New Search

Export article
Open Access

Estratégias argumentativas em tempos de pandemia: construção de sentidos em capas da revista Veja

Daiane Zamoner, Elaine Ribeiro,

Abstract: Com base nos aportes teóricos da Teoria da Argumentação na Língua (TAL) em sua fase mais recente a Teoria dos Blocos Semânticos (TBS), este estudo tem por objetivo analisar os sentidos construídos discursivamente em textos de capas da revista Veja, por meio de blocos semânticos expressos por encadeamentos argumentativos do tipo donc (DC) e pourtant (PT). A fim de realizar a análise do corpus, tomamos como base a Teoria da Argumentação na Língua (TAL) desenvolvida por Oswald Ducrot e colaboradores (Anscombre & Ducrot, 1994, Carel & Ducrot, 1999, 2005, Ducrot, 1988, 2002) especialmente no que diz respeito à fase atual desenvolvida por Marion Carel (Carel & Ducrot, 1999, 2005, Carel & Gomes, 2019), a Teoria dos Blocos Semânticos (TBS). Essa teoria tem como premissa que o sentido de uma entidade linguística está constituído por certos discursos que essa entidade evoca, denominados encadeamentos argumentativos unidos por um conector em DC (donc) ou em PT (pourtant). Este estudo caracteriza-se como exploratório e bibliográfico com abordagem qualitativa. O corpus selecionado é composto por textos de duas capas da revista Veja veiculadas durante a pandemia do COVID-19. Os resultados da análise permitiram observar que a TAL, em sua versão atual TBS, mostra-se eficaz ao auxiliar na interpretação de enunciados com múltiplos sentidos possíveis e nem sempre explícitos, posto que o sentido argumentativo de enunciados é construído discursivamente por blocos semânticos.
Keywords: em sua / capas da revista / da revista Veja / TAL

Scifeed alert for new publications

Never miss any articles matching your research from any publisher
  • Get alerts for new papers matching your research
  • Find out the new papers from selected authors
  • Updated daily for 49'000+ journals and 6000+ publishers
  • Define your Scifeed now

Share this article

Click here to see the statistics on "Acta Scientiarum. Language and Culture" .
Back to Top Top