbosa
Revista de Ciências da Saúde Nova Esperança, Volume 18, pp 118-126; doi:10.17695/revcsnevol18n2p118-126

Abstract:
O uso de plantas medicinais foi implantado no Sistema Único de Saúde, por meio da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares. A fitoterapia tem ganhado espaço no meio odontológico por apresentar produtos naturais com maior atividade terapêutica, menor toxicidade e melhor biocompatibilidade cientificamente comprovadas, além de revelar custos mais acessíveis ao público. O objetivo desse estudo foi revisar e sintetizar as informações da literatura científica sobre as plantas medicinais que são mais utilizadas para os problemas da cavidade bucal, de forma a contribuir e promover o uso dessa terapia pelos cirurgiões-dentistas. O presente trabalho foi realizado através da revisão de literatura especializada por abordagem indutiva, por meio de técnica de documentação bibliográfica. Os fitoterápicos são capazes de contribuir para a prevenção, controle e tratamento de várias doenças bucais, podendo ser usados concomitantes a medicamentos tradicionais (alopáticos) ou não. No entanto, é importante que o profissional conheça a ação farmacológica desses compostos fitoterápicos, bem como os seus efeitos colaterais, interações medicamentosas e as contraindicações.
Flávia Maria Palmeira Nunes, Amanda Benício Da Silva
Revista de Ciências da Saúde Nova Esperança, Volume 18, pp 98-106; doi:10.17695/revcsnevol18n2p98-106

Abstract:
As Síndromes Coronarianas Agudas (SCA) apresentam gravidade que requerem intervenção rápida devido ao risco eminente de morte. A enfermagem acolhe o paciente na porta de entrada do serviço e se faz presente durante todo processo de internação. Neste sentido, objetivou-se identificar evidências na literatura acerca dos cuidados de enfermagem ao paciente com SCA a partir de publicações científicas. Trata-se de uma revisão integrativa da literatura, com busca nas bases de dados: SciELO, LILACS e na BDEnf. Foram encontradas 20 publicações e, após os critérios de inclusão e exclusão pré-estabelecidos, foram selecionados 9 artigos. Evidenciou-se a importância quanto ao conhecimento da fisiopatologia das SCA, a atuação da enfermagem no acolhimento e classificação de risco, priorizando os casos de emergência, o tempo porta-ECG, os procedimentos realizados durante a internação, como banho no leito, adoção de medidas para redução dos níveis de estresse, ansiedade e fatores que diminuem a qualidade do sono, consequentes do processo de hospitalização, bem como a realização, por parte do Enfermeiro, da Sistematização da Assistência na elaboração do plano de cuidados do paciente. Concluiu-se que as diversas ações de enfermagem frente ao paciente com SCA, permitem prover uma assistência de qualidade voltada para as necessidades de cada paciente.
Ruri Miranda Machado, Andreina Da Silva Miranda, Sciprofile linkBruna Braga Dantas
Revista de Ciências da Saúde Nova Esperança, Volume 18, pp 88-97; doi:10.17695/revcsnevol18n2p88-97

Abstract:
As doenças priônicas são enfermidades neurodegenerativas raras que causam diversos sintomas neuropsiquiátricos devido ao acúmulo de príons, pequenas partículas resistentes à inativação formadas por genes que se modificam originando proteínas mutantes. Assim sendo, o presente artigo tem por objetivo a análise literária de publicações sobre a proteína príon e suas encefalopatias transmissíveis. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica desenvolvida, através do método da revisão integrativa, iniciado no mês de abril e finalizado em junho de 2018, sendo composta por artigos obtidos a partir de plataformas de pesquisas como o Google Acadêmico e PubMed, para complementação do estudo, utilizou-se também dados obtidos do Portal do Ministério da Saúde. Posteriormente, foi realizada uma análise a partir da leitura criteriosa dos artigos e utilizou-se como parâmetros de inclusão: ser publicado em inglês ou português; ter sido publicado no período de janeiro de 2003 à fevereiro de 2018, com exceção de uma Tese de Doutorado de 1996. Através deste estudo constatou-se que nos últimos 15 anos foram notificados uma média de 3,74 casos de óbitos por encefalopatias espongiformes no Brasil, sendo o estado de São Paulo o mais acometido. Quanto ao cenário mundial, foram notificados 177 casos no Reino Unido e 27 na França. Portanto, é de grande justificabilidade a continuação de pesquisar/estudos nesta área, visto que os príons causam encefalopatias e isso foi visto em vários países, inclusive no Brasil.
Rafaella Filgueira, Estephanye Vasconcelos Nunes De Farias, Maria Eduarda Rodrigues Castelianno, Wanuzia Keyla Miranda
Revista de Ciências da Saúde Nova Esperança, Volume 18, pp 135-142; doi:10.17695/revcsnevol18n2p135-142

Abstract:
Em dezembro de 2019 foi descoberta uma pneumonia causada pelo novo coronavirus, chamada de COVID-19. Apesar de diversos estudos na área, pouco ainda se sabe sobre o tratamento e manejo desses pacientes. Assim, o objetivo do presente trabalho foi analisar a eficácia da terapia com pronação nos pacientes acometidos por COVID-19. Trata-se de uma revisão sistemática realizada no banco de dados do Pubmed, sendo selecionados 11 artigos de um total de 469 entre ano 2019 e 2020. Segundo os estudos, a posição prona precoce realizada por pelo menos 12 horas por dia, diminui drasticamente a mortalidade nos pacientes com Síndrome Respiratória Aguda. Essa terapia, se realizada por 3 a 5 dias e associada a uma PEEP reduzida, demostrou-se benéfica para evitar a hiperinsuflação pulmonar desses pacientes. Também se considera o uso da Almitrina intravenosa associada com a posição prona, que foi responsável por aumentar a oxigenação do sangue na artéria em pacientes com pneumonia hipóxica precoce por COVID- 19 e com insuficiência respiratória, podendo ser uma alternativa ou tratamento adjuvante para insuficiência respiratória aguda por COVID-19. Porém, apesar da efetividade desse método de tratamento, alguns cuidados e efeitos colaterais dessa posição devem ser consideradas, pois algumas pessoas são mais responsivas à essa mudança de posição.
Victória Escóssia Germano, Alana Maria Gadelha De Medeiros, Cindhi Mayra Rodrigues Xavier, Denner Aires Mendonça Fonseca, Emanuelle Louyde Ferreira De Lima
Revista de Ciências da Saúde Nova Esperança, Volume 18, pp 127-134; doi:10.17695/revcsnevol18n2p127-134

Abstract:
Introdução: Os bisfosfonatos são uma classe de medicamentos utilizada nos serviços de saúde para o tratamento de doenças ósseas. Essas substâncias atuam nos osteoclastos, diminuindo a reabsorção e remodelamento ósseo. O uso dessa medicação pode levar a osteonecrose, uma patologia que se caracteriza pela necrose do tecido ósseo devido deficiência na irrigação sanguínea e pode ocorrer em diversos ossos, inclusive nos maxilares. Objetivo: Revisar a literatura existente sobre a relação entre o uso de bisfosfonatos e o risco de desenvolvimento de osteonecrose nos maxilares. Metodologia: O presente estudo trata-se de uma revisão de literatura, com base em artigos encontrados no PubMed, sintetizados e analisados acerca do tema. Conclusão: A possibilidade da ocorrência de osteonecrose devido à prescrição ampla de bisfosfonatos e seu uso por longos períodos vêm tornando essencial o conhecimento das aplicações e suas consequências pelas áreas responsáveis, a fim de evitar a ocorrência ou, pelo menos, minimizar os seus danos.
Felipe Fernandes Oliveira, Luciana Cavalcante Trindade, Natália Gontijo Ribeiro, Stephany Pessoa Farias, Kamila Paschoal Magno Do Nascimento
Revista de Ciências da Saúde Nova Esperança, Volume 18, pp 73-80; doi:10.17695/revcsnevol18n2p73-80

Abstract:
O impacto psicológico gerado por uma dermatose deve ser cuidadosamente avaliado pois poderá influenciar na evolução da doença e na resposta terapêutica. Nesse contexto, o presente estudo objetiva avaliar a qualidade de vida de pacientes com diferentes dermatoses. Trata-se de um estudo transversal cuja população foram pacientes que, no período de novembro/18 a março/19, buscaram atendimento dermatológico em uma clínica-escola localizada em João Pessoa/PB, utilizando-se como instrumento o Índice de Qualidade de Vida em Dermatologia – DLQI. A associação entre variáveis qualitativas foi avaliada pelo teste de Qui-quadrado; para variáveis quantitativas foram utilizados testes não paramétricos. Para se comparar grupos de doenças foi utilizado o teste de Kruskal-Wallis, seguido do teste de comparações múltiplas de Dunn. Para se comparar as variáveis com relação ao sexo foi utilizado o teste U de Mann-Whitney. Todos aspectos éticos foram respeitados. Avaliaram-se 165 pacientes. A população foi composta majoritariamente por mulheres (70,3%), com média de idade 35,25±15,7 anos. O tempo médio de doença foi de 3,6 ± 4,0 anos. As dermatoses mais prevalentes foram acne (24,2%), micoses (13,3%), tricoses (12,7%), melasma (7,9%), tumores cutâneos (6,1%). A mediana do DLQI total 6,0 (0-27,0) e média do escore geral foi de 7,62 ± 6,15, mostrando efeito moderado das dermatoses na qualidade de vida. A acne foi a dermatose que levou à pior qualidade de vida. O estudo alerta para uma avaliação abrangente do paciente que permita compreender melhor o quanto e de que forma a doença dermatológica pode prejudicar sua qualidade de vida e saúde mental.
Elaine Cristina Velêz Rodrigues, Erika Dos Santos Oliveira Trindade, Flávia Roberta Costa De Azêvedo, Nadja Inglide Lima De Brito Teixeira, Suélen Farias Costa Dos Santos, Sciprofile linkJainara Maria Soares Ferreira
Revista de Ciências da Saúde Nova Esperança, Volume 18, pp 143-150; doi:10.17695/revcsnevol18n2p143-150

Abstract:
Este trabalho objetivou um relato de caso clínico sobre tratamento de lesões ativas de mancha branca em paciente tratada ortodônticamente. A paciente fazia uso de dentifrício fluoretado Oral B (1450 ppm de F). Após remoção do aparelho, verificou-se presença de manchas brancas ativas nos elementos 11, 12, 15, 21, 22, 24, 33, 34, 35 e 43, com médias de diâmetros cervico-oclusal e médio-distal iniciais de, respectivamente, 5 mm, 4 mm, 2 mm, 3,5 mm, 4 mm, 3 mm, 4 mm, 4 mm, 2 mm, 4 mm. Após orientação de higiene e dieta, 8 sessões de fluorterapia com o verniz fluoretado Duoflorid XII® da FGM (6% de fluoreto de cálcio e 6 % de fluoreto de sódio) com profilaxia prévia usando pasta profilática Shine da Maquira (2000ppm de F), foram observados os elementos 11, 12, 15, 21, 22, 24, 33, 34, 35 e 43, com médias de diâmetros cervico-oclusal e médio-distal finais de 3 de 3,5 mm, 3,5 mm, 2 mm, 3,5 mm, 4 mm, 2 mm, 2 mm, 3,5 mm, 1,5 mm, 3,5 mm. As manchas brancas dos elementos dentários 12 e 22 permaneceram ativas, as demais inativas. Conclui-se que houve remineralização das manchas brancas com redução do diâmetro e/ou atividade das mesmas após 8 sessões de terapia com verniz fluoretado e orientação quanto a higiene e dieta da paciente.
Adrielly Vidal De Figueiredo Rodrigues, Ana Alice Meireles Da Nóbrega, Rebeca Medeiros Dos Santos, Sciprofile linkEstela Rodrigues Paiva Alves
Revista de Ciências da Saúde Nova Esperança, Volume 18, pp 61-72; doi:10.17695/revcsnevol18n2p61-72

Abstract:
O climatério é uma fase natural da vida que pode se apresentar acompanhada de um conjunto de transformações de natureza biopsicossocial, podendo influenciar consideravelmente as relações interpessoais. Este é um estudo exploratório, descritivo, com abordagem qualitativa de tratamento e análise de dados, tendo como objetivo compreender os aspectos existenciais da vivência do climatério por mulheres profissionais de saúde e a influência dos sintomas deste período sobre as relações pessoais no ambiente de trabalho. Para isso, foram entrevistadas, fazendo uso de um gravador de voz, 12 mulheres no climatério profissionais de saúde, com idades entre 40 e 65 anos, nos meses de junho e julho de 2019. As mulheres no climatério precoce e histerectomizadas foram excluídas do estudo. Os instrumentos utilizados foram: um roteiro de entrevista semiestruturado com quinze perguntas e o Índice Menopausal de Blatt & Kuperman. Este último é capaz de identificar e classificar os sintomas do climatério em leve, moderado e intenso. Utilizou-se como método de observação dos dados a análise de conteúdo de Bardin. Este estudo foi aprovado com o CAAE 08331219.5.0000.5179. Após análise, houve criação de duas categorias – os fogachos ou ondas de calor como fator de risco para depressão e indisposição ou falta de desejo sexual como expressão da baixa autoestima. Dada a relevância da síndrome do climatério, os sintomas identificados por meio do IMBK e referido pelas mulheres durante as entrevistas, bem como a vivência de cada uma, pode influenciar negativamente as relações pessoais no ambiente de trabalho.
Darla Freire Costa, Sciprofile linkPedro Paulo Rodrigues, Polyana Amorim Cruz
Revista de Ciências da Saúde Nova Esperança, Volume 18, pp 107-117; doi:10.17695/revcsnevol18n2p107-117

Abstract:
A assistência de enfermagem para a mulher durante o trabalho de parto é essencial para a aquisição de um cuidado mais humanizado e que aproxime a gestante a sua família, proporcionando a mulher o domínio do seu corpo. Nessa perpectiva, os cuidados de enfermagem vão além do uso de procedimentos técnico-científicos, aonde deve envolver a sensibilidade durante o parto, por meio do uso das habilidades que possam ser utilizadas pela equipe de enfermagem, oferecendo assim uma assistência mais humanizada. Esse estudo teve como objetivo verificar o papel da equipe de enfermagem a respeito da redução dos fatores estressores durante o trabalho de parto. Tratou-se de uma Revisão Integrativa, realizada nos meses de Março a Maio de 2019, aonde foram usadas as bases de dados LILACS, Medline e BDENF e os Descritores em Ciências da Saúde (DeSC): “Cuidados de Enfermagem”, “Trabalho de Parto” e “Humanização”, resultando em 08 estudos. Os resultados mostraram a necessidade de criar um momento acolhedor e favorável para o desenvolvimento de um cuidado humanizado durante esse período e que a mulher encontra-se fragilizada e sensível, aonde se faz preciso à adequação dos recursos físicos, psicológicos, materiais e humanos. Conclui-se que devem ser desenvolvidas estratégias voltadas para redução dos fatores estressores durante o trabalho de parto, bem como na realização de reflexões no sentido de nortear as ações futuras, sobretudo na implantação de novas politicas de saúde na área da saúde da mulher.
Airton Arison Rêgo Pinto, Sciprofile linkFabíola Chaves Fontoura, Lucas Ramos Da Costa, Adriana Lorrayny Barboza Pereira Ramos
Revista de Ciências da Saúde Nova Esperança, Volume 18, pp 81-87; doi:10.17695/revcsnevol18n2p81-87

Abstract:
Objetivou-se descrever as intercorrências gravídicas apresentadas pelo público materno durante o período gestacional e associar as intercorrências gravídicas aos resultados do Teste do Reflexo Vermelho em recém-nascidos. Esta pesquisa partiu de um estudo descritivo e de abordagem quantitativa, onde foi realizada na Faculdade Nova Esperança de Mossoró/FACENE-RN, posteriormente à seleção da população em uma maternidade situada no município. A população foi constituída por mães e recém-nascidos da maternidade e que compuseram o banco de dados do projeto de pesquisa, tendo como instrumento um formulário. A coleta de dados deu-se a partir do banco de dados no decorrer de fevereiro a setembro de 2018. Os dados foram analisados a partir de média, desvio padrão, valores mínimos, máximos, frequência simples e para a analise da associação entre as intercorrências gravídicas e o resultado do Teste do Reflexo Vermelho, aplicou-se o teste Qui-Quadrado (χ2). Após a análise dos resultados, o público estudado de 79 mães pertencia exclusivamente ao município de Mossoró-RN, onde apenas 49 mães apresentaram intercorrências, com maior prevalência da Infecção do Trato Urinário. Os resultados dos testes nos respectivos recém-nascidos mostraram reflexo vermelho normal, onde não houve associações estatisticamente significante entre as intercorrências maternas e os resultados do teste do reflexo vermelho nos recém-nascidos, com p=0,99. As intercorrências gravídicas, de acordo com o estudo, não interferiram nos resultados dos testes, porém deve-se cuidar das intercorrências gestacionais para minimizar os potenciais riscos aos fetos.
Page of 11
Articles per Page
by
Show export options
  Select all
Back to Top Top